quarta-feira, 1 de abril de 2009

O grito abafado pelo fim da monotonia ideológica

Jéssica de Souza*

gecika42@hotmail.com

Houve umpo em que revelar algo não condizente com o de costume era mortal. Existiam as perseguições (verdadeiras caças as bruxas), os contrapostos, e é claro, o castigo ao “louco sem escrúpulos”. Em pleno século XXI vivemos de maneira inacreditável. A ciência com seu desenvolvimento vem causando ‘’espantos saudáveis’’ e mesmo assim, pessoas continuam com seus pensamentos alienados e pacatos desobedecendo a simples regra de sempre- evoluir.
José Nazareno, recentemente, recebeu intensas críticas ao escrever um artigo revelando a atual situação do estado de Rondônia, que encontra-se sob o governo de gente estúpida e incapaz de exercer sua verdadeira função na íntegra. E a capital, por sua vez, vê o agravo da calamidade existente, quase irreversível.
Os verdadeiros leitores, ao deparar-se com o texto souberam, de fato, interpretar o exposto por Nazareno que, de maneira brilhante, descreveu a sujeira existente no estado. Porém, surgiram críticas absurdas de várias partes (fala-se de Brasil, logo, língua grande não falta.). A carapuça serviu a muitos, indignados com as ‘’árduas ‘’palavras do jornalista ao retratar a realidade, e como um verdadeiro ‘tapa na cara’ incomodou.
Então, pergunta-se: A partir de que momento um artigo pode incomodar tanto? Com muita clareza, é fácil de responder. Quando a situação existe, é lógica, grave e está encoberta pelo véu da arrogância.
Voltaire dizia: “Posso não concordar com o que você tenha dito, porém, lutarei até o fim pelo direito de dizê-lo”. Essa deveria ser uma espécie de resposta por parte dos críticos, que pelo contrário, insistem em lançar suas pedras sem, de fato, disponibilizarem de argumentos sensatos capazes de explicar suas opiniões. Parecem ter esquecido da repressão sofrida com o AI5(fim da liberdade de expressão), ou preferem voltar à idade média e não enfrentar a realidade de frente (bem mais cômodo!) e é claro pegar as tochas da hipocrisia e partir para o suposto ataque ao direito de expressão do autor.
A educação, ou a ausência dela, é a grande culpada por essa robotização de pensamentos, já que alguns alunos (verdadeiros rebeldes sem causa alguma), capachos, insistem em atirar por todos os lados palavras de ofensa que nem ao menos sabem o que significa na prática, exercendo sua bela liberdade de “berrar”.
Portanto, é necessário acabar com o medo de pensar, incrementando com complexidade e audácia, principalmente, o intelecto que resta na sociedade medrosa e pobre de cultura. Apoiar e respeitosamente aceitar criticas, que se observadas pelo ângulo exato (se é que existe um), serão construtivas, no intuito de amenizar o caos burguês que afeta a todos, antes que tudo desabe sobre nossas cabeças, sem metáforas, pois “nos deram espelhos e vimos um mundo doente. Tentei chorar e não consegui”.

* Aluna do professor Nazareno


16 comentários:

Anônimo disse...

Sinceramente,Ro não precisa de gente que só faz apontar.Precisa sim,de gente que trabalhe,exerça seu papel de cidadão.O que me indignou não foi as calamidades mostrada no texto do Professor,e sim como foram abordadas.Uma coisa é apontar ao mendigo e dizer: que culpa tem eu de você está aí.Outra seria:culpa temos nós brasileiros,que vemos essas coisas e não fazemos nada!;D

Anônimo disse...

Claramente, você só pode ser aluna do "professor nazareno" mesmo, a sua visão embotada dos fatos tem a quem "puxar". Precisamos de pessoas que trabalhem e nos ajudem a melhorar nossa cidade, não de pessoas que façam críticas destrutivas e se achem as donas da verdade.
Não vamos ser ingratos com a hospitalidade que Rondônia sempre deu e sempre dará a todos os que dela precisam para ganhar o pão do dia-a-dia.
Sou mãe de aluna do Colégio Classe A e estou preocupada com o nível de ensino deste "professor".

Bruno Vinicius disse...

Entao "Anonimo" Mostre sua cara e o faça...

Costa Brasil disse...

Nobre Jéssica e Pupila de Professor Nazareno,

Ao ler seu texto versando sobre a reação de alguns leitores, criticando o artigo do Professor Nazareno, postado na mídia eletrônica da cidade e em seu próprio blog, sob o título Em Rondônia é assim mesmo..., conclui, ao final da leitura que, certamente, nós lemos artigos diferentes. Não! Não foi o mesmo texto que acessamos, com toda certeza. A hipnotizada pupila classifica o texto como uma abordagem feita “de maneira brilhante, (que) descreveu a sujeira existente no estado.” Mais adiante afirma que a carapuça nos serve uma vez que o Professor-Deus (para seus pupilos) retrata “a realidade (...) como um verdadeiro ‘tapa na cara’”
Respondo-lhe: sim, o texto me ofendeu. Coube-me como carapuça, feita sob medida para me ofender, me agredir, me humilhar. Não, não foi um tapa na cara! Foram chutes, bofetes, murros, pontapés e pauladas na minha cara. Discordo de você, Jéssica, pupila embriagada pelo verniz-capa de um falso saber que esconde a arrogância medíocre de um pseudo intelectual. O texto, que você classifica de brilhante está longe, absurdamente distante, de ser uma crítica à realidade política, social, cultural e esportiva da nossa urbe que, inclusive, você e seu falso profeta habitam. É para mim, muito claramente, um artigo preconceituoso, raso e rasteiro, equivoca, de alguém que pensa que pensa - acredite Jéssica!
Mostre-me uma tese, um artigo, um texto sério e científico, um livro de antropologia, sociologia ou de outra área qualquer do saber, que classifica a população de uma cidade, de uma região ou de um país como seres que se assemelham com risonhas hienas comedoras de carniça. Não! Mil vezes não! Este não é um texto sério, pensado por alguém que se predispõe debruçar-se sobre os problemas da cidade e refleti-los.
Devolvo-lhe a pergunta: porque estas afirmações não lhe ofendem? Você acredita que, de fato, somos animais e que nos alimentas de carnes podres? Me preocupa quando alguém como você, na defensiva do absurdo, propõe uma reflexão aos ofendidos, com a finalidade de convence-los destes xingamentos como a tradução absoluta de todas as verdades. Tenho convicção que não lemos o mesmo texto e quem o escreveu não foi seu professor! Não é professor!!!

Anônimo disse...

Ao anonimo abaixo

Rondonia precisa sim que seje apontado as falhas do governo pois assim a populaçao como no caso vc fique indignado e tente de alguma forma combater tal situaçao.Sabe-se oque vc dirá " Eu nao posso fazer nada!" mas o certo é eu posso "sim!" e outra a uniao faz a força .

amanda cibele disse...

Sinceramente, vejo uma ignorância total nas palavras que já tetanram mostrar a razão!
Porque não param para conceratar os próprios erros antes de lançar uma pedra? Claro, é tão fácil jugar alguém né. Se alguém vestiu a carapuça e acabou se doendo aguente, seja diferente apenas e não tente concertar o que já tem sido um ''erro''.De fato o professor Nazareno foi ingênuo assim como ele mesmo citou na aula hoje, mas o que adianta alguém chegar aqui e criticá-lo ou ele criticar Porto-Velho, ambas partes não irão ajudar a mudar o que está pendente em nossa cidade.
Veja você mesmo como somos atingidos por aquele texto que a revista época publicou,se realmente as pessoas veêm erros na nossa cidade é porque demos brecha para isso acontecer.
Gostaria que o prof°Nazareno tivesse também publicado um texto com pontos positivos da cidade tão maravilhosa PORTO VELHO mas agora é tarde, não dá de reverter oque fez as pessoas se doerem tanto, inclusive eu, que me sinto culpada de deichar simplismente isso passar como se nada tivesse acontecido. Em que posso mudar? Não sei, mais vou!
Não tenho medo de mostrar meu nome e a minha opinião, pra que ser anônimo e não assumir o que ppensa?
Fica aqui um grande elogio ao professor...PARABÉNS por mostrar o que pensa sem se esconder em um codnome ''anônimo'' pra expressar as grandes opiniões.
Não gostei do texto, mas o que vai adiantar eu criticar? É sim um ótimo professor.
Fica ai meu pedido de um texto contrário, quero enxergar as qualidades da minha grande cidade, sem medo de também ver a realidade que já foi mostrada no texto anterior.
ESPERO NÃO SER AMEAÇADA DE MORTE TAMBÉM!

Mandy ci. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
- Alliny Adnil - disse...

Pobre Pessoa Anônima, Ao Menos o profº nazareno publucou seu texto sem esconder seu rosto, Está preocupado(a) com o nível de ensino de seus filhos?Pior é seu nível de ignorância...A verdade tem que ser dita, para ao menos termos consciência de que estamos sendo passados a perna, alguém aqui tem que acordar pra realidade e é isso que o texto quiz fazer.
Quem leu esse texto ao menos deveria ter uma aula básica com o PRofº para saber interpretar.
O Texto pode deixar rondonienses furiozos porque sabem que é verdade e sempre esteve "escondido de baixo dos panos".Em que um texto vai influênciar na vida de Vcs? Oh Céus...será que alguém aqui vai passar fome por isso?
Ah gente tbm não há pq tanta "tempestade em um copo de água".

Anônimo disse...

Costa Brasil ,ja que você discorda tanto do texto do professor e e do texto da Jéssica ,por que você nao citou os pontos positivos da cidade ?
que tal começar pelos pontos historicos.
nem da propria historia eles cuidaram ,preservaram ,ta tudo se acabando ,os trilhos ,o museu ,que quase nao guardou nada ,o que tinha ainda deixaram os outros levarem ,para fora da qui ,o mato toma conta ,e se algum turista se aventurar em ir la na estrada de ferro ,ainda corre o risco de ser assaltado ,pelos viciados em drogas que rondao aquele ,lugar abandonado ,pelas autoridades ,e pela populaçao que parece nao saber de nada ,nao cobra nada ,e fica tudo por isso mesmo .
o que dizer ,se realmente o teto do shopping desabou ,se realmente a ponte caiu ,se realmnet nao produzimos maracuja .
essas coisas ´presisao mudar ,precisam melhorar .
mais se todo mundo achar que ta tudo bem ,entao vai tudo mesmo se acabar ,pra melhorar e preciso ,saber quais sao os pontos negativos ,onde estao as falhas ,ou seja criticas ,como essa do professor ,talvez ele so quer que isso mude .
nasci aqui ,nao posso dizer que é tudo maravilhoso ,sendo que nao é ,muita coisa precisa mudar ,eu nao queria que fosse assim ,mais é uma das realidades ,entao a populaçao precisa acordar e ver tambem que aqui nao e tao maravilhoso e precisa cobrar das autoridades .
agora se for pelo pensamento do Costa ,ficara e tudo pior ,porque se nem da historia eles preservao e pra ele aqui e maravilhoso , o que sera ruim entao pra ele ?alias o que sera pior que isso ?
pessoas vem de fora e passao nas provas, concurso ,vestibular ,e os proprios nativos nao passao porque nao conhecema propria historia ,a propria regiao ,e pessoas de fora conhcem e sabem e passao , isso precisa mudar .
isso éuma realidade ,negativa .
precisa mudar ,nao e tudo maravilhoso nao ,existem pontos positivos ,mais os negativos estao superando .
quanto ao cargo de professor ,nao tenho duvida ,que é um excelente profissional ,é so ver seus alunos aprovados na faculdade federal ,tenho orgulho de ter sido aluna desse professor .

Joice Xpds disse...

"Coube-me como carapuça, feita sob medida para me ofender, me agredir, me humilhar. Não, não foi um tapa na cara! Foram chutes, bofetes, murros, pontapés e pauladas na minha cara."

Será que agora você despertará do seu profundo sono (sonho) de Rondônia ame-a ou deixe-a?

Joice Xpds disse...

Mentiram-me.
Mentiram-me ontem
e hoje mentem novamente.
Mentemde corpo e alma, completamente.
E mentem de maneira tão pungente
que acho que mentem sinceramente.


Mentem, sobretudo, impune/mente.
Não mentem tristes.
Alegremente mentem. Mentem tão nacional/mente
que acham que mentindo história afora
vão enganar a morte eterna/mente.


Mentem.Mentem e calam. Mas suas frases falam.
E desfilam de tal modo nuas
que mesmo um cego pode ver
a verdade em trapos pelas ruas.


Sei que a verdade é difícil
e para alguns é cara e escura.
Mas não se chega à verdade
pela mentira, nem à democracia
pela ditadura.

Affonso Romano de Sant'Anna

Aline C. D. disse...

Jéssica, tens meu apoio. O que há com a democracia e o direito de livre expressão? A verdade é que vivemos de fato numa sociedade fundamentalista, cheia de tabus. O que o Nazareno fez foi mostrar a verdade que está estampada, mas que devido ao clientelismo, à covardia com a qual esta sociedade está acostumada, muitos se fazem de cegos (ou estão cegos)e não vêem o que de fato estamos vivendo.
Mas ainda há alguns com coragem o suficiente...
Abraço.

alex disse...

EXISTEM PESSOAS QUE TEM UM NÍVEL TÃO BAIXO DE INSTRUÇÃO E DE LEITURA DE MUNDO, QUE NÃO SABEM AO MENOS INTERPRETAR UM TEXTO. O PROFESSOR NAZARENO FOI FANTÁSTICO AO REDIGIR O SEU TEXTO, OS RONDONIENSES TEM QUE ACORDAR PRA REALIDADE DO NOSSO QUERIDO ESTADO. O TEXTO DA JÉSSIKINHA FOI BRILHANTE, EXPÔS O QUE AS PESSOAS PRECISAVAM OUVIR. E SINCERAMENTE, FICO PERPLEXO QNDO VEJAM PESSOAS CRITICAREM ATÉ DE FORMA PESSOAL, UM PROFISSIONAL QUE SABE MUITO BEM O QUE ESTÁ DIZENDO E NÃO TEM MEDO DE ENFRENTAR AS CONSEQUÊNCIAS COMO MUITOS FAZEM AQUI. AOS ANÔNIMOS DO "CONTRA", PQ VCS NÃO SE IDENTIFICAM E PROVEM QUE O QUE NO TEXTO FOI ESCRITO É MENTIRA. A MÃE DA ALUNA DO CLASSE QUE SE DIZ PREOCUPADA, TEM Q REVER SEUS CONCEITOS CRÍTICOS, POIS EM NENHUM MOMENTO VI ALGO CONSTRUTIVO EM SEU COMENTÁRIO. PORTANTO, SE VCS NÃO CONCORDAM COM O TEXTO, TIRE A VENDA DOS OLHOS E OLHE AO SEU REDOR. PARABÉNS JESSIKINHA E PROFESSOR NAZARENO, NÃO VAMOS NOS ABATER COM COMENTÁRIOS DE PESSOAS QUE NEM SABEM O Q É UM PENSAMENTO CRÍTICO.

CONTINUE ASSIM PROFESSOR, MOSTRANDO A TODOS O Q REALMENTE ACONTECE EM NOSSA CIDADE.

Rafael disse...

Como já foi comentado anteriormente, esse texto só poderia ser escrito por uma aluna do profesor Nazareno. Possui os mesmos traços sensacionalistas e inflexíveis, aspectos que são constantes nas suas aulas, que por acaso são completamente entediantes pelo simples fato de versar sobre uma única modalidade de texto o ano inteiro...

Joice Xpds disse...

Foi detectado um vírus no seu blog.
Não se preocupe, já avaliamos (palavrinha odiosa para este vírus)e descobrimos que este não lhe traz perigos se distante de armas de fogo. O nome é:


Aluno Reprovado

Jéssica disse...

seria pupila ou cobra criada, caro Costa Brasil?