quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Porto Velho é um buraco quente ou uma currutela?



Porto Velho 95 anos: Feliz Desaniversário!


Professor Nazareno*


O jornalista norte-americano H.L.Mencken afirma que quando se ouve um homem falar de seu amor por seu país, podem saber que ele espera ser pago por isto. A mesma coisa acontece quando se refere a uma cidade. Ainda que aqui houvesse coisas para os habitantes poderem se orgulhar, falar bem de Porto Velho só por muito dinheiro mesmo. A cidade foi emancipada em 1914, mas ninguém sabe direito qual a origem do nome. Uns dizem que foi em homenagem a um ancião chamado Pimentel daí o porto do velho Pimentel. Outros acham que é por causa das imundices que há no porto da cidade: é um porto velho mesmo, ou seja, um barranco sujo, fedorento, cheio de lixo, esgoto a céu aberto e ratazanas.

A estrutura da cidade é feia e sem sentido, parece um cemitério se vista do alto. Sem nenhum planejamento urbano, a nossa capital lembra uma currutela. As ruas não têm retorno e como é uma cidade pobre, é naturalmente horizontal. Edifícios quase não há por aqui. Apenas 03 podem ser vistos no skyline: um é torto e está condenado, o outro, próximo à Rua Jorge Teixeira, tinha estrutura para dez andares e só foram erguidos seis, portanto é baixo demais e o terceiro, na Rua Lauro Sodré, tinha estrutura e licença para 11 andares, mas foi construído com 12, diminuindo assim a altura dos apartamentos. O lugar tem um único hospital de pronto-socorro, o João Paulo Segundo, “onde os pacientes numa semana estão esparramados pelo chão, e na outra semana, não há mais chão”.

A capital de Rondônia pode não ser uma zona, mas está dividida em várias: a Zona Sul, por exemplo, que tem na Rua Jatuarana o seu principal centro de comércio só tem uma entrada e uma saída e por isso convive diariamente com um trânsito infernal. Já a Zona Leste é considerada a mais violenta da capital. Embora a Câmara de Vereadores não tenha aprovado o serviço de moto táxi, andar neste tipo de transporte na cidade é uma coisa fácil e corriqueira. Os mais ufanistas dizem que isto aqui é habitado por 500 ou 600 mil pessoas. Mentira. Segundo o IBGE, a população urbana e a rural não passam de 382 mil habitantes. Ou seja, na sede do município não há mais do que 280 ou 300 mil almas. No Estado de São Paulo, por exemplo, há 15 cidades maiores e mais populosas do que isto aqui que é uma capital.

A Fundação Getúlio Vargas divulgou um relatório há pouco mais de dois anos informando que dentre as capitais, Porto Velho ostenta o penúltimo lugar em IDH ficando à frente apenas de Belém, a linda e arborizada capital paraense. Talvez esta informação esteja equivocada, pois mesmo localizada em plena Amazônia, a capital de Rondônia é uma das cidades menos arborizada do país contrastando com João Pessoa, na seca Paraíba, que é a campeã em área verde. De fato, quase não se vêem árvores nas nossas esburacadas, sujas e sinuosas ruas. Água tratada e esgotos quase não há por aqui. O calor é infernal mesmo sendo esta uma povoação beiradeira. O trânsito é caótico e a cidade, mesmo sendo de médio porte, é uma das mais violentas do Brasil. Em nossas invasões (favelas) só produzimos violência.

Porém a coisa mais bizarra de Porto Velho são os seus habitantes. Aqui, quando um monumento natural desaparece sob o impacto de uma mega-construção, o povo faz festa de despedida em vez de protestar. Bordéis existem e ficam ao ar livre mesmo. São vários. E não falta público. A cidade tem até uma tal de “calçada da fama”. Os portovelhenses estão construindo viadutos e passarelas achando que vão resolver o problema do trânsito. S. Paulo não resolveu. Porém o mais inusitado é a possível construção de uma ponte sobre o rio Madeira ligando literalmente o nada (Porto Velho) à coisa alguma já que do outro lado do rio não há qualquer vila, povoado ou aglomeração urbana que justifique este gasto inútil de dinheiro público.

Quando a Revista Época esteve aqui, constatou o óbvio, ou seja, que Porto Velho é um “buraco quente” e não uma cidade organizada, ninguém sabe por que muitos caipiras locais ainda esbravejaram. E de lá para cá nada mudou. O lugar continua sem praças, sem espaços públicos e com as ruas empoeiradas ou lamacentas ainda pontilhadas de lixo e sujeiras. Deve ser por esse motivo que nunca mandaram um militar de alta patente para nos administrar. O primeiro prefeito foi um Major, vindo do Amazonas, depois mandaram uma penca de coronéis do centro-sul do país para governar o resto do território que mais tarde viraria estado. Nunca um general apitou nada por estas bandas. Feliz ou infeliz aniversário?


*É professor em Porto Velho


11 comentários:

Anônimo disse...

Paraibano,
Parabéns pelo belíssimo texto.Precisamos refutar algumas opiniões de interesses políticos de nossos governantes e mostrar que não fazemos parte de teterminados grupos isidiosos que mamam na "teta" do poder.Temos em todo o estado 1.503.928 habitantes, dados do IBGE 2009. Infelizmente, nossos atuais representantes continuam torcendo para que esse número cresça cada vez mais. Afinal, o crescimento desordenado e distante dos campos educativos é extremamente favorável a permanência de péssimos políticos que temos aqui. Valeu meu grandioso professor, pessoas como você é uma raridade no meio social. Agradeço profundamente pelos ensinamentos que compartilhamos quando tive a felicidade de ser seu aluno. Um grande abraço!
Jofre

Anônimo disse...

Caro professor, sua lucidez para a análise deve ser elogiada. A acidez, entretanto, o fez perder o rumo em determinados momentos, fato que é compreensível. Os nativos de Porto Velho continuarão apaixonados por sua terra, com todos os defeitos, como o senhor tem carinho pelo seu estado natal. Nossa Porto Velho tem buracos e outras mazelas, o que não significa que estejamos cegos para não vê-las. Entretanto, estamos ajudando a constriu algo de melhor todos os dias. Vamos errar no labor, é inevitável também. Mas faremos desta cidade um lugar melhor. Afinal, é aqui que vivemos e onde viverão nossos filhos e netos. Não vamos fugir da luta nem para outro lugar. Temos os noção do que outros fizeram e ainda fazem com a nossa cidade, mas vamos superar tudo isto. E continuaremos aqui, apaixonados pela nossa terra natal. Um caloroso e fratenal abraço , professor.

Anônimo disse...

Caro professor paraibano, como o senhor ainda consegue viver num lugar como esse durante mais de vinte anos? O senhor tem que mudar é de país, viu a última de enem? portanto profesor paraibano um dia quem sabe você reconheça que esse foi o melhor lugar por onde passou e permaneceu até hoje,dando do bom e do melhor para sua preciosa família, quem sabe amanhã não esteja mais por aqui! que será uma honra, pois pessoas como você não farão nenhuma falta!

Anônimo disse...

#

edglei souza - 02/10/2009

a origem do nome da cidade deve ser referente a um homem de mente vazia que só sabia fazer criticas e chorar de barriga cheia o famoso PORTO DO VELHO NAZARENO SILVA. existe coisa pior que chorar de barriga cheia? vai enbora meu. arruma um despacho por malote e se manda. vamos fazer criticas mas vamos fazer nossa parte.
#

oliveira - 02/10/2009

Esse comentário do José do Nazareno silva, dura mais realista, sou nascido e criado em porto velho, e ja perdi a esperança de ver as coisas melhorar. o governo federal por meio do PAC disponibilza investimentos de R$ 645 milhões para levar água encanada e esgoto a 100% dos moradores do Município de Porto Velho, além de moradias e urbanização de ruas, limpeza de igarapés, etc. Quero vé como termina essa historia, ou, se essas usinas vão ser so mais ciclo, como os que tiveram no passado, que trouxe crecimento, mais tambem muitas consequencias desagradaveis, principalmente sociais. Por isso digo "crescimento não traz desenvolvimento, se não houver planejamento dos nossos politicos".

Comentários retirados do site www.rondoniaovivo.com.br

Anônimo disse...

ODIEO SEU TEXTO!! PÉSSIMO!

Anônimo disse...

#

Avelino Lino - 05/10/2009

Parabéns pelo comentário Jose Nazareno!! não adianta tapar o sol com a peneira. Porto Velho é o que é e acabou e pronto!! os incomodados continuem se iludindo.
#

Avelino Lino - 05/10/2009

Porto Velho é a cidade que mais cresce sim, mas em desorganização, sujeira, buracos nas ruas, falta de fiscalização de trânsito e por ai vai. Mas também pudera, os políticos sugam o município, pois ganham dinheiro aqui e vão gastar nos seus Estados. Falta muita coisa pra Porto Velho ser uma cidade com boa qualidade de vida.


Comentário retirado do site www.rondoniaovivo.com.br

Joice Xpds disse...

"Segundo o IBGE, a população urbana e a rural não passam de 382 mil habitantes."

Para começo de conversa, o IBGE não é uma fonte tão confiável assim... Quem me dera que ele estivesse certo.

Me responda Nazareno, quanto maior a quantidade de pessoas, melhor é a cidade? Talvez o meu bom senso discorde desta ideia.

Novamente você fala na estrutura da cidade, que queiramos ou não, admitir está "menos pior".
Gostei do título anteriormente dado ao senhor: Descascador de feridas, você posa de Casmurro.

O que há Nazareno? Sejamos sinceros, você tem se portado como uma lavadeira hipertensa... Só consegue falar mal de tudo. Rabugento e Ranzinza. Você já tem hipertensão?
Só curiosidade...

Anônimo disse...

#

Celso Fantim (SABIÀ) - 12/10/2009

Esse josé do nazareno a gente tem que ter pena dele.Ponte , estradas, asfalto,passarela isto é progresso sim senhor ,seu ignorante.Se fosse assim imgine a 364 sem a ponte do Machado,do Melgaço,o que seria de PV hoje.Ponte é para levar progresso.Quando contruida do outro lado do madeira com certeza surgirão casas , prédios ,DESENVOLVIMENTO.Agora desnecessário são as obras do SR. RAAPA e de seu companheiros ,mais especificamente, se o senhor não conhece , os dois "VIADUTOS" que ele e sua corja construira em Pimenta Bueno.Uma cidade que tem pouco movimento, bastaria dois semafáros ,ou duas rotatórias e pronto.Agora não terminaram a obra e estão lá os dois únicos viadutos do Brasil em que não se pode passar , nem por baixo, e nem por cima,fizeram a pista da 364 ao lado dos viadutos.Isto sim não é progresso , é roubo do dinheiro público.Acho que o Rondoniaovivo deveria fazer uma matéria a este respeito,deisrespeito com o nosso dinheiro.
#

alexandre pina antonio - 12/10/2009

tudo bem vai sair a ponte,mas pra que nao tem estrada para manaus. acho que primeiro tinha que ter a br beleza depois a ponte. uma ponte deste tamanho pra ligar a humaita.sem sentido.
#

janete ferreira - 12/10/2009

acho que seu Jose pode ate ta certo mas o nadacomo ele diz(Porto Velho )estara levado energia pras grandes metropoles,talvez o senhor possa ler mais um pouco e ver que nao e so pontes ,e viadutos que estao sendo contruidos mais pessoas com carater,familias que escolheram aqui pra viver e se o senhor nao esta satisfeito pegue seus paninhos de bunda e pique a mula
#

Elias Alves de Carvalho - 11/10/2009

Quem é esse idiota chamado José Nazareno? Chamar Porto Velho e Rondônia de nada, larga de ser idiota seu pau na bunda.....vai chupar prego para virar taxinha seu idiota.....

comentários extraídos do site
www.rondoniaovivo.com.br

allvarenga2009 disse...

Seu José, fiquei indiguinada com tamanha falta de respeito com o povo de Porto Velho que, convenhamos, foi colonizada pelo povo da Paraíba também, seus conterraneos. Aqui não é o lugar mais bonito do mundo e nem tem a pretençao de ser, o senhor deve bem saber, mas tem um povo (fora o senhor) que é muito acolhedor, simples e apesar de nao serem muito de visitar as pessoas nas casas, como o pessoal do Paraná que é de onde vim, se mostram amigos pra todas as horas, sem levar em conta a nossa aparencia e a conta bancaria.

Peço-lhe encarecidamente, que o senhor de uma voltinha pela cidade antes de escrever bobagem porque muitas das coisas que foram escritas aqui não nos pertencem mais, por exemplo a falta de praças porque afinal varias delas foram bem restauradas e ao lado do shopping foi feito um lugar bem agradavel chamado Parque da Cidade, vá la conferir ao invés de ficar escrevendo devaneios.
Sobre a ponte do Rio Madeira, o senhor precisa saber que a estrada até Humaitá esta totalmente restaurada e se nao fosse a falta da ponte fariamos o trajeto em 1 hora e meia e pro seu governo a balça, que cobra 10 reais por veiculo pequeno, precisou ser trocada por outra de grande porte para dar conta do fluxo de carros e caminhões vindos de Calama, Apuí, Labrea, Humaitá, Açuanópolis, fazendas, industrias madeireiras e nao apenas da vilazinha do outro lado do rio conforme voce mencionou.
Estude melhor o lugar onde voce mora e caso nao goste do que ve, volte pra sua terrinha... Ou seria voce mais um fugitivo da policia escondido entre as pessoas de boa indole da nossa querida capital?

Cidinha disse...

não quero ser desagradável com as pessoas que moram em porto velho,afinal a uma ano atrás vim conhecer esta cidade e resolvir ficar,como uma boa nordestina que adora se aventurar e conhecer novos lugares e cultura, deixei o ceará e partir atrás de um desejo de conhecer a amazõnia.gosto da porto velho,mas enfim,caros leitore não podemos comparar porto velho com as cidades nordestinas que são grandes e organizadas, talvez os políticos,ou por ser uma área de mata onde não devia ser habitada e foi crescendo de uma forma desorganizada e acabou nisso que todos podemos ver nas ruas da capital e o interior mais précario ainda.
que conhece fortaleza por exemplo se espanta ao chegar aqui em ver tantos descasos e coisas tão pequenas.
a estrutura de uma faculdade aqui particular é um colégio no ceará de ensino fundamental,mas lá também tem os seus defeitos como em todo lugar.
obrigada...
estudante de jornalismo

Anônimo disse...

é assim mesmo... a cidade tem todos esses problemas apontados aí...

até mesmo a quantidade de habitantes... afinal, se porto velho não tem 380 mil habitantes e sim 600 mil, como alguns dizem, o rio não tem 6 milhoes e sim 10 milhoes? pois IBGE não é confiável?

vamos colocar os pés no chão né!?