domingo, 22 de março de 2009

Você conhece mesmo Rondônia?




Em Rondônia é assim mesmo...


* Professor Nazareno


Claro que Rondônia não é o fim do mundo. Mas tem coisas que lembram. Se um turista desavisado tivesse a coragem de andar por este pedaço de Brasil necessitaria entender algumas peculiaridades locais. Qual a localidade deste imenso país que não tem a sua festa do santo padroeiro? Porto Velho tem o santo padroeiro (santa, Nossa Senhora Auxiliadora cujo dia é 24 de maio), mas não tem a festa, não é incrível? Festa mesmo só a Flor do Maracujá que é realizada em junho sem homenagear absolutamente a ninguém. Nem maracujá se produz neste solo provinciano... Mas os absurdos não param por aí. A nossa Semana Santa é comemorada no final de maio ou mesmo em junho sem maiores explicações e com direito até a espetáculos ao ar livre e gordo patrocínio do PT. Neste pedaço de Brasil, prostituta se apaixona pelo cliente, traficante de droga se vicia e professor de História tem religião. Se brincar, professor de Português não saberá escrever um texto e ainda terá problemas com a gramática normativa...

De futebol, o porto-velhense gosta. Mas só torce pelos times do sul do país. Genus (sem acento mesmo) e Shallon são alguns representantes da capital no torneio estadual da modalidade. Quem não se sentiria ridículo torcendo por equipes com estes nomes esquisitos? Mas não tem problemas, o futebol de Porto Velho assim como seus “esquadrões” são totalmente descartáveis: só duram um ano aproximadamente e por isto não precisam de torcida nem de torcedores. No próximo campeonato existirão outras equipes com outros nomes não menos estranhos que representarão qualquer quitanda ou taberna da capital. E os habitantes locais, feito cururus, ainda têm o topete de torcer pelos times dos sul do país... Eles próprios são os primeiros a ‘avacalhar’ o falido futebol local. Coitados: vivem de um passado que nem glória tem. Moto Clube, Ferroviário, Flamengo, Botafogo, Ipiranga, etc.etc. Quanta criatividade...

No lado cultural o festival de bizarrices chega até a ser folclórico. Sem dominar uma única palavra do Inglês, grande parte dos comerciantes locais exagera no S’ (apóstrofe) e em muitos casos chegam até a nomear seus estabelecimentos no próprio idioma de Shakespeare. Há até uma linha de ônibus com o pomposo nome de Presidente Roosevelt mesmo que não exista nenhuma rua, praça ou bairro com este nome. Durma-se com um absurdo destes. A sigla do Estado é Ro. Assim consta em todos os mapas, compêndios, livros e Atlas. Mas a Companhia de Água e Esgotos do estado que não consegue abastecer seus clientes com água, tem o nome Caerd. Insinuando que a sigla do estado é Rd. Com a única universidade pública local, a Unir, acontece a mesmíssima coisa. Pior é a Fundação Rio-Mar, ligada à Unir. Ou seja, Fundação Rio – Madeira. Por que “Mar”? Será que os sábios desta (a) fundação acham que a sigla de Madeira é mar? Rio-Mar é um apelido do rio Amazonas e este nome poderia muito bem figurar em alguma instituição lá no nosso vizinho estado.

Políticos ladrões e corruptos é o que não falta por aqui (por isso acreditar-se que também seja parte integrante do Brasil). Quase os cem por cento dos rondonienses foram favoráveis às construções das hidrelétricas na calha do rio Madeira. Nem se preocuparam com os desastres ambientais que poderiam ser causados. Talvez seja por isto que quase não exista rondoniense nativo defensor do meio ambiente. Os poucos que defendem, são de fora. E nem ligaram para o fato de que a energia gerada não ficará por aqui, entusiasmados e ludibriados que estão pelo pseudo-desenvolvimento que prometeram. Cara de um rondoniense dentro de um Shopping Center é a coisa mais fantástica do mundo, mesmo caindo forro de gesso em suas cabeças, os caipiras locais ficam rindo como hienas comendo carniça. “- Maninha, comadre, pega o Jacques Cleiderson aí em cima e cuidado para a perninha dele não enganchar”, diz a madame porto-velhense na enorme fila que foi feita para andar de escada rolante. Rondoniense parece mesmo é gostar de miçangas, espelhos e quinquilharias... E gosta também de dar os melhores empregos para os que vêm de fora.

Com apenas meia dúzia de vôos para dentro do próprio Brasil, o aeroporto local tem o pomposo nome de Internacional. Os jornais escritos daqui são os melhores do mundo, pois têm o dom da premonição. Circulam todos os sábados à tarde com as notícias já da segunda-feira. O módulo hora-aula nas escolas públicas é de um hora (único no país) e os deputados estaduais legislam em cima do calendário letivo do Estado como se não tivessem nada mais a fazer. E parece que não têm mesmo. Por pura incompetência e falta de projetos, devolveram nos últimos dois anos a bagatela de 60 milhões de reais para o Executivo estadual. Dinheiro que poderia ter sido empregado na área da saúde, saneamento básico ou outra área qualquer. Para grande parte dos rondonienses, desenvolvimento são passarelas que caem e matam gente, shoppings centers que desabam o forro, edifícios mal estruturados e hidrelétricas que provocam desastres ambientais e têm pesadas multas do Ministério do Trabalho em seus canteiros de obras. E o que é pior: muitos beiradeiros locais não querem que ninguém fale nada disto. Pobre Rondônia...


* É professor na escola João Bento da Costa em Porto Velho - profnazareno@hotmail.com


146 comentários:

Tito J.de Barba disse...

concordo plenamente com essas características de Porto Velho .Só que mora aqui sabe.

Gisele Moreira disse...

Nossa Ro está uma bagunça!
É inacreditável essas coisas que ocorrem aqui, até parece brincadeira e de um péssimo gosto.

Danilo disse...

Hino de Rondônia: "...Aqui, toda vida se engalana..."

De acordo com o "Minidicionário Luft", engalanar-se significa: 1. Vestir-se de galas. 2. Embelezar (-se); enfeitar (-se)

Joice Marx Yeshua disse...

Texto ácido...

Meus parabéns!

Valdemar Neto disse...

Realmente Rondônia é um estado muito problemático.

a.Ocampo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
nativo11111 disse...

TEXTO INFELIZ, ACHO QUE O PROFESSOR TALVEZ TENHA ESQUECIDO DE QUE ESTAMOS NO BRASIL. AS COISAS QUE ACONTECEM AQUI, ACONTECEM EM QUALQUER LUGAR, ASSIM COMO NA CIDADE ONDE ELE NASCEU. INFELIZMENTE MUITA GENTE QUE SE DEU MAL LÁ FORA, (ENCHE A BOCA PARA FALAR BEM DO ESTADO DE ONDE VEIO), VEM MATAR A FOME AQUI EM RONDÔNIA. SÃO MEROS ARROGANTES, SE ACHAM MELHORES QUE MUITA GENTE, NÃO CONTRIBUEM EM NADA PARA MELHORAR A CIDADE, MUITO PELO CONTRÁRIO, SÃO OS MESMOS QUE JOGAM LIXO NA RUA, QUE ROUBAM DINHEIRO PÚBLICO, QUE FAZEM BARBARIDADES NO TRÂNSITO, QUE FURAM FILA, ENFIM NÃO SABEM O QUE SIGNIFICA CIDADANIA E RESPEITO. QUEM ESTIVER DESCONTENTE SÓ IR EMBORA, ACHO QUE TODOS SABEM BEM O CAMINHO DA RODOVIÁRIA, AEROPORTO OU DA BR. ISTO VALE TAMBÉM PARA OS P.S.

NATIVO SIM, COM ORGULHO. P.S. NÃO

Anônimo disse...

Professor, venho aqui deixar o meu humilde comentário, explanando a minha indignação com o seu infeliz artigo. Acredito que o Sr. Tenha esquecido de mencionar as qualidades desse estado que lhe acolheu com respeito. O evento “flor do maracujá” é a maior festa junina da região Norte. Quanto ao seu comentário a respeito das “profissionais do sexo”, não tenho nada a declarar, pois não tenho conhecimento algum sobre esse tema, acredito que para falar com coerência sobre determinado assunto é preciso saber com exatidão, acredito também que deficiência no sistema educacional é nacional, não se restringindo apenas ao estado de Rondônia.
Infelizmente ainda não há investidores no futebol local, como nos grandes centros que são investidos milhões de reais, no entanto Rondônia já exportou vários atletas. Acredito que os nomes não são esquisitos, shalom significa paz, prosperidade, bem, saúde, inteireza, segurança, de acordo com algumas traduções, por isso o nome Shallon. Se vossa senhoria pesquisar um pouco, sobre os nomes de times regionais do Brasil, irá perceber que há nomes no mínimo muito mais curiosos que o dos times do estado.
O grande problema da corrupção na política é infelizmente um problema do Brasil inteiro, o deputado dono de um castelo avaliado em milhões não é de Rondônia, se isso pode ser usado como exemplo.
O impressionismo do rondoniense pelo “shopping Center”, deve-se também ao fraco desenvolvimento da região estabelecida, por um dos motivos, a baixa idade dessa união federativa, apenas 28 aninhos de criação, contra os quase 500 anos de todos os estados litorâneos.
O aeroporto internacional Jorge Teixeira, é internacional pois tem porte e pista, de acordo com a ANAC, para receber aviões internacionais, não necessariamente tem a obrigação de efetuá-los.
Não venho aqui dizer que Rondônia é um estado perfeito, está em desenvolvimento e tem seus problemas, assim como o Brasil. Da mesma forma que o slogan da Assembléia legislativa de Rondônia , um órgão publico muitas vezes “sujo e corrupto”, mas algumas vezes sincero,Diz: “SOU RONDONIENSE É EXIJO RESPEITO” eu também digo.
Obrigado.

Karla disse...

Seus artigos são sempre tão maravilhosos! Adoro lê-los, não deixe de me avisar quando atualizar o blog. Continuo admirando seu trabalho mesmo não sendo mais sua aluna...

Aprenda Redação disse...

NOME: Jaqueline
CIDADE: porto velho

Caro..... (não sei se o senhor é digno de ser chamado de professor...) É lamentável saber que o senhor participa diretamente da formação dos nossos filhos, que são rondonienses, pois infelizmente tenho conhecimento que também presta serviços ao "conceituado" Colégio Classe A. Seu texto demonstra o quanto é preconceituoso e o quanto pode influenciar negativamente os nossos adolescentes/jovens. Gostaria que me respondesse se durante suas “aulas” o senhor expõe seus alunos, da mesma forma que expôs os rondonienses trabalhadores, honestos e que contribuem para o crescimento do Estado que acolheu milhares de pessoas vindas de todas as regiões do Brasil. O fato do senhor não ter nascido aqui não o isenta de nada, pois da mesma forma que existe o preconceito contra o rondoniense, tanto pior com as pessoas do nordeste (de onde o senhor saiu em busca de emprego). Uma sugestão seria utilizar a inteligência que tem para escrever, para denunciar de fato as coisas erradas que acontecem em nosso Estado. Ao invés de humilhar o povo trabalhador, porque o senhor não enfrenta os políticos verdadeiramente corruptos? Ficou muito claro para o leitor que senhor tem medo, pois não cita nomes. Apenas generaliza... Outra crítica que faço é ao site que leva o nome de rondoniaovivo e que aceita publicar tamanho absurdo. Sugiro às Direções do João Bento da Costa e do Colégio Classe A que observem o tipo de comportamento que seus professores tem na sociedade, pois de certa forma eles representam as instituições em que trabalham. Para seu conhecimendo nasci no Rio Grande do Sul e faço parte de uma das milhares de familias que chegou na década de 70 em Rondonia, que sofreu e trabalhou muito e que tem orgulho de ter sido adotada por uma Estado tão próspero.


NOME: Francisco Campos
CIDADE: Porto Velho

Sou de Rondônia, nascido em Porto Velho, portanto teria todo o direito de me sentir ofendido pelo texto "engraçadinho" do Prof. Nazareno. Mas não me deixo levar por essa indignação. O sentimento que me perpassa é o de dó. É uma pena que tal "pérola" tenha sido publicada. Porém, se o artigo não serve para nada de construtivo, serve, pelo menos, como mau exemplo. A mediocridade é algo muito comum nesse Brasilzão petista. Regurgitar um amontoado de clichês e frases feitas, como fez o professor em questão, nada mais é do que um reflexo da imbecilidade que reina nesse país. A intenção do articulista era ser irônico, mas, devido a uma boa dose de incompetência, o máximo que ele conseguiu foi ser grosseiro, mal educado, injusto. Nem tanto ao mar, nem tanto à terra, Nazareno! Há muito de ruim em Rondônia, não nego. Mas veja bem: aqui há muita gente que merece respeito. Não deixe que a sua medíocre e estreita visão empane o brilho da gente daqui. Deixe que sejamos quem queremos ser. Vai aprender um pouco mais para melhor educar a garotada do João Bento!


NOME: ivaneide azevedo de castro
CIDADE: Porto velho

Realmente, o senhor mostra-se muito insatisfeito com esta cidade, é um direito seu! Mais ofender as pessoas que aqui moram ou foram acolhidas de outras regiões em busca de trabalho ou de uma vida melhor, é ignorancia da sua parte, conheço seu trabalho como professor e até então o admirava, mais sua colocação sobre esta cidade e pessoas qua aqui estão é no minimo infeliz, pois só uma pessoa infeliz pode ser mau agradecida pois criou seus filhos e deu conforto a sua família com fruto do seu trabalho que encontrou aqui nesse fim de mundo.Porto velho ainda é jovem com relação a cidades como São Paulo e outras grandes cidades que apresentam problemas parecidos e até piores que os que aqui existem, lamento pela insatisfação que a cidade e as pessoas lhe causam, lamento que essas mesmas pessoas ajudem a pagar seu salário, a sua falta de informação sobre o que se produz neste solo provinciano, se quer mudar alguma coisa mude de opinião, de comportamento e respeite as pessoas como quer ser respeitado não faça aos outros ou diga aquilo que não quer para você. As pessoas costumam dizer que aqui só tem pessoas mau educadas, desonestas,procure se informar onde não for bem tratado se aquele (a) que o atendeu é daqui ou veio de outro estado com certeza em 90% dos casos é de outro estado talvez do seu! Eu sou do Estado de Rondônia, cheio de perfeições e defeitos mais eu exijo respeito.


NOME: Francisco Amaral
CIDADE: Porto Velho/RO

Ser um bom proessor é amar e ensinar ao próximo as coisas boas e ruins, mas sempre procurando separar o que é do "bem" e o que é do "mal", pois bem, a sua análise crítica sobre o meu Estado e o meu Município, digo meu, porque nasci e fui criado nesta singela cidade de Porto Velho, infelizmente foi uma análise muito, mas muito infeliz "pseudo professor". Geralmente nós seres humanos somos especialistas em encontrar problemas, mas quase nunca somos muito hábeis em sugerir soluções, é o que o senhor que se diz professor, e deveria está dando um bom exemplo aos seus alunos, deveria procurar se esforçar para fazer "sugerir soluções práticas e efetivas" e não ficar com discurso crítico de opositor político dos governantes e futuro candidato a "alguma coisa", lamento muito pela minha cidade e pelo meu estado de ter pessoas como você formando pessoas com idealismo furado e sem praticidade nenhuma, procure estudar um pouco mais e ensine os seus alunos em conformidade com a LDB e o PPP da escola ao invés de perder seu tempo falando mau da minha cidade.


NOME: Bete
CIDADE: Porto Velho

Nazareno, já que sua visao do nosso estado e esta,porque nao vai embora pro seu. Será que e porque la nao tem emprego pra voce????


NOME: LAERCIO DAVILA
CIDADE: PORTO VELHO - RO

CARO PROFESSOR, HOJE O PORTOVELHENSE JA ESTA TAO ACOSTUMADO A ISSO, O POVO ACOMODADO 1º O CARA AUMENTAM A TARIFA DO ONIBUS ILUDINDO OS USUARIOS FALANDO EM AR CONDICIONADO 2º FAZEM UM TAO DE LEVA EU ( LEVA O MEU DINHEIRO MAIS FACIL). DIZENDO QUE HAVERIA UMA TAO DE INTEGRAÇÃO "OU SEJA, USA DOIS COLETIVO COM UMA SO TARIFA". MAS NAO É ISSO QUE VEMOS HOJE. O SENHOR TA MUITO É CERTO FALAR ISSO TUDO PARA VE SE O POVO ACORDA


NOME: Leonardo Della Justina
CIDADE:

Aos ofendidos: Pelo visto, a carapuça serviu.


NOME: Costa Brasil
CIDADE: Porto Velho

Professor Nazareno, Começo questionando se alguém que ostenta o título professor, com esta opinião acerca da terra dos outros, um lugar que o acolheu, lhe deu emprego e, aqui nesta cidade, livra o pão de cada dia - e ainda nos ridiculariza - mereça realmente ser chamado de professor. Eu teria vergonha de ter sido seu aluno. Teve muitos professores em minha vida. Professores de verdade, deste Estado e de outra regiões do Brasil. Nenhum com uma visão tão tacanha, pobre e medíocre sobre esta terra, que lhe recebeu como um filho sem teto. É uma visão típica de colonizar imbecil, que por absoluta falta do que fazer, produz um texto desta qualidade. Se é para morar no melhor lugar do mundo, o que o senhor faz aqui. Vá embora. Procura o seu rumo. O senhor me chama de animal comedor de carniça e acha que vai ficar por isto mesmo?! Vamos discutir identidade cultural, fazeres e saberes um povo, de uma região de uma cidade, para o senhor compreender melhor a cidade, o seu povo e sua cultura, coisa que, aliás, o senhor certamente nunca descobriu e, menos ainda, entendeu. Demonstre um pouco de sensatez e peça desculpa a população desta terra e a esta cidade que um dia lhe recebeu, como só uma mãe de coração imenso faz, sempre acolhe o filho ingrato, faminto necessitando de guarida.

Anônimo disse...

Rondônia com certeza não é um estado perfeito e assim como todos, enfrenta a violência, a prostituição, a educação de má qualidade e a corrupção. Para falar mal do lugar onde vive com sua família é necessário que tenha vindo de um paraíso, aquele que NÃO te deu OPORTUNIDADE PARA VENCER. Aliás, no seu perfil você não cita a sua terra natal, coloque para sabermos mais sobre você.
O senhor que se diz professor há vinte anos, ainda não sabe que falar mal de colegas de profissão é feio e antiético? Quanto às prostitutas que se apaixonam por seus clientes, falou com tanta certeza que ate parece que aconteceu com você, portanto quando fizer comentários sobre Rondônia, pense também no lado bom, das belezas naturais, das boas oportunidades de trabalho, etc. E quanto ao site RONDONIAOVIVO que até então considerava ótimo, não acessarei mais até que revisem com atenção todos os conteúdos editados. E só para lembrar que NAZARENO também é um nome muito esquisito. E se não estiver satisfeito, o caminho do feio é por onde veio! VAZA! E não esqueça que não devemos cuspir no prato que comemos, pois o castigo logo virá.

Aprenda Redação disse...

De: Luiza de Souza
Cidade: PORTO VELHO

Professor, este seu texto só mostra o quanto o senhor é imbecil e doente. E ainda se diz professor. Quem teve a má sorte de ter tido aulas com uma pessoa dessas só pode se arrepender. Que contribuição o senhor deu para Rondônia com esta atitude?

De: Antônio Florentino
Cidade Porto Velho:

Todo texto desse professor é coisa de ler e pensar, ele trabalha na melhor escola pública do Brasil e por isso que a escola está desse jeito apesar de ser daqui mesmo acho que tem muita coisa errada e ninguém pode ficar calado. Dá-lhe professor, o senhor é a pessoa certa para falar pois já contibuiu muito para este lugar e ainda cointibui e quem achar que ele não sabe de nada que vá até na escola João bento e veja o trabalho que é feito por lá. A verdade dói em muita gente.

De: Francisco de Lima
Porto velho

Só queria saber o que está te seguranddo por este fim de mundo cara. Vá se embora que não deixar saudade em ninguém. Arrogância tem limites Vai qualquer dia deste se dar mal com estas brincadeiras de mau gosto

Anônimo
Porto Velho

Rondônia é mesmo tudo que este forasteiro falou e a prova é que ele continua mamando no Governo sem fazer nada, como Rondônia deixa que um imbecil como esse achincalhe a gente? Professor, não. Mal-educado e sem princípios claro que você não gostaria de ver sua casa e sua família sendo mal falada por aí

Hugo
Cidade; Porto Velho

Esse professor sempre gostou de polêmica e sabe ser isso com maestria. Parabéns de novo meu professor, essa terra precisa de pessoa que falem dela. Nem que seja mau, mas falem e senhor sabe fazer isto com muita competência. Os que falam da sua competência é por que nunca viram o seu trabalho. Me orgulho de ter assitido aulas com o senhor e acho que qualquer aluno dirá o mesmo Sempre admirei a sua sinceridade e todos que sabem a sua hisória se metem a falar se saber. Mande o se currículo para eles. Ta todo mundo achando que escreve texto é fazer comentários e puxar saco dos outros. O senhor mexe na ferida com prego quente como mesmo o senhor diz. Incomoda muita gente. Se falou só mentiras porque publicaram o seu artigo? E se publicaram é porque o senhor falou a verdade e disse o que pensa e tem muita coragem. Pois sou natural daqui de Porto Velho e acho que o senhor falou foi muit coisa que essa gente devia ouvir e se calar pois não fazem nada para engrandecer aqui e o senhor é de fora e ffaz o que muita gente daqui não faz. Tem o meu apoio e sempre terá. Parbéns. Gostei e quando vaie screver de novo? É so me avisar. Sou seu leitor e me orgulho disso.

Leitor
Porto Velho
Burrices não se comentam só se tem pena e eu tenho pena desse moleque desaforado. Vá daqui o mais depressa possível e leve tudo que Rondônia lhe deu seu ingrato.

wandersson disse...

pofessor, apesar de tudo isso ser a realidade de RO, eu concordo plenamente com o senhor. AINDA BEM QUE EU SOU MARANHENSE.

Aprenda Redação disse...

não acho certo o que você diz sobre o nosso estado, você não vê as belezas que ele possui?, rondonia ainda esta em desenvolvimento, ainda é jovem comparado á são paulo, rio de janeiro, e outras cidades desenvolvidas, que tenho certeza que passaram pela mesma situação que rondonia, se esta tão descontente com esse estado o que ainda faz aqui? é um profissinal tão incompetente que não consegue emprego em outro estado? você não é digno de morar nesse estado, você está ocupando a vaga de um profissional que pode ser mais eficiente, e que admira o estado, mesmo com seus defeitos. se quer uma cidade perfeita, procure fora do brasil ou talvez mude de planeta, pois no mundo todo há cidades como porto velho e estados como rondonia, e alguns ainda piores, ou então faça atitudes que mudam de verdade, e não ficar publicando textos insanos na internet -que não sei por que alguns sites ainda publicam tal hipocresia- você já parou pra pensar o que fez para melhorar pelo menos os buracos que enfrenta para ir trabalhar? duvido, por que? porque mesmo criticando, é acomodado e não faz atitudes para melhorar. Se acha que é tão facil desenvolver um estado em menos de 100 anos? por que ainda não se candidatou a prefeito ou governador, talvez não tenha noção de quanto é dificil administrar um estado em quatro ou oito anos caso seja reeleito.Os estados desenvolvidos do Sul e alguns do Nordeste[que são poucos deste ultimo] levaram mais de 200 anos para chegarem á o que são, por que com rondina seria diferente? só por que você quer? por que você criticou em um site? isso eu tenho certeza que não.isso é ridiculo, você tem todo o direito de achar rondonia um estado ruim ou bom, tanto faz, só não é certo escrever uma coisa dessas e publicar na internet.
talvez eu esteje errado ou duvidoso na minha argumentações mas é o que eu acho, é a minha critica, já que uma pessoa pode escrever o que achava desreipeitando cidadãos, no minino eu posso mandar um e-mail

Anônimo disse...

SER O AUTOR FOSSE DE POSTE NACIONAL, COMO:
ARNALDO JABOR
DIOGO MAINARDE
RONALDO FRANÇA
TODOS ESTAVAM ACHANDO LINDO, POR QUE OS CARAS ENTENDE DO ASSUNTO COMO NINGUEM, MAS COMO SER TRATA DE UM HUMILDE PROFESSOR TODO ESTAO QUERENDO CRITICA-LO. MUITO FACIL CHEGA AQUI E FALA: DO TRABALHADORES DE RONDONIA, O QUE ESSA PESSOAS NAO ENTENDE E QUE EM NENHUM MOMENTO DO TEXTO LI SOBRE O PESSOAL DE RONDONIA QUE REALMENTE TRABALHA, PARA O DESENVOLVIMENTO DESTE ESTADO QUE TANTO AMAMOS.
O QUE OS CRITICOS NAO CONSEGUEM COMPREENDER QUE ESSE PROFESSOR TRABALHA EM DUAS INSTITUIÇOES QUE MAIS APROVAR EM UMA UNIVERSIDADE FEDERAL.
POR ISSO FILHO. O CARA TA MUITO ACIMA DO QUE VC IMAGINAM
QUANTOS SAO OS ALUNOS DO J.B.C QUE JA SE DERAM BEM NO PROUNI, NA UNIR E EM OUTRO INSTITUIÇOES DE ENSINO SUPERIOR: COM AS MELHORES REDAÇÕES DO ESTADO.
SOU MUITO GRATO POR ESTA ABRINDO OS OLHOS DESSE POVO.

Anônimo disse...

Texto sem noção.. acorda pra vida Nazareno.. estamos no Brasil... só tem critica nesse texto, e os lados bons ninguém vê.. porque será? Temos que ter AUTO-ESTIMA Brasileiro ou Rondoniense, não é!.. Então Nazareno, ame seu estado, pq só assim conseguimos tentar melhorar ele.. pq apenas em criticar nao adianta nada, então Nazareno, escolha direito suas ideias, elas podem te prejudicar! Bye :@.. "aprende a falar direito!"

Karla disse...

As pessoas são cegas quanto à realidade de Rondônia. Gosto muito daqui, mas sei de todos os seus defeitos. Por isso concordo com o senhor. De todo modo, talvez seja a péssima administração de RO que resulta nisso tudo... E quem discorda de seu texto, talvez concorde com a administração falida de Rondônia.

Sr. BK disse...

Tio Naza,por que ainda vive em Rondônia?

Anônimo disse...

Acho que está na hora de alguém arrumar as trouxinhas e voltar para o paraíso de onde veio. Aliás, o que está fazendo aqui ainda?

Leaderlock disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

Todo dia o Arnaldo Jabor expõe as mazelas Brasileiras e todo mundo acha linnnndo...o Professor Nazareno não está inventando nada...só fazendo uma crítica social...é só ler nas entrelinhas o que ele quer falar...a mensagem é muito mais pros poderes constituídos do que pra sociedade de uma forma geral...

Continue assim professor...nos brindando com os seus textos!!!

Ahhhh e eu sou Rondoniense viu!

Lucila Batista disse...

Antônio Florentino e Hugo,
eu já fui aluna do Nazareno e posso lhe garantir que aqui em Porto Velho há professores bem melhores que ele. Professores que falam das mazelas desta cidade, mas não ofendem quem aqui mora. Eles nos ensinam a pensar criticamente para quando nossa querida capital chegar a idade de tantas outras grandes capitais não tenha os mesmos problemas.
A maior parte da população desse estado veio de outros lugares, alguns com a idéia de progredir junto com o estado, outros com a simples idéia de arrumar um emprego e a maioria para se aproveitar deste, levar tudo de bom que nossa terra pode oferecer sem se comprometer em dar algo em troca,e que ainda enchem a boca para falar que a terra deles é melhor.
Mas isso vai mudar, porque a cada dia que passa surgem mais filhos desta terra, que nascem, crescem e aprendem amar este lugar. E vão somar na luta por uma Rondônia melhor. Então você aprenderá a respeitar esse povo que te acolheu.

tenho vergonha de assistir suas aulas disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Mãe de aluno descontentes disse...

Sempre ouvi queixas dos alunos do Classe A sobre como a aula do Nazareno é podre. Pensava que era só alguns alunos que não gostavam, mas agora vejo que Ele é podre.
Volta pra Paraíba, idiota!
Sai da terra que mata a sua fome!
Espero que os donos do Classe A: Carlos e Lúcia, tomem providências quanto a atitude desse que se diz professor (penso que ele surtou de vez).

Juliana disse...

Que barbaridade! Saber a norma culta, a normatividade, é fácil, muito fácil. Entender a cultura ou aspectos históricos e sociais de um lugar, é difícil, muito difícil.
É lamentável ver um profissional da área da educação cometer este tipo de atrocidade com o povo rondoniense.Já fui aluna do Nazareno, e estou supresa com esse texto. Negativamente, claro.

Anônimo disse...

Tá achando ruim é 'Tio Naza' ? (porque de professor a gente não pode chamar né) que pena... é só ir embora. Nem vai fazer falta.

Ah! eu teria vergonha de dar aulas depois dessa! ;)

van van disse...

é....parece que o povo daqui gosta de furar os olhos da verdade..tudo que o professor Nazareno escreveu é a pura verdade..e a populaçao fica indignado em ver a realidade...os que falaram mau do professor mau sabe o que ele faz pelos mais de 115 alunos de escolas PUBLICAS...ele ajuda ate demais ensinando redaçao...acorda povo de rondonia e parem de criticar alguem que vcs mau conhece...é isso ae PROFESSOR continue com seus textos excelentes..

obs:sou rondoniense com orgulho e fico chateda com certas açoes nao so da populaçao..mas tambem as do governo..como as construçoes das malditas usinas hidreletricas(um progresso que mau vale a pena)

Anônimo disse...

PORTO VELHO....AME-O OU DEIXE-O

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

Prezado Senhor, porque depois desse texto eu acho dificíl chama-lo de professor. Existem algumas coisas no estado de Rondônia que precisam ser mudadas sim, porém não podemos esquecer que não é só de coisas ruins que um estado é feito. Como rondoniense, me sinto um tanto quanto frustrada com tal texto, pois o senhor fala do MEU estado e não do SEU! O estado que te acolheu, te deu um teto, comida e emprego. Posso não ser um rondoniense fervorosa, mas como sei que Rondônia acolher meus pais, avós e tios muito bem, não acho certo que fale alguma coisa sobre o estado. Como aluna me sinto lezada, pois quando corrigidas as redações dos alunos, o senhor é o primeiro a dizer que não podemos GENERALIZAR e foi isso que o senhor fez e que não podemos utilizar palavras de baixo calão, porém o trecho '[...]os caipiras locais ficam rindo como hienas comendo carniça[...]' não seria uma forma de descriminar, ofender o povo Rondoniense? e mais uma coisa, porque não dar uma solução para o problema, ao invés de só falar mal?
Sinceramente, eu não gostaria de te-lo como meu professor, porém sei que é dificíl de o senhor sair da instituição em que assisto as suas aulas. E outra, porque não dizer no fim do artigo que o senhor leciona no Colégio Classe A? Para não 'manchar a imagem' da escola? Tenho certeza que os alunos do Classe A foram os primeiros a ficar sabendo de tal texto, feito para um jornal/site LOCAL. Porque falar mal de uma universidade na qual o senhor foi graduado, além da Federal da Paraíba?
Se está tão insatisfeito com o estado, porque não volta para a Paraíba de onde o senhor tem tanto orgulho de ser? Talvez pelo fato de não ter conseguido um emprego por lá? Pode ser, mas se está sendo tão bem sucedido aqui, porque não dar créditos a terra?
Eu, infelizmente, só posso sentir dó do senhor, porque a impressão que tenho, depois de tal artigo, é que o senhor é um jornalista frustrado por não ter conseguido um emprego como jornalista, e então decidiu fazer Pedagogia, na UNIR, para lecionar.

Anônimo disse...

Peço a todos que não ofendam as pessoas que nada tem a ver com isso como mães que nem sabem da existencia desse texto e que não tem culpa de terem filhos assim ,tãoingratos

Anônimo disse...

o meu filho, aí de cima, se não sabe o que falar, nao fala beleza? ;)

Anônimo disse...

texto bom mas com pontos fracos
quando diz da santa padroeira nao concordo mesmo que tenha que ter festa, pois é uma tradicao catolica e eu ´´to cagando e andando``para o que a marfia catolica faz ou deicha de faser, basta o carnaval que suja nossas ruas em pvh sao tantos carnavais no ano que o ano aqui se resume a fevereiro o ano todo, quanto a´´flor do maracuja`` cabe disser que é um evento digno dos rondonienses em que tem como maioria de seus participantes pobres e homosexuais
,festas sao pra ignorantes, mas se tivese dito sobre a pesima cultura de rondonia e que é vergonhoso que porto velho tenha poucos espasos que posibiliten o desinvolvimento da boa cultura,tendo um teatro mal utilizado eu concordaria.
Acho tanbem que o senhor pegou muito leve e esqueseu de diser sobre os filho de politicos e homens da ``lei´´(que aqui parese que nao ha) passan a madrugada em orgias en postos de gasolina e na pista do ``aeroporto´´o povo de rondonia é em maioria cego pois nao queren ver esse recado é tamben para os que postara pois ser patriota nao é so falar ben do estado e fingir que esta tudo ben. mi descuupi pelus eventuai eros de gramatica asima mas iso e normal afinau tb so romdonieçe.
mas como dis overdadeiro hino de RO ``te refaz ousera o nosso fim´´.

Anônimo disse...

Rondônia enfrenta problemas , mas isso não significa que o senhor possa menosprezar tanto esyte povo e esta terra que o acolheu . Respeite o povo e a terra pelo menos por isso, fazendo críticas ,mas antes de tudo enfatize o respeito!

ramses disse...

Caro " colega de profissão " , onde está escrito que professor de história não pode ter religião? Quantos professores você conhece pra falar isso? Qual seu interesse nos romances das putas? Onde você conversou com elas: Carlos Gomes, na Baco, BR...tá por dentro de tudo né? Qual o problema em aguardar a construção de um shopping? Não vi sua cara feia em nenhuma das muitas audiências públicas antes das construções das usinas. Mas é claro, a sua especialidade é apenas formar boiada pra passar no vestibular da UNIR. O nível intelectual dos seus alunos é medíocre, sabem apenas marcar um X, então " colega de profissão " se não está bom pra você aqui em Rondônia e só pedir demissão e tomar teu rumo de volta!!!


Michel Esteves
Professor de História

Thiêgo Maia disse...

O prof. Nazareno disse meia dúzia de verdades e centenas de imbecilidades.
O pior é ver alunos do JBC q nem cachorrinhos de enfeite de estante só balançando a cabeça.
Um pouco de opinião crítica ñ faz mal a ngm.

Anônimo disse...

E pensar que eu admirava tal professor...Ro tem muitos problemas,mas acho que falar mal dela não resolverá nada.Ainda bem que tenho opinião formada,e não passível de mudança como certos alunos.

Anônimo disse...

É Nazareno, pelo visto você conseguiu o que queria: chamar a atenção...

Anônimo disse...

Narareno: Mancha negra de Rondônia! _|_

Anônimo disse...

professor....

se você acha porto velho tão ruim assim, porque não volta pra tua terra???

se lá é tão melhor assim o que tu tah fazendo aqui???

Anônimo disse...

oi profeçor...

tudu ben con o cenhor??

eu concordo com esse testo!!!

esse peçoal é muinto burro!!!

bando de beradero!!

AINDA BEM QUE EU SO DA PARAÍBA!!!

Anônimo disse...

Vc esta de parabens com esses comentarios, isso e pra ver se os Rondoniense acordam. Quem se magou é porque de fato nao ama Rondônia ou melhor Porto Velho, porque o interior e mais desenvolvido que a Capital, que pra nos isso e uma vergonha.

Anônimo disse...

parabens professor so assim as pessoas vam poder ver o q esta na frete deles muito bom gostei

Anônimo disse...

É, NAZARENO CUSPIU NO PRATO QUE COMEU O CASTIGO LOGO CHEGOU ESTOU COMEÇANDO A SENTIR DÓ DE VOCÊ, SERÁ QUE VAI CONSEGUIR AINDA OLHAR NA CARA DE UM RONDONIENSE? OU SERÁ QUE PENSOU QUE IRIA FICAR POR ISSO MESMO?
É MELHOR ARRUMAR UMA DESCULPA E SE MANDAR LÁ PRA PARAIBA QUE É O LUGAR DE ONDE NUNCA DEVERIA TER SAÍDO.

Anônimo disse...

Em todas as aulas ele vive dizendo para nunca GENERALIZAR o fato de falar q políticos são ladrões, mas foi exatamente isso q ele fez. Também sempre fala para não termos SENSO COMUM, mas foi exatamente isso q ele fez. Agora como q devemos considerar o oposto de tudo q ele fala q não devemos fazer em uma elaboração textual.
Em uma parte do texto o senhor diz e o povo rondoniense são um bando de hiena onde ri das desgraças do próprio estado e não tem “capacidade” de fazer algo, mas olhando pelo lado do texto o senhor só esta sendo capaz de criticar e em nenhum momento mostra q estar interessado em fazer algo para ajudar.
Também cita q o estado de Rondônia oferece apenas oportunidade para pessoas de fora, mas claro, ele teve a FALTA DE PRAZER de oferecer-lhe uma oportunidade.
Que professor é esse q não tem a coragem de falar q também leciona em uma das escolas mais respeitadas do estado no qual apenas critica.

“É professor na escola João Bento da Costa e escola CLASSE A em Porto Velho”

Anônimo disse...

Concordo com o senhor! Só criticou, mas não posso dizer que é mentira! Não sou Rondoniense e respeito os cidadãos. Mas Rondônia tem mais coisa ruim do que boa, SINTO MUITO!

Professor... sinto que o senhor se comprometeu! Vão querer te bater =D

Anônimo disse...

Caro professor, sei que você não tem culpa de ser esse "professorzinho de merda" que acabou sendo.(sei que todos pensam em ser um profissional de sucesso, sinto pena pelo senhor.)Só queria saber como um colégio de tão grande porte como o conceituado CLASSE A ainda leva nas costas professores como você. Só espero que quando você voltar para o paraíso (se Deus quiser vai para Paraíba) não comece a falar de lá, como você está falando daqui, porque senão, a sua clientela vai diminuir né fofo ;)Se dinheiro é problema, nós, alunos tanto do Classe A quanto do João Bento, poderemos fazer uma vaquinha ou ainda resta te inscrever no programa "De volta pra minha Terra" do programa do Gugu : www.sbt.com.br/domingolegal
É garoto, parece que a casa caiu pro teu lado. Obs: mastigue menos e pare de escrever grosserias como essas.

Anônimo disse...

GRANDE PROFESSOR NAZARENO,O MELHOR DE TODOS ,CONCEITUADO...
ÉISSO MESMO ,AS COISAS QUE ESTAO ERRADAS EM RONDÔNIA,ESTAO ERRADAS MESMO ,E TEM QUE FALAR ,PORQUE NAO SÓ EM RONDÔNIA MAIS BRASIL INTEIRO POPULAÇAO ACHA TA TUDO BEM ,QUE É ASSIM MESMO ,QUE DESENVOLVIMENTO E LENTO ,QUE FAZ PARTE ,E VAO EMPURRANDO COM A BARRIGA,E VAI FICANDO TUDO POR ISSO MESMO ,VAO ENGOLINDO CORRUPÇAO,DESVIOS,O TRANSITO TA UM CAOS ,O TETO DO SHOPPING DESABA ,E NAO FOI EM NENHUM OUTRO LUGAR ,E POR QUE EM RONDÔNIA ? SÓ PORQUE É O SHOPPING DE RONDÔNIA E POR ISSO TEM QUE SER FEITO DE QUALQUER JEITO ,DESENVOLVIMENTO TA CHEGANDO ,HIDRELÉTRICAS,E CADE O POVO QUE DIZ QUE TANTO AMA ESSE ESTADO ,QUE NAO DEFENDERAM ,QUE NAO PENSARAO NOS DANOS CAUSADOS A NATUREZA DO ESTADO QUE TANTO QUE DIZEM QUE GOSTAM ,E FICARAM CALADOS ,ESTATICOS ,PASSARELA CAINDO ,TA TUDO ERRADO ,TEM QUE FALAR MESMO ,TEM QUE COBRAR ,TALVEZ PROFESSOR VOCÊ SEJA O ÚNICO QUE GOSTE DESSE ESTADO ,E POR ISSO FIQUE INDIGNADO ,COM TANTO DESCASO ,E FALA O QUE FALA ,EU NAO POSSO ACREDITAR QUE AS COISAS ANDAO DO JEITO QUE ANDAO E FIQUE TODO MUNDO BEM ,COMO SE NADA DE RUIM ESTIVESSE ACONTECENDO E AINDA CRITICAM QUEM TENTA ALERTAR ,O BOM NAO QUEM VÊ QUE TA TUDO ERRADO E DIZ QUE TA TUDO BEM ÓTIMO CONTINUE ASSIM ,NAO ,O BOM É QUEM VÊ QUE TA TUDO ERRADO E FALA TA TUDO ERRADO NAO É ASSIM ,E DE OUTRO JEITO ,MAS INFELIZMENTE O BRASILEIRO ANDA MUITO CONFORMADO COM TUDO ,TA TUDO ERRADO ,E ELE NEM AI ,ACHA QUE SEMPRE VAI MELHORAR ,OU QUE É ASSIM MESMO ,AGORA QUE ESTAMOS CRESCENDO ,QUE CERTAS COISAS FAZEM PARTE ,SINCERAMENTE ,E AINDA CRITICAM QUEM APONTA OS ERROS ,É COISA DE BRASILEIRO MESMO .AS COISAS ESTAO ERRADAS E PARECE QUE NAO E NO ESTADO DE RONDONIA ,VAO SE ENGANANDO ,É PRCISO OUTRA PESSOA DE OUTRO ESTADO DIZER QUE TA TUDO ERRADO , SERA MESMO QUE O POVO DO ESTADO DE RONDONIA AMA DE VERDADE ESSE ESTADO?

Anônimo disse...

Nunca desestimule alguém que esteja evoluindo, não importa quão lenta seja a evolução
Aluno do 2°D, Classe A

Anônimo disse...

SINCERAMENTE NAZARENO,quem você pensa que é para falar assim do ESTADO DE RONDONIA??E ainda tem a audácia de avaliar nossas redações...Mostrar como devemos nos expressar e SEMPRE evitar o SENSO COMUM.
Assim como você, sou nordestina,e nem por isso difamo a cidade que me acolheu.



''SABE QUAL A SEMELHANÇA ENTRE O SENHOR E A MOÇA QUE VENDE BANANA FRITA,NA 7 DE SETEMBRO? ELA NÃO TEM LEITURA DE MUNDO ASSIM COMO O SENHOR,AO EXPRESSAR ESSAS IDEIAS MEDÍOCRES!!!''

Anônimo disse...

É lamentável que um "Professor" seja tão ignorante quanto a história do Estado que escolheu para acumular riquezas. Pois como muitos outros forasteiros que aqui chegaram, no intuito de enricar, desconhece totalmente a história deste acolhedor rincão, que com braços abertos aceitou sua permanência no torrão. Me impressiona o fato de utilizares achômetro para imaginar uma Festa de Padroeira, com certeza só vês como Festa de Padroeiras aquelas que se tornaram verdadeiro comércio, perdendo todo o sentido religioso, como é o caso do São João de sua Paraíba que se tornou um dos mais rentáveis comércio do Nordeste.Se não sabes, o antigo Território teve como sigla RD, razão pela qual a Companhia de Águas e Esgotos de Rondonia-CAERD agregou RD à sigla.
Ridículo, também, é usar o achômetro para crer que Mar seja a sigla de Amazonas, que medíocre seus comentários!!! Somos favoráveis sim à construção das Usinas, para socorrer outros Estados, como o seu, que sequer tem água em quantidade razoável para consumo/sobrevivência da população, muito menos para gerar energia. Agradeça Rondônia por ter um coração grandioso a ponto de ver seu espaço ambiental sendo penalizado para socorrer outros estados que substituíram suas matas e rios por arranha-céus,que agonizam poluição degradante. Aprovo quando dizes que os melhores empregos são para as pessoas que vem de fora, que é uma culpa deste forasteiros como o "Professor" Nazareno (que nome criativo...!!!!)que no auge de sua ignorância desvairada consegue vomitar tanta carniça de seu cérebro.

Anônimo disse...

É lamentável que um "Professor" seja tão ignorante sobre a história do Estado que escolheu para acumular riquezas. Pois como muitos outros forasteiros que aqui chegaram, no intuito de enricar, desconhece totalmente a história deste acolhedor rincão, que com braços abertos aceitou sua permanência no torrão. Me impressiona o fato de utilizares achômetro para imaginar uma Festa de Padroeira, com certeza só vês como Festa de Padroeiras aquelas que se tornaram verdadeiro comércio, perdendo todo o sentido religioso, como é o caso do São João de sua Paraíba que se tornou um dos mais rentáveis comércio do Nordeste.Se não sabes, o antigo Território teve como sigla RD, razão pela qual a Companhia de Águas e Esgotos de Rondonia-CAERD agregou RD à sigla.
Ridículo, também, é usar o achômetro para crer que Mar seja a sigla de Amazonas, que medíocre seus comentários!!! Somos favoráveis sim à construção das Usinas, para socorrer outros Estados, como o seu, que sequer tem água em quantidade razoável para consumo/sobrevivência da população, muito menos para gerar energia. Agradeça Rondônia por ter um coração grandioso a ponto de ver seu espaço ambiental sendo penalizado para socorrer outros estados que substituíram suas matas e rios por arranha-céus,que agonizam poluição degradante. Aprovo quando dizes que os melhores empregos são para as pessoas que vem de fora, que é uma culpa deste forasteiros como o "Professor" Nazareno (que nome criativo...!!!!)que no auge de sua ignorância desvairada consegue vomitar tanta carniça de seu cérebro.
Com uma pequena correção, na linha 2 do texto anterior: onde lia-se "quanto a", leia-se "sobre a".
Só para o "ProfessorZINHO" não ter o trabalho de corrigir.

Anônimo disse...

NATIVO FILHO DESSA TERRA
Nazareno(Menino Jesus), "As palavras virarão ou estão virando contra o orador."
Cá pra nós, esse texto foi pura jogada de marketing não foi?; É impossível acreditar que isso não é uma propaganda, não porque um blog que não tinha nem se quer um comentário sobre artigos sem noção e sem graça, o Sr. conseguiu isso da maneira mais errada e podre que tinha, quem pensa que é para estar colocando em questão a religião de um indivíduo, as condições em que vive se nem dessa terra você é?
O seu texto teria ficado muito mais inovado se tivesse comentado sobre as coisas boas que existem no Estado...
Deveria ter feito esse texto já na sua terra de origem, pois sem lhe ameaçar afirmo com toda a certeza que tenho: "As únicas pessoas que conseguem sobreviver aqui falando mal dessa terra e desse povo, tem escolta de mais de 20 homens...
Cuspir no prato que já comeu, come, eu diria comerá, mas depois desse texto..., eu não sei não.
Imagina só a maioria dos Rondonienses, lhe odiando profundamente por causa de um texto imbecil igual a esse, a sua "filha", que deduzo que é Portovelhense.
Não querendo lhe bajular: Pra um lunático, que detesta essa terra o seu texto estaria brilhante uma verdadeira pérola, porém tivesse usado palavras mais suaves, que doessem menos aos ouvidos do meu povo, dos meus ouvidos...
Não preciso lhe conhecer tanto para dizer-lhe: O que ainda fazes aqui, não precisa nem dizer que detesta essa terra, na terra que alimenta a ti e a tua família, que te sustenta, lhe acolhe, abriga, conforta, não tens do que reclamar, no meu ponto de vista... Na minha opinião tem alguem por traz disso (Dindim), pura jogada de marketing, burra e idiota como já citei, pensas que vai substituir o Willam Boner ou a Fátima Bernardes, eu tó impondo-lhe um sonho muito alto né?
Vamos ver se depois dessas palavras que insultaram os cativos, aborígenas, prostitutas, comerciantes, sacoleiros, comerciantes, "PROFESSORES" (seus colegas), supervisores, conselheiros de classe, Diretores..., eu acho que até os jornalistas locais, até jornalistas locais!, pois se engana em pensar que, eu (nós), falo em nome de todos os rondonienses, filhos dessa terra, não nos preocupamos com o seu nome, com sua reputação...

"Depois de tudo isso menino Jesus (Nazareno) que vive entre nós índios, (cativos), nativos. Alma sebosa que consegue ainda levantar-se e olhar para Rôndonia para o nosso Sol, volta lá pro quinto dos infernos de onde você nunca deveria ter saído..."
Depois desse texto escandaloso, será ridículo, desnaturado o rondoniense que lhe dê PAZ, e não levante pelo menos um grito ou uma voz de protesto, contra essa imbecilidade, doidisse absurda que você publicou...
Tenho três recomendações ou receitas a fazer-lhe:
- Toma o gadernal (tarja preta ou rocha, antes de sair narua ou dar aula)
- Vê se não bebe antes de escrever essas idiotisses...
- Da uma repaginada no visual e mantenh-a por uns quinze anos, o Sr. consegui o que queria ficou famoso, os meus conterrâneos provinçais podem até esquecer, mas eu sempre os lembrarei, do dia em que Nazareno o menino Jesus da Paraíba, publicou a pior de suas autorias.
Palavras sábias: "Com a fama vem suas consequências, nada é por acaso, logo com fama errada vem o que não presta." "PENSO LOGO EXISTO", No seu caso: "PENSEI ERRADO, LOGO A MINHA EXISTÊNCIA NESSE LUGAR, NÃO TEM SENTIDO"

MENINO JESUS, TIO NAZA QUE LECIONA NESSA TERRA DESGRAÇADA, COMO QUEIRAS, COM O OBJETIVO DE CATEQUIZAR NÓS OS CATIVOS, SEGUNDO SEU EVANGELHO...
Coloquei reticências no final desse texto, pois o meu desprezo não acaba aqui.
Sou Portovelhence, nativo (cativo) dessa terra e Exijo RESPEITOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO!!!

Cão Miúdo disse...

Tem um bando de imbecis que só sabem dizer "não gostou, volta pra tua terra". Esse argumento é nojento. É do nível de dizer "não gosta, faz melhor" e "SE SUA ESTRELA NÃO BRILHA, NÃO TENTE APAGAR A MINHA".

Típico do "leitor" comum rondoniense, um padrão de pessoa que mal percebe a ironia de um humor ácido e toma qualquer crítica à cidade como algo pessoal.

Tomem vergonha na cara e vejam que Porto Velho é um punhado de concreto encardido, cheio de buraco e mosquito. ACEITEM que aqui é quente pra car*lho e o Rio Madeira nem é tão bonito se olhar de perto. PQP, é um ótimo lugar pra se ganhar dinheiro e crescer na vida mas é FEIO DE DOER sim.

Aceitem. A cidade é feia, mal-feita e nojenta até. Mas tem bom coração. Tem futuro. Assim como o Brasil, o eterno país do futuro: UM DIA PORTO VELHO VIRA UMA CAPITAL DECENTE.

hiara disse...

Texto excelente.
Mostra a realidade que o "povo" não quer ver, criticas só mostram a verossimilhança com a realidade.
Que esta nação de analfabetos e analfabetos funcionais não querem intender!
Parabéns,um texto muito!

Anônimo disse...

Pobre "prof." Nazareno!!! está ganhando a vida aqui e daqui faz comentários desse tipo!! O que se pode esperar de alguém que teve que sair de sua terra??? somente comentários pobres como esse mesmo. Ainda bem que a Internet tem de tudo, até "professores" como esse.

Anônimo disse...

Volte a comer calango na Paraíba "professor". terim

Bárbara S disse...

Há 3 anos ouço este professor falar por 50 min, e já escrevi várias redações com temas repetidos nesse meio tempo. O incrível é que não é comentado no seu texto crítico que em sala de aula ele fica falando de outros temas que não são pertinentes aos assuntos e não interessam aos alunos - futuros universitários - em vez de dar aula, assim como não permite que o aluno tenha sua opinião própria. Há 3 anos ele nos ensina que nunca devemos generalizar e vive citando uma frase muito conhecida: "TODA GENERALIZAÇÃO É BURRA", porém percebo que nesse texto, conforme o que ele próprio nos ensina, o professor fez um papel de BURRO. Preciso ainda falar das "hienas", como o senhor, por exemplo, que muitas vezes encontrei no Shopping e o vi passeando - rindo à toa - não é mesmo, querido professor? E quanto às passarelas e as obras de engenharia, talvez seja mesmo como o senhor fala: "é que gostamos de dar os melhores empregos para os que vêm de fora", como o senhor por exemplo.
Infelizmente, percebo que as redações bem escritas, que recebem notas boas (ao seu critério, é claro), são aquelas que contêm o seu ponto de vista, a sua opinião. Hoje percebi, também, que para o senhor cabe aquela famosa frase: "Faça o que eu falo, mas não faça o que eu faço"!
Incrível também que é só em Porto Velho que as "prostitutas se apaixonam pelos seus clientes, traficante de droga se viciam e professor de história tem religião", não é mesmo? Senhor Leitura de Mundo. O Aeroporto então nem se fale, o senhor que o usa muitas vezes para viajar à trabalho ou férias (mais que merecidas), agora vem falar mal? Está discutindo algo insignificante, como se não tivesse nada mais a fazer. Parece-me que o professor educado, sem preconceitos, que não faz menção às diferenças étnicas estava ou ainda está apenas usando uma capa, não é mesmo? Queridíssimo !
Sinceramente, professor, em quem o senhor se inspirou para descer tanto o seu “nível”?

Anônimo disse...

Nativo filho dessa Terra
Imbecís, são os IMBECÍS, IDOTAS, OTÁRIOS, SEM GRAÇA, DESNATURADOS E FALSOS Rondonienses que vive nessa terra e não a protege ou levanta uma voz de protesto contra uma babaquiçe como essa...
O Texto como alguns comentaristas já citaram, tem muitas verdades, porém um monte de imbecilidades, palavras que desmoralizam qualquer, município, cidade, estado, nação e país.
Ele poderia ter escrito tudo aquilo, ter exposto o ponto de vista que defendia, sem ter escrito daquela forma...
O Povo Rondoniense, não funciona sob pressão e muito menos, com comentários e ataques esdrúxulos e ridículos como esse.
Críticas construtivas se implantam no entendimento das pessoas de maneira, que não fira ou agrida ninguém.
Da mesma forma que ele defendeu o ponto de vista dele com esse texto, defendo o meu com as postagens e comentários que estou a fazer.
Da mesma maneira que o Professor Nazareno, defenderia a Terra Natal dele, com unhas e dentes, defenderei a minha da mesma forma.
Vai mais uma ciatação ao Professor: Os rondonienses, ontem, hoje, amanhã, semana que vem, daqui por diante passa a ser muito tempo: mês quevem, ano que vem, quem sabe se lembraram do tal ocorrido e a nossa raiva não está somente focada nos políticos, nos democratas, nos poderes públicos, viemos agora a perceber um novo foco a atacar, quero dizer-lhe com isso tudo que o povo hoje lhe detesta mais que um político corrúpto por uma publicação como essa.
Todas as coisas no mundo no universo, tem um lado positivo e outro negativo, porém o senhor passa a idéia de ter duas caras e nós não gostamos de falcidade.
Nos sentimos apunhalados pelas costas...
E aos imbécis a quem dedico esse umilde comentário se danem, pois defendendo a "MERDA" de um texto como esse, não se considerem Rondonienses e se por obséquio nasceram aqui, considerem-se sem naturalidade.
Obrigado pela Atenção...
"Xingo, porque me sentí insultado e xingado!"

Ana Caroline disse...

Nazareno não critique dessa forma tão ignorante e imbecil a cidade que te acolheu tão bem,porque é através dela que você tira seu sustento,que sua família tem o que comer e que seus filhos tem onde estudar.
A sua carreira profissional é tão sólida e o senhor "era" tão respeitado pelos rondonienses(que lhe conheciam,é claro),por que motivo falar tão mal da gente?
Nós estudantes, principalmente os que são nascidos no Estado,e que por tamanha infelicidade pagamos o seu salário,não merecíamos ser tão insultados da maneira que fomos.
Acho que o senhor com toda a insatisfação que mostrou pela cidade,não tem mais o que fazer por aqui... Vá dançar forró na sua terrinha(perfeita pelo jeito) e não volte para cá tão cedo!
Leve consigo a sua falta de educação e a sua ingratidão.
CAIPIRA É VOCÊ!
HIENA É VOCÊ!

ass: Uma pessoa que tem vergonha de ser sua aluna!

hiena carniçeira (sorrindo) disse...

tenho vergonha de ser seu aluno

Matheus Prudente disse...

Concordo plenamente!Rondônia é o fim do mundo!Eu sou Rondoniense,mas o pessoal aqui parecem bixos do mato,é claro que tem exceções,mas o pessoal não podem nem ver um shopping ou uma escada rolando que querem ficar brincado,têm até medo das escadas rolantes,KKKKKKKKKKK!!Aqui na frente da minha casa tem uma casa de apoio,e quando eles vêem um avião eles começam a tirar fotos com o celular!kkkk...Por favor,as pessoas aqui ao invés de estudar,batalhar na vida,a maioria é traficante,os famosos chamados de "pôperos" ou "aba-retas",bando de vagabundos.As pessoas aqui não podem nen adiquirir algo com tecnologia com Ipod,celular de ultima geração que vão lá e roubam para usar drogar!Pessoas que se matam de trabalhar pra ganhar coisas que querem como carros sofisticados e o pessoal ficam babando,tirando foto...As coisas aqui não pode ter nada de novo que as pessoal tem uma outra reação!Sou rondoniense mas detesto Rôndonia!Até parece que é simples de se mudar,dizem assim:
Si você não gosta,vai embora!
Mas si fosse simples assim eu não estaria nessa porcaria,lixeiro de Porto-Velho - Ro de onde eu vivo!
O Brasil tinha que se espelhar nos Estados Unidos,mas o Brasil nem chega perto,somos todos preguiçosos(é claro que tem muita exceção),só queremos festas,fumar,beber e se prostituir!Que país é esse onde só tem corrupção e preguiçosos?
As vezes quero muitu que americanos dominassem o Brasil,a amazônia,porque temos que aprender é com o americanos...Porque aqui pessoas não sabem nem falar cachorro em inglês!Brasil é um péssimo país,ele só salva por apenar em questão das matas,imagina Rondônia,e Porto-Velho ainda mais,calor intenso,sem lugar bacanas para se encontrar com os amigos de vez em quando,onde não pode nem passar uma menina bunita que pessoas não tão acustumado com isso,fica com aquele assobio ridículode noiado!!
Esse lugar precisa é de um milagre pra ser considerado "um Estado"!!

Patrícia disse...

Bom, sinto até um pouco de receio se o referido autor irá ler tais comentários,de qualquer forma expressarei minha opinião. Não nego que muita coisa ruim acontece em Rondônia e também não nego que grande parte desses problemas são sanáveis com um pouco mais de interesse por parte da população mas é realmente questionável se um texto de tal nível de mediocridade contribui de forma positiva. O senhor é professor? Ótimo, muito bonita sua profissão mas espero que o senhor não diga tais ofensas a seus alunos, filhos dessa terra 'indigna' que o acolheu. Não só Rondônia passa por uma péssima fase, olhe para os lados, por favor, e veja que até mesmo as grandes capitais, que possuem tantas riquezas e tem 300 anos de desenvolvimento à nossa frente, passam por problemas senão piores que os que temos aqui. Sou de Manaus mas me orgulho muito por estar em Rondônia e por garantir daqui meu sustento e o senhor também poderia ao menos se sentir lisongeado por aqui, nessa cidade 'provinciana' ter seu ganha-pão e conseguir leitores indignados ou não mas inclinados a ler alguns das suas pesadas críticas. Uma sugestão, se está descontente não apenas fale, AJA. Não será, com certeza, com algumas palavras mal colocadas que o senhor conseguirá alterar a paisagem rondoniense.

Matheus Prudente disse...

Tenho é vergonha de morar aqui,lixo e buracos pra todos os cantos!...

Maria Teresa Pelegrin disse...

Muitos rondonienses ficam ofendidos quando falam de Pvh, quando falam mal e expõem sua opnião a respeito. Pedem soluções, dizem para ir embora e todo o tralala de sempre, mas será que visão de vocês é tão pequena que não conseguem enxergar a verdade, ou pelo menos parte do que está sendo mostrada? A cidade por acaso está limpa? Há arborização pelas avenidas? Cade o saneamento básico, a rede de esgoto que deveria ser possibilitada a todos? Pobre gente... Não conseguem ver como a cidade está jogada, suja, talvez podemos dizer: terra de ninguém... Essa é visão da querida cidade de todos no Brasil a fora... É uma pena que não a nada sendo feito para reparar essa situação; acho que deveriamos aprender com as criticas e fazer de Pvh uma cidade respeitada, por obrigação de morarmos aqui temos que melhorar, tanto pros outros, quanto, principalmente, para nós. Se querem que mordam a lingua, devem começar por onde alguns estão atacandos: a própria cidade. Vamos conhecer Pvh direito, vamos ver a periferia de verdade e quem sabe falar alguma coisa. Tem gente que perde uma boa oportunidade de ficar calado.

Anônimo disse...

VAZA DAKI, COMEDOR DE CALANGO F.D.P.

Anônimo disse...

Uma visão exagerada e empobrecida acerca dos problemas da capital rondoniense. Algumas opiniões, "data vênia", são odiosas, enchardas de preconceito.

"By the way", o plural de "shopping center" é "shopping centers". Pelo visto, Vossa Senhoria também não conhece uma única palavra do idioma de Shakespeare.

=)

van van disse...

"Somos favoráveis sim à construção das Usinas"disse um anonimo...somos idiotas em deixar que essas construçoes ocorresem...destruiram nossa cachoeira..nosso natureza...p/mandar energia para fora?acho que foram os poucos que pensaram isso...sera que o progresso vale tanto a pena a ponto de destruir algo que Deus fez p/nos em troca de lucro???

Anônimo disse...

o progresso deveria servir, pelo menos para aprendermos à escrever ou à falar, não é mesmo? "van-van"

joao facundo, colegio classe A, primeiro ano C disse...

P.S.:
esses meus erros na gramática normativa são propositais

Bruno Henrique disse...

Texto muito bom e correto, pena que nem todos tem a capacidade de perceber, agem pelas suas atitudes ditatoriais, querem reprimir uma opinião, constentação sem argumentos..

Yuri Melo disse...

Caro falador, a diferença de você para seus alunos é de uma simples palavra: diploma.
Sou natural de Manaus, todavia, resido em Porto Velho já faz um bom tempo e essa "Pobre Rondônia", acolheu minha familia. É notável que o estado avança em passos pequenos. Gostei do seu texto com dados generalizados baseados na lógica do senso comum. Uma boa iniciativa, falar mal do seu ganha pão, uma contribuição enorme você faz para o estado. Seus professores ficariam orgulhosos. Seus pais, seus alunos.

Concordo que Ro não seja uma maravilha, mas certamente não esse esterco social advindas de uma mente pobre,porêm, rica em generalizações.

Esse é o segredo pra passar na UNIR né?

Camila disse...

Deu para perceber a sua tentativa de chocar as pessoas, legal também ver que a grande maioria dos comentários a favor são de pessoas de fora, você que mora aqui está se juntando às pessoas de outros estados que só falam mal daqui por pura diversão. Corrupção, negligência e falta de cultura, como se só aqui existisse isso. Conhece uma frase assim: 'Os incomodados que se mudem.'? Então, o que você está esperando? Vá para a 'tão perfeita' São Paulo ou volte para a sua cidade pra você ver se você tem as mesmas chances, o mesmo salário e a mesma recepção que tem e teve aqui, não fale mal da cidade onde você se sustenta, porque é daqui que sai o seu salário e é ensinando a jovens rondonienses aos quais você chamou de hienas que você constrói a sua vida. Porto Velho é uma cidade nova em relação às cidades do litoral, a geração verdadeiramente rondoniense está começando agora, portanto não mostre só os pontos negativos do lugar como se fosse apenas isso, sabendo que no nordeste do Brasil existe muita mizéria.

Anônimo disse...

De futebol, o portovelhense gosta. Mas só torce pelos times do sul do país. Genus (sem acento mesmo) e Shallon são alguns representantes da capital no torneio estadual da modalidade. Quem não se sentiria ridículo torcendo por equipes com estes nomes esquisitos?

Olha o seu nome ''Nazareno''. Isto sim e esquisito!

Nao precisava disso, toma vergonha na cara e usa a sua ''inteligencia'', para ajudar a melhorar a cidade que tanto te acolheu e nao fazer criticas que todos ja sabem.

Anônimo disse...

É, pessoal, ele está jogando um ácido na ferida de vocês...

Yuri Melo disse...

Só mais uma coisa...
Não sabia que existia uma lei moral para que professores de história não pudessem ter religião.

Desde já, irei repassar tal afirmação para meus companheiros e futuros professores.

Elis Oliveira disse...

É, cada um fala o que quer. Mesmo não concordando, respeito sua opnião. Não vou usar de ofensas, até porque quem sou eu pra fazer isso, mais sinceramente, falando não como sua aluna, mais sim como cidadã, é triste ver Rondônia ser retratada dessa forma, afinal das contas, todo lugar tem seus prós e contras, e se apegar apenas nos contras, é querer causar polêmica. Se isso foi sua intenção, acho que conseguiu. Só espero sinceramente que seu amor por essa terra seja grande, e acredito que suas críticas não passam de insatisfaçao em ver nossa querida terra crescendo de forma irregular e desenfreada.
Mas se estiver enganada, me desculpe por querer entende-lo.
Gostaria de ouvir sua opnião verbal a respeito, e se possível, adoraria que o Tadeu e outros professores conhecedores da história de Rondônia estivesse presentes.
Afinal das contas, acredito que o senhor, a ponto de fazer esse texto, saiba exatamente do que está falando, até porque esse texto foi publicado em um jornal, não é mesmo?
Acredito que o senhor não se esconda atrás de um texto, fale a respeito. Fale.

Camila disse...

Eu tenho vergonha de ser sua aluna [2] e a partir disso eu não assisto mais às suas aulas, e olha, te garanto que eu aprendo BEM mais!

Anônimo disse...

Professor Nazareno, volte para o seu lugar/região/terra/cafofo enphim.
Se moras em RO rapá fora.
SP é perfeito né?! Nordeste é perfeito?! Sul é perfeito?! NÃO, NÃO E NÃO.
Lembre-se que você mora no Brasil rapaz. Obrigado.

Anônimo disse...

Voce sim é um babaca, idiota, volta lá pra Paraíba e vai comer calango seu mal educado.

Anônimo disse...

Se aqui é tão ruim assim professor, o que o senhor ainda está fazendo aqui? acho que o senhor tá no lugar errado procure outra cidade pra viver. Eu não sou daqui mas defendo essa terra pq foi ela que me acolheu e foi aqui que me dei bem, graças a Deus. Rondônia não merece ter voce aqui, merecer ter pessoas melhores.

Anônimo disse...

realmente rondônia e uma terra maravilhosa , porque permite que um "imbecil" desta estirpe venha sabe deus de onde e mate a sua fome e quem sabe de seus filhos.O ilustre "mestre" com o devido respeito volte para onde nunca deveria ter saido e no minimo respeite a terra que esta lhe dando de comer.

Anônimo disse...

Você tem muita sorte que os caipiras daqui são "do bem". Se você morasse no Rio de Janeiro, e fizesse tal comentário (parecido ou igual), com certeza os traficantes já teriam te queimado vivo em cima do morro.

Anônimo disse...

O pior erro comentido não foi a penas a generalização, e sim a hipocresia.Porto Velho é uma cidade suja, pouco desenvolvida, e com mil defeitos, com muitas outras...Mas se olharmos para as cidades "modelo" veremos que nem sempre foram perfeitas, já estiveram na mesma situação que a nossa.Em pouco mais de 20 anos não é possivel ter tudo o que São Paulo e outras capitais têm.A indignação vista no artigo da revista Época, e ridicula.Concordar como morador de Porto Velho é mais ridículo ainda.O dieito a expressão o Sr. têm com certeza...mas não tem o direito de menosprezar a população local.Muito menos dizer uma coisa e viver outra.Se o problema é diferenciar autor e obra, não tem problema.Do mesmo jeito descordo da generalização do texto, e descordo com o prosicionameno com professor.Acho que como professor,o sr. deve ter ética profissional.Não influenciando os leitores sem opinião própria.Professores são formadores de opinião.Ao redijir esse texto o Sr. deu a entender que concorda com a opinião que diversas pessoas têm desse estado que tão bem lhe acolheu.Passou a sensação que a cidade é um caos e que não há possibilidade, afinal, nunca o vi lutar para melhorar algo.Vejo isso pelas suas aulas, as notas horríveis sempre aparecem, os erros de técnica de redação sempre estão lá e o Sr. invez de solucionar o problema continuar a falar sobre assuntos que são de interesse de outros professores(muito mais capacitados).Como cidadão o Sr poderia escrever que quiser, mas com educador de escola privada e estadual, o Sr. não deveria mostrar o desprezo de sente por esse estado que passa o seu salário.

Anônimo disse...

vazar daqui seu F.D.P :D
Ja que vc não esta satisfeito :)

Anônimo disse...

Na verdade concordo com o seu texto mas no momento que voce fala do estado de Rondônia q acontecem fatos ruins!Vem cá! entao todos os estados são perfeitos por acaso?
então se você fala mal do nosso Estado pq nao vai para sua cidade acho que lá é bem perfeito pra voce nao é?

Lorenzo Augusto disse...

Concordo plenamente com algumas características apresentadas no texto "Em Rondônia é assim mesmo...", embora uma grande massa de pessoas tenham se sentido ofendido com os termos apresentados em relação ao “povo” rondoniense que sempre criticaram impiedosamente seu Estado natal, esquecendo principalmente que o Estado nada mais é do que o reflexo da própria sociedade que se sente ofendida quando se é "xingada" diretamente e não quando se auto flagelam ao falar mal o próprio local onde moram. Talvez seja porque é mais fácil pôr uma venda nos olhos e fingir não ver nada e ficar sem assumir a culpa pela situação precária enfrentada diariamente. E coitado seja de quem tentar tirar essa venda...
Apesar disso acho que a crítica deveria ser mais fundamentada e um pouco menos generalizada.

Anônimo disse...

_l_

Anônimo disse...

vC naum eh digno d ser chamado d professor eh uma pena q seja preste serviços ao "conceituado" CLASSE A,"VC TEM MAIS D DEZ ANOS DE ESCOLARIDADE",frase ridicula e mediocre... pois fique sabendo q esse seu texto só mostra o quanto vC é arrogante e preconceituoso, naum tira a beleza q Rondonia tem,EU SOU DAQUI E EXIGO RESPEITO,se vC naum esta satisfeito com a cidade pode ir embora,só naum esqçe q foi aki q vc conseguiu emprego pra matar a fome, e fica falando besteiras,vC fala mal das pessoas q vão ao shooping mais eh a primeira a estár lá...
RONDONIENSE são povo trabalhador q luta pra ter o que tem,vC deveria usar a sua "inteligencia" ( se é que pode se dizer q tem) para falar algo construtivo,naum precisamos d criticas e sim d soluções...

"SE CRITICAS RESOLVESSEM ALGUMA COISA O MUNDO NAUM ESTARIA COMO TÁ"

em vez d falar faça alguma coisa pra q rondonia mude okaay ;)

professorzinhu d meia tigela!!

Anônimo disse...

vaai emboooraaa carniceiro FDP eh vC... _|_

TENHU VERGONHA D SER TEU ALUNO
VAZA DAQUII!
QUER DAH UMA D INTELIGENTE MEU FILHO
"desce do palco que a xuxa é loira"...

e num esqueçe q toda ação tem uma reação vc vai ter oq mereçe...

Anônimo disse...

Voce não vai viver muito para ver o crescimento desta cidade seu idota, sugiro que vá embora daqui o quanto antes pq se eu te encontrar vou te fazer picadinho. Voce é uma verdadeira carniça seu nogento. Volta lah pra sua Paraíba e vai comer palmas junto com o gado q está morrendo de fome.Se eu fosse o dono do Classe A te demitiria imediatamente. Vou levar essa matéria aos jornais, comando policial, Dalton di Franco, vc vai se arrepender muito de ter falado de Rondônia.

Anônimo disse...

Tu é doido é idiota ou tah com aids? deve tah msm pra tah falando umas barbaridades dessas. Imundo vai embora la pras brenhas do sertão da Paraíba la sim é teu ligar.

Ranieri Braga disse...

Chega a ser engraçado como as pessoas colocam os fatos... dá a entender q o Nazareno chegou aqui e sentou na beira da calçada.. de repente "Rondonia" deu pra ele de presente uma casa, um emprego, e tudo que ele tem... ele n teve esforço nenhum, ele n foi atras, n estou dizendo q concordo com td q ele escreveu.. tbm n tenho aula com logo n preciso puxar saco... Hoje eu ví como a verdade dói... Mãe reclamando da postura de professor.. se vc acha que ele ta fazendo um serviço ruim pq n vai la pra frente dar aula?! Vai la dizer que seu marido eh deputado ou sei lá oq e q a senhora está muito satisfeita com seu corola, seu fit e sua piscina de 20 por 30 paga com o nosso dinheiro.. Na proxima nazareno, coloca q porto velho eh linda... que nos temos escada rolante no shopping (nunk vih gnt tao feliz com uma escada rolante).. q no natal a jorge teixeira fica toda iluminada.. que a prefeitura tem ateh cascata de pisca pisca.. acho q eh isso q o povo gosta de ler.. soh n sei se alguns deles sabem mas ngm eh obrigado a aceitar td q alguem escreve.. quer comentar comenta.. mas pra q ofender?! eu sei pra q.. pra te dar razão.. Quase me esqueço de um detalhe.. Ainda teve gente que votou na sandrinha furacão OO.. teria sido interessante ela usar como slogan.. "Votem nas putas pq os filhos delas nada sabem fzr.." ... To rindo até agora iuAHEUOHAEIHAUIeaheIUAEH Diversão pro mes inteiro...

Kall da Atlantida disse...

Caros internautas, toda discussão é inútil, correto está o professor ao expor suas idéias. Os filhos de Rondônia têm o orgulho de terem nascidos aqui, ou seja, o futuro poderá ser melhor se fizermos por onde nosso Estado natal ser respeitado pelo resto do Brasil. Porém, o que vemos são notícias ruins em razão de políticos corruptos, por que não dizer inescrupulosos, que vieram de SEUS ESTADOS para aqui “fazerem a América”, lembram do bordão dos imigrantes estrangeiros? Ocorre que, o verdadeiro povo de Rondônia ainda não se levantou da cama, está dormindo e sonhando que vive num mar de rosas, no paraíso. O professor somente está tentando abrir os olhos de todos para que nas próximas “eleições”, possam escolher melhores nossos representantes a fim de fazer desse Estado um lugar melhor para o povo rondoniense......
Há, devemos lembrar estamos sim aceitando as “miçangas, espelhos e quinquilharias...” quando nossos políticos estão sempre governando e legislando em causa própria em detrimento do bem está dos demais habitantes desse Estado.
Lembrando, sou de Guajara-Mirim, um quase estrangeiro nesta terra de ninguém.
Tantas críticas ao texto nos levam a acreditar que os alunos não estão aprendendo interpretação de textos, já que, este em especial, nada mais é que um colírio para dilatar as pupilas do povo rondoniense.
Não repitam aquele jargão sobre exigir respeito, faz parecer que são bonecos de engonço.
MORAL DA ESTORIA: O TEXTO É CHARADA POLÍTICA.

Anônimo disse...

você conhece mesmo NAZARENO?

Nazareno com o codinome "Tio Naza", é uma pessoa que veio de fora em busca de uma vida melhor.A príncípio residiu em Calama( distrito ribeirinho) onde deu aula por muitos anos, logo ficou conhecido como: "Professor Nazareno".Mudou-se para a cidade de Porto Velho e presenciou o desenvolvimento da mesma. Hoje, depois de aproximadamente vinte anos, ainda da aula de redação e por incrível que pareça sempre está com a calça mal-lavada e com o par de tênis sujo.E com sua aula monótona semmpre relata o mesmo assunto, o mesmo conteúdo e a mesma história de que o presidente barbudo pode ter dezenove dedos e já ter sido pobre, mas pOssui uma leitura de mundo melhor do que qualquer um.Mas Tio Naza isso é óbvio, ele é o presidente!E sem contar daquela que até o pipoqueiro tem mais leitura de mundo.kkkkkkk.Pode até ser, se for um professor pipoqueiro(sem constrangemento).
Bom, ele se auto-denomina irônico e quem quizer ajuda-lo, dê um Babalu a ele, quem sabe assim para de mascar a própria lingua.

meus parabéns por uma redação que apesar de tudo aborda a realidade de uma cidade, porém não deveria generalizar(...)
abraços
boa tarde

jose marcio da silva disse...

Aqui estou, Professor Nazareno... desço do meu pedestal de CENTRO HUMANO MATERIAL. Ao ler seu texto quase também me sinto DEUS... mas logo me vi um ANJO CAÍDO... nascido em Rondônia... mas suficientemente HUMILDE para reconhecer minha ignorância, imortalidade e para exaltá-lo... Passei no VESTIBULAR graças às técnicas da língua portuguesa que hoje sei bem empregar... se não estiver sabendo... me corrijas... fostes meu Mestre... tens, portanto, o Poder de CORRIGIR!!! Tudo é passível de APROVAÇÃO.. ou de ser REPROVADO... MAS ROGO... ATIRE AS PEDRAS SOMENTE AO FINAL DA LEITURA...
QUESTIONO... acaso não seria papel de Atlas a obrigação de carregar o mundo nas costas??? ...Talvez.... Mas quantos NÃO SATISFAZEM UM EGO FRUSTRADO ao colocá-lo em EVIDÊNCIA... APROVANDO ou REPROVANDO as idéias que tem sobre algum tipo de assunto ... VIRAR CENTRO DAS ATENÇÕES....basta para isso um bom ALVO ..
Mas por que Rondônia? Por que motivo se REPROVA ou se APROVA o comportamento dos rondonienses ? LOUCOS? DESVAIRADOS? ACOMODADOS? CAIPIRAS? BOBOS? MATUTOS? Quantos mais ADJETIVOS ESTEREOTIPANTES a população de Rondônia terá de aceitar??? QUANTAS BOCAS PODRES E SEM DENTE... INSATISFEITAS COM A PRÓPRIA IMAGEM INTERNA E EXTERNA QUE TEM DE CARREGAR DIARIAMENTE CONTINUARÃO A PASSAR NOITES EM CLARO LENDO SUAS GRAMÁTICAS PARA PRONUNCIAR os DEFEITOS que observa DAS COISAS EM SEU REDOR? SENTEM-SE DEUSES, CENTRO DE TUDO? OBSERVADOR QUE ESTÁ FORA DAQUILO QUE É OBSERVADO...
SE OBSERVA COM A POSTURA DE UM DEUS... E QUANDO A COISA MAL FALADA É OBJETO DA SUA PRÓPRIA EXISTÊNCIA? QUE DEUS É ESSE? UM DEUS DEPENDENTE CAIRIA IMEDIATAMENTE EM DESCRÉDITO... PODERIAM PASSAR A VER NÃO A PROJEÇÃO DE UM DEUS... MAS A PROJEÇÃO DE UM CAIPIRA... QUE NÃO ACEITO PELA SUA PRÓPRIA REALIDADE BUSCA FUGA EM TERRAS DISTANTES... UMA FUGA.. PARA CRIAR UMA NOVA IMAGEM... UM DEUS... UMA NOVA REALIDADE... QUE MÁSCARA? UM SABER ONISCIENTE? UMA IMAGEM PERMANENTE QUE BRINCA ... IRONIZA COM O NOVO LOCUS ... PORQUE SÓ ALI LHE ACEITAM E PERMITEM... É MAIS FÁCIL... GENTE BURRA, MELHOR??? TALVEZ NÃO SEJA BEM ASSIM... A “BURRICE” MUITAS VEZES É OBSERVADORA DO QUE REALMENTE HÁ POR TRÁS DAQUILO QUE SE DISFARÇA DE DEUS... SÁBIO, DESENVOLVIDO, PROGRESSISTA... SABENDO QUE TUDO, INCLUSIVE SUA ARROGÂNCIA É FINITA! TALVEZ A “BURRICE” ALIMENTE ILUSÕES...
ACASO É DEUS UM OBSERVADOR QUE NÃO DORME SOMENTE PARA ANOTAR AS FALHAS HUMANAS PARA CONDENÁ-LOS PELOS PECADOS COMETIDOS??? OU FOGE DAS PRÓPRIAS FALHAS... ACHANDO MELHOR OBSERVA AS FALHAS QUE ESTÃO FORA DELE? MAS NÃO É ELE CRIADOR DAS CRIATURAS... ENTÃO AS FAZ, VÊ E REFAZ DE ACORDO COM SEUS CAPRICHOS...
SERIA DEUS UM OBSERVADOR QUE PERMITE O PECADO... E SE ESBALDA AO RIR DA MEDIOCRIDADE HUMANA??? OU ALGUÉM QUE... USANDO TODOS OS HOMENS BRINCA COM UM LIVRO DE PECADOS QUE O CONDICIONA A FAZER SOMENTE O QUE ELE ENTENDE POR CORRETO, APROVÁVEL??? ... UM MESTRE, UM JESUS NAZARENO...
SERIA DEUS MAIS NAZARENO... QUE AO PREGAR A GRAMÁTICA EM TERRAS DISTANTES TEM O PODER DE VIRAR UM CENTRO HUMANO A PARTIR DE UM PENSAMENTO QUE LANÇA EM UM JORNAL ELETRÔNICO CONDENANDO O CULTURAL/COMPORTAMENTAL DA TERRA PARA ONDE VEIO E LHE PERMITIU FAZER SUAS PREGAÇÕES?
PREGAÇÃO QUE VÊ DOIS BRASIS: UM ACOLHEDOR... INVADIDO PELO CAPITALISMO.. DE HUMANOS-ÍNDIOS, DE HUMANOS CAIPIRAS, DIZIMADA E CRITICADA POR SUAS MAIS INGÊNUAS CULTURAS... POR TER SIDO AMORDAÇADA E ARRANCADA DE SEU MODO PRÓPRIO DE VIDA... DE TER DESTRUÍDOS SEUS COMPORTAMENTOS POR DIVERSOS INVASORES QUE POR AQUI PASSARAM... E QUE DE TANTO SOFRER... JÁ NÃO RECONHECE O SOFRIMENTO.. DE TANTO SER ACUSADA... JÁ SE VÊ RÉU... ENGOLE DAS MAIS ABSURDAS LEIS.. AOS MAIS INSANOS PROFETAS...
O OUTRO? O OUTRO IGUALA O SERTÃO NORDESTINO À EUROPA... MAS CHEIA DE CORONELIZAÇÕES REGIONAIS QUE MANTÉM AINDA HOJE O CABRESTO! DESTE... MUITOS FOGEM... POR DIVERSOS MOTIVOS...
E QUE PODE FAZER UM PROFESSOR DE PORTUGUÊS?... MANTER SUA BOCA DIARIAMENTE NO DENTISTA PARA MANTÊ-LA ESTETICAMENTE PERFEITA? MANTÊ-LA COMO VEIO AO MUNDO, AINDA QUE PODRE, APENAS PARA SACIAR SUA FOME? OU USÁ-LA PARA ATACAR A ORIGEM DOS ALIMENTOS QUE MATA SUA FOME... PORQUE MATA APENAS SUA FOME... MAS SUFOCA SUA VAIDADE... A CUSTO DA DOR DAS CÁRIES... QUE PREFERE VER NAS BOCAS ALHEIAS... PORQUE AS SUAS LHE DOEM TODA VEZ QUE MASTIGA UM ALIMENTO POR VIR DA TERRA ONDE PISA!!!! PISOTEIA!!!
NÃO PROFESSOR NAZARENO, DEFINITIVAMENTE RONDÔNIA NÃO PRECISA SER O QUE VOCÊ, HITLER, OU QUALQUER OUTRO HUMANO QUE SE VEJA COMO DEUS. TALVEZ PRECISEMOS MAIS DE PEDROS DO QUE DE NAZARENOS.
QUE BOM SERIA SE ESTA TERRA MANTIVESSE AS SUA POPULAÇÕES TRADICIONAIS QUE MANTENHAM UMA SIMBIOSE DE RESPEITO À VIDA E À NATUREZA... PODERIA COMER COM AS MÃOS... UM FRUTO CATADO LOGO ALI NA FLORESTA...NÃO SE IMPORTANDO COM A GANÂNCIA E O OLHAR ZOMBADOR DO COLONIZADOR PASSAGEIRO... OU COM O FILHO ADOTIVO INGRATO QUE AO SUGAR A ÚLTIMA GOTA DE LEITE DE SUA MÃE... INSATISFEITO POR NÃO TER SIDO ABENÇOADO... REPROVA SEU COMPORTAMENTO... COSPE... BOFETEIA...APUNHÁ-LA...MATA... EXECRA EM PRAÇA PÚBLICA...SEM PUDOR ALGUM!!! A PRÓPRIA MÃE... A PRÓPRIA EXISTÊNCIA... A PRÓPRIA REALIDADE...

aluna: aline lino(jbc) disse...

Verdadeira realidade.Só sabe quem vivencia aqui, e não adiante nós portovelhenses,taMparmos os nossos olhos e dizer que isso é utopia(mentira),estamos cansados de saber que isso é sim a árdua e única verdade,sem acrescentar e retirar.
Essa sim,foi uma crítica inteligente,de uma pessoa que só está querendo denunciar o que vê de errado no lugar onde o mesmo mora.

.....Achei a sua postagem espetacular profº Nazareno.

aline lino. disse...

Não adianta sermos hipócritas e ingênuos....Temos que aceitar,e concordar convictamente,que essa é a nossa realidadade.RO não passa de uma fantasia.

....É UMA RONDÔNIA DE APARÊNCIAS...

Anônimo disse...

Concordo com que o professor Nazareno disse.
Rondoniense se contenta com tudo,com passarelas que matam pessoas,com usinas que destóem a natureza e todo mundo fica de bico calado achando que calados conseguem fazer alguma diferença!
Doeu?Sim.Porque o que vivemos em rondônia é uma verdadeira mazela social!q todos tentam esconder.
Não adianta tampar o sol com a peneira!!
Sou rondoniense e fico muito triste com a realidade em que vivo, e ainda tem muitos que criticam quando muitas vezes outros só nos querem abrir os olhos!

Anônimo disse...

Pergunta: O que fizeram com o texto na página lá do blog?
Receita?

Amanda Costi disse...

Olá, "professor Nazareno"! Tenho certeza que você lembrará de mim, pois estudo no Colégio Classe A e infelizmente AINDA sou sua aluna. Espero que após esse seu infeliz comentário essa situação mude e acredito mesmo que uma demissão seria pouco. Estudo com sua filha e tenho pena de ela ter um pai com uma mente tão medíocre, e que ainda tem a coragem de se mostrar como educador. Realmente, Porto Velho tem muitos pontos negativos, incluindo pessoas que não tem nada a oferecer e se acham no direito de falar alguma coisa. Fico realmente triste pela instituição de ensino que ainda mantém professores como você nas salas de aula. Como muitos disseram.. Se não está feliz, tome seu rumo, mas não esqueça que foi nesse estado que você adquiriu suas coisas. Sendo sua aluna, tenho certeza que você não fará falta alguma. Sei que outros alunos, assim como eu, não assistirão mais suas aulas, caso nosso colégio não tome uma atitude. Se você tem direito de falar o que quer, nós temos o direito de não ouvir. Há certas coisas que devemos ignorar, para que isso não atrapalhe em nossa educação (palavrinha que o senhor deveria entender muito bem).

Obrigada por sua atenção!
Amanda Costi

Anônimo disse...

Receita de pirarucu????
kkkk professor vc é D ++++!!!!

Anônimo disse...

Tio Naza, a receita parecer ser muito boa, irei experimenta-la no domingo :D

Anônimo disse...

na próxima posta uma receita de vatapá xD

Anônimo disse...

Sinceramente quem apagou isso ae...
É um convarde facista. Que não sabe enfrentar a realidade e respeitar as idéias e posições das pessoas...
Depois se acha com direito de reclamar de algo....

Cíntia disse...

Eu não concordo com o que o Nazareno argumentou, mais nem por isso eu venho aqui como ANÔNIMA e falo besteiras.

Anônimo disse...

Cintia falar besiteiras nãoo é maneira correta de responder o que você discordou do Nazareno, sendo que a personalidade dele não importa nem o que ele faz, e sim que ele escreveu este texto como jornalista querendo chamar atenção da população para uma coisa de errada que está acontecendo. A maneira que ele fez isso concordo foi um pouco imbecíl, mas devemos respeitar.

Aprenda Redação disse...

ARTIGO – Professor Nazareno, parabéns! – Por Chirlane Nobre Belo
“...O aparelho de ser inútil estava jogado no chão, quase coberto de limos. Ouvem coaxos por ele dentro...”e dele reverberam vozes ferozes, apaixonadas e o que era inércia toma corpo, transcende às falácias de botequim e o inesperado: a apropriação da escrita! Antes, esquecida, temida. Direito exercido por uma minoria que não tem muito interesse em democratizá-la, pois é perigosa, pode subverter.

Parabéns, professor Nazareno, pelo sucesso na metodologia aplicada; há muito um texto local não era tão dialetizado... e no muque.

Agora, maninhos, sem ufanismos, vamos analisar algumas falas do texto que gerou a caça ao bruxo: Alguém sabe explicar o motivo do nome da festa ser Flor do Maracujá? Nem eu. De fato, não conheço plantação de maracujá por estas bandas que mereça o nome do maior festejo popular da cidade. Vamos renomear esta festa! Que tal Flor do Cupuaçu? Mandem sugestões. Traficante que se vicia e prostituta que se apaixona pelo cliente nos torna tão brasileiros quanto a contribuição dos nossos políticos nesta empreitada. Aliás, eles fizeram um doutorado em cinismo: gastar dinheiro público para divulgar a falta de competência é digno de doutorado.

É fato que a construção desastrosa das Usinas independia do cidadão comum. Quem irá se importar com um estado submisso ao desmando de migrantes que fizeram fortuna nesta terra inóspita devastando o meio ambiente? Logo, devemos assegurar a vida moderna do cidadão brasileiro, pois ainda somos co-cidadãos.

A verdade é dolorida, mas é necessário sair caverna, aclarar o pensamento e se questionar: Cadê os revoltosos do PT? Infelizmente, estão calados, submissos aos cargos dentro de alguma secretaria, fantasiados de funcionários públicos. Não lhes é permitida a tecitura de um texto ácido como o analisado. Restam-lhes as falácias de boteco.
Além do objetivo de provocar a escrita, o texto do professor Nazareno merece respeito porque, ao contrário da leitura superficializada, é uma declaração de amor. Só criticamos o que desejamos melhorar. O fato de ser sujeito e cidadão desta terra, do excelente serviço que presta ao magistério local lhe atribui autoridade discursiva.

Depois da fúria, leitor, você conseguiu ler o último parágrafo do texto? “Dinheiro que poderia ter sido empregado na área da saúde, saneamento básico ou outra área qualquer”. Alguém discorda da sugestão do autor?

Continuem escrevendo! Vamos extrapolar as possibilidades de leitura do texto do Nazareno! Vejam, a intimidade com o texto trouxe proximidade com o autor que não conheço, mas de acordo com uma amiga: O importante é a obra.

Bom, sou beradeira, de São Carlos, pertinho de Calama. Conhece, professor? Formada em Letras e – ops! – sei escrever (rsss). Mas a necessidade de publicar foi motivada pelo seu texto. Inté e obrigada.

CONTATO: chirlanenobre@yahoo.com.br

Anônimo disse...

Essa é uma realidade as pessoas lá fora pessam que somos Indios,os pliticos pintam e borda é a população não faz nada,e fica tudo na mesma ,pessoas querem destreir nossas floresta com promessas de progresso ,mas na verdade não ira beneficiar nada para Rondonia,e fazem construções na cidade para tmpar os olhos da população.E vivemos na mesma comida simples sem recrmar.Sou rondoniense mas ghosto da verdade.

João disse...

Professor! Não se desanime com estas mensagens! VOCÊ NÃO DISSE NENHUMA MENTIRA! É que a verdade é dolorida demais... Força e muita paz!

Salviano Silveira disse...

Comentário de um pai de uma aluna do CA.

Não te conheço,não quero te conhecer,o teu nome diz o que tu és,tu não devias te chamar Nazareno e sim ''LAZARENTO'' por que é a coisa mais descente que te cabe o LAZARENTO DOS ANZÓIS PEREIRA.
Só poderia ser filho da Paraíba e dos cafundóis do Sertão,SEU PALHAÇO!

Anônimo disse...

Tudo oque o Prof. falou é verdade, nao deveria ter ameaças nem tao pouco dizer que o Nazareno nao é professor de qualidade Tanto para o Classe A quanto ao João Bento da Costa.. Todos os anos é sempre esperado entrar no 3ªrao e encontrar o Nazareno lá aplicando suas provas,chamando os alunos de analfabetos.. Apesar disso o aluno dele começa à aprender a pensar ver que tudo tem além do porquês !

O texto do prof. tem uma relaçao muito grande com os filosofos iluministas que procuram "abri os olhos das pessoas" ou seja que elas possam pensar racionalmente sem seguir regras ditadas pelos "superiores" .Porque so esta havendo essa revolta toda é pq vcs que dizem serem ROndonienses
nao estao sendo... pois ao envez de estarem aqui perdendo o tempo de voçes deveriam estar indo em busca de seus ideais ou simplesmente querendo algo de melhor p rondonia,porque para mim esse tal "desenvolvimento Rondoniense" só esta piorando o Estado. Espero que parem de serem idiotas ao ponto de criticar uma pessoa que apenas esta querendo ajudar essa cidade mesmo de maneira Torta !

Vacilou hein?! disse...

Putz professor acho que o senhor cavou a sua própria cova hein?!
O que o senhor tem na cabeça de escrever isso?Vamos cair na realidade,o senhor um educador dizer isso,é querer ser desrespeitado mesmo,só quero ver como o senhor vai agir ao encontrar com seus alunos o que o senhor vai dizer,ou vai continuar ignorando nossas perguntas?como senhor anda fazendo,se você foi homem pra escrever isso seje homem pra defender seu modo de pensar,sinceramente eu sou uma aluna sua e fiquei extremamente decepcionada com esse seu infeliz comentário,espero que o senhor tenha uma ótima desculpa ou melhor tenha coragem pra por de novo o seu texto de novo no seu blog e não essa receita,pois o senhor está achando a gente com cara de palhaço ops... quer dizer de CAIPIRA ou ÍNDIO acho melhor o senhor cair na real e achar uma forma de se retratar diante seus alunos e perante RO que lhe acolheu e lhe deu tudo o que o senhor tem hoje e o que o senhor É Hoje!

Obs.:Olha aqui ta o site pro senhor compra a sua passagem pra sua ir para a sua MARAVILHOSA PARAÍBA www.voegol.com.br,há é esqueci com o dinheiro que o senhor ganhou DAQUI DE RO da pra ir de TAM ou eu posso fazer por caridade e lhe escrever no programa do GUGU ou no quadro da Record aquele,'' DE VOLTA PRA MINHA TERRA''.
VAI,VAI TE EMBORA CARNIÇA!
A hé o senhor conseguiu o que queria ter seus 15 minutos de fama!!

Bárbara Soares disse...

Gente, como já disse, não concordo com muita coisa nessa redação, porém não colocaria à prova a competência do Professor. Isso já é provado todos os anos quando seus alunos são aprovados na UNIR com as melhores redações. É claro que queremos defender nossa cidade, nosso povo, porém isso não deveria, em momento algum, interferir na escola. É extremamente ridículo que alunos tão inteligentes e com ótimos argumentos - como eu conheço no Ca - se prestem à uma presepada dessas. E o que é pior, é incrível que o professor não tenha mais direito á opinião própria e o Diretor Carlos (respeitadíssimo, inclusive) se deixe levar pela opinião de alguns alunos que querem "acontecer", que querem só uma palinha para reclamar, porque eu duvido que se este artido tivesse sido escrito por outro porfessor, como o Tadeu (é claro que ele não escreveria) esse povo tava fazendo essa algazarra toda! sinceramente, ô povo sem noção ein? Saibam discordar, mas discordem com idéias coerentes e não atitudes impensadas! Mas deixo bem claro, muita coisa nesse artigo estava errada !

Anônimo disse...

POR QUE QUE ESSE POVO NÃO TEM CORAGEM DE COLOCAR O NOME EIN? QUERO SÓ VER !

Thiêgo Maia disse...

Matheus Prudente, o q acrescentaria de bom na minha vida saber falar cachorro em inglês?
Seus comentários foram tão ridículos quanto os do Nazareno.
E nos Eua tbm tem vagabundo, noiado, drogado e prostitutas.
Pare de achar a grama do vizinho mais verde. se vc nunca viu essa grama ao vivo pra dizer se ela realmente é tão verde.

Robnei (ex-aluno) disse...

Quanta imbecilidade falar tão mal de um estado, do meu estado, do nosso. Pois daqui, Nazareno, sua vida fincou raízes e pode ser mais independente. Agora surge como uma criança sem responsabilidade dizendo o que dá na telha, excedendo de termos grosseiros profanando nosso caráter regionalista.

Somos partes da massa generalizada por aqui dita pelo crítico de mão cheia, mesmo nós vindos de fora. Quanta grosseria de alguém intitulado de educador. Concordo que ainda somos um estado precario, mas a forma que o coloca, só tenho a lamentar pelo pífio texto.

Infelizmente muitos, como eu já fui, perde seu tempo em suas aulas de redação ministrada por um pseudo-professor. Onde, já presenciei e ainda percebo, é lançado um tema e se virem. Falta o tino necessário para boas produções. Está em sala para ensinar: Introdução, Desenvolvimento e Conclusão? Cadê a construtividade nas críticas? Ditas tão importante para desfecho de verdadeiras obras.
Passou longe, bem longe. Um zero bem merecido.
Quanto falta para entendermos a relesa de um personagem assim para nosso caminhar?
Um texto? Ou saber que saímos de uma escola que ele nos deu "aulas" para não termos opinião? Pois eleva o seu senso de forma hipócrita e mesquinha, querendo cegar o bom senso que temos, não por sermos caipiras, mas por termos uma visão otimista ao desenvolvimento do estado.
Amo essa terra e exijo que se contenha em suas ideologias espalhafatosas. Basta termos políticos corruptos no Brasil, agora termos que encarar professores “pops” – que gostam de aparecer – como você na atual realidade, buscando nesses textos revolucionar o que já não tem mais graça.
Aqui fica meu desagrado pela sua produção.

Ricardo Silva disse...

patético... simplesmente PATÉTICO

não o texto, o texto pra mim não fez a menor diferença. patético o fato de pessoas de baixa capacidade de raciocínio terem direito a postar nesse pequeno blog. desde já deixo bem clara a minha indignação com relação à tal de "inclusão digital". pessoas se revoltarem contra o texto é ridículo.

não é possível que pessoas civilizadas não aceitem a opinião de outras. sim, Rondônia é um lixo, sim, o ambiente é depressivo e quando ando pela noite sinto-me paranóico, como se a qualquer momento pudesse estrelar uma cena tão sanguinolenta que deixaria tarantino de queixo caído.

impressionante como as pessoas não tem senso de humor, não conseguem ler nas entrelinhas. tenho vinte e um anos, mas ao invés de beijar o barro que piso todo dia, acho que o apego à uma terra falida é tão útil quanto uma foto de uma molécula de oxigênio para alguém que está se afogando.

me chamem do que quiser, mas pra mim tanto faz o que o texto, ou o que a revista ÉPOCA falou. são verdades doídas que por algum motivo os bairristas não querem ver. ou não querem comentar. interessante é que entre nós, comentamos coisa pior, mas quem vem de fora não tem esse direito. e o argumento de que "não é daqui mas vem sugar o dinheiro" ou "se não gosta daqui vá embora" é de dar asco. senhores, pensem bem, quando dizem que "apenas os que não conseguem se dar bem lá fora vem aqui sugar nosso dinheiro": estão dizendo que os falidos de lá são os bem-sucedidos daqui. se quiserem combater a ideia mostrada no artigo, tentem ser mais inteligentes ao não dar mais razão ao texto anteriormente publicado a essa maravilhosa receita de pirarucu.

quem na verdade deveria sair daqui são os tais regionalistas, pois aposto que se fossem ao inferno e lúcifer desse uma casa com o telhado vermelho, três pratos de morcego à milanesa e fogo encanado, diriam que os poços ardentes são o melhor lugar da existência. é o apego ao que não existe.

estou esperando as tochas e as maças descerem contra quem se mostrar contrário à mentalidade de colméia.

por conta desse apego à "terra-pátria" é que existem tantos conflitos por aí afora. se amam essa terra abissal, que ótimo. mas eu prefiro não imaginar que esse chiqueiro a que chamo de lar seja um mundo colorido de borboletas e coelhinhos saltitantes. e sim, sou daqui, nascido aqui, e não gosto do lugar. agora qual o argumento para me insultar?, "cuspiu no prato que comeu"? pra essa terra merecer um elogio meu, precisa melhorar muito. eu tento fazer minha parte. e não é contando para meu papai doutor adEvogado, fazendo protestos cantando o hino de rondônia em colégios ou publicando anonimamente num blog, que vai fazer todo o mato e lixo desse setor do Brasil (que mais parece filial da SATANÁS LTDA) magicamente sumir.

alex disse...

CONCORDO COM O Q O PROFESSOR NAZARENO DISSE, APESAR DE SER DESSA CIDADE, NAUM VEJO MAL NENHUM EM MOSTRAR AOS RONDONIENSES O Q OCORRE EM NOSSA CIDADE, EM VEZ DE ESTARMOS PROGREDINDO, ESTAMOS REGREDINDO. NÃO PRECISA SER NENHUM INTELECTUAL PARA PERCEBER ESSAS COISAS NÃO, BASTA VC VIVENCIAR PORTO VELHO, O TRÂNSITO É CAÓTICO, PASSARELAS Q AO INVÉS DE DAR SEGURANÇA À POPULAÇÃO, ACABA MATANDO UM JOVEM TRABALHADOR. TEMOS Q SER REALISTAS E ENCARAR A REALIDADE EM QUE VIVEMOS.

ÓTIMO TEXTO PROFESSOR, TENHO ORGULHO DE TER SIDO SEU ALUNO.

Lucila disse...

Para aqueles que concordam com o texto do Nazareno.
Quando dizemos que ele foi infeliz ao escrever esse texto não queremos dizer que estamos satisfeitos com a realidade de PVH não. Só estamos dizendo que para falar dos problemas da cidade não precisamos ofender os moradores dela, e muito menos a cultura da região. Não sei se vocês já ouviram falar em "não há cultura melhor ou pior, apenas diferente".
O Nazareno tem todo o direito de expressar seu descontentamento com a cidade,isso lhe é assegurado pela constituição, mas sem ofender.

Anônimo disse...

ESSE PROFESSOR NAZARENO É O CARA .

sem falar da propria historia ,que eles nem preservaram ,deixaram tudo se acabando ,os trilhos enferrujando ,mato tomando de conta ,é tanto descaso que ,sinceramnete ,éo pessoal ainda ousa dizer que é tudo maravilhoso aqui ,e pelo povo achar que ta tudo maravilhoso que ta tudo assim ,pessimo ,se acabando ,pelo conformismo ,pela falta de informaçao ,pela falta de cobrar das autoridades ,e tudo tao pobre que mesmo que a hidreletrica cause danos a natureza ,eles acham que tao progredindo ,nem querem saber se vai trazer beneficio ,ou prejuizo ,pelo ,ESPIRITO DE POBRE .

collien rodrigo disse...

Caro Professor, quando o senhor fala: "A nossa Semana Santa é comemorada no final de maio ou mesmo em junho sem maiores explicações e com direito até a espetáculos ao ar livre", está se referindo ao espetáculo "O Homem de Nazaré"? Se for, quero esclarecer que a peça teatral não é uma comemoração da Semana Santa, mas sim na época de Corpus Christi, em maio ou junho mesmo.
Obrigado!

ramao disse...

A inclusão digital é algo....interessante.

E Porto Velho não vive essas mil maravilhas pra ter defensores tão ferrenhos. Realmente, um pouco de crítica é bem vinda, principalmente dentro desse oceano de ufanismo barato, que ataca com a sua 'moral' com unhas, dentes, e garras.

Anônimo disse...

olha otimo texto...isso niguem pode negar...mas não cuspa no prato q comeu pois por mais que esse estado seja uma "zona" vc não tem direito de reclamar assim, pois se fosse organizada vc continuaria la onde nasceu, talvez "ferrado" e sem um "puto" no bolso, se ta achando ruim, lembre-se q esse texto não muda nada, nem vai salvar o planeta, atitude meu caro, texto não vale nada aqui muita gente nem lê mesmo,então faça sua parte,continue esse otimo professor que é, e deixa de querer esses 5 minutos de fama com esse texto, pois é isso que tá parecendo. se professor de historia nãopode ter religião, você não pode ser critico, você é professor, então seja o professor e ensine algo util, a população ja sabe falar de mais e não fazer nada, tá vendo um exemplo aqui.

Anônimo disse...

o comentarrio acima é meu, preferi me indentificar, não estou satisfeito por completo, nem faço questão que todos estejam, mas respeito meu caro, profesor pensa antes de soltar uma abobrinha dessas tu é professor q eu sei, então pensa... abraços tio naza...
ass:Aldair

Aprenda Redação disse...

NOME: Cafiterine S.C.
CIDADE: Porto Velho


Quando li esse texto tive uma prova da verdadeira hipocresia,pois uma pessoa que se diz professor, veio de outra região bem pior, e graças a esse "fim de mundo" conseguiu emprego e família, e fala isso tudo, tem que ser muito hipócrita mesmo. Nem preciso comentar sobre todas as gafes cometidas, porque já falaram, tanto da "festa da padroeira", que eu participo da procissão (muito bonita), da comemoração da semana santa (que é feita na data certa,posto que é uma quaresma), quanto das siglas próprias dos estabelecimentos locais e todo o resto. Portanto, se é tão insatisfeito com tudo que falou, então não reclame e faça algo pra melhorar, começando, aliás, pela sua mudança de postura perante à todos que moram aqui, porque se Porto Velho e Rondônia são tidos como um espelho do fim do mundo, tenho certeza que a culpa não reside somente nos cidadãos comuns, mas também nos corruptos (sejam eles políticos ou não) e autoridades que poderiam fazer muito mais do que um anônimo qualquer. Enfim, como aluna do Classe A e consequentemente do senhor, me envergonho ao ler isso, realmente foi rídiculo e desnecessário, principalmente a parte "os caipiras locais ficam rindo como hienas comendo carniça". Rídiculo, repito, RÍDICULO! E pro seu saber, não caiu o teto, apenas uma parte do gesso, e se caiu, tenho certeza que não foi culpa da população, porque pelo que eu saiba não fomos nós que construímos o shopping, e pode ter outra certeza, coisas bem piores ocorrem por aí a fora. É isso, realmente perdeu uma boa oportunidade de ficar calado.

NOME: Gilmarinho Lobato Muniz
CIDADE: Porto Velho

Fiquei impressionado com a aula de português da professora "Maria Janete Gonçalves Machado Rodrigues"....Mostrou que nessa terra tem gente de valor!

NOME: Luciano Tenylson
CIDADE: Porto Velho

Infelizmente tenho que concordar com o texto do Professor, e na verdade a culpa é nossa, enquanto continuarmos elegendo políticos da laia de certos “Paraíbas” e “Capixabas” que vem de seus estados de origem nos engabelar, teremos que aturar devolução de verbas federais e pior ainda fazem propaganda. Será que nos estados vizinhos Acre, Amazonas este políticos teriam vez? Não é atoa que Porto Velho é considerado a capital mais feia do Brasil.

NOME: Zamyrton Júnior
CIDADE: Porto Velho

Rondônia poderia ser o fim do mundo, sim. Seria ótimo se assim o fosse. Ao menos estaríamos livres de sujeitos infelizes. Só deveria morar aqui quem gostasse. Sujeitos que tenham algo a acrescentar e que gostasse de gente. Não aqueles que acham que turistas desavisados viajam somente para encontrar festas de padroeiros. Mas o bom é ser desavisado mesmo, oportunidade imensa de encontrar pessoas e aprender, ao menos, a valorizar um copo d’água que lhe oferecem, e oportunidade de dizer “muito obrigado” para um povo que merece. Quem não conhece a festa de São Pedro? O Flor do Maracujá que é, nada menos, um traço de expressão viva da cultura nordestina na capital? Cultura essa que nos acompanha desde nossa criação e que se mantém viva até hoje. E onde está escrito que alguém precisa ser homenageado nessas festas? Qual o porto-velhense que não ouviu falar da Banda do vai-quem-quer, do “Galo”, do tradicional passeio de barco pelo Rio Madeira, ou mesmo, quem nunca fez uma festa, em casa mesmo, com churrasco acompanhado de arroz branco, macaxeira, farinha, maionese, vinagrete, amigos e mais o que sua origem permitir, como bons brasileiros? Rondônia nem tem 30 anos de idade e já estão lhe exigindo uma cultura pronta, formada! Pode, se Rondônia é resultado de uma parte recente do Amazonas e outra parte do Mato Grosso? Meu Deus! Que crise de identidade! Será que sobreviveremos a ela? Ou será melhor destruir o velho e construir um novo? A memória do passado ou as aspirações do futuro? Será que não dá para conciliar, já que se fala tanto em conciliação, ao menos na Justiça de Rondônia? A capital tem identidade forte dos nordestinos, bravos nordestinos, de bois-bumbás, quadrilhas, fogueiras, festas de santos, candomblé e, quem diria, micaretas. Micaretas, sim, para a provinciana elite, sim... por que não? Não temos trinta anos e já estão nos cobrando uma cultura pronta! Qual a nossa roupa típica? Você escohe. Qualquer uma, já estaremos bem representados. Existe uma poderosa identidade dos amazônidas dos botos, iaras, curupiras, pajés, mapinguaris, cobras grandes, povos andinos, barbadianos, americanos, ingleses, árabes, bolivianos, a saltenha... ah... infinidades de histórias ribeirinhas de um bravo povo, não tão diferente dos outros amazônidas. Nossas religiões da floresta são conhecidas pelo porto-velhense, pelo mundo e outros avisados. Cultura das plantas e dos chás medicinais, da deliciosa tapioca. Na feira, tem maracujá. Rondônia tem sua cultura própria, sua peculiaridade. Será que dá pra enxergar ou precisa desenhar mais? Não, não, é melhor pesquisar mais ou, apenas, ter um olhar mais atencioso. A zona da mata tem identidade forte do centro-sul do país, queridos gaúchos, catarinenses e paranaenses, acompanhados de seus chimarrões e sotaques. Assim como a música de Goiás, sertaneja, os bailões sertanejos e a “cultura” dos bares, para quem gosta. O rock, o hip-hop, a noite, o estilo de vida de outros lugares do país e do mundo, os encontros, naturais na vida social de qualquer civilização. Isso tudo respinga e tem aqui na capital. E é bom que respingue mesmo, aliás, pode até molhar! A Semana Santa é comemorada na Semana Santa mesmo, ou alguém, no Brasil, alterou o calendário? As apresentações teatrais de parte da vida de Cristo são um show à parte, ou será que realmente precisam aguardar a chuva para começar o espetáculo? Sempre foi assim, nunca ninguém reclamou. É melhor que continue assim. Porto Velho e Rondônia são para pessoas fortes! Nada de ser molenga! Nada de choro! Pode até chorar, mas agüenta, você escolheu viver aqui, ninguém é obrigado a ser infeliz. É pra quem gosta. Não é para plagiadores. Ou quem não assitiu à “Paraíso Tropical”? Novela da TV Globo onde Bebel se apaixona por Olavo e Olavo se apaixona por Bebel, só para tomar como um dos exemplos mais recentes e conhecidos. Seria mera coincidência? Quer comprovar? Digita no google: “prostituta se apaixona e traficante é viciado”. E nossos políticos corruptos, quem ajudou a elegê-los? Será que foi a minoria nascida aqui mesmo? O poder corrompe não só aqui, como em Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro, Cássio Cunha Lima, digo, Paraíba, só para tomar como exemplo os Estados da Federação. Ufa! Ainda bem que não sou professor de português. Sou só um porto-velhense, um rondoniense feliz. Saudações rondonianas. Zamyrton Júnior

NOME: Humberto Vilar Arouca
CIDADE: Porto Velho

Eu estou ficando tão indignado com esse tipo de pessoa que vêm pra nossa terra e fica falando daqui, mas não tem coragem de voltar de onde vieram. Caro "professor" como seu aluno nunca fui de admirá-lo muito menos de odiá-lo, era indiferente pra mim. Depois dessa infeliz manifestação o Sr. caiu pra categoria de pessoas que infelizmente não aprecio. O texto de meu Blog cai muito bem pra sua pessoa. http://www.ibido.com.br/index.php/blog-harouca/86-portovelho-ameou-deixenos Pense por favor em nos deixar e voltar pra sua terra.

NOME: Pedro Wilson
CIDADE: Porto Velho/RO

Nazareno!!!Calado... Sim, eu sei, cala boca já morreu, meu caro professor. Vejo-o, muito rasteiramente, como aspirante a um Mainardi ou Francis da vida. Pura bobagem! Textos como esses não acrescentam nada, não colaboram, não somam. Não o vi, não o senti como uma "bela crítica". Está longe disto! Pois bem, torço e vibro por outras coisas, outras falas, outro tipo de política, outra forma de pensar a vida, os lugares e as pessoas. Acredito que nosso Estado é vibrante e que tem, sim, passado, presente e futuro. Por fim, sugiro que o nobre professor não perca seu tempo com escritas preconceituosas, agressivas. Nossa gente merece respeito, Rondônia merece respeito, nosso país merece respeito e os leitores merecem algo mais significativo. Passe bem!!! Cuidado, apenas, com suas carniças...

NOME: Maria Janete Gonçalves Machado Rodrigues
CIDADE: Porto Velho

Sou professora de Língua Portuguesa e, enquanto profissional da área,fiquei deveras preocupada com a sua visão acerca do povo deste lugar. Lugar este que creio ter sido generoso com nós imigrantes; sou mineira e moro aqui há 25 anos. Criei vínculos com essa terra;Apaixonei-me aqui, meus filhos nasceram aqui, enfim, minha estabilidade se encontra aqui. Creio que a sua também, professor.Mas abstenho-me de comentar sobre a ideologia textual, até porque muitos já o fizeram, comento sobre o seu domínio gramatical. Vejamos: No primeiro parágrafo, há inadequação no uso da colocação pronominal. Nada há a atrair o pronome na construção de "prostituta se apaixona por clientes". Não seria o caso de uso de ênclise? "prostituta apaixona-se por clientes... No segundo parágrafo,trata-se de uma pontuação inadequada. Vejamos: " De futebol, o portovelhense gosta". A oração está apenas em ordem indireta. De futebol é objeto indireto, complemento essencial do verbo transitivo indireto gostar, portanto jamais poderá ser separado por vírgula. Essa é a regra. No final do segundo parágrafo observa-se uma pontuação também inadequada. Não seria ponto de exclamação? Pense nisso. No terceiro parágrafo, como explicar a presença da partícula "se" com o verbo no modo subjuntivo? Qual a função dela? E o modo verbal? como explicá-lo? Não seria adequado o uso do modo imperativo? "dorme com um absurdo deste" Caerd, assim como Serasa, é uma sigla imprópria, o significado desta é "centralização de serviços de bancos", portanto não há obrigatoriedade de correlação de significado. Essa é uma outra regra. O quarto parágrafo inicia-se com um chavão. A criatividade é amiga íntima do professor de línguas, literaturas, romancistas...Pense nisso! Ainda no quarto parágrafo, há uma escorregada na construção do período "os poucos que defendem..." Onde se encontra o complemento do verbo defender?Poderia explicar a ausência de uma anáfora, mas, para a clareza do discurso é essencial. Sem contar que trata-se de um verbo transitivo direto com a necessidade do objeto direto.Ademais, a pontuação está inadequada. Vejamos: "os poucos que defendem, são de fora. Professor, o senhor separou os termos integrantes da oração. Atenção para as regras do novo acordo ortográfico! Prescinde-se do acento circunflexo para assinalar a vogal tônica fechada com a grafia "o" em palavras paroxítonas como: voo, enjoo, povoo etc. Verifique a ausência do sinal gráfico do vocábulo "duzia" e a presença do inadequado acento em "vôo". Dúzia é um paroxítono terminado em ditongo, daí a obrigatoriedade do acento. Nesse sentido o acordo ortográfico não mexeu. Fique atento, professor! Com essas considerações, espero ter contribuído para uma relevante mudança de conceito acerca dos professores de Língua Portuguesa com formação acadêmica neste Estado, mais precisamente na Universidade Federal de Rondônia - UNIR. Sigla imprópria.

NOME: Sthephane Azevedo
CIDADE: Porto Velho,Ro

Professor, infelizmente concordo com o senhor em partes. Mas lhe aconselho a rever seus conceitos de aulas de redação. É REDAÇÃO professor, não PSICOLOGIA! E espero que o senhor também passe a pensar aonde o senhor vai não é pois se não passará a ser uma hiena sorridente também!

NOME: Filipe ;D
CIDADE: Proto Velho / RO

olha Nazareno, o pior que em partes tenho que concordar com o Sr, mas em outras, você foi BEM infeliz, como na sua forma de expressar. eu tambem fui aluno dele por 3 longos anos, e saibam, eu sempre fui contra a opinião dele, e sempre levei a nota 6 em redação. pode ser birra minha, mas pergunte a qualquer aluno do Classe A, que ele vai te falar isso. engraçado que tinha amigos que discordavam, porém seguiam o "PADRÃO" dele, essa é a verdade. É povo, Nazareno num gosta de INOVAR. ele quis foi Causar com essa matéria, mas ele me fez vontade de rir, e de querer postar mesmo. e sinceramente, eu num me ofendi, nenhum momento me senti mal. e eu sei que, tento fazer minha parte pra mudar essa realidade. ele simplesmente fala fala fala, nunca vi agir. quer dizer, ele fala isso pra fora, pq dentro de uma sala de aula, sei de có a história de vida dele, QUE VEIO DE FORA DE RONDONIA, para morar aqui. Engraçado, agora ele CRITICA isso. concordo que não esta nem um pouco certo isso, mas é MUITA HIPOCRISIA da sua parte. Outro ponto deve ser falado, engraçado que, muitas vezes que vou ao shopping, encontro você ein Nazareno? e você vem falar mal dele agora? UAHHAUHAUHA! tu faz-me rir, e muuuuito. sobre UHE, você ta com a razão, fazer o que né? mas uma coisa aprendi com você: " nunca generalizar". e nesse texto, e foi ai que me senti na obrigação de postar aqui, você generalizou e MUITO. meu querido nazareno, eu num sou a favor das UHE, nem sou contra, mas tem que ser feito um rigoroso relatório sobre os impactos ambientais. mas uma vez, um prof de geografia falou:" impacto haverá, claro, mas nós conseguimos viver sem energia?". Você consegue Nazareno. eu SÓ ACHO que não, pq você vive nos orkuts da vida. é, única coisa que posso, é rir. não da sua cara, mas pq to com dó do Sr. Redação, eu realmente aprendi em 2 lugares: Na minha escola antiga, Pitágoras, e no Cursinho pra 2ª Fase do Vest, com os outros profs. e se ta insatisfeito, vai embora, ninguem te prende aqui. Há tambem a questão que é bem discutivel o titulo de prof, que na verdade esta pra ensinar, não pra ironizar dos OOOOUTROS (fica subentendido alunos TAMBEM), como o Sr. esta craque em fazer ein? e Nazareno, somente 2 coisas pra finalizar: o sr ja esta de idade avançada, mas aprenda a ouvir opiniões diferentes, e seja HUMILDE, isso falta em você.

NOME: samea
CIDADE: porto velho

Que pobre de espírito.

NOME: samea
CIDADE: porto velho

Prezado Senhor, é muito triste pra mim saber que minha filha convive com voce, pois infelizmente o colégio onde ela estuda, aceitou uma pessoa com a sua falta de educação, e com carater duvidoso, para lecionar para os adolescentes, (CLASSE A). Quando fui buscá-la na escola ela veio eufórica e indignada me contar que um professor tinha publicado um texto horrível sobre Rondônia, a princípio eu não dei importância, mas após ler esse texto de´péssimo gosto, ridículo fiquei decepcionada. meu marido é Pernambucano, e sabe das dificuldades que o povo nordestino passa, por isso veio pra rondonia, a ama esse estado, sente-se agradecido por tudo que conseguiu aqui, e não admite que falem mal perto dele, isso sim é um sentimento bonito. Acho que devia servir de exemplo pra o você, que deixou a sua terra, onde com absoluta certeza devia passar até fome, e agora depois que sai da lama, cospe no prato que come...Apesar de termos liberdade de expressão, acho que voce perdeu uma grande oportunidade de ficar calado.

NOME: Fernanda
CIDADE: pvh

Perdeu uma boa oportunidade de ficar calado...

NOME: neumah
CIDADE: pvh/ ro

Caros, fui aluna desta criatura por penosos 3 anos e lhes digo, essa criatividade não existe em sala de aula. Passei 3 anos ouvindo ele falar por 50 min, e escrevi redações com temas repetidos nesse meio tempo. O interessante é que ele não comenta que em sala de aula, fica comentando sua vida pessoal, suas viagens e outros temas em vez de dar aula, assim como não permite que o aluno tenha sua propria opinião, redação bem escrita pra ele tem que conter o que ele acredita. Pra qm naum sabe qdo chegou a Ro foi morar lá com os beradeiros, mas isso ele não comenta.Ele não tem direito de falar de pvh, pq veio do nordeste pra ficar com nossos empregos, coisa que agora ele desdenha. Esse cara é um ridiculo, anda parece um mendigo, todo mal vestido e quer passar imagem de intelectual. É lamentavel que um jornal com essa credibilidade, se preste a publicar um absurdo desse e que uma escola taum conceituada e cara como Classe A, tenha em seu quadro de colaboradores um grandississimo hipocrita como esse, que está "educando" os futuros cidadãos.

NOME: ELAINE
CIDADE: porto velho

Senhor Nazareno, Partindo dos pressupostos da abordagem humanista-cultural de que na vida humana o que é inato tem menor importância do que é aprendido, bem como penso que o senhor, enquanto formador de opinião, deve saber que o homem é produto do meio em que vive, em decorrência das práticas, das atitudes, das crenças e principalmente dos valores que são perpassados através da cultura de geração a geração, tornam-se avultados o espanto e a indignação que produziram a sua sombria matéria. Sombrio o meu estado de espírito por saber do grandioso número de jovens que diariamente o tem como um repassador de conhecimentos e que serão influenciados por esses seus preconceitos, julgamentos e avaliações feitas de forma insultosa a todos os rondonienses que hoje, parte deles, está sob a sua orientação na condição de aprendiz. Melancólico foi descobrir que o senhor é Paraibano, desrespeitando os seus conterrâneos que vieram, assim como eu, contribuir para a formação daquele que viria a se transformar no novo Estado Brasileiro, com os serviços prestados para o então Território de Rondônia e que participou da transição para a condição de Estado da Federação, que abriga tantos nordestinos que optaram por refazer suas vidas em outras paragens. O que o faz pensar que a sua condição de professor lhe outorga o direito de tal atitude? A sensação é de se sentir no mínimo a “boba da corte” ao imaginar a sua descrição acerca da fisionomia dos Paraibanos quando da inauguração do Shopping Manaíra. Sim, porque a alegria de entrar num espaço democrático onde vai quem quer e compra quem deseja e pode arcar com os custos é no mínimo alentador, porque é um ambiente onde pode transitar independente de sexo, cor, raça, geração e gênero, quaisquer indivíduos que bem lhes aprouver. A ida a um Shopping para a grande maioria da população, serve para usufruir de momentos de descontração com a família, fazer compras em grandes lojas que oferecem muitas promoções, coisas que não eram oportunizadas aos rondonienses. De outra parte está o senhor que parece interessado apenas em descrever e valorar atitudes e comportamentos da massa que ali se encontra. Não seria, no mínimo, uma perda de tempo para alguém que se acha um ser superior? Ao menos foi essa a interpretação que foi feita daquilo que lhe pareceu algo extraordinário intitulado: “ Em Rondônia é assim mesmo..." Ao terminar expresso o meu medo em pensar na possibilidade do senhor estar empurrando jovens ao caminho onde reina o preconceito, a ironia e a falta de compreensão de que somos todos iguais em direitos e obrigações, enquanto cidadãos de um País chamado BRASIL, onde a hospitalidade e a alegria do povo brasileiro são referências que não podem e não devem ser maculadas.

NOME: Maria Teresa
CIDADE: Porto Velho/RO

Caro professor, como estudante, respeito seu trabalho. Sou rondoniense, embora filha de Gaúcho com uma Catarinense. E sei do sufoco que meus pais passaram, quando chegaram aqui, e tinham que ver e comer carnes penduradas, e paro e vejo o quanto a cidade evoluiu. E apesar da evolução, vejo que ainda existe gente preconceituosa. Gostaria de entender qual a necessidade de ter uma festa da Padroeira da cidade, tendo em vista que existe a procissão. Como católica, vejo que a Fé não precisa ser manifestada em festa, e sim em crença. Quanto a flor do maracujá, qual o mal tem, em os habitantes de divertirem? Se você gosta de ir ao clube aos finais de semana, há aqueles que gostam de dançar e festejar, e que mal tem, uma festa popular? Precisa homenagear alguém? Ou a própria população se homenagem. Seria errado? Temos algum dever em sermos os mestres do futebol? Aliás, acho que somos inteligentes o bastante, para não sustentarmos pernas, que correm atrás de uma bola, e ganham milhões, enquanto que os assalariados, vivem precariamente, com um salário mínimo e sustentam sua família com o mesmo. Em São Paulo, Rio de janeiro, nas grandes capitais, há ruas, bairros, com nomes de pessoas importantes. O que tem a ver uma linha de ônibus se chamar Presidente Roosevelt? Não poderia discordar sobre a Caerd, ou a RioMar. Mais qual a nossa obrigação de ser perfeito? Não sabia que todos eram obrigados a seguir padrões, e não tinham livre direito de colocar o nome que quisesse. O que você faria se tivesse baixa renda, nunca tivesse a condição de ter viajado pelo Brasil, e nunca ter visto um Shopping Center? Nem todas as pessoas aqui tem oportunidades iguais, assim como em outros lugares, não tem. Sobre as hidrelétricas, concordo sim com a construção. O que realmente não concordo foram sobre as pesquisas fraudulentas sobre o impacto ambiental, que aí sim foram mal feitas. A energia não é para aqui? Aí vejo a verdadeira parte egoísta de um ser humano. Se você tem a sua energia garantida, várias regiões do Brasil não tem. Aliás, você viveria sem a sua televisão, o computador, que provavelmente facilita seu trabalho, sem ventilador, ar condicionado, geladeira? Políticos corruptos existem em todo o país, isso não é segredo para ninguém, mais como em todo local, poucos se manifestam. A sua leitura de mundo pode ser ótima, assim como o preconceito. Pobres rondonienses que parecem hienas comendo carniça, que te acolheram, e pagam o seu salário.

NOME: Jaqueline
CIDADE: porto velho

Caro..... (não sei se o senhor é digno de ser chamado de professor...) É lamentável saber que o senhor participa diretamente da formação dos nossos filhos, que são rondonienses, pois infelizmente tenho conhecimento que também presta serviços ao "conceituado" Colégio Classe A. Seu texto demonstra o quanto é preconceituoso e o quanto pode influenciar negativamente os nossos adolescentes/jovens. Gostaria que me respondesse se durante suas “aulas” o senhor expõe seus alunos, da mesma forma que expôs os rondonienses trabalhadores, honestos e que contribuem para o crescimento do Estado que acolheu milhares de pessoas vindas de todas as regiões do Brasil. O fato do senhor não ter nascido aqui não o isenta de nada, pois da mesma forma que existe o preconceito contra o rondoniense, tanto pior com as pessoas do nordeste (de onde o senhor saiu em busca de emprego). Uma sugestão seria utilizar a inteligência que tem para escrever, para denunciar de fato as coisas erradas que acontecem em nosso Estado. Ao invés de humilhar o povo trabalhador, porque o senhor não enfrenta os políticos verdadeiramente corruptos? Ficou muito claro para o leitor que senhor tem medo, pois não cita nomes. Apenas generaliza... Outra crítica que faço é ao site que leva o nome de rondoniaovivo e que aceita publicar tamanho absurdo. Sugiro às Direções do João Bento da Costa e do Colégio Classe A que observem o tipo de comportamento que seus professores tem na sociedade, pois de certa forma eles representam as instituições em que trabalham. Para seu conhecimendo nasci no Rio Grande do Sul e faço parte de uma das milhares de familias que chegou na década de 70 em Rondonia, que sofreu e trabalhou muito e que tem orgulho de ter sido adotada por uma Estado tão próspero.

NOME: Francisco Campos
CIDADE: Porto Velho

Sou de Rondônia, nascido em Porto Velho, portanto teria todo o direito de me sentir ofendido pelo texto "engraçadinho" do Prof. Nazareno. Mas não me deixo levar por essa indignação. O sentimento que me perpassa é o de dó. É uma pena que tal "pérola" tenha sido publicada. Porém, se o artigo não serve para nada de construtivo, serve, pelo menos, como mau exemplo. A mediocridade é algo muito comum nesse Brasilzão petista. Regurgitar um amontoado de clichês e frases feitas, como fez o professor em questão, nada mais é do que um reflexo da imbecilidade que reina nesse país. A intenção do articulista era ser irônico, mas, devido a uma boa dose de incompetência, o máximo que ele conseguiu foi ser grosseiro, mal educado, injusto. Nem tanto ao mar, nem tanto à terra, Nazareno! Há muito de ruim em Rondônia, não nego. Mas veja bem: aqui há muita gente que merece respeito. Não deixe que a sua medíocre e estreita visão empane o brilho da gente daqui. Deixe que sejamos quem queremos ser. Vai aprender um pouco mais para melhor educar a garotada do João Bento!

NOME: ivaneide azevedo de castro
CIDADE: Porto velho

Realmente, o senhor mostra-se muito insatisfeito com esta cidade, é um direito seu! Mais ofender as pessoas que aqui moram ou foram acolhidas de outras regiões em busca de trabalho ou de uma vida melhor, é ignorancia da sua parte, conheço seu trabalho como professor e até então o admirava, mais sua colocação sobre esta cidade e pessoas qua aqui estão é no minimo infeliz, pois só uma pessoa infeliz pode ser mau agradecida pois criou seus filhos e deu conforto a sua família com fruto do seu trabalho que encontrou aqui nesse fim de mundo.Porto velho ainda é jovem com relação a cidades como São Paulo e outras grandes cidades que apresentam problemas parecidos e até piores que os que aqui existem, lamento pela insatisfação que a cidade e as pessoas lhe causam, lamento que essas mesmas pessoas ajudem a pagar seu salário, a sua falta de informação sobre o que se produz neste solo provinciano, se quer mudar alguma coisa mude de opinião, de comportamento e respeite as pessoas como quer ser respeitado não faça aos outros ou diga aquilo que não quer para você. As pessoas costumam dizer que aqui só tem pessoas mau educadas, desonestas,procure se informar onde não for bem tratado se aquele (a) que o atendeu é daqui ou veio de outro estado com certeza em 90% dos casos é de outro estado talvez do seu! Eu sou do Estado de Rondônia, cheio de perfeições e defeitos mais eu exijo respeito.

NOME: Francisco Amaral
CIDADE: Porto Velho/RO

Ser um bom proessor é amar e ensinar ao próximo as coisas boas e ruins, mas sempre procurando separar o que é do "bem" e o que é do "mal", pois bem, a sua análise crítica sobre o meu Estado e o meu Município, digo meu, porque nasci e fui criado nesta singela cidade de Porto Velho, infelizmente foi uma análise muito, mas muito infeliz "pseudo professor". Geralmente nós seres humanos somos especialistas em encontrar problemas, mas quase nunca somos muito hábeis em sugerir soluções, é o que o senhor que se diz professor, e deveria está dando um bom exemplo aos seus alunos, deveria procurar se esforçar para fazer "sugerir soluções práticas e efetivas" e não ficar com discurso crítico de opositor político dos governantes e futuro candidato a "alguma coisa", lamento muito pela minha cidade e pelo meu estado de ter pessoas como você formando pessoas com idealismo furado e sem praticidade nenhuma, procure estudar um pouco mais e ensine os seus alunos em conformidade com a LDB e o PPP da escola ao invés de perder seu tempo falando mau da minha cidade.

NOME: Bete
CIDADE: Porto Velho

Nazareno, já que sua visao do nosso estado e esta,porque nao vai embora pro seu. Será que e porque la nao tem emprego pra voce????


NOME: LAERCIO DAVILA
CIDADE: PORTO VELHO - RO

CARO PROFESSOR, HOJE O PORTOVELHENSE JA ESTA TAO ACOSTUMADO A ISSO, O POVO ACOMODADO 1º O CARA AUMENTAM A TARIFA DO ONIBUS ILUDINDO OS USUARIOS FALANDO EM AR CONDICIONADO 2º FAZEM UM TAO DE LEVA EU ( LEVA O MEU DINHEIRO MAIS FACIL). DIZENDO QUE HAVERIA UMA TAO DE INTEGRAÇÃO "OU SEJA, USA DOIS COLETIVO COM UMA SO TARIFA". MAS NAO É ISSO QUE VEMOS HOJE. O SENHOR TA MUITO É CERTO FALAR ISSO TUDO PARA VE SE O POVO ACORDA

NOME: Leonardo Della Justina
CIDADE:

Aos ofendidos: Pelo visto, a carapuça serviu.

NOME: Costa Brasil
CIDADE: Porto Velho

Professor Nazareno, Começo questionando se alguém que ostenta o título professor, com esta opinião acerca da terra dos outros, um lugar que o acolheu, lhe deu emprego e, aqui nesta cidade, livra o pão de cada dia - e ainda nos ridiculariza - mereça realmente ser chamado de professor. Eu teria vergonha de ter sido seu aluno. Teve muitos professores em minha vida. Professores de verdade, deste Estado e de outra regiões do Brasil. Nenhum com uma visão tão tacanha, pobre e medíocre sobre esta terra, que lhe recebeu como um filho sem teto. É uma visão típica de colonizar imbecil, que por absoluta falta do que fazer, produz um texto desta qualidade. Se é para morar no melhor lugar do mundo, o que o senhor faz aqui. Vá embora. Procura o seu rumo. O senhor me chama de animal comedor de carniça e acha que vai ficar por isto mesmo?! Vamos discutir identidade cultural, fazeres e saberes um povo, de uma região de uma cidade, para o senhor compreender melhor a cidade, o seu povo e sua cultura, coisa que, aliás, o senhor certamente nunca descobriu e, menos ainda, entendeu. Demonstre um pouco de sensatez e peça desculpa a população desta terra e a esta cidade que um dia lhe recebeu, como só uma mãe de coração imenso faz, sempre acolhe o filho ingrato, faminto necessitando de guarida.

Aprenda Redação disse...

Olá! Meu nome é Maria Luciene dos Santos, graduada em Língua Portuguesa nesta terra (diga-se de passagem, na UNIR). Embora impelida (para não dizer forçada) para este estado, nos remotos idos de 1987 (um domingo, 06 de Dezembro), creio que não posso comungar de todos os seus propósitos.
A primeira imagem que guardo de Porto Velho é a de uma Rodoviária fétida e suja Ao longo dos muitos dias que chorei e, nos quais muito maldisse a minha ingrata sina, me ví em contínuo desespero, enquanto ressoavam, a contra gosto, em meus ouvidos, expressões do tipo: "maninha", "vizinha", "não dá de...", "espocou", e outros vocábulos afins.
Ora como se pode observar, não sou a melhor pessoa para defender esta terra, visto que, aqui amarguei os mais duros percausos. Na minha tragetória se há uma palavra que pode bem definir Porto Velho: "É sofrimento".
Alfabetizar em uma terra inóspita a sua realidade não é uma das tarefas mas fáceis; alfabeizar com o sotaque caipira do paulista também é uma tarefa singular. Não foram poucas as vezes em que tive que engolir, dos alunos. períodos de intenso deboche, dentre os quais: "fecha a poita", "olha a poica...". Achas forçoso?! Peça a um paulista que pronuncie Avenida Farquar e constate a tragecomédia, a situação vechatória.
Não obstante, aqui foi que amadureci, que me desvencilhei dos laços familiares (família é ótimo, não é?), descobrindo nos habitantes daqui, nativos ou rondonienses de coração, a minha verdadeira família. E essa é uma peculiaridade desta terra - talvez pelo sofrimento comum a todos, ou quase todos que dividem esse espaço físico, os que aqui moram são generosos. Asperos no falar, no primeiro instante, muito nos assustam. Porém, superado o primeiro impacto, abrem-se completamente, mostrando-nos uma hospitalidade que supera a de um ente querido (e o mais supreendente - não nos cobram nada por isso; são humanos, no mais profundo sentido da palavra, só pelo prazer de servir, de sentirem-se úteis).- compare-se esse mesmo aspecto, nas mais variadas regiões do Brasil.
No que diz respeito à questão do emprego, jamais me senti ocupando o lugar de outrem. Ao contrário; participei apenas de três concursos em Porto Velho, e passei nos três. Se sou mal remunerada é pelo fato de ter adentrado uma profissão em decadência (ética, moral e social), não só em Rondônia, mais também em todo Brasil, quiçá no mundo.
já no quesito amor, sejamos práticos, deixemos de pieguises, de demagogias...!
Estou cansada de pessoas que amam Rondônia de coração; que se sentem verdadeiros filhos da terra; mas que um mero feriado prolongado é um pretexto para uma fuga, ainda que rápida.
Rondônia não evolui? Nem pode. O que acontece com uma planta da qual não se cuida e só se retira os frutos? Assim acontece com essa terra: todos vêem aqui e sugam-lhe o seu melhor. Se progridem, alçam vôos e se esquessem da terra amada; outras vezes, investem o fruto do trabalho (espero que seja mesmo) fora daqui. Em suma, não sou natural daqui, não sou filho da terra (nem minhoca eu sou), não sou fanática por esta terra, nem ao menos leciono por amor (por amor eu faço, ou procuro fazer outras coisas). Contudo, é nesta terra que constitui família, tenho filhos que aqui nasceram, e é do trabalho árduo de todos os dias, com carátere, dignidade e, acima de tudo, com muita responsabilidade e espírito de solidariedade e parceria com meus semelhantes que aqu,i conretizei muitos objetivos. Muitos sonhos tornaram-se reais, e muitos ainda hão que se tornar! Falar mal de Rondônia é falar mal de quem aqui mora. Epa! Eu moro aqui...

Anônimo disse...

aparecidomiranda@terra.com.br)

Parabens! Professor Nazareno

Se todos formadores de opinião tivesse a coragem de despertar nossa sofrida população.
É isso ai!

Abraços.

Anônimo disse...

Vanessa |189.10.49.xxx |2009-04-05 18:34:09
Cara, faço o 3 ano no joão bento mas o professor Nazareno nao me da aula por
enquanto, mas pra mim ele nao cheira nem fede mas agora passou a feder afinal
quem e ele pra fala isso? ele sai de outra cidade vem pra cá e fala mal daqui?
e pq nao ficou onde ele morava pq talvez aqui seria melhor nao é verdade? entao
ele veio mudou de vida aqui e pah e depois que ta de boa fica quimando a cidade?
eu duvido se ele nao era uma daquelas carniças que ele citou no texto dele
entao eu achei justo a sua opiniao beijo :D :*

Anônimo disse...

Prof. Eu só tenho é que lhe parabenizar...Pois vc escreve como ninguém de forma consciente, crítica usando a sátira...Eu como como PortoVelhense de berço, remanescente dos Imigrantes Barbadianos, que ajudaram na construção desse Munícipio e consequentemente desse Estado...
Fico muito feliz, por ter sido sua aluna e saber que existe profissionais que merece todo o meu respeito, ou melhor o nosso respeito, como cidadãos PortoVelhense...
Infelizmente ainda existem muitas pessoas que preferem flechar os olhos, para a atual conjuntura em nosso Estado...Onde o desenvolvimento faraonico, colocou em cheque a formação acadêmica de muitos engenheiros, administradores, biologos e outras profissionais, pois até mesmo a Natureza está respondendo e mostrando a todo momento a catastrófe ambiental, social, economica, profissional em nossa Porto Velho...
Bem Prof. apesar da grande Polêmica gerada em relação a publicação do artigo Sobre a situação atual em Porto Velho, espero que seja forte e continue nos privilegiando com os seus maravilhosos escritos...e lembre-se que os mais impotantes Pensadores da História como Einsten, Leonardo da Vinci, Ghandi e tantos outros sofreram situações parecidas como a que Vc está passando em decorrência do Artigo...

Grande abraço e muito obrigada pelo Artigo enviado

Anônimo disse...

não acho certo o que você diz sobre o nosso estado, você não vê as belezas que ele possui?, rondonia ainda esta em desenvolvimento, ainda é jovem comparado á são paulo, rio de janeiro, e outras cidades desenvolvidas, que tenho certeza que passaram pela mesma situação que rondonia, se esta tão descontente com esse estado o que ainda faz aqui? é um profissinal tão incompetente que não consegue emprego em outro estado? você não é digno de morar nesse estado, você está ocupando a vaga de um profissional que pode ser mais eficiente, e que admira o estado, mesmo com seus defeitos. se quer uma cidade perfeita, procure fora do brasil ou talvez mude de planeta, pois no mundo todo há cidades como porto velho e estados como rondonia, e alguns ainda piores, ou então faça atitudes que mudam de verdade, e não ficar publicando textos insanos na internet -que não sei por que alguns sites ainda publicam tal hipocresia- você já parou pra pensar o que fez para melhorar pelo menos os buracos que enfrenta para ir trabalhar? duvido, por que? porque mesmo criticando, é acomodado e não faz atitudes para melhorar. Se acha que é tão facil desenvolver um estado em menos de 100 anos? por que ainda não se candidatou a prefeito ou governador, talvez não tenha noção de quanto é dificil administrar um estado em quatro ou oito anos caso seja reeleito.Os estados desenvolvidos do Sul e alguns do Nordeste[que são poucos deste ultimo] levaram mais de 200 anos para chegarem á o que são, por que com rondina seria diferente? só por que você quer? por que você criticou em um site? isso eu tenho certeza que não.isso é ridiculo, você tem todo o direito de achar rondonia um estado ruim ou bom, tanto faz, só não é certo escrever uma coisa dessas e publicar na internet.
talvez eu esteje errado ou duvidoso na minha argumentações mas é o que eu acho, é a minha critica, já que uma pessoa pode escrever o que achava desreipeitando cidadãos, no minino eu posso mandar um e-mail criticando isso.aartulobo@hotmail.com

Anônimo disse...

(na_ty_taina@hotmail.com)


Olá prof.sou aluna da Universidade Federal de Rondônia do curso de Biologia,gostei muito do texto que anda a circular na rede dos internautas do estado.Sou filha da terra mas tenho q concorda q o q acontece em Porto Velho não acontece em lugar nenhum do Brasil temos q ser humilhados até pelo vizinho Acre q possui sua identidade cultural bem estabelecida!!!!E até hoje pergunto a minha mãe natural do Amazonas o q acontece aki pois os amazonenses tem suas próprias festas,carnavais,festivais e muito mais orgulho de serem do norte do país!!!
Parabéns,gostei e se tivermos ao menos consciência não criticamos o q foi escrito e observado por um cidadão rondoniense !!!!!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

gecika42@hotmail.com)

obrigada, eu nao tinha mesmo, nao tive tempo de copiar.
um poeta já dizia "nao me venha falar da malícia de toda palavra: cada um sabe a dor e a delícia daquilo que lavra." e isso é você. =]
o texto teve uma repercussão incrível.
pena que vai durar pouco, acredite.
mas valeu, mesmo sem a intenção de "machucar" tanta gente( bando de estúpidos!).
ah,obrigada pelo espaço. eu adorei o gostinho de incomodar (hehe). tudo bem que meu aborto de basta! não estava lá essas coisa, mas alguns ainda fizeram comentários doloridos =]

Anônimo disse...

ronne_charles@yahoo.com.br)

Uai Nazareno, fui seu aluno e eu entendo profundamente da sua revolta com essa "terra de rondoniense" e que você está certo em dizer algumas coisas pois afinal de contar só aqui mesmo acontece essas palhaçadas, mas no trecho do seu texto: "Neste pedaço de Brasil, prostituta se apaixona pelo cliente, traficante de droga se vicia e professor de História tem religião" o ultimo em especial (professor de História tem religião) me chamou atenção pois você acabou não explicando no seu texto. aí vou te perguntar; POR QUE HISTÓRIADOR NÃO PODE TER RELIGIÃO EM SUA VISÃO???
pode até ser um bordão seu não sei, mas gostaria de uma explicação. Mesmo por que você não me venha com histórias de ateísmo pois já te peguei várias vezes lá na Paróquia Nossa Senhora de Fátima nos dias 13 de cada mês (risadas).
Brincadeiras a parte achei legal você ter se pronunciado assim, e espero poder ver mais vezes falando de outras pérolas daqui. Abraços e tudo de bom!!!

Aprenda Redação disse...

ARTIGO – Professor Nazareno, parabéns! – Por Chirlane Nobre Belo
Clique aqui para Comentar notícia
NOME: Costa Brasil
CIDADE: Porto Velho
Chirlane, Sem ufanismo, maninha Chirlane, eu sei sim sobre a origem do nome do maior evento folclórico desta cidade. A resposta você encontrará, com um pouco de vontade e dedicação, lá no Bairro do Triângulo, uma região histórica desta cidade que talvez você conheça. Se você achar mais fácil, vá até a SECEL e peça ajuda para Professora Nazaré Silva. Ela vai te indicar uma estante, repleta de livros de autores locais, tratando deste e de outros temas. Não, nós não podemos mudar o nome do arraial, é uma tradição de trinta anos que faz uma justa homenagem que, inclusie você desconhece, apesar de afirmar ser uma beradeira feliz, de São Carlos. Talvez o Professor Nazareno tenha razão. Você é mesmo uma hiena, sem memória. A mim intriga muito uma pessoa ser de São Carlos e afirmar que não tem plantação de maracujá nesta região. Em que planeta (ou São Carlos) você vive? Quando esta cidade era menor, quase toda casa tinha um pé de maracujá, sustentado sob uma latada ou na própria cerca do terreno. Em relação aos políticos, de fato, são corruptos, porém nem todos. Contudo, sempre digo: eles não caem da lua. Somos nós quem os elegemos: eu, você, o Professor Nazareno... Em quem você votou, para vereador, nas últimas eleições? Qual era a proposta dele para cultura, segurança, preservação do patrimônio histórico de Porto Velho e de São Carlos (seu distrito, cujas as primeiras edificações estão caindo aos pedaços}? Você tem acompanhado e cobrado os parlamentares em quem você votou? O seu compromisso com a cidade e o país não termina nas urnas, depois de apertar a tecla do CONFIRMA! Antes que eu me esqueça, maninha Chirlane, eleitor e leitorora ‘alesados’ e político corruptos me parece que não é um mérito só nosso. O Governador lá do Estado do Professor Nazareno foi deposto do cargo por corrupção. O seu mestre ídolo não tratou deste tema e, menos ainda, não chamou seus conterrâneos de animais por conta disto. Sendo assim, o Professor Nazareno não tem o direito de me chamar de animal por existir nos quadros do parlamento estadual e municipais, políticos corruptos. Observe no total de políticos corruptos do nosso Estado: quantos são rondonienses e quantos são de fora? Co-cidadão é você. Sou ser humano por inteiro (nunca hiena), e cidadão como todos os brasileiro de qualquer região do país. Só você que é cidadã pela metade e sub-raça, pois se parece com hiena, segundo o seu guru Nazareno. Você me pede para respeitar aquele texto?! Tenho o direito de discordar do artigo do seu ídolo, primeiro: por não traduzir a verdade; segundo: por ser preconceituoso; e terceiro: por ser superficial e rasteiro. Há um grande hiato que separa a experiência de se ler um texto e a tarefa de vencer um texto, lendo-o. Você só vence textos. Se soubesse interpretar se sentiria ofendida. Só não se ofendeu quem é animal. Animais são desprovidos destes sentimentos. Por exemplo: hienas não se ofendem.
NOME: Orlando Pereiora da Silva Júnior
CIDADE: Porto Velho - Rondônia
Antes que algúem venha a comentar sobre o erro ortográfico que cometi, onde se lê: ticitura, leia-se: Tecitura.
NOME: Orlando Pereiora da Silva Júnior
CIDADE: Porto Velho - Rondônia
Não sei quem é a pessoa Chirlane, porém, por dever de ofício, vou em sua defesa pois vi que alguém tentou nas entrelinhas dizer que a referida escreveu errado a palavra ticitura, peço permissão para anexar um texto sobre a palavra: Palavra muito utilizada no meio acadêmico, em ensaios, dissertações e teses, tessitura /tecitura tem suscitado alguma polêmica quanto à melhor grafia quando empregada figurativamente para significar "entrelaçamento de fatos, idéias, etc., ou a maneira de urdir, tramar, engendrar, planejar a execução de algo". Exemplos: Agradeço àqueles que me permitiram, ao cruzar ou entrecruzar os seus depoimentos, construir a tecitura central desta tese. O olhar sobre a tessitura/tecitura do currículo é ancorado numa "epistemologia social da escolarização", em que se procuram fatores e atores que ultrapassam a sala de aula e o interior da escola. A distinção gráfica é oficial, pois assim consta no Pequeno Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa (ABL, 1999): tecitura s. f. "fios que se cruzam com a urdidura" tessitura s. f. it. "disposição de notas musicais" etc. Também o dicionário de Laudelino Freire (1957, 5 vols.) registra os dois vocábulos: Tecitura, s. f. Conjunto dos fios que se cruzam com a urdidura. Tessitura, s. f. Ital. tessitura. Mús. Disposição das notas musicais, para se acomodarem a certa voz ou a certo instrumento; conjunto das notas mais freqüentes numa peça musical, constituindo a extensão média na qual está ela escrita. 2. Mús. Conjunto dos sons que melhor convêm a uma voz: "tessitura grave, tessitura aguda". 3. contextura, organização. O problema é que o dicionário Aurélio (1986 e 1999) se esqueceu de registrar tecitura, apresentando apenas "tecedura" para significar urdidura; mas no verbete tessitura apresenta os mesmos três sentidos encontrados em L. Freire. E agora o dicionário Houaiss (2001) apresenta todos os significados apenas sob o verbete tessitura. Entendo que fica estranha a grafia com ‘ss’ na medida em que se escreve tecer, tecido, tecelagem, tecelaria, tecidual, tecedura, tecedeira. Já ao falar em música é natural que se escreva tessitura, pois nesse campo o português incorporou os exatos termos da língua italiana. Maria Tereza de Queiroz Piacentini é catarinense, professora de Inglês e Português, revisora de textos e redatora de correspondência oficial há mais de vinte anos.
NOME: Costa Brasil
CIDADE: Porto Velho
Querida Chirlane, Ao ler seu texto abordando a reação de alguns leitores, criticando o artigo do Professor Nazareno, postado na mídia eletrônica da cidade e em seu próprio blog, sob o título Em Rondônia é assim mesmo..., conclui, ao final da leitura que, certamente, nós lemos artigos diferentes. Não! Não foi o mesmo texo!. Ao final do seu artigo você se declara beradeira, da margem do nosso majestoso Rio Madeira. Afirmo novamente: nós não lemos o mesmo texto. Segundo o Professor Nazareno você uma um animal que come carniça rindo! Repito: você é um animal carniceiro! É isto o que você é, segundo o texto, querida Chirlane! Digo-lhe e repito, quantas vezes forem necessárias: sim, o texto me ofendeu. Coube-me como carapuça, feita sob medida para me ofender, me agredir, me humilhar. Discordo de você, Chirlane, que é chama de animal, e acha isto uma maravilha, vez que se deixa embriagar por um artigo que se apresenta como o mais translúcido saber mas, na verdade, esconde a arrogância medíocre de um falso intelectual preconceituoso. O artigo que lhe classifica de hiena e você compreende como brilhante está longe, absurdamente distante, de ser uma crítica à realidade política, social, cultural e esportiva da nossa urbe que, inclusive, você e seu falso profeta habitam. É para mim, muito claramente, um artigo preconceituoso, raso e rasteiro, equivoca, de alguém que pensa que pensa - acredite Chirlane! Mostre-me uma tese, um artigo, um texto sério e científico, um livro de antropologia, sociologia ou de outra área qualquer do saber, que classifica a população de uma cidade, o povo de uma região ou de um país como seres que se assemelham com risonhas hienas comedoras de carniça. Não! Mil vezes não! Este não é um texto sério, pensado por alguém que se predispõe debruçar-se sobre os problemas da cidade e refleti-los. Pergunto-te: porque estas afirmações não lhe ofendem? Você acredita que de fato somos animais e que nos alimentas de carnes podres? Preocupa-me quando alguém como você, na defensiva do absurdo, propõe uma reflexão aos ofendidos, com a finalidade de convencê-los destes xingamentos como a tradução absoluta de todas as verdades. Tenho convicção que não lemos o mesmo texto e quem o escreveu não deve ser professor!!!
NOME: Francisco Campos
CIDADE: Porto Velho
Sabe escrever, Chirlane? O que é "tecitura"? Sei o que é tessitura. Não vejo grandeza na postura do prof. Naza... E poucos viram. A sugestão ainda está de pé: quem tiver insatisfeito, faça as malas e caia fora!

Anônimo disse...

ah cara sinceramente, vc reclama da falta de um festa para santo padroeiro? festa existe sim, realizadas por comunidades religiosas cristãs catolicas, o governo nao é obrigado a organizar esse tipo de evento... agora vc vem falando da flor do maracuja - respeito seu mané, flor-do-maracujá é a maior festa junina da região norte -ahh... por favor né.

Você "curte" com a ignorancia da massa e ironiza muita coisa, provavelmente se você fosse político faria a mesma coisa... você se compara a corrupçao política - amigo, ta na hora de respeitar as diferenças e segurar o sentimentos ruins que sente, em você...

já o que diz respeito a politica de Porto Velho, realmente você apontou coisas sérias, mas existem modos mais educados, serios e éticos de se fazer isso.

Anônimo disse...

Anônimo disse...

A MAIORIAS DAS COISAS SITADAS, NESSA REDAÇÃO É PURAS VERDADE, OUTRA Ñ,Ñ PRECISAVA EXAGERAR TANTO...Prof°
7 de Abril de 2009 20:43
Anônimo disse...

Adoreei o texto. Muita gente em Porto Velho só pensa nas coisas boas.. esquecem de olhar bem e perceber as consequências que poderiam ser causadas com os tais 'desenvolvimentos'. Com qualquer propaganda boa parte da população fica encantada.
16 de Abril de 2009 20:23

pamela disse...

eu não gostei porque ele falou da meu time preferido eu sou fanatica pelo GENUS e fica falando mal esse professor idiota que não respeita a propria cidade que mora...
:0

Anônimo disse...

fica falando mal porque não vaza pra sua cidade....... seu professorzinho de quinta

isleno disse...

Professor li seu relato e fico me perguntando o que o senhor está fazendo aí, quando estou incomodado com alguma coisa luto e faço de tudo para concertar, ajudo as comunidades e dou todoa a ajuda possível e se mesmo assim continuo incomodado vou embora para um lugar melhor. Agora lhe pergunto o senhor pode me relatar suas tentativas de melhorar algo aí? se sua resposta for nada. Pergunto novamente o que o senhor está fazendo aí. caia fora e deixa a vaga pra quem quer ajudar esta Cidade e este lindo Estado...

vanessa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Professor o senhor só falou a verdade,o que acontece é que os matutos não entenderam o texto.

Anônimo disse...

Pessoas BURRAS , não sabem interpretar um texto e IRONIAS:idéias contrárias.

Charlly! disse...

Torço para o gremio pois sou gaúcha mas ja vi tanto porto-velhense metido a gremista que me caiu os butiá do bolso!
kkkk

Anônimo disse...

sou e RONDONIENSE com muito orgulho espero que as pessoas não se deixem levar por esta redação infeliz.
sim
Rondônia não é o melhor lugar do mundo. porém acho que é muito fácil falar das coisas que não lhe agradam.
e tudo que Rondônia tem para apresentar de bom? na minha opinião o senhor deveria sentir vergonha de falar tão mal do nosso povo desta maneira,mas como temos liberdade de expressão né.
espero que o senhor não apresente está opinião na sala de aula, pois isto não tem nenhuma base educativa.
uma coisa como esta deve ser bem pensada não devemos apresentar apenas coisas ruins de determinado assunto ou lugar....
notei nestes comentários que algumas pessoas já se deixaram levar por tais beateiras.
acredito que o senhor conhece perfeitamente o caminho para a RODOVIÁRIA, O AEROPORTO E A BR. Se Rondônia e assim tão ruim gostaria de lhe fazer uma pergunta
o que o senhor ainda faz aqui? volte de onde veio de bico calado sem falar tais besteiras dessa nossa RONDONIA QUERIDA
...

hein? rike disse...

dali naza !!!! sou rondoniense e concordo com tudo,pq é a pura verdade,e ela dói em alguns fascistas!! não gostam dos textos, simples: vão ler revista em quadrinhos !! tenho orgulho de ter aula com o grande Nazareno !! eee noisss