segunda-feira, 20 de abril de 2009

Quem acredita no futebol?


O Importante é Perder


Professor Nazareno*

No último domingo, o Flamengo do Rio de Janeiro ganhou do Botafogo por 1 X 0 e se sagrou campeão da Taça Rio, edição 2009. Como os alvinegros ganharam o primeiro turno da competição, a Taça Guanabara, vão decidir em duas partidas, com o próprio rubro-negro, quem será o campeão do campeonato carioca deste ano. Se o Botafogo tivesse derrotado o Flamengo, seria campeão direto e não precisaria disputar as duas partidas finais. Mas como o que estava em jogo não era a honestidade do esporte, mas a ganância por dinheiro, não deu outra: tudo deve ter sido devidamente acertado para que houvesse as duas partidas da grande final.
Não precisa entender muito de futebol para compreender a ‘mutretagem’ acontecida em campo. A vitória do time do Flamengo aconteceu graças a um gol contra. Isso mesmo: foram os próprios jogadores do Botafogo que se encarregaram de fazer o que o Flamengo não estava conseguindo. Após o gol, as coisas se acomodaram e o jogo continuou tranqüilo até o apito final. Muito bom para o Botafogo perder. Terá pela frente agora duas partidas com uma média de 80 ou 90 mil torcedores em cada uma e uma pequena fortuna de quase dois milhões de reais e isto sem falar dos direitos de transmissão e outros ‘mimos’ que não existiriam caso tivesse derrotado o adversário.
Coisas estranhas andam acontecendo atualmente no esporte mundial. O Barão Pierre de Coubertin, que reinventou as Olimpíadas da era moderna e pronunciou a célebre frase “O importante não é ganhar, mas competir”, certamente está se retorcendo no túmulo muito tempo após a sua morte. Hoje, devido à conjuntura econômica que move os esportes mundo afora e, claro, não poderia deixar de ser também no Brasil, a frase do Barão poderia ser cunhada da seguinte forma: “O importante também é perder, dependendo do contexto”. Botafogo e Flamengo do Rio de Janeiro protagonizaram em abril de 2009 uma das maiores vergonhas para o esporte nacional e talvez até mundial.
Mas isto já aconteceu em outro esporte também, exatamente num domingo, maio de 2002, com o piloto brasileiro de Fórmula 1, Rubens Barrichello, que ainda está na ativa. Melhor piloto nos treinos e durante aquela corrida, ele simplesmente protagonizou a pior lambança de que se tem notícia no esporte entregando a vitória certa para o seu companheiro de equipe Michael Schumaker por ordens estritas dos cartolas da Ferrari. Com um milionário contrato assinado três dias antes, Rubinho frustrou a alegria de 174 milhões de 'babacas' que acreditavam, até àquela hora, que no esporte vencia sempre o melhor. Valia a vontade de vencer e dizer aos bilhões de torcedores no mundo inteiro que o Barão de Coubertin estava certo. Atitudes como a do piloto Rubens Barrichello não só envergonharam o país, mas todos aqueles que acreditam na honestidade dos esportistas. Comemorar a vitória do Flamengo sobre o Botafogo é no mínimo uma piada de mau gosto.
Brasil e Alemanha fizeram a final da Copa do Mundo de Futebol de 2002. O Brasil ganhou por 2 X 0, gols de Ronaldinho e se sagrou pentacampeão mundial de futebol. Ainda assim, teve que disputar as eliminatórias para o próximo mundial e poderia nem ter participado da competição caso não tivesse se classificado. A Alemanha que fora derrotada na final, teve a vaga garantida por ser país sede em 2006, Copa de que participou sem precisar passar pelo crivo das eliminatórias. Perdeu, mas se classificou enquanto o Brasil, o vencedor, teve que lutar pela sua vaga. Os dois times cariocas souberam conduzir com maestria o destino deles rumo aos milhões de reais enquanto ‘os torcedores otários’ ficam se iludindo achando que no esporte o melhor sempre vence. Triste ironia.


*O Prof. Nazareno leciona na escola JBC em Porto Velho (profnazareno@hotmail.com)

6 comentários:

Luiz Phelippe disse...

Concordo plenamente, mesmo sendo flamenguista. O dinheiro move até o prazer dos fanáticos. Essa é a realidade.

T1 JBC disse...

Felipe gostei da tua resposta, eu sou botafoguense, nao desacredito no meu time, amo de coração. Mas o futebol hoje em dia não tem a mínima graça torcer. Infelizmente, sempre tem dinheiro no meio ! :/

Joice Xpds disse...

O que GLOBO faz nem é novidade...
Ditadura militar que o diga.

"Eu vejo o futuro repetir o passado, eu vejo um museu de grandes novidades"
Cazuza

Valberson Oliveira disse...

Certamente o futebol não é diferente dos outros esportes, o dinheiro manda em quase tudo, mas para a tristeza do professor nem todos se vendem, e como no nosso querido país todos são inocentes até que se prove o contrario o gol contra do botafogo foi uma fatalidade...

Thiêgo Maia disse...

para mim o botafogo ñ entregou a partida pra ter mais 2 jogos, mas existia sim um interesse muito grande da Rede Globo de q houvesse esses outros 2 jogos. Mas quanto ao Botafogo Futebol de Regatas, até q se prove ao contrário, perdeu jogando...fatalidade de jogo.
msm pq o msm Émerson q fez o gol na final da taça rio faz tbm na final do carioca... e aí, professor? Vc acho q ele queria entregar o jogo de novo para o flamengo?

Thiêgo Maia disse...

quanto às copas de 2002 e 2006.
A Alemanha realmente tem poder sentro do futebol, mas insinuar q é por causa disso q ela teve a vaga na copa de 2006 é uma grande besteira.
Pq tinha sido acertado q os campeões não tinham pq ter vaga garantida, por isso q esses times passaram a jogar as eliminatórias de novo.
Já os países sede sempre tiveram sua vaga garantida por motive de interesse local nos jogos e tbm para beneficiar o país q gastou tanto pra fazer a copa.
Mas em 2010 a, sem tradição nenhuma, Africa do Sul q será sede e msm assim terá sua vaga garantida na copa, em quanto a toda poderosa e influente Itália(atual campeão da copa) terá q enfrentar as eliminatórias para jogar a copa de 2010.