quarta-feira, 11 de março de 2009

Afinal, quem criou quem?



Adão e Eva versus Darwin


Há aproximadamente 150 anos, um certo cientista inglês chamado Charles Darwin punha uma grande pedra no caminho da igreja: a publicação do livro "A Teoria das Espécies", baseado em anos de estudos sobre o tema e em uma volta ao mundo feita para pesquisas, realizada pelo mesmo. Darwin mostrava em sua obra a evolução de todos os seres vivos através do processo de seleção natural e de maior adaptação ao meio ambiente. Através de um ponto de vista em que todos seres vivos descendem de algo primitivo e único, Darwin sugere que o homem desça de seu pedestal - um tradicional dogma cristão - quando diz: Não há diferenças fundamentais entre o homem e os animais".

Do outro lado desse poderoso cabo-de-guerra, entra a religião e algo que inflama até o mais pacato dos povos - a fé. Acusando Darwin de heresia, a Igreja nunca deixou de se sentir ameaçada e ofendida por suas teorias, pregando que o Criacionismo nunca precisou da ajuda da evolução, por sempre ter sido perfeito: "Nunca fomos macacos", proclama o catolicismo. "Darwin matou Deus", concluem outros.

A questão é complexa, apresentando excelentes argumentos de ambos os lados. A Igrejas chama a atenção para a perfeição da natureza e dos seres, chamados por eles "milagre da vida", cuja criação só poderia ter sido obra de Algo muito superior. Além disso, traz as questões supernaturais e milagres que a ciência anda a muitos quilômetros de desvendar. Entretanto, o Criacionismo deixa largas lacunas, que a ciência não hesita em tentar preencher: segundo estudos bíblicos, a Terra teria sido criada em 23 de outubro de 4004 a.C., contra as 6,5 bilhões de velinhas que a Terra já teria apagado de acordo com os darwinistas... Embora o número apontado pelos últimos não seja suficiente para derrubar a versão da Igreja, foi encontrado no final de 2002, no México, um crânio humano com cerca de 13 mil anos de idade, cerca de 7 mil anos mais velho que a criação do planeta pela concepção criacionista.

Esse duelo dos titãs (com o perdão do paganismo, criacionistas...) Darwinismo e Criacionismo ainda acompanhará a humanidade por muitas e muitas gerações - se as condições geo-sociais assim permitirem - porque por mais avançada que as ciências tecnológica e arqueológica sejam, sempre haverá dentro da natureza humana um respeito e necessidade por um Criador. Se até mesmo Charles Darwin, o "homem que matou Deus", entrou em depressão ao perceber o xeque-mate que seus estudos deram na fé e Nele, o que diremos de nós, reles mortais criados ou evoluídos?

Ana Caroline Moreno, 2º ano "A", Colégio Classe A.

3 comentários:

Valdemar Neto disse...

Ana Caroline Moreno, 2º ano "A", Colégio Classe A. Parabéns a esta garota!

Lana krisna disse...

parabéns ao professor e à ana Caroline! essa garota tem futuro!

Amanda santos disse...

Ana Caroline texto muito bom,mais uma vez provando sua capacidade..vai longe menina!