sábado, 27 de fevereiro de 2010

Alguém votaria em mim para alguma coisa?


Eu, para Governador ou mesmo Prefeito!


Professor Nazareno*


Nunca fui filiado a nenhum partido, nunca concorri a nenhum cargo político em nenhuma eleição. Entretanto, no distante ano de 1986, concorri ao cargo de Vice-Diretor da Escola Orlando Freire na periferia de Porto Velho. Sem prestígio nem carisma, fiquei em terceiro lugar. Perdi feio na primeira eleição de que participei. Já fui simpatizante do PT, o Partido dos Trabalhadores. Mas isto foi há muito tempo e naquela época não existia Mensalão, Zé Dirceu, Dilma Roussef, dinheiro na meia ou na cueca. Roberto Sobrinho, por exemplo, dava aulas e era apenas um sujeito cheio de idéias revolucionárias. Os petistas eram bons, pois aspiravam aos cargos bancados pelo Erário.

Jamais concordei com a máxima de que todo ser humano deve se envergonhar do governo que tem. Era jovem e ainda tinha esperanças. Acreditava que a política e os políticos podiam resolver tudo. Engano. A maioria dos políticos de hoje são crápulas, patifes, ladrões e enganadores da pouca fé que ainda resta em nós, incautos e humildes eleitores. Resolver os complexos problemas deste país por meio das urnas é um sonho tão distante e inatingível que apenas os mais tolos podem aceitar. Por isso, entendo que nunca me candidataria a nada. Nem a Inspetor de Quarteirão. Minha falecida mãe sempre me dizia: “Quem mente, rouba”, e já que quase todo político mente...

Por isso jamais seria candidato a Prefeito ou Governador. Nem mesmo a Vereador, Deputado Estadual, Federal ou a qualquer cargo eletivo. Não administraria bem, embora não saber administrar tenha sido uma virtude no “brasil”, já que a maioria do nosso eleitorado é estúpido, iletrado, babaca, alienado e ignorante. E deve ser fácil mesmo administrar os otários. É por conta disso que Ivo Cassol e Roberto Sobrinho fazem a festa nestas terras karipunas. Antes mesmo de 1914, as ruas de Porto Velho já exalavam o cheiro característico da carniça e os tapurus abundavam, mas Sobrinho prometeu ser a panacéia milagreira que faria jorrar mel e leite do chão. E acreditaram.

Não só acreditaram como deram ao sujeito dois mandatos consecutivos. Premiaram também o Cassol e o Lula com esta mesma benesse. E eles juram, para desespero do país inteiro, que vão fazer os seus sucessores. Parece até com aquela fábula da multiplicação da idiotice coletiva, do espírito de galinha: sofre e sangra, mas bota todo dia um enorme ovo e depois sai cantando. Se eu fosse Prefeito ou Governador alertaria o povo sobre isso o chamando de bobo. Seria impopular. Se fosse emancipar qualquer vilarejo sob minha jurisdição, dizia o porquê. Seria chamado de imbecil e incompetente. Em vez de assistencialismo idiota, tentaria criar mais empregos.

Como Deputado Estadual eu jamais devolveria o dinheiro do povo. Faria projetos que beneficiassem a todos e assim não seria chamado de mentiroso e incompetente, já que “quando a esmola é grande todo santo desconfia”. Por tudo isso, eu não seria um bom político e nem sequer teria coragem de pedir votos para mim neste oceano de mediocridade. Talvez eu quisesse administrar a cheirosa e sonora Viena, capital da Áustria, a progressista Seul na Coréia do Sul ou mesmo Paris, a organizada cidade luz. Mas aí a história seria outra. Se eu fosse candidato a qualquer cargo eletivo neste país, neste estado ou nesta cidade, eu imploraria aos meus eleitores: por favor, não votem em mim!


*Leciona na Escola João Bento da Costa em Porto Velho


11 comentários:

Natan disse...

eu votaria só para fazer o mau ._.'

Atualidades disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lucas disse...

Essa idéia falsa que a assembléia legislativa que nos passar de “bons samaritanos”, querendo que acreditemos que eles devolvem dinheiro público, isso é fato, pois, só é usado a beneficio deles que reformam e constroem prédios para trabalharem com maior conforto do mundo, em vez de pegar este dinheiro e investir em locais onde precisa realmente, como nossos hospitais que estão um caos ou em projetos arborização, pois nossa cidade está parecendo um verdadeiro “deserto do Saara” então a verdade é que esse dinheiro só é devolvido a eles mesmo.

Um Aluno do JBC disse...

Finalmente ao término da leitura de um dos seus textos não me enfadei e tampouco minha mente promoveu argumentos opositores aos seus. Voltou a ostentar a razão em seus textos. Alegrou-me. A crítica, talvez seja o seu maior talento, Professor.

Indubitávelmente seria eleito para cargos municipais, caso houvesse sua candidatura. O problema é que com os conceitos ideológicos que já demonstrara ao longo desses muitos posts e palestras em sala de aula a o ocupação de um possível cargo parlamentar lhe seria um "negócio de riscos".

Rousseau uma vez disse que o homem é corruptível e o "poder" é um corrompedor tão eficaz quanto a sociedade. O insoso e inóspito de filosofia Dinho Ouro Preto também dissera algo que decerto é bem aplicável nessa situação: "O poder de dominar é tentador". O óbvio, por vezes se demonstra o certo. Não é estranho?

Nos vemos na próxima tarde de sexta-feira, amado mestre.

NAZARENO NA CÂMARA MUNICIPAL EM 2012!

Joice Xpds disse...

não

Rafael Fabiano disse...

Caro professor Nazareno, sempre acompanho seus textos aqui no site, até concordo com algumas coisas de vez em quando, mais chamar o povo de otário, "E deve ser fácil mesmo administrar os otários.".Isso é muita sacanagem, o povo vota porque o voto é obrigatório e nãoa dianta dizer que com o poder do voto o povo tem condiçao de escolher seus políticos, pois todos se dizem honestos durante suas campanhas e aqueles poucos que possui essa honestidade, se corrompem quando chega no poder seja este qual for. Professoro srº deveria escolher melhor suas palavras, porque tu bnão volta pra sua terra lá deve ser o mundo encantado ou mesmo a terra dos tolos, você não tem respeito pelo estado muito menos pela nossa cidade, mesmo sendo este local onde você tira seu coro de rato, se aqui não é bom então vaza chefe, você se julga o bonzão. Eu tenho amigos que estudaram com você e me disseram que tu não dá aula de português que dá apenas redação a gramática tu deixa de lado, gramática é a base do português, então aprende a fazer pelo o menos o que tu é pago pra fazer pra depois olhar pro rabo das pessoas eu embecil, estúpido só sabe falar merda para de criticar nosso povo. Para um professor tu tá se achando muitio palhaço, o povo daqui não merece morar no mesmo chão que um babaca como você

Taís Manvailer disse...

Tenha dó Nazareno, deste cometário abixo do meu, pois ele, nem sabe ao menos escrever certo e com coerência!!

Antônio de Souza Alencar disse...

Muito bom o texto professor mas não esqueça de que isto é uma promessa. O senhor não vai mesmo se candidatar a nada em nenhuma eleição pois pensei qeu quando o senhor ecreve um texto é para depois sair por ai pedindo voto do povo ja que o senhor fala muito mau dos politicos e dos govrnantes. Nisso até concordo professor e o senhor dessa vez falou mal ate do senhoir mesmo. Cumpra com sua promessa e não seja prefeito continui escrevendo os seus textos é bem melhor assim. Obrigado

Danilo Lins disse...

Eu nasci em 1991, mas pelo que leio e percebo, muitos tem saudade da política dos anos 90, e daqueles guerreiros políticos do tempo da ditadura, que lutavam pela democracia e tudo mais ... e que hoje são os grandes corruptos da politica brasileira.
O que será que aconteceu? Inversão de valores?
É aquela velha história : Dê poder ao homem e descubra do que ele é capaz.
O único capaz de mudar a situação é o pobre eleitor, que na maioria não tem uma noção básica de como funciona política, se bem que não precisava de tanto, se ao menos no Brasil existisse tradicionalismo político, ou seja, as pessoas torcessem pra certo partido da mesma forma como torcem e MORREM por times de futebol, a história seria outra.
Se bem que no Brasil não se sabe bem ao certo como "joga" cada partido.



Ê Naza ....
Já pensou ?
VOTE NAZARENO PARA PREFEITO !!!
KKK ... Seria algo bem polêmico.

Ha não, o povo já chama o tio Naza aqui no blog de tanta coisa... mas ser chamado de político é sacanagem já!

Taís Manvailer disse...

Caro Rafael Fabiano: A Priori não estou aqui defedendo o Profº Nazareno, que por sinal é um ótimo profº e vc deveria ter aulas com eles p melhorar a sua \'base em português\', como vc mesmo se referiu a gramática, e o seu vocabulário. Por acaso vc já teve a oportunidade de conhecer grandes centros, aqui do Brasil mesmo, como SP, RJ, MG, por exemplo?? É queridinho, o texto do Nazareno não é falta de repeito não, é a realidade, e como a verdade sempre dói, o rondoniense se ofende ao ouvi-lá, no caso ler. Agora em relação ao bordão do governo "orgulho de ser rondoniense", orgulho de quê?? Da cidade toda imunda? Das ruas infestadas de buracos? Dos hospitais em situações precárias? Dos competentíssimos profissionais que veêm de longe tirar nossas vagas de empregos? Da Universidade Federal situada ao lado de um lixão e em frente ha um cemitério, que por sinal é mais limpo e cheirosinho que a própria UNIR?? Do corpo de bombeiro super bem equipado que possuímos? Faça-me o favor né!!! "Orgulho de ser rondoniense"?? Só mesmo o grande LATIFUNDIÁRIO CASSOL, que nem daqui é, pra sentir isso!!

Claudionor disse...

Eu votaria na esperança de limpeza em toda a sujeira dos PTralhas.