terça-feira, 30 de março de 2010

Será que o PT vai também queimar gente?


Petistas queimam livros. Queimarão pessoas?


Professor Nazareno*


Foi na greve dos professores do Estado de São Paulo. Os grevistas, controlados pelo PT, Partido dos Trabalhadores ou também “Partido do Mensalão”, fizeram a mesma coisa que os Nazistas em 1933. A propósito disto, o poeta alemão de origem judaica, Heinrich Heine, afirmara em 1821: “Aqueles que queimam livros, acabarão cedo ou tarde por queimar homens”. Em Rondônia já houve o caso de um estudante que queimou “Os Sertões” de Euclides da Cunha. Foi na Faculdade de Jornalismo da Uniron há dois anos. Esse Index local infelizmente vez ou outra “se levanta contra os meus textos bobos”. Muita gente metida a intelectual, jornalistas inclusive, gostaria de ver meus artigos arderem no fogo. Gostaria até de me incendiar vivo, se pudesse. Faltariam tochas e capuzes para este “motim medieval”.

Queimar livros por causa de uma greve que reivindica aumentos salariais é absurdo. Em Rondônia, a maioria dos professores e dos trabalhadores em educação também está em greve sob as ordens do Sintero, o sindicato da categoria. Braço político do PT, esse sindicato sempre esteve a serviço da eleição de vários integrantes e ex-dirigentes. Roberto Sobrinho foi um dos primeiros. Depois Manoel do Sintero, o vereador José Wildes, o ex-deputado Nereu Klosinski e agora Claudir Mata, a atual presidente do órgão, será provavelmente candidata a algum cargo político, talvez Deputada Estadual, pelo PT é claro. Quem sabe se não é por isso que os grevistas “já dormem” até na Assembléia Legislativa? Claudir quer se familiarizar com o ambiente e por isso já conta com os votos dos seus fiéis seguidores.

Não há nenhuma ilegalidade em se usar a estrutura de um sindicato legalmente constituído para se fazer carreira política. Pode até ser legal, mas é imoral. A política sindical não deveria ser misturada com a política partidária. Elas são díspares, defendem coisas distintas e têm objetivos diferentes. Sindicato que se aproxima perigosamente da estrutura governista corre o risco de se tornar “pelego”. E nesta greve, onde um grupo político tenta se sobrepor a outro, quem leva desvantagem é o aluno. E não adianta dizer que as aulas serão repostas. Quem vai fazer o Enem ou o vestibular da Unir, no caso dos alunos que estão terminando o Ensino Médio, precisa ter aulas sem interrupção. É a pura verdade, mas se insiste em afirmar o contrário. É prejuízo na certa. Vestibular nunca esperou por grevistas.

A Prefeitura de Porto Velho, também controlada pelo PT, não paga um salário decente aos seus professores. Por isso esta greve ao ser comandada por “políticos profissionais que querem ser eleitos brevemente e que são ligados ao Partido dos Mensaleiros” soa meio esquisita, hipócrita até. Não é muito bom que as reivindicações sejam apenas por melhores salários já que a qualidade de ensino nas escolas públicas não é debatida nem levada em consideração, tanto por grevistas como pelas autoridades da Seduc e do Governo como um todo. De que me adiantam, como professor, uns trocados a mais no bolso se o principal não se discute? Toda greve na educação deveria abordar primeiro estes fatos. Da estrutura física das escolas até a valorização da educação e do educador.

A classe política local sinaliza que não quer discutir o problema. Deve estar “ocupada” com suas “leis e projetos”. A comunidade não se pronuncia. Parece até que não será afetada. O Governo, intransigente, diz não haver disponibilidade de caixa para atender às justas reivindicações dos grevistas. E nessa absurda guerra de vaidades, todos perdem. A sociedade se embrutece e compromete ainda mais o seu futuro. Nós professores ganhamos uma miséria, sim. E no país inteiro. Todos sabem disto, mas ninguém nada faz. Nem o Partido dos Trabalhadores. Nem Cassol, nem Sobrinho, nem Lula, nem Dilma, nem Serra. Tenho medo de que essa queima de livros em São Paulo possa desencadear outras ações mais duras por parte dos petistas e dos grevistas de lá e daqui: vão agora querer queimar alunos e também quem é contra os seus insanos movimentos grevistas que prejudicam a todos?


*O professor Nazareno leciona na Escola João Bento em Porto Velho.


12 comentários:

Um pensador disse...

Professor:
Sempre fui e sou contra queimar livros, mas acho que para termos uma ideia melhor e vermos se a atitude deles seria justificável, seria necessário que nos fosse respondidas as seguintes questões: 1) Que livros eram aqueles? 2) Não erão livros "direcionados" para "emburrecer o aluno? 3) Quais as outras críticas apresetnadas?
No mais, infelizmente a política é uma só, do mesmo jeito que o PT irá usar toda sua máquina para eleger e reeleger os seus representantes, o PSDB e os demais partidos também. A Esperança é que a lei e e a fiscalização popular consiga ao menos manter tudo isso em um nível aceitável.

Francisco Campos disse...

Estou estupefato! É a segunda vez que o Prof. Nazareno escreve um texto,com o qual concordo quase sem ressalvas. O problema da greve do Sintero, que irremediavelmente prejudica os alunos, é ter um timing torto: acontece nas vésperas de uma eleição. A tática petista é essa: quanto pior, melhor. O objetivo é desgastar a imagem do atual governante do Estado e, durante as eleições, ter manchetes a apresentar. O Sintero, com isso, perde a credibilidade e já não são poucos os professores que andam cansados dessas bandeiras puídas...

Israel Trindade disse...

Caro professor Nazareno voce deveria ajudar a luta dos trabalhadores de educação por melhores salário em vez de ficar defendo um corrupto como esse Governador.

Antônio de Souza Alencar disse...

Bravo, muito bravo mesmo, professor Nazareno. Toda vez que leio seus artigos me sinto aliviado e como disse um outro leitor seu sinto que o nó da garganta desaparece. Texto muito feliz mesmo. disse as verdade que todos tinha que ouvir. e o senhor é autoridade no assunto por que é um professor também. Tá na sala de aula e sabe os problemas de todos e vive a realidade. Fala com precisão e sabedoria sem precisar de arrodeio. Parabéns de novo pelo brilhante artigo. Eu vou sempre lê os seus textos que eu concordo ou que eu discorde deles por que sempre aprendo com eles. Parabéns de novo e era pra todos ler o que o senhor escreve. Mandou bem de novo e sem medo. OBRIGADO.

Forasteiro do Sul disse...

Esse professor é F.... Ja li varios artigos e concordo com todos. Pena que ele não pode dizer a VERDADE porque ofende quem não quer enxergar!!!!

Pedro de Alcântara Nogueira disse...

Caro professor o Sr não entendeu a psicologia da coisa, essa de queima de livros nada mais reflete q o desespero q esse pessoal esta passando; Pois não é mole aguentar tudo q a classe da educação tem passado nesses ultimos anos!

Pedro de Alcântara Nogueira disse...

Sou contra a queima de livros! Mas cada um q critica os atos da classe educacional, em especial do estado de rondonia devia antes de qualquer comentario se sentir na pele daqueles q ganham menos de 1 salario, como é o caso das zeladoras, do pessoal de apoio como um todo, sem falar nos professores, q é sabido por todos q seu salario é uma miseria tambem, então aqueles q criticam e confabulam se sintam um dia na pele desse pessoal!!!

Jorge Santos disse...

Professor Nazareno, por que eu deveria estar preocupado com os alunos se os governantes não estão nem aí para a educação? quando vc fala que as aulas serão repostas "de mentirinha" eu concordo com vc. Agora, as aulas que estão sendo dadas com meia dúzia de alunos, é uma aula de verdade? Por que vc tanto critica o sindicato e ao falar do governo CASSOL, cita uma ou duas palavras para fazer de conta que está contra ele? Vc acha que o seu ambiente de trabalho a nível de estado está em condições adequadas para desenvolver um bom trabalho? Ou vc trabalha com todos os recursos necessários para um bom aprendizado do aluno naquele AMONTOADO DE CONCRETO, chamado de Escola João Bento da Costa? Vc não apóia a greve pois tem outra fonte de renda, garanto que se dependesse apenas desse salário vergonhoso que ganha um professor, não estaria puxando o saco do governo CASSOL.

João Maia disse...

É meu caro, quem cospe pra cima acaba se sujando. Não sou petista e me simpatizo muito com a causa dos professores. Não use seu intelecto em detrimento de outros, vc tem o apreço de muitos internautas, faça uso deste prestígio para ensinar algo, já que assina Professor. O rancor, o ódio, a amargura faz mostrar o quanto o homem é invejoso. Espero, quem sabe logo, ler um texto seu sobre as maravilhas da vida, uma poesia, um conto eu sei que vc pode. Faça

Francisco Rodrigues Lopes disse...

Nazareno, vc é muito infeliz com seus comentários bestiais,sempre criticando a cidade em que vive e tira seu sustento. Critica sempre o PT E O prefeito, mas é um grande puxa saco DO cassol, se toque né!

Jaqueline Barbosa Surmão disse...

O Sr. Jorge sANTOS estar certo, voce Prof. Nazareno como educador sabe muito bem que não é bem assim o contexto que esta sendo colocado diante da greve dos trabalhadores da educação, ela é LEGÍTIMA SIM! e até pode ter pessoas do PT apoiando sim, mas isso não desmereçe a causa, pelo contrario tem que existir partidos politicos apoiando a sociedade civil organizada, para fortalecer a lutar, e esse Governador "VACA BRABA", fica usando a desculpa de que a greve é organizada pelo pessoal do PT só pra desqualificar a lutar dos trabalhadores da educação. Governador! o povo não é bobo, vai saber diferenciar quem é quem esse ano.

Ivanilson Frazão Tolentin disse...

Professor Nazareno, de todo o seu texto, uma frase resume toda essa situação, é aquele em que diz que todos perdem e ninguém ganha.Infelizmente, as verdadeiras cicatrizes da educação em nosso país, são tratadas de mentirinha. Não querem acabar com elas.