sábado, 13 de março de 2010

As "maravilhas" do Nordeste brasileiro


“Orgulho de Ser Nordestino”


Professor Nazareno*


A criação de slogans falsos e mentirosos para enganar a população é uma prática comum no Brasil. A Ditadura Militar criou vários mantras que se popularizaram. “Brasil, ame-o ou deixe-o”, ou “Este é um país que vai prá frente!” Em Rondônia também existem muitos ditados que, de certa forma, tentam imitar o absurdo: “sou daqui e exijo respeito”, diz, por exemplo, a frase da Assembléia Legislativa. Será que ser respeitado é “devolver” o dinheiro do povo? Porém um dos ditados mais incomuns e patéticos apareceu no Nordeste do Brasil. Sem observar a dura realidade da região, alguns imbecis insistem em ressaltar o orgulho de se ter nascido naquele lugar.

O Nordeste brasileiro é uma região com área territorial menor do que o estado do Amazonas e tem uma população de quase 60 milhões de pessoas. Se esses dados geográficos fossem no mundo rico e desenvolvido, tudo bem. No Brasil é sinônimo de muitos problemas. Vejamos: os quatro estados mais pobres do país e com menor Índice de Desenvolvimento Humano são do Nordeste: Alagoas, Paraíba, Maranhão e Piauí. Os índices econômicos da região são pífios, sempre foram. O analfabetismo é alto, e a concentração de renda, o câncer do país, é a maior dentre todas as regiões. O seu maior produto de exportação sempre foi a mão de obra barata e de qualidade duvidosa.

As capitais da região se auto-intitulam como oásis do turismo mundial, mas são apenas seqüelas associadas à exploração de seres humanos. Recife pode até ser a “Veneza brasileira”, mas é a capital mais violenta do país. Natal e Fortaleza disputam ferrenhamente o título de capital do turismo sexual. Uma voltinha nos calçadões da Aldeota ou mesmo nas brancas areias da Ponta Negra é um convite que pode quase sempre terminar dentro de um motel. João Pessoa, na Paraíba, não é onde o sol nasce primeiro. Nunca foi. Dependendo da posição da terra, é o norte do Espírito Santo que recebe os primeiros raios solares. Uma mentira secular em que todos os paraibanos sempre acreditaram.

Os estados nordestinos sempre tiveram só duas cidades: a capital e o resto. Por isso a política do lugar é conhecida no mundo inteiro como a “Meca do clientelismo”. O coronelismo sempre foi uma marca registrada de lá. A “indústria da seca” é uma realidade tipicamente nordestina. Sarney, Collor, ACM dentre tantos outros são e foram exemplos de líderes regionais sabidamente copiados pelo resto do Brasil. Nem na Literatura há grandes destaques. Como indicar alguém como Jorge Amado ou mesmo José Lins do Rego para algum Nobel? Um se dizia comunista, mas apoiava ACM na Bahia, o outro jamais escreveu algo além da realidade dos engenhos de cana.

Na religião o Nordeste é um caso à parte. De Antônio Conselheiro, nos confins da Bahia, até Roldão Mangueira e seus “Borboletas Azuis” passando pelo cearense Padre Cícero ou o pernambucano São Severino dos Ramos e até Frei Damião, os nordestinos sempre “botaram fé” nos seus escolhidos. E, alheios ao tempo e à realidade, nunca deixaram de associar os fenômenos climáticos aos desígnios de Deus. Por tudo isto, não seria correto associar o slogan do título à realidade sem nenhuma reflexão mais detalhada. É possível até sentir orgulho de ser de algum lugar. Mesmo que este lugar esteja apenas associado a simples vendedores de rede espalhados pelo mundo afora. Mas aí a História teria que ser mudada.


*É professor em Porto Velho.


6 comentários:

SOS DIREITOS HUMANOS disse...

DENÚNCIA: SÍTIO CALDEIRÃO, O ARAGUAIA DO CEARÁ – UMA HISTÓRIA QUE NINGUÉM CONHECE PORQUE JAMAIS FOI CONTADA...



"As Vítimas do Massacre do Sítio Caldeirão
têm direito inalienável à Verdade, Memória,
História e Justiça!" Otoniel Ajala Dourado



O MASSACRE APAGADO DOS LIVROS DE HISTÓRIA


No município de CRATO, interior do CEARÁ, BRASIL, houve um crime idêntico ao do “Araguaia”, foi o MASSACRE praticado pelo Exército e Polícia Militar do Ceará em 10.05.1937, contra a comunidade de camponeses católicos do SÍTIO DA SANTA CRUZ DO DESERTO ou SÍTIO CALDEIRÃO, cujo líder religioso era o beato "JOSÉ LOURENÇO GOMES DA SILVA", paraibano de Pilões de Dentro, seguidor do padre CÍCERO ROMÃO BATISTA, encarados como “socialistas periculosos”.



O CRIME DE LESA HUMANIDADE


O crime iniciou-se com um bombardeio aéreo, e depois, no solo, os militares usando armas diversas, como metralhadoras, fuzis, revólveres, pistolas, facas e facões, assassinaram na “MATA CAVALOS”, SERRA DO CRUZEIRO, mulheres, crianças, adolescentes, idosos, doentes e todo o ser vivo que estivesse ao alcance de suas armas, agindo como juízes e algozes. Meses após, JOSÉ GERALDO DA CRUZ, ex-prefeito de Juazeiro do Norte/CE, encontrou num local da Chapada do Araripe, 16 crânios de crianças.


A AÇÃO CIVIL PÚBLICA AJUIZADA PELA SOS DIREITOS HUMANOS


Como o crime praticado pelo Exército e pela Polícia Militar do Ceará é de LESA HUMANIDADE / GENOCÍDIO é considerado IMPRESCRITÍVEL pela legislação brasileira e Acordos e Convenções internacionais, por isto a SOS DIREITOS HUMANOS, ONG com sede em Fortaleza - CE, ajuizou em 2008 uma Ação Civil Pública na Justiça Federal contra a União Federal e o Estado do Ceará, requerendo: a) que seja informada a localização da COVA COLETIVA, b) a exumação dos restos mortais, sua identificação através de DNA e enterro digno para as vítimas, c) liberação dos documentos sobre a chacina e sua inclusão na história oficial brasileira, d) indenização aos descendentes das vítimas e sobreviventes no valor de R$500 mil reais, e) outros pedidos



A EXTINÇÃO SEM JULGAMENTO DE MÉRITO DA AÇÃO


A Ação Civil Pública foi distribuída para o Juiz substituto da 1ª Vara Federal em Fortaleza/CE e depois, para a 16ª Vara Federal em Juazeiro do Norte/CE, e lá em 16.09.2009, extinta sem julgamento do mérito, a pedido do MPF.



AS RAZÕES DO RECURSO DA SOS DIREITOS HUMANOS PERANTE O TRF5


A SOS DIREITOS HUMANOS apelou para o Tribunal Regional da 5ª Região em Recife/PE, argumentando que: a) não há prescrição porque o massacre do SÍTIO CALDEIRÃO é um crime de LESA HUMANIDADE, b) os restos mortais das vítimas do SÍTIO CALDEIRÃO não desapareceram da Chapada do Araripe a exemplo da família do CZAR ROMANOV, que foi morta no ano de 1918 e a ossada encontrada nos anos de 1991 e 2007;



A SOS DIREITOS HUMANOS DENUNCIA O BRASIL PERANTE A OEA


A SOS DIREITOS HUMANOS, igualmente aos familiares das vítimas da GUERRILHA DO ARAGUAIA, denunciou no ano de 2009, o governo brasileiro na Organização dos Estados Americanos – OEA, pelo DESAPARECIMENTO FORÇADO de 1000 pessoas do SÍTIO CALDEIRÃO.


QUEM PODE ENCONTRAR A COVA COLETIVA


A “URCA” e a “UFC” com seu RADAR DE PENETRAÇÃO NO SOLO (GPR) podem localizar a cova coletiva, e por que não a procuram? Serão os fósseis de peixes do "GEOPARK ARARIPE" mais importantes que os restos mortais das vítimas do SÍTIO CALDEIRÃO?



A COMISSÃO DA VERDADE


A SOS DIREITOS HUMANOS busca apoio técnico para encontrar a COVA COLETIVA, e que o internauta divulgue a notícia em seu blog/site, bem como a envie para seus representantes no Legislativo, solicitando um pronunciamento exigindo do Governo Federal a localização da COVA COLETIVA das vítimas do SÍTIO CALDEIRÃO.


Paz e Solidariedade,



Dr. Otoniel Ajala Dourado
OAB/CE 9288 – 55 85 8613.1197
Presidente da SOS - DIREITOS HUMANOS
Membro da CDAA da OAB/CE
www.sosdireitoshumanos.org.br
sosdireitoshumanos@ig.com.br

joice disse...

Eita porra.

João de Souza Régis disse...

Opinião é coisa pessoal. Estatistica não reflete a realidade. Generalizar é imbecilidade. Minhas frustrações com a vida não vale para os outros.

Antônio de Souza Alencar disse...

Professor infelismente tudo o que o senhor escreveu é verdade so que ao não colocar as coisas boas da região o senhor erra feio pois passa uma ideia de que lá só tem coisas que não prestam. O nordeste ou qualquer outro lugar do mundo tem coisa boas e coisas ruins e o senhor sabe muito bem disto pois nasceu lá. Apesar de ler todos os seus textos eu gostaria de saber quando o senhor vai escrever algum falando bem de alguma coisa. Mais e bom que continue escrevendo assim mesmo quem sabe abre os olhos de muita gente. Mais repito que se o senhor fosse escrever sobre as coisas boas do Nordeste ou de Rondônia, o senhor teria muito mais assuntos para os seus leitores.E eles não ficaraim com raiva do que o senhor escreve. A verdade é sempre a verdade e dói em muita gente mas não se faça de cego: no Nordeste tem muitas coisas que lembram qualquer paraíso. Porque lembrar só do que não presta? Pense nisso e continue escrevendo por enquanto sou seu leitor. Obrigado.

Eron Bezerra disse...

Eu sei que quase tudo isso que vc falou pode ser verdade,mas a expressão \'Orgulho de ser nordestino\'trata e se refere a questão da alma do povo nordestino, do homem sertanejo trabalhador, honesto, religioso,direito,digno,corajoso, disposto, guerreiro...Não se refere as características da região e sim as virtudes do povo do nordeste, agora; se orgulhar do lugar que nasceu e se orgulhar de ser de lá é só mais uma virtude de homens e mulheres destemidos do nordeste. Um forte abraço de um cabra macho!

Leal Rodrigues disse...

Tem de ser nordestino, “caba macho”! Pra caçar na caatinga um barbatão! Amansar burro “brabo” e alazão Só com sela, sem brida ou barbicacho. Degustar “buchada” lá no tacho, Criar bom cachorro perdigueiro Encangar boi de carro, ser carreiro Com arado a terra revolver! Tem de ser nordestino pra saber Dar valor ao nordeste brasileiro...
Ter orgulho de ser “Caba da Peste”!/ Ser vaqueiro, na pista campeão/ Na faixa, estender o boi no chão/ Encarar qualquer um que lhe conteste,/ Cultuar sertão e o agreste/ Cultivar o costume hospitaleiro/ De tarde, no batente do terreiro,/ Ver o sol no poente se esconder!/ Tem de ser nordestino pra saber/ Dar valor ao nordeste brasileiro...