terça-feira, 22 de novembro de 2011

Reino dos Antas: pense num país legal.




O Reino Encantado dos Antas


Professor Nazareno*
           

Antópolis é um lugar ermo, muito distante mesmo. Longe de tudo e de todos, lá a vida é atrasada e totalmente fora de moda. É também conhecida nos meios diplomáticos como Ladrolândia ou Roubônia. Tem aproximadamente um milhão e meio de habitantes conhecidos por vários nomes diferentes: os pacas, os asnos, os antas, os toupeiras, os bestas e os hienas. Cordiais, aceitam qualquer um desses nomes para denominar o país inteiro. Povo muito trabalhador, hospitaleiro e feliz que se especializou em doar todos os seus recursos para quem vem de fora. A etnia dos antas é majoritária no país e estranhamente um dos pratos típicos do lugar é paca cozida ao leite da castanha. Esta democrática nação é como outro país qualquer quando o assunto é política, já que lá existem os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário. Um paraíso. 
       Trezentos mil habitantes do lugar, ou seja, 20 por cento de toda a população é muito pobre, miserável mesmo e sobrevive bem abaixo da linha da pobreza. Pobre, mas muito feliz em produzir riquezas para dar “de mão beijada” aos enganadores. O Poder Legislativo do país é uma piada e cuja nova sede está sendo construída onde antes funcionava um circo. Entre uma legislatura e outra, vários deputados se especializaram em roubar descaradamente as muitas verbas que seriam destinadas aos hospitais públicos e ao precário sistema de saúde. Alguns destes larápios são ligados a algumas Igrejas, já que o povo de Antópolis é muito religioso e ama os seus líderes. A capital do país é uma carniça só, mas o povo adora a cidade e diz que não viveria um único dia longe do odor de fezes, bichos mortos e esgoto podre. Quase tudo é sujo e fedorento.
Os antas são um povo excessivamente pacífico e não reclamam de nada. Muitos dos seus jovens em vez de protestar pela terrível situação em que vivem, passam o dia inteiro como imbecis nas redes sociais postando asneiras e futilidades. Toda vez que são explorados fazem muita festa. O “Campo de Extermínio de Pobres” deles, que mais se parece com um hospital de pronto-socorro, vive lotado de pacientes, quase todos pobres, claro, implorando atendimento que nunca recebem. Embora esparramados pelo chão, afirmam: “Somos felizes porque o nosso dinheiro serve para encher os bolsos dos nossos representantes”, orgulham-se muitos dos doentes à beira da morte. “Não fossem nossas amadas autoridades, como seríamos notados no mundo lá fora?” indagam outros, já amarelados, alguns dentes podres, cheios de perebas e frieiras na boca.
A corrupção é endêmica na terra dos antas. A única universidade pública está em greve há quase três meses por melhores condições de trabalho, já que a sujeira é constante por lá. Sujeira no campus e na burocracia também. Há denúncias de desvios de muitos milhões para a felicidade geral. Já na Câmara de Vereadores da capital de Antópolis, por exemplo, tem até aulas práticas para as crianças aprenderem o mesmo trabalho dos políticos. Uma das vereadoras daquela casa se esmera em ensinar o ofício para cada “antinha” que quer mudar de vida. Os edis da capital vivem em paz com o Prefeito do lugar. Os “antas” esperam ansiosos pelo dia em que vai dar uma chuva de bosta, conforme fora prometido por alguns políticos mais experientes. Será o êxtase, a redenção total. Nesta data, muitos gostariam de estar vestidos com a melhor roupa.
Antópolis já teve muitos mandatários, todos de fora. E quase todos eles sempre prometem fazer jorrar mel e leite das fedorentas ruas do lugar. Claro que todo mundo acredita. Todo tipo de doença já extinta no resto do mundo existe neste incrível país para a alegria da população. É um dos únicos países do mundo cuja mídia tem cor: é marrom e sobrevive quase sempre de subsídios oficiais. Os muitos escândalos quase sempre são divulgados pela imprensa de fora e ninguém sabe o porquê. As propagandas veiculadas são lindas e induzem o povo a exigir respeito. Dizem também que não será mais exibida pornografia para as famílias antenses. Sim, porque nada é imoral em Antópolis. A Assembléia Legislativa dos antas é como uma igreja, um lugar santo, a “casa do povo” e repleta de coroinhas. Por não existirem intelectuais nem cultura, nunca se saberá por que é tão fácil desviar dinheiro público neste país. No Reino dos Antas estão construindo viadutos, passarelas, pontes, estradas, hospitais, hidrelétricas e toda a infra-estrutura para o país progredir, só não boas escolas e universidades, mas nada é superfaturado. Não é incrível? Quem não é feliz em morar num lugar paradisíaco deste?






*É Professor em Porto Velho.

22 comentários:

Anônimo disse...

por acaso sua mulher é uma anta ou a sua mãe? não para de falar de nossa cidade volta pru nordeste cabra da peste.

Thiego ou Bento Arruda disse...

Prof. Nazareno, "porque não te calas". roubonia é a tua casa, ou seja o minusculo espaço fisico onde moras, não o nosso querido Estado. Rondonia é grande. Não precisamos de comentarios retrogrados como o seu. Alias a sua especialidade é criticar, criticar e jogar mais pra baixo ainda o sentimento do povo rondoniense. Nunca li um comentario seu que trouxesse solução

R.M disse...

só li fatos...
para quem não sabe ler o que está subtendido ele não está falando mal de rondonia pelo contrario, esta tentando abrir nossos olhos do que acontece ao nosso redor.Estamos tão acostumados a viver deste modo que esquecemos o nosso direito de pedir uma sociedade melhor.Aos que acham o que foi escrito um absurdo deveriam ao invés de critica-lo tentar mudar a realidade não é comentando em um blog que irão conseguir isso, quem faz uma cidade, estado ou pais são os seus habitantes só a sociedade tem o "poder" de mudar o que voces tanto acham um absurdo.Sem hipocrisias.
obs.:Não conheço o autor deste texto e não estou querendo defende-lo apenas estou expondo o meu ponto de vista, que por sinal, não é tendencioso ou alienado a conviver com os erros e acha-los digno. Assim como vocês quero o melhor para a cidade.

... disse...

não me preocupo com o Sr.falando mal da nação, mas gostaria de saber qual problema o Sr.tem com os rondonienses.

Bruna Pontes disse...

Caro Nazareno, o dia que o Sr. aprender a diferença entre criticar e ofender, talvez seja digno de escrever em algum meio de comunicação, antes disso não passa de um zé ninguém.
Obrigada!

gabriel disse...

nossa mas tem muite gente ignorante que comenta aqui. O texto é para reflertimos sobre o que se passa no nosso estado 'roubônia', que é uma porcaria mesmo, esse estado em que nada funciona e ninguem faz nada ae vem uns manés e escrevem asneiras dizendo que estão ofendidos e etc.

Dr. Marcelino Rego disse...

Dez... nota dez! Antopolis é a unica capital dirigida por um ex sindicalista que sempre teve uma atuação profissional fantasmagorica e sua administração municipal é cabide para parasitas, incapazes de sobreviver com o suor do proprio rosto. São os vampirantas que vivem do sangue das antas, além de se alimentarem também de grama, para reforço de neurônios.

Rodoniense com orgulho disse...

Até que enfim esse "Professorzinho Anta" falou a verdade: "Povo muito trabalhador, hospitaleiro e feliz que se especializou em doar todos os seus recursos para quem vem de fora." Ele se enquadra aqui, pois veio de fora só pra matar sua fome.

Fernando disse...

Professor, assim o senhor está ferindo nossa "casa de leis"...as religiões predominantes por lá, não permitem os coroinhas.

Kamilla Prado disse...

Apelou e falou bosta [ Quase tudo é sujo e fedorento] só se for na casa dele !
Muitos dos seus jovens em vez de protestar pela terrível situação em que vivem, passam o dia inteiro como imbecis nas redes sociais postando asneiras e futilidades. Toda vez que são explorados fazem muita festa.?? ele que fica postando asneira na internet HUIAHSIAHS

Gabriel Milhomem disse...

nossa mas tem muite gente ignorante que comenta aqui. O texto é para reflertimos sobre o que se passa no nosso estado 'roubônia', que é uma porcaria mesmo, esse estado em que nada funciona e ninguem faz nada ae vem uns manés e escrevem asneiras dizendo que estão ofendidos e etc.Ainda tem uns que dizem que nossa cidade nao fede , basta dar uma volta por nossas ruas pra ver esgotos e fossas abertas, animais mortos , maconheiros fumando .Esse é o problema desse povo sao hipocritas e cegos falam como nossa cidade e estado fosse uma maravilha.kkkkk

Kamilla Prado disse...

kkkk, ignorante é você menino, a questão aqui não são os problemas que a cidade tem, pq isso toda cidade tem, são as palavras de baixo calão, a forma que foram usadas e o local onde foram publicadas, então ler direito os comentários dos outros pra depois chamar alguém de ignorante ! e se vc se sente tão infeliz aqui procura outro lugar pra morar, limpinho, com pessoas civilizadas, onde não existam corruptos, que tal a Europa ? -.-' ahh não lá é limpinho mas tem maconheiros né!? :) vive numa bolha então infeliz, me polp heim...

Bruna Pontes disse...

Carissimo Gabriel Milhomem, 1º para fazer um povo refletir não é preciso termos chulos, expressões vulgares e grosseria, bem como generalizações. 2º em nenhum momento alguém falou que o Estado é uma maravilha, se tem problemas? CLARO! Quanto a falta de infra-estrutura não é apenas em Rondônia, é um problema NACIONAL. 3º o problema com drogas, caso não leia ou assista jornal é um problema MUNDIAL, logo, não é "privilegio" dos rondonienses encontrar usuários de drogas na cidade e 4º Ignorante são pessoas que não sabem se expressar, logo, acho que deveria reler seu comentário com atenção pra ver quem realmente se encaixa nesse termo.

Anônimo disse...

Parabéns como sempre professor, curto e grosso. E aos antas que comentam asneiras só lamento que continuem aceitando tudo sem cuspe e não sentindo nada...

Josemar Freire Botelho disse...

Bruna Pontes e Kamylla Prado agiram como duas semi-analfabetas e otárias: caíram como patinhas na lábia do professor Nazareno ao dar mídia ao mesmo. Nem se sabe direito se entenderam o que estava escrito já que os textos do mesmo são muito irônicos e não é para qualquer um ler.Uma delas escreveu poupar com L (polpe) e a outra disse que o mesmo não era digno de escrever nos meios de comunicação. Só que quase todos os sites de Porto velho têm publicado seus textos que são excelentes e nos fazem pensar e refletir sobre a nossa realidade. Repito: não leiam os textos do professor Nazareno se não quiserem conhecer muitas verdades que ele, e só ele, escreve. Quanto a esquecer que são lidos por muitas pessoas, é só essas pessoas não lêem mais. O problema não sao as palavras de baixo calão do texto irônico, mas a imoralidade que os deputados fizeram conosco e ninguém se aborrece, mas com palavras de baixo calão, fazem um escândalo. merecem é serem roubados mesmo. Aliás, este texto não fala sobre Rondônia. Ou fala? Não somos Antópolis. Vocês duas nasceram em Antópolis? Por que se aborreceram? Além de burras são cegas que não enxergam os defeitos da cidade onde vivem.Por isso são roubadas e enganadas. Coitadas.

Jâmisson disse...

Não vi em nenhum momento o Prof. Nazareno falar em Rondônia, e sim de Roubônia...mas será que há alguma semelhança entre esses dois estados completamente distintos pra haver tamanha euforia???

Odney disse...

Mais uma vez o Tal ofendendo o povo. Por que não se limita a ofender só os ladrões e vagabundos envolvidos no escândalo? Nada contra a liberdade de expressão, mas, tudo a favor do respeito e à dignidade das pessoas honestas e trabalhadoras. Acho que o Tal foi imensamente leviano ao se referir à uma criança daquela maneira. Por que ele não volta para o seu lugar de origem? Com certeza lá deve ser o paraíso...
Ainda assim eu lhe admiro muito, juro. Jamais deixarei de ler os seus textos.

gabriel disse...

Kamilla Prado vc é uma bobinha mesmo ingênua kkk o texto fala sobre os problemas de nossa cidade e estado mas pelo visto vc é mais uma rondoniense hipocrita e analfabeta e o professor nao usou nenhuma palavre de baixo calão vê se estuda um pouco pra desenvolver um senso critico e sair desse senso comum.

Bruna Pontes vc nem merece resposta aposto que o nazareno leu seu comentario e deve ter rido muito.

JSilva disse...

Parabéns Prof. Nazareno. Mais um texto maravilhoso, pena que a maioria dos leitores não entendem. Todos vêem mas não enxergam os problemas do nosso Estado, tanta corrupção, tanta roubalheira... e o povo fica indignado por vê-lo postar seus textos que descrevem perfeitamente todos os problemas que a maioria não enxerga.

Natália Terra disse...

Como deixamos nosso Estado ficar assim?Como não percebemos que shows quase que semanais em cidades como Porto Velho são mais uma estratégia do 'pão e circo' que os falsos representantes armam para nos destrair da situação miserável que vivem os nossos coterrâneos?O interessante é que mesmo conhecendo tais estratégias com os conhecimentos das ciências humanas,algumas pessoas insistem em fechar os olhos e tentar impedir textos como os do professor Nazareno.
Viva às Antas Cegas.

Anônimo disse...

O uso da generalização é o melhor argumento pra abrir os olhos das pessoas. É só a partir do famoso 'tapa na cara', que certos indivíduos realmente sentem dor de cotovelos e decidem se defender!
A verdade é que, os problemas citados são mundiais mesmo. Mas é daí?! Por conta disso o resto do País tem que ser igual? Se não tiver corrupção ou pessoas drogadas não é o Brasil, certo ?! Por Favor né?!
Ter consciência critica pra demonstrar a realidade do lugar em que vive é um grande passo pra evolução. Não é falar mal.

Josy D' Anthonny.

deynha disse...

Professor Nazareno eu te amo *-*

Andrea Thalita