sábado, 21 de novembro de 2009

Vestibular da Unir: boa prova!



O Vestibular da Unir e as Profissões


Professor Nazareno*


A aproximadamente três dias de realizar o seu concurso vestibular 2010 a Unir, Universidade Federal de Rondônia finalmente divulgou a concorrência dos cursos oferecidos pela instituição. Como sempre, o curso de Medicina apresentou o maior número de candidatos: nada menos do que 1801 pessoas se inscreveram na esperança de conseguir uma das 35 vagas disponíveis. Impressionante como muitos dos alunos têm vocação para ser médico em nosso Estado. Predestinação e talvez o desejo de aumentar o número de médicos por habitantes no Estado que lidera esta estatística negativa no país. Ou então preocupação com a situação dos nossos hospitais públicos.

Mesmo ganhando salários de Primeiro Mundo, os médicos de Rondônia não conseguem exercer uma medicina que seja muito digna para a população. Com um único hospital de Pronto Socorro na cidade “onde numa semana há vários pacientes esparramados pelo chão e na outra semana não há mais chão”, a classe médica local ainda tem de conviver com a piada de que os melhores médicos daqui são as empresas aéreas GOL e TAM e o melhor hospital é o Aeroporto Jorge Teixeira. E isso por que não começou de fato a ser pressionada pelos novos formandos da Unir, onde no curso de medicina há denúncias de práticas nazistas, preconceitos e perseguições a alunos.

No entanto, num dos cursos mais importantes, Letras/Português, a concorrência foi pequena: menos de dois candidatos por vaga. Difícil saber o porquê. A Prefeitura de Porto Velho, por exemplo, paga uma verdadeira fortuna aos seus professores. O pior é quase todo professor do município diz que só trabalha na Prefeitura por causa do Ipam, o instituto de assistência médica da categoria. Pobres docentes, além de mal pagos são também desinformados. Quem foi que lhes disse que o atendimento médico deste instituto é de boa qualidade? Os médicos por acaso são de Curitiba, São Paulo, Estados Unidos ou União Européia? Os exames são feitos no Instituto Pasteur de Paris?

O curioso é que recentemente a administração de Roberto Sobrinho fez um concurso para professor e teve a “cara de pau” de solicitar dos aprovados uma espécie de prova de títulos. Isso mesmo: uma prova onde os candidatos a futuros mestres do município poderiam apresentar seus diplomas de mestrado ou doutorado, além de possíveis publicações de livros. E tudo isso para ganhar um salário que nem todo borracheiro da cidade quer ganhar. Zé Tião, conhecido meu, montou uma borracharia e garantiu que “tira toda semana uns 250 reais”. Neste nosso “brasil” quase sempre o salário de professor é “salário de prostituta lavar pratos”. Até menos.

Já para os cursos de Arqueologia e Filosofia, o número de candidatos sequer atingiu o de vagas. Se não zerar nenhuma das disciplinas, todos estão aprovados. É, parece que poucas pessoas querem filosofar na “cidade das hidrelétricas” embora haja muitos temas polêmicos: Por que aqui se insiste em copiar tudo o que não deu certo no resto do país? O que será de nós após a construção das hidrelétricas? Por que habitante local quase não defende o meio ambiente? Porém a falta de interesse pelo curso de Arqueologia talvez seja didático: ninguém quer saber qual o montante de fezes humanas existente por metro quadrado nos pátios da Estrada de Ferro Madeira Mamoré.

Entretanto, é bom salientar que todas as profissões têm a sua devida importância dentro de qualquer contexto. O médico, o professor, a dona de casa, a empregada doméstica, o policial, o psicólogo, todos devem exercer a sua labuta diária no intuito de promover as transformações sociais que tanto se buscam numa sociedade globalizada. Todos devem, acima de tudo, ter o compromisso de colocar os seus conhecimentos para promover o bem-comum e para formar cidadãos críticos sem precisar alienar nem enganar ninguém. Por isso, deseja-se uma excelente prova de vestibular a todos aqueles que, independente de quaisquer circunstâncias, já escolheram a sua profissão.


*É professor em Porto Velho.


7 comentários:

Valdemar Neto disse...

"Por isso, deseja-se uma excelente prova de vestibular a todos aqueles que, independente de quaisquer circunstâncias, já escolheram a sua profissão."

Obrigado!!! :)

Arthur Alves disse...

"Problemática bastarda é a criação!
Os pensantes como lider das criaturas
Conseguiram apenas...apenas destruição!
Os pobres inferiores?...
Ainda hoje vão dormir com o CÃO!"

Um poeta adolescente.

Que todos que se dedicaram o suficiente para ser aprovado no curso de medicina ou em qualquer um outro,consigam,no entanto,mudar a realidade que estamos vivendo atualmente pois, sentar e falar sobre os problemas não nos levará a lugar algum!
A existência da alienação em nosso meio ainda é,infelizmente, a causa Maior da acomodação presente não somente em Porto velho ou Rondonia mas no pais inteiro!

Anônimo disse...

"Ctrl+C Ctrl+V"

oobservador disse...

22/11/2009

o quê que esse professor de meia tigela ainda quer falar sobre o vestibular da UNIR, por que esse miserável ainda insiste em falar mal de Porto Velho e continuar matando sua fome aqui! olha "paraiba duma figa" te cuida, meu filho estuda no seu colégio e a possibilidade de nos encontrar é bem possível, ai vou te ensinar a respeitar a cidade dos outros sua BICHONA. pode se preparar quando você receber um MURRO na cara, sem saber de quem e porque? vai lembrar.

Robson Farias disse...

23/11/2009

Nazareno merece um murro na cara? por que expõem suas opiniões?! por que ele confronta suas concepções?! Ô valentão, pergunte ao seu filho o que ele acha dos comentários do Nazereno em relação ao que vem acontecendo com Porto Velho em relação não só das construções das Usinas, mas também pelas obras que estão sendo realizadas "de qualquer jeito". Se seu filho é aluno dele ou é da mesma escola onde ele trabalha deveria ter orgulho de um professor que se expressa com sinceridade, não visando "regalias, dinheiro,poder,status".

Francisco Xavier Gomes disse...

23/11/2009

Analisando as declarações feitas pelo senhor José Nazareno, acerca das profissões , verifica-se uma carga grande preconceito e de informações muito limitadas, pois tem-se,claramente, a sensação de que ele escreve olhando para o umbigo. Não se pode imaginar que as pessoas formadas nas faculdades de Rondônia teriam como mercado apenas o estado; pensar assim é pensar pequeno.Além disso,é necessário buscar informações mais precisas para que nao sejam feitas declarações sem base. Digo isto, porque o título sugere que será feita uma análise sobre as perspectivas de cada profissão, mas vê que , na verdade, há um emaranhado de mágoas e ressentimentos que nao se sabe por que...É claro que deve haver profissionais de péssima qualidade atuando em Rondônia, inclusive na área de educação, de onde se espera análises bem abalizadas e não devaneios que só maculam a imagem de muitas pessoas que trabalham seriamente, na saúde, na educação, entre outros setores...Se verificarmos a estrutura dos hospitais e postos de saúde do estado, vamos perceber que talvez as deficiências não sejam apenas humanas...A medicina atual é feita com equipamentos modernos e nao mais com "olhômetro", meu caro Nazareno, e não mais com velhos métodos...Ah, quero esclarecer que nao sou médico, mas reconheço em muitos deles a dedicação e o respeito pela população, assim como reconheço em muitos colegas professores a desinformação e a mania de fazer denúncias que muitas vezes não contribuem em nada...

Joice Xpds disse...

Não pretendo usar a Universidade para ter uma profissão, apenas para adquirir conhecimento.
Quem quiser uma profissão vai fazer cursinho no SENAC...

rsrsrs