quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Por favor! Leiam meu singelo ensaio poético.




Poesias bonitinhas (Viva Feliz!)



I

Mamãe me veste

E reza comigo

E ouve as historinhas

Que eu sempre digo.


II

Mamãe me ama

E me faz carinho

E me ensina um modo

De eu ser bonzinho.


III

O radialista e o advogado

O psicólogo e o professor

Todas são lindas profissões

Abençoadas pelo Senhor.


IV

Obrigado ao homem sincero

Guiado por Deus e por Jesus

Ajudando sempre aos outros

E guiado por uma Luz.


V

O amor faz saudade
Faz ternura e amizade
Faz calor cá dentro de mim
Diz- me a verdade!


Por: José do Nazareno Silva (com apoio e pesquisas na Internet)


15 comentários:

Valdemar Neto disse...

Tão lindinho... :)

PS: é isso que o "povo" quer ver. Infelizmente é só isso mesmo que o "povo" quer ver. É lamentável esse desejo do "povo". Crescer econômica, política e socialmente no Brasil é crescer sem críticas. Que bela utopia, não é?

navegando na Bio disse...

Que belos poemas professor!!!você está de parabéns!!!

Fernando Neira disse...

05/11/2009

Ronaldo! Brilha muito no Corinthians!

EDVAN FERREIRA disse...

prof;nazareno .
tenho certesa que como poeta
você foi bem mais aceito do que como crítico .más infeliz são aqueles que
recebem suas criticas e levam elas para dentro de casa como desaforos,eu sou portovelhense e para min essa suas criticas são construtivas e devem atingir não a população onesta de porto velho mas sim aqueles governantes que não tem nem um pingo de compromisso com o povo e desrrespeitam a população sem diser uma única palavra ,,,,,,

valeria disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Augusto César - 1º ano disse...

Edvan e Valéria pedem aí para o prof ensinar ortografia a vocês:

certeza - c/ "z"
mas - não leva acento
mim é com "m"
Honesta - com "h"
àqueles governantes - com crase
dizer com "z"
deixou e não "dixou"
os textos dele e não "deles"
citado é com "c"
pois não leva acento
saiu é com "u"
lêem
passam e não passão

"Não assassinem a Lingua portuguesa,por favor!"

Joeser alvarez disse...

05/11/2009

outra poesia bonitinha: um nazareno falante com a sutileza do elefante quase foi crucificado que vida! um nazareno calado por calculada sorte se não toca na ferida é a morte! vai nazareno desce dessa cruz rompe esse sepulcro traz de volta a tua luz!

Damião Gomes disse...

05/11/2009

ZEZÉ,ZEZÉ,ZEZÉ...NAZÁ,NAZÁ,NAZÁ...QUEM QUISER BRIGAR COMIGO, VEM AQUÍ PRA CAPITÁ.

Sonia Santos disse...

06/11/2009

José Paulo Paes diz que "Poesia é... brincar com as palavras como se brinca com bola, papagaio, pião. Só que bola, papagaio, pião de tanto brincar se gastam. As palavras não: Quanto mais se brinca com elas, mais novas ficam. Como a água do rio que é água sempre nova. Como cada dia que é sempre um novo dia. Vamos brincar de poesia?".O recado foi dado com a inteligência e o mérito de um professor reconhecido em Porto Velho ,mas confesso,prefiro ler seus artigos a suas poesias professor.

Alípio Pinheiro Filho disse...

06/11/2009

Professor, traga para nós informações sobre seu algoz. Pesquise a passagem dele pela direção da FESEC e o senhor verá os desvios que ocorreram por la. O senhor é jornalista, pode muito bem virar um jornalista investigador e publicar essas verdades. Tudo para o senhor não publicar mais essas coisinhas de poesias. pense. Professor Alípio Pinheiro.

Anônimo disse...

Por isso que eu admiro meu professor Nazareno.

Anônimo disse...

Mande publicar na coluna do Zé Katraca, pelo menos é melhor do que aquelas babozeiras sem nexo!!!!
O recado foi dado professor, o povo ainda não entendeu que seu verso, é só uma nota de REPUDIO!!!!
Parábens, pela IRONIA,,,, agora volte!!!! abra o verbo,,, quanto a ignorância do nosso povo!!!!!
PARABÉNS!!!!

Prof Valdeci Ribeiro disse...

Mande publicar na coluna do Zé Katraca, pelo menos é melhor do que aquelas babozeiras sem nexo!!!!
O recado foi dado professor, o povo ainda não entendeu que seu verso, é só uma nota de REPUDIO!!!!
Parábens, pela IRONIA,,,, agora volte!!!! abra o verbo,,, quanto a ignorância do nosso povo!!!!!
PARABÉNS!!!!

Joice Xpds disse...

A mentira é uma luz que deixa na sombra o pus,
A poesia é beijoqueira e como Judas traiçoeira,
Freud, maldito, tirou minha ilusão, eu achei que era amor e na verdade era tesão...

Quando eu crescer quero ser professora,
Vão cantar pra mim a musiquinha da vassoura:
"Lá vem a diretora com o cabo de vassoura pra bater na professora!"

Eu vou ensinar que B com A forma BA
e nunca vou me irritar,
Vou ficar sempre quieta e o povo vai me amar...

Vou ter uma mesa só minha e quero uma maçã bem em cima,
Mesmo que eu não possa comer, vai aumentar minha auto-estima

Na hora do recreio vou brincar com as garotas,
elas vão limpar a sala e aprender a dobrar roupa

Os meninos vão pro pátio, brincar de luta,
se algum vier chorando vou encará-lo brava e muda,
ele vai engolir o choro, não vai ter nenhum consolo...

Vou educar como se deve, como todo bom cristão,
quem se rebelar vai pra fogueira,
mas receberá minha oração.

Débora Codignole disse...

é,eu até comentaria sobre a poesia bonitinha,mas (desculpe Nazareno) me chamou mais a atençao a poesia sobre voce,por J.Alvarez. A poesia ''encaixou'' .