quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

E a Escola João Bento largou na frente mesmo...


“Escola João Bento da Costa, a vergonha de Rondônia”


Professor Nazareno*


A Universidade Federal de Rondônia divulgou recentemente a relação dos alunos aprovados no seu último concurso vestibular e que iniciarão os estudos em curso superior ainda neste ano letivo de 2010. A Escola Estadual de Ensino Médio Professor João Bento da Costa, situada na Zona Sul de Porto Velho, destacou-se mais uma vez no Estado com a aprovação em uma universidade pública superior a 90 alunos em primeira chamada. Segundo a Direção da escola, após as chamadas seguintes e levando em consideração o resultado do ENEM, o número total de aprovados na Unir, neste início de ano, poderá ultrapassar facilmente a casa dos 130 alunos. Outro recorde.

A excelência desta escola, fartamente demonstrada pelos recentes números, não é novidade. São mais de 600 alunos aprovados na Unir em apenas 08 anos desde que iniciou por lá o Projeto Terceirão na escola pública criado por um grupo de professores. Embora não seja grande coisa, este estabelecimento de ensino já recebeu uma Moção de aplauso da Câmara de Vereadores de Porto Velho e uma Moção de Louvor da Assembléia Legislativa do Estado: em vez de procurar saber o porquê de outras escolas públicas não funcionarem como o JBC, a classe política local se contentou em afagar a única escola pública que funciona neste Estado e talvez até no Brasil. De políticos não se podia esperar muita coisa mesmo... E sendo rondonienses...

Óbvio que todo profissional da educação se orgulharia de pertencer a uma escola como esta. E comigo não é diferente. Faço parte de uma “equipe de ouro” que vai dos profissionais de limpeza, secretaria, supervisão escolar, professores das séries iniciais do Ensino Médio até a Direção maior do JBC. Isso sem falar no compromisso e na garra dos muitos alunos que escolhem anualmente essa escola com o objetivo de ingressarem na universidade pública. O que certamente não se consegue entender é por que muitos cidadãos de Porto Velho ainda relutam em reconhecer este trabalho. A propósito disto, é bom rever alguns comentários proferidos contra a minha pessoa quando publico artigos e redações em meu blog ou mesmo na imprensa local.

Pedro Barbosa disse: “Parabéns professor, com esse seu pensamento micro”. Keitty, outra leitora do site Rondoniaovivo, disse... “Meu estimado professor. Você ao invés de escrever porcarias poderia se colocar no lugar de educador, o mais interessante é que ainda se contratam pessoas como essas, totalmente desnorteadas para educar nossos adolescentes”. Já um tal de Erissin Ricardo comentou: “Muito me espanta, uma pessoa que se diz "PROFESSOR" compartilhar de pensamentos mínimos, e por que não dizer tolos e por existirem profissionais assim como senhor, é que temos uma educação precária em nossa cidade”. No João Bento, não há essa precariedade anunciada. Gilson, outro leitor, foi mais lacônico: “Se eu tivesse um filho meu ou um neto como seu aluno, eu os transferiria de escola”. A propósito: alguém sabe o nome das duas escolas de Porto Velho que mais aprovam alunos no vestibular da Unir? Orgulhosamente trabalho nas duas. Uma particular e outra pública.

Pior ainda foram os comentários infelizes de um pseudo colunista da cidade que se diz porta-voz da cultura local: “E a peste conhecida como José Nazareno, essa tem que ser banida, escorraçada, defenestrada, enterrada ou deportada de Porto Velho. Os pais que tem (SIC) filhos estudando com esse doido devem imediatamente tirá-los da escola que tem essa erva daninha como professor. Senhora Secretária de Educação, chame esse seu professor para uma conversa. Ele não pode continuar morando em Porto Velho”. Fico aqui imaginando que tipo de conversa a Secretária de Educação queria ter comigo depois de analisar estes números garbosos e envaidecedores. O sucesso do Colégio João Bento da Costa devia envergonhar outras escolas públicas do Estado e do país.

Matheus Mota, outro sujeito metido a comentarista, afirmou que ficou estarrecido com tanta ignorância, incompetência, e tantos "ins" por aí. “Com certeza, esse elemento não tem caráter e nem personalidade, pois saiu de uma terra em que estava a duras penas, na podridão e subordinado à fome e miséria, vindo a esta terra que o acolheu e lhe deu o que comer” e a leitora Járede Maedrei dos Santos Moreira concluiu: “como conseguiu status de pedagogo? Agora os meus algozes vão ter que me engolir. Não existe resposta melhor do que a competência e mostrando trabalho de “gente grande”. Não sou rondoniense, mas faço e já fiz por este Estado muito mais coisas do que muitos que se dizem “filhos da terra”. Como se vê: falar é muito fácil.

Parabéns a todos os alunos do JBC que foram aprovados no último vestibular da Unir e aos outros que estão na universidade e os que ainda não conseguiram aprovação. Vocês foram e são vencedores por que têm garra e sempre acreditaram nos seus professores, mesmo alguns deles sendo chamados de “aloprados” por alguns integrantes (metidos a jornalistas) da mídia local. Foram aprovados sem precisar ler bizarrices que dizem representar uma cultura local que não existe nem nunca existiu. Não precisaram fazer “sombras com as mãos” nem viajar às custas do Erário. Nem escândalos políticos vocês conhecem. São os verdadeiros heróis e não os “zeróis” que alienam, atrapalham e ainda acreditam que todos “vivem felizes”. Herdem este Estado, meus queridos pupilos, e mudem a história dele para sempre. Não esperem acontecer, pois vocês sabem.

Parabéns aos pais que também acreditaram nesta equipe vitoriosa e participaram de mais esta vitória que é de todos nós, que é de Porto Velho, que é do Estado de Rondônia. Fizemos apenas a nossa parte, pois somos pagos para isso. Aloprados, rebotalhos, fugitivos da seca, ingratos, mentecaptos ou professorzinhos de quinta categoria, como muitos desinformados ainda acreditam existir nas escolas públicas de Rondônia, são na verdade aqueles que criam uma consciência crítica nos futuros profissionais e cidadãos deste Estado. São aqueles, enfim, que acreditam na formação de uma verdadeira consciência cidadã. E tomara Deus que na escola JBC não sobrem vagas para matricular os filhos e netos daqueles que se dizem os donos da verdade. Sem rancores, apenas façam mais por este lugar que vocês vivem dizendo ser só de vocês.



*É professor na Escola João Bento da Costa.


45 comentários:

Arthur Alves disse...

Inveja talvez!
pensamentos mínimos
corroendo a mesquinhez
daqueles que titulam-se donos da terra.
Criticas ao cadimo
Que faltava aqui!
Apenas servirão...
Para autodestruição!

Valdemar Neto disse...

Parabéns para a família JBC. A equipe de professores, a diretoria, todos os funcionários e os alunos JBC merecem aplausos por essa exemplar eficiência. XD²

vagner disse...

MUITO BOM PROFESSOR NAZARENO!!! FUI SEU ALUNO ATÉ 2006 NO J.B.C, E HOJE SE SOU CAPAZ DE FORMULAR UMA ÓTIMA REDAÇÃO EM TODOS OS CONCURSOS QUE FAÇO, TENHA CERTEZA QUE O SENHOR NAZARENO É O CULPADO DO MEU SUCESSO ATINGINDO A NOTA MÁXIMA. NÃO SE DEIXE LEVAR POR COMENTÁRIOS QUE NÃO GERAM BEM NENHUM PARA A POPULAÇÃO. CONTINUE FAZENDO SUA PARTE, POR QUE QUANTO MAIS INVEJA ESSES HIPÓCRITAS TEM DO PROFESSOR NAZARENO, MAIS ALAVANCA O SUCESSO DELE. ATT: VAGNER ARAÚJO LIMA (3ºÃO J.B.C. - 2006)...

Sônia Maria da Silva Santos disse...

#

sonia maria da silva santos - 03/02/2010

Parabéns professor, são pessoas assim que precisamos na educação. "Dar o exemplo não é a melhor maneira de influenciar os outros. É a única."(Albert Schweitzer) e durante estes oitos anos você fez isso e sei que continuará fazendo pela educação.

Antônio José de Souza disse...

Calma professor, não fique nervoso. Parabéns para sua escola, parabéns pra você, parabéns ao corpo docente e ao discente. Afinal nos dias de hoje é difícil educar...

Janaína Borges disse...

Sou bolsista integral do PROUNI atualmente cursando Administração de Empresas e acredito que tudo tenha sido reflexos adquiridos no terceirão da Escola JBC em 2005. Obrigada professores pelas criticas, pelos ensinamentos, por todo um ano de angustias, preocupações, desesperos, posso dizer com total firmeza que valeu a pena. Em especial gostaria de agradecer aos professores Nazareno e Russimeire. Saudades de todos.

Mariana disse...

INFELIZMENTE PARA SE CO NSEGUIR UMA VAGA PARA O FILHO NAS ESCOLAS PÚBLICAS DE QUALIDADE, EM PVH, É NECESSÁRIO Q.I. ISTO É, QUEM INDIQUE, POIS CASO CONTRÁRIO, É CONTENTAR-SE COM A SOBRA DE VAGAS NAS ESCOLAS PÚBLICAS RUINS, MAL ADMINISTRADAS, ONDE PROFESSORES FALTAM ÁS AULAS, INCLUSIVE EM DIA DE APLICAÇÃO DE PROVAS, SIMPLESMENTE POR ESTAREM FAZENDO \'\'BICO\'\' EM OUTROS PONTOS...LAMENTÁVEL!!

Rogério Pimenta Pinto disse...

JBC um orgulho para o estado de rondonia em destaque nacional, parabens a todos os profissionais que desempenham esse excelente trabalho em educação, que sirva de exemplo a todos os educadores do pais e que fique claro a grande competencia desses profissionais do JBC.

Antônio de Souza Alencar disse...

A escola João bento de Porto Velho é o orgulho do povo desta terra. Parabens a toda equipe desta conceituada escola e que todos procurem imitar o exemplo dito pelo professor e pelos fiuncionarios de la.Quando falar mal de alguem é bom procurar saber o que se faz e se este algume tem pedigri. Sendo polemico assim, esse professor e toda a sua equipe só pode formar alunos com conciencia e capacidade de passar para uma universidade. parabens a toda equipe desta escola.Rondonia tem sim coisas boas de fazer inveja ao Brasil.

Artur Quintela disse...

Meu caro Nazareno. Ninguém em são consciência questionaria e grandeza educacional do JBC. è sabido por todos em Porto Velho, principalmente os que se envolvem de alguma maneira com a educação, que o colégio João Bento da Costa é referência de qualidade. Mas o que você lamenta, meu caro professor, são as respostas e comentários que um artigo seu provocou. Repercute muito mal, inclusive dentro da categoria da educação, o que escreveu sobre Porto Velho e portovelhenses. Acredito que uma pessoa de sua formação precisa cuidar melhor dos termos quando se refere a cidades e cidadãos, seja de que plaga forem. Não lamente, pois colhemos o que plantamos. Aquele episódio já deveria estar no esquecimento - e, acredito, estava. Jamais deveria ser trazido à baila, principalmente porque você foi o mentor daquela confusão toda, ao achincalhar a cidade que lhe serve de abrigo, bem como os nativos daqui. Deixe que o tempo, sábio conselheiro e mestre, tome conta daquele passado tempestuoso criado por você mesmo. Pare de colher e os frutos apodrecerão no chão. O tempo os fará nulos. Mas, quando se aproveita as sementes, tudo recrudesce. Saúde, professor!!!

Marcelo Souza disse...

OLHA EU PARTICULARMRNTE ACHO TRES ESCOLAS COM CORPO DOCENTE CAPACITADO JOAO BENTO DA COSTA, CARMELA DUTRA E MAJOR GUAPINDÁIA

Mateus disse...

Professor parabéns mas uma vez pela sua grande competência, sou meio suspeito em falar, mas só aprendi a formular uma redação devido aos seus ensinamentos, ainda no antigo COOPEDUC que hoje nem existe mas, o senhor é um grande professor e nunca vi falando asneiras, tudo o que fala tem fundamento e é muito inteligente, parabéns professor por ainda fazer parte do sucesso de outros alunos.

Anália Cordeiro disse...

Quer mais aplausos? =P Você é pago para isso, então dê o seu melhor mesmo, não faz mais que sua obrigação!!! PARABÉNS AOS ALUNOS, pois eles sim são os esforçados!

Sílvia Regina disse...

eu sabia que vc receberia bons elogios com esse artigo assim que terminei de ler ele, fico feliz que o tenha publicado. Parabéns e continue escrevendo sempre!

Eduardo Maiela V. Oliveira disse...

Parabens professor nazareno,pela sua luta,garra e "paciencia" com alguns hipocritas que só sabem reclamar e não buscam mudanças, ao inves de voce como professor de escola publica ficar só na critica como a maioria da populaçao voce criou o projeto Terceirão que vem colhendo muitos frutos e esses seus frutos Nazareno não vao esquecer do trabalho que voces fez por eles e da dedicaçao que teve com cada aluno. eduardomaiela

Jéssica Fernanda P. Nascimento disse...

Me desculpe as "PESSOAS" que abrem a boca pra falar mal do Professor Nazareno! Acho, ou nao , tenho certeza que vocês nunca tiveram a oportunidade de ter uma aula com esses professor! Fazer parte de uma equipe, aonde o objetivo e disciplinar alunos ou ajuda-los a entrar em uma UNIVERSIDADE FEDERAL, ou ate mesmo conseguir bolsas de estudos pelo ENEM, é um orgulho...isso sim é uma "EQUIPE DE OURO". PARABÉNS A VOCÊ PROFESSOR! QUE MERECE POR TUDO QUE JÁ TEM FEITO! POIS TER A OPORTUNIDADE DE FAZER PARTE DA ESTRADA DA VIDA DE SEUS EX-ALUNOS, FAZ DE VOCÊ UM PROFESSOR DE SUCESSO! ORGULHO DE ESCOLAS PÚBLICAS E PARTICULARES!!!

Juniel Silva Lima disse...

#


Professor nazareno, você não deve, e pelo visto não está, deixar abater-se por tais comentários. Afinal, todos esses profissionais os quais você cita foram formados por professores como nós e, por isso, devem muita coisa aos "proferssorzinhos" que os ajudaram a se formar. Assim, siga nesse caminho,procurando sempre dar autonomia de pensamentos para os alunos para que a cada dia eles tenham pensamentos críticos a respeito dos temas que envolvem nossa sociedade. Somente assim conseguiremos modificar esse sistema podre que comanda não só o estado mais o país.

oobservador disse...

Não tiro os méritos de você como educador, mais suas colocações são contraditórias, em um de seus artigos que você transbordado de prazer acaba com Porto Velho e seus filhos, afirma que a UNIR não presta e não deveria existir e se nunca tivesse existido não faria falta para ninguém, agora todo vanglorioso quer exaltar a grande aprovação na UNIR das duas instituições que trabalha uma particular e outra pública. Quero que responda com clareza apenas uma coisa, VOCÊ USA DROGA PROFESSOR NAZARENO, POIS PARECE ESTAR DROGADO!

Rosi disse...

Professor Nazareno, não se ofenda por tão pouco. Tenho orgulho de ter sido sua aluna no antigo coopeduc, consegui uma vaga na unir e tenho uma profissão. Faço questão de meu filho(que ainda vai para o 6º ano) seja aluno do João Bento, pois acredito nessa equipe de ouro que hoje está nesta referida escola. Parabéns professor.

Erisson Ricardo disse...

Estimado Professor José Nazareno. você tem lapsos memorais? profere palavras ofensivas e agora vem com panos quentes, elogiando alguns dos Rondônienses aprovado no vestibular da UNIR. você como funcionário publico não fez nada além da sua OBRIGAÇÃO, você recebe pra isso! oferecer uma aula de qualidade e com comprometimento com o ESTADO. e além do mais até onde eu sei quem fez a prova foram os alunos e nao você... ou seja o mérito e todos e somente deles em buscar aquilo que almejam. Parabéns aos alunos aprovados no vestibular 2010 UNIR, não só os da escola JBC e CA como a todos os outros de ensino publico ou privado de Rondônia, isso mostra mais uma contradição do Senhor Professor José Nazareno.

Mário disse...

Bem professor ja estudei na Escola Estudo e Trabalho e o professor de Geografia Ruzel ja fazia ha muito esse tipo de trabalho, preocupado em prepaerar os alunos para o curso superior, mas mesmo assim parabens por esse projetos e principalmente os alunos.

Antônio Carlos disse...

PROFESSOR NAZARENO,CLARO QUE VC É UM PROFISSIONAL DE ALTÍSSIMA QUALIDADE, ACREDITO QUE SE TIVÉSSEMOS MAIS PROFISSIONAIS COM A SUA QUALIDADE ESTARIA MELHOR NOSSA EDUCAÇÃO. FALO ISSO COM O DADOS DOS CONCURSOS PÚBLICOS QUE O ESTADO REALIZA E MOSTRA A INEFICIÊNCIA DE PROFESSORES DE TODAS AS MATÉRIAS QUE DÃO AULAS POR 7, 8 ATÉ 10 ANOS COMO EMERGENCIAS E NÃO CONSEGUEM NEM A NOTA MÍNIMA PARA SEREM AO MENOS CLASSIFICADOS NO CONCURSO.EM NOSSO MUNICÍPIO E ESTADO EXISTEM MUITOS PROFISSIONAIS TÃO BONS QUANTO VC E OS OUTROS PROFESSORES DA ESCOLA JBC. O SUCESSO DAS APROVAÇÕES DA ESCOLA JBC NÃO ESTÁ SOMENTE NA QUALIDADE DOS PROFESSORES.NA MINHA OPINIÃO ISSO SE DEVE AO FATO DO PROJETO TERCEIRÃO, O MESMO QUE A SEDUC NÃO ACEITOU EM OUTRAS ESCOLAS QUE TENTARAM SEGUIR O MODELO. SE NÃO FOSSE A ARROGÂNCIA DA SEDUC ESSE PROJETO ESTARIA FUNCIONANDO EM VÁRIAS ESCOLAS DA CAPITAL. ASSIM, OS MELHORES ALUNOS DE TODAS AS ESCOLAS DO MUNICÍPIO ESTUDARIAM PERTO DE SUAS RESIDÊNCIAS E DEIXARIAM DE EVIDENCIAR O NOME DA ESCOLA JBC.

Laércio Pinto da Silva disse...

PROFESSOR, TE CONHEÇO HÁ MUITOS ANOS..SEI DE SUA LUTA E DE SUA REVOLTA COM A BANALIDADE,, ALIÁS, NÃO DÊ ATENÇÃO A ESSES PSEUDOS DEFENSORES DA CULTURA LOCAL,? POR SINAL, QUE CULTURA??? VÊ OS ABOIOLADOS REQUEBRANDO A BUNDA COM ESSE TAL DE BOI??? SINCERAMENTE..., FIRME PARAÍBA!!! UM ABRAÇÃO DO LAÉRCIO.

Rita Moraes disse...

Professor Nazareno, valeu o artigo e também defendo a idoneidade de todos os funcionários que trabalham no JBC, que juntos contribuem para a elevação do nível da educação no Estado de RO.Lembro aqui que conheço de perto o trabalho de toda a equipe. Parabén

Hugo Santos disse...

HAHAHA... Fico imaginando se o Dal não tivesse morrido no fim do ano passado. Era só chamar ele para visitar porto velho, qual seria a reação dele ? Ia quebrar tudo no cacete!

José F. da Costa disse...

Puta que pariu! Botou p'rá quebrar!



Um forte abraço.

Angela M. Nascimento disse...

Valeu professor....Apesar que eu não fui uma das quarenta de Administração na UNIR....
Mas valeu a pena estudar com esse grupo de professores maravilhososss...Obrigado por tudo que me ensinou!!!!Tenho certeza que o ENEM irá me ajudar.....Bjusss....saudadess..

Fran Terassini disse...

Professor! Fico abismada ao perceber que pessoas sem o conhecimento que é ter o prazer de poder ter o senhor como professor, pois quando estudei no colegio classe A,sentia muita dificuldade mais eu sabia que isso algum dia serviria para que eu pudesse perceber que algo seria bom para mim, quando meus pais me colocaram no colegio jbc eu imaginei coisas sem ter conhecimento e admito que fiz errado por ter penssamentos,pois nunca devemos julgar algo ser ter o conhecimento total do mesmo, é um colegio digno te tantos elogios as esquipes que nele trabalha sao otimas,e principalmente os professores,Quando eu soube que o senhor iria me dar aula ano passado nossa fiquei super feliz no mesmo momento liguei aos meus pais para contar e eles, Pois professor se o senhor fosse isso tudo que essas pessoas falam a escola nao envoluiria mais sim regredia, e como podemos perceber a cada ano que passa que o senhor continua no colegio e sao mais alunos aprovados na universidade federal..
Fico muito grata por ser o meu professor.

Rafaele Andrade disse...

É, professor, bons trabalhos sempre são criticados. eu já ouvi algumas pessoas falando do sr. dizendo que o seu método aliena os alunos pois eles ficam neuroticos por passar na unir. Mas sempre retruco que, podemos até ficar neuróticos, mas ao menos passamos. Pois eu passei sabendo que quem tira nota boa em redação com o sr. passa na segunda fase da unir.

As vezes eu nao concordo com algumas coisas que o sr. diz em seus textos, mas nem por isso considero suas idéias "micro". Eu costumo ler os textos que o sr. me envia e fiquei me questionando o que seria mais micro do que julgar as habilidades de um profissional sem conhecê-las. Pois até onde eu sei, nenhum desses jornalistas estudaram com o sr. para pré-julgar os seus métodos.

E eu sou muito grata, nao só ao senhor, mas a todos os professores do Terceirão do JBC por eu estar seguindo o meu caminho, o caminho que eu escolhi na universidade federal.

Até mais ^^
Rafaele Andrade

Gefferson Menezes disse...

Não entendi o que o professor quis dizer com: "E sendo rondonienses" (final do segundo parágrafo, se referindo dos políticos). Não sou político, mais sou de Rondônia e acredito que aqui tudo se dá, a terra é boa, portanto colherás o que plantou. Entretanto, desculpem a minha ignorância, àqueles que não gostarem daqui que vá pra outro lugar, afinal de contas e graças a Deus, o Brasil é grande. As citações acima não se referem ao nobre professor, apenas não entendi o que quis dizer, referente aos políticos, com: "E sendo rondonienses". Grato.

Danilo disse...

Hoje eu posso cursar Medicina em uma universidade federal, após ter enfrentado uma concorrencia de 51 por vaga.Na minha sala nem a metade é Rondoniense.E sem dúvida o tio Naza teve um papel fundamental nessa minha conquista.
O Professor Nazareno muito mais do que os conhecimentos técnicos que ele nos passa, ele nos ensina também a pensar,a não engolir qualquer asneira, comprindo assim uma das principais funções de um professor que é livrar seus alunos do senso comum.Com um alto grau de ironia nos seus texto, os mais desavisados cai mesmo... eu leio os comentários só pra rir.
Professor , pode ficar tranquilo, hoje tem muito aluno seu advogado,promotor,juiz ...
E obrigado por tudo mesmo!!!

Luís Carlos Pereira disse...

Meu Caro, Prof. Nazareno Que bom saber que vc continua na ativa, sou seu admirador desde a época da Coopeduc. Inclusive vi vc e outros "colegas" acho que posso me auto denominar assim, pois tb já ministrei aulas e hoje estudando jornalismo, naquela época a danada da Matemática. Bem meu velho, vc chama a atenção desde o título de seu artigo, não preocupe-se com o que falam, estou chegando neste início de fevereiro de férias lá de Fortaleza-CE, sabe o que "rola" por lá a comemoração de 190 alunos da rede pública, terem conseguido êxito na UFC - mas em: Pedagogia,Matemática,Letras...etc - ou seja, nada de Medicina, coisa que o nosso JBC já faz com certa tranquilidade. Siga em frente, mestre nada de se atormentar e quisera eu ter filhos na idade de se "misturar" com as cabeças pensantes da vergonha de Rondônia. Luis Carlos Pereira, é prof. de Matemática, Radialista, Blogueiro e quase Jornalista.

Gaby Milanez, ex-aluna JBC disse...

Olá, professor!!
Acabei de ler seu último artigo no rondonia ao vivo.
Achei muito bom, apesar do titulo ser “Escola João Bento da Costa, a vergonha de Rondônia”, pessoas precisam se alertar quanto ao ensino público e a iniciação na universidade pública. E lógico, sem saber o que falar, acabam falando besteira.
Digo e repito: os melhores capacitados estão lá sim! ;D Só vê quem tá dentro e os que estão fora só babam o resultado. Mais de 90 aprovados na UNIR (sem chamadas). SOMOS FERAS!
grande abraço, obrigada ;*

Lourival Gonçalves Muniz disse...

#

Lourival Gonçalves Muniz - 04/02/2010

Sou professor, trabalho com o ensino médio: 2º e 3º ano: Fico envergonhado com as atitudes da SEDUC, pois ao invés de dotar apenas a EEFM João Bento de condições educacionais para preparar os alunos visando o vestibular da UNIR e o ENEM, por que não expandir esse projeto a outras escolas da rede estadual de ensino? Será que os alunos das outras escolas da rede estadual de ensino, que não têm acesso a vagas no João Bento, também não têm os mesmo direitos? Ou será ainda secretária de educação, que existe uma parcela da população estudantil que merece esses benéficos e outros não? Já tentei muitas vezes junto à direção de minha escola, buscar meios de implantar um projeto objetivando a melhoria da educação e, assim preparar os nossos alunos para o vestibular e ENEM, mas a resposta é que a SEDUC só ajuda o João Bento, que é muito difícil implanta esse projeto, pois precisamos de professores com carga horária diferenciada, para ter tempo de planejar e trabalhar até nos finais de semana. Claro, isso não interessa a SEDUC, se esse projeto já tem 8 anos, o que falta para ser implantado em outras escolas? Acredito que seja falta de vontade ou determinação política. Lembro-me da época dos cursos profissionalizantes que existiam em várias escolas e davam oportunidades a todos: Getúlio Vargas, 21 de Abril, Estudo e Trabalho, Rio Branco entre outras, hoje só o João Bento pode... gostaria de saber o porquê? Se alguém da SEDUC puder me responder com sinceridade e decência, com certeza vai contribuir muito pra elucidar as minhas dúvidas a respeito desse caso. Mas se isso não acontecer, continuo achando que é mais um descaso dos dirigentes da educação de meu estado. Lourival Muniz (autor)

Julie Marie disse...

Parabéns professor, esses alienados querem manter a cidade e o Estado na plena e absurda cegueira
se não forem parentes de políticos, o que pode ser muito provável,
obrigada por ter sempre acreditado em nós.
abraços

Aline Adnil disse...

Adorei o eu texto mais não vou fazer muitos comentários sobre os tolos e arrogantes pais e alunos que criticam vc.
Só quero que vc saiba que por todos os professores que eu passei vc foi o que eu mais temi, pois sua popularidade é alta em questão de "ferrar" os alunos, mas pra dizer a verdade fiquei surpresa comigo mesma, pois foi com vc que eu tirei as melhores notas em redação, e se não fosse por esse seu jeito durão talvez até hj eu ainda não saberia fazer uma simples redação.No começo eu reclamava com meus pais, não vou mentir, mas sabe o que eles me diziam: Professor assim
que é bom, agora se vc chegasse aqui me dizendo que ele era legal, brincalhão e que dava notas boas a todos os alunos aí sim, era motivo de preocupação. Esse ano não consegui passar, mais por incompetência minha e bagunça na minha vida...
Por isso eu agradeço a Todos os professores do TERCEIRÃO.
Aline

Mário Lima disse...

A Escola João Bento é um sucesso, tem uma equipe de bons professores. Tenho muitos colegas alí, muitos de nós já estivemos juntos em outras escolas exercendo nossa função, porém para se chegar lá é necessário ter um bom padrinho ou político no comando da lotação. Isso precisa ser combatido. O puxassaquismo quixotesco exacerbado é fator preponderante nesses casos.

José Cícero Gomes disse...

Parabéns nobre professor, tens feito muito pelo crescimento dos filhos de Porto velho. Indigna ação. O brasileiro é um barrista não porque trabalhe em barras-fixas, pois nem todos são ginastas, apesar da grande maioria fazerem ginástica para poder viver com a miséria que ganham. Alguns são oleiros é modelam o barro, mesmo os que não fazem tijolos, telhas, bilhas, potes, esculturas de barro e etc. São todos barristas ou pseudo-barristas, já que todos do seu modo defendem seu torrão natal. Mas não é amor a terra onde nasceu, o que sente estes ufanos defensores do seu lugar natural. Acredito que seja uma autodefesa. Quando um forasteiro fala mal do nosso lugar ficamos todos melindrosos e gritamos logo,alto lá! Isto existe em todo o mundo, não é coisa apenas daqui. Agora, eu vós pergunto, quando agimos assim, não estamos sendo covardes e empurrando a sujeira para debaixo do tapete. A boa justiça não começa de casa? Quando o ex-presidente da república Fernando Henrique Cardoso disse que o Brasil era um país provinciano, muitos se chocaram, e ficaram ofendidos. Mas não é verdade? Este lado melindroso do povo brasileiro seria salutar se reverter-se em indignação e repulsa à banalização de todos os erros e males de nossa sociedade. Para começar, se este falso melindre produzir-se uma autocrítica seria um ótimo começo para eliminarmos os males éticos e morais seculares que corroem o seio da nossa sociedade, e que herdamos dos tempos coloniais. Nos últimos dias em nossa cidade se criou uma celeuma por nada, só por causa de algumas verdades que foram publicadas na internet, a respeito da falta de estrutura, do provincianismo, do improviso eterno, da falta de polidez , de cortesia, e por ter falado do exerço de grosseria de muitos, da falta de consciência política e social de nosso povo, e do exerço de atos esdrúxulos, escusos e imorais dos homens públicos do legislativo e do executivo de nosso Município e do nosso Estado. Alguns em maior grau de gravidade e outros menor, mas não existe meio corrupto. Quem desviou um centavo de real, é corrupto da mesma forma de quem desviou milhões de reais. Não existe meio corrupto. Diante de tudo isso e da certeza que temos um espírito de tartaruga, lembrei dos versos de Samuel Rosa e Chico Amaral, “A nossa indignação/ É uma mosca sem asas/ Não ultrapassa as janelas/ De nossas casas.”¹ Será que a nossa nação é indigna? Não indignar-se com as afrontas cotidianas, com as ações vergonhosas, com as injustiças sociais? será que as indignas ações brasileiras de autoridades ou de homens comuns, são banalidades, frivolidades e não merece ser divulgadas e combatidas? E quem as expõem, são inimigos da pátria, do povo e da ordem e merecem ser condenados? Ou será que são verdadeiros amantes da terra natal e são homens dignos porque são cheios de indignação e de ações. Prof. Cícero.

arlene disse...

amei professor talvez seja inveja de alguns pelo seu trabalho...

Anônimo disse...

Bom a fama do professor nazareno nao é boa em partes, pois varios alunos que foram aprovados na unir, na minha opiniao todos os professores do jbc ajudaram e nessa equipe de otimos professores o nazareno nao podia ficar de fora..entao parabens para ele e para essa equipe maravilhosa do jbc.

Alan Ribeiro disse...

Parabéns pelo trabalho professor, e obrigado por acreditar em nos, sou como muitos aqui aluno do JBC, e agradeço a profissionais com o senhor pela minha formação.

nada naum disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Thiago konzen disse...

De fato o JBC merece todos os créditos pela sua gloriosa realização, quem dera outros jovens estudantes pudessem ter esse mínimo de "Educação". Quem sabe no dia em que deixemos de ser tão competitivos e egoístas, dividiremos com outros tais formas de ensino. O pior disso tudo, é saber que os únicos responsáveis somos nós. contudo, parabéns, ao menos uns terão a real chance de "disputar" os sonhos de todos.

Juliana disse...

Professor vejo que és um membro da educaçao muito competente.Porém muito abusado.
Tu na escola dando aula é bem melhor do que na frente do computador postando redaçao em seu blog sobre o que falam de ti ,ta perdendo o seu tempo e gastando seu teclado escrevendo esse monte de besteira.É bom professor? é sim, mas isso nao esconde o fato que você é um aloprado,pra uns ate "um louco", a verdade é que voce usa e abusa da sua capacidade,faça-me o favor!Tenha mais bom senso.

Lucas Vieira disse...

professor,é por essas e mais outras que eu tenho orgulho de ser seu aluno,e olha que é o primeiro ano. admiro muito o senhor. quer seja babaca ou nao,como tantos dizem,pois sao desinformados.abraço.