quarta-feira, 24 de julho de 2013

O frio não combina com Rondônia



O frio não combina com Rondônia

Professor Nazareno*

            A forte massa de ar polar que alcançou o sul da Amazônia no final deste mês de julho dando origem ao fenômeno conhecido regionalmente como Friagem fez despencar as altas temperaturas da região e trouxe consigo algo inédito: a sensação de que em Rondônia vivemos na Europa ou em outro lugar desenvolvido e civilizado como a Serra Gaúcha, Curitiba ou mesmo o interior de quase toda a região sul do país. Esse fenômeno é uma verdadeira aberração da natureza: frio é no inverno e em todo o sul amazônico estamos no período da estiagem, ou seja, no verão. Então, nas terras de Rondon o frio aparece estranhamente na estação mais quente. Frio, se é que se pode chamar 14ºC de temperatura baixa. Aqui se pode, pois há três dias, estávamos “assando” com números diários acima dos 36 graus centígrados. Embora não seja surpresa para ninguém, o frio e a Friagem daqui nos incomodam. E muito: “não é que faz frio no fim do mundo?”.
            O meu maior incômodo, no entanto, é ter que andar nas ruas sentindo um cheiro de mofo, barata e naftalina que emana das bisonhas roupas grossas que as pessoas usam para mostrar o que não têm: guarda-roupa de inverno. Geralmente são roupas doadas por parentes que moram no Paraná ou em outro lugar onde realmente faz frio. Já rotas, molambentas, sujas e furadas, as mantas e os velhos agasalhos fazem ironicamente os transeuntes se parecerem com o que realmente aparentam ser: palhaços de um circo em decadência. Rondônia e sua capital Porto Velho são lugares atrasados, feios, sujos, sem a menor infraestrutura e que estão acostumadas com o calor, o mormaço e as altíssimas temperaturas características do lugar. Estão muito mais parecidos com os rincões da África subsaariana, o sertão do Nordeste e mesmo o inferno do que com a paradisíaca Serra Gaúcha ou o norte desenvolvido e civilizado da Europa.
            Além do mais, passar frio em Munique na Alemanha, em Gramado, Canela, Curitiba ou mesmo nos cantões da Suíça significa conviver com flores, belos jardins, canto de pássaros e também degustar a culinária característica da estação. Não há como deixar de apreciar o Fondue de queijo, o Cassoulet de feijão branco, Pirog polonês, vinhos finos e sopas deliciosas. Nestes lugares, o frio faz o romantismo aflorar nas pessoas que se apaixonam mais facilmente. Já em Porto Velho, o frio faz muitos beberem cachaça 61, vinho Sangue de Boi ou Chalise e comer Mandi frito além de esfregar as mãos e reclamar do tempo. Isso num ambiente cheio de poeira, fumaça das queimadas, lixo, podridão, ratos, esgotos a céu aberto, monturo e pessoas mal encaradas, geralmente bêbadas, fedidas e cuspindo para tudo que é canto. O frio daqui só traz desgosto, gripes, rinite alérgica, diarreias, curubas e outras doenças de pobre.
            Decididamente, o frio não combina com Rondônia nem com Porto Velho, pois não se pode conviver ao mesmo tempo com temperaturas baixas e políticos ladrões. Na fria Europa, por exemplo, quase não há corruptos. Então deve ser o calor rondoniano que faz a classe política daqui roubar tanto os cofres públicos. Faz também as autoridades locais se envolverem em briguinhas particulares em vez de trabalharem em benefício da população que os elegeu. Acredita-se que se o clima de Porto Velho fosse frio como está o dia hoje, haveria menos ataques ao Erário e o lugar seria bem mais desenvolvido. O frio faz as pessoas ficarem bem mais dispostas, além de dar mais predisposição para a boa leitura. Mas como essa “estranha” temperatura não é daqui, é bom que vá embora logo, pois precisamos voltar à nossa rotina diária de conviver com o calor, violência, corrupção, sujeiras e atraso. E banhos. Precisamos tomar mais banhos.




*É Professor em Porto Velho.

261 comentários:

1 – 200 de 261   Recentes›   Mais recentes»
Anônimo disse...

Parabéns professor ! o senhor não falou mais do que nossa realidade que é difícil para alguns perceber.

Anônimo disse...

Concordo com tudo que falou. Continue com suas postagens.

Anônimo disse...

Isso é uma forma exagerada, generalizada e um pouco mentirosa de expressar sua idéia. De certo modo toda essa percepção é VERDDEIRA!! Eu moro aqui, observo todos cantos daqui e inclusive sempre especulei sobre esse ATRASO CULTURAL E DE INFRAESTRUTURA. Veja como a BR364 está. RIDÍCULO. Só buraco prevalece buracos em todos os cantos, diante de uma PROMESSA DE 5 ANOS PARA ENTREGA DA TAL. Os gramado que foram colocados em plena [RE]construção, para "enfeitar", inclusive, secaram por falta de presevação.

Digo isso porque moro nessa nojeira de cidade que nem se equipara com Cacoal, Vilhena e até Ariquemens (outra nojeira).

Mas há altos e baixos: tem lugares que são, felizmente, bons como o Conjunto Quatro de Janeiro e uma parte do centro da cidade.

São tantas críticas para se falar... mas é uma pena que este comentário NÃO vai atingir a mente de todos - ou quase todos - leitores!!! DESABAFO.......

Suzane Velasques disse...

Com todo respeito, Professor Nazareno, o que o senhor chama de 'o fim do mundo', também é chamado de 'começo do Brasil'. As terras não são de 'Rondon', nascido no sudeste, carioca. Não é estranho aparecer friagem nesta época seca, comumente entre maio e agosto, na Amazônia... É um fenômeno conhecido e bem estudado, inclusive. Respeito sua opinião sobre minha terra, mas creio que por ser professor, o senhor foi infeliz ao utilizar uma linguagem um tanto perjorativa ao descrever esse período frio, que tanto o incomoda. Como formador de opinião, eu acho (só acho, não sei se estou certa) que o senhor deve imprimir respeito e também demonstrar respeito aos rondonienses, à terra que lhe acolheu e na qual o senhor 'fez' um nome, uma fama relativamente boa como profissional. O senhor tem total liberdade para dizer e escrever o que bem entender, só não esqueça que a partir do momento que escolheu a profissão de educador, o seu compromisso é formar opiniões, formar cidadãos... Não concordo com o que escreveu, mas não o criticarei de modo algum, pois o senhor tem todo o direito de usar a ferramenta 'internet' como quiser. Só a utilize para o bem, e ensine isso também, pois ela já é bem mal utilizada. Desculpe os erros de português no texto, mas creio que ao lerem, entenderão meu ponto de vista. No mais, desejo muita luz e sabedoria para o senhor e sua família.

Anônimo disse...

Concordo plenamente!!! Um lugar onde as pessoas são acomodadas, uma mente pequena, mesquinha, se acham os melhores, não sabendo eles que no primeiro momento que saírem desse mundinho, não vão acertar fazer um O com o copo! São pobres, mas não me refiro a conta bancária e sim de conhecimentos, um atraso incrível de tuuudo... E ainda se acham o máximo, mas não passam de medíocres!! Pobres coitados.

Anônimo disse...

Na verdade concordo em tudo que professor disse. Certamente os rondonienses sentiriam ofendidos pois nem sempre estamos preparados para ouvir a verdade. Em todos os comentários vejo pessoas ofendendo o professor. o chamando de idiota, imbecil.. mas não vejo nenhum comentário dizendo: "O senhor se enganou professor... Em Porto Velho os políticos são todos corretos, as ruas são todas limpas e asfaltadas, somos a cidade mais segura e evoluída do Brasil e engano seu, Porto Velho faz frio o ano todo, portanto estamos sempre preparados!
Acorda rondonienses!!! Ao invés de ficar ofendidinhos, por que não saem em busca de crescimento e desenvolvimento para o seu Estado?

Suzane Velasques disse...

Boa tarde, prezados. Concordar com o que o texto explicita, é válido, apesar que eu não concordo em tudo, com o que identifiquei como ofensas aos rondonienses, pelo menos. Ofensa não leva ninguém a nada mesmo, pelo contrário, quem ofende perde a razão. Os rondonienses, assim com o resto do Brasil, estão sim acordando, caro 'Anônimo'. Sua liberdade de expressão existe para corroborar ou não com as verdades expostas, mas ao utilizar de ironias e discursar sobre como os rondonienses devem se portar, ao menos identifique-se, é de bom tom. Não discordo sobre o que é dito, por exemplo, sobre a política em Rondônia, que não é diferente de outros Estados, infelizemente. Só expresso minha opinião enquanto rondoniense, mas não me sinto 'ofendidinha' não. Só creio que deve haver respeito e isso, ao meu ver, faltou um tantinho. Abraços cordiais.

Anônimo disse...

Medíocre sim!Mesquinhos sim!São pessoas tão medíocres que parecem não saber o que quer dizer Liberdade de Expressão. E quem lhe disse que é ofensa o que falei?Então você pode expressar sua opinião e eu não posso expressar a minha? Faz-me rir!E vou continuar dizendo, que os rondonienses vivem em um mundinho de fantasia, vocês não sabem nada de nada, mas se comportam como os verdadeiros sabidões! Me poupe!Cordialmente, ANDRÉ SOUZA AGUIAR

Suzane Velasques disse...

Prezado ANDRÉ SOUZA AGUIAR, liberdade de expressão é direito de todos, até de quem não sabe muito bem o que fazer com ela... Não me referi ao seu comentário como ofensivo e sim ao texto do ilustre professor, mas percebo que houve erro de interpretação de sua parte. Expresse-se como quiser, só não acho de bom tom utilizar de pejorativas, principalmente quando o dito é de um formador de opiniões, como o é o ilustre professor. Creio na máxima de que "posso não concordar com uma palavra do que você diz, mas defendo até o fim o direito de dizê-las." Lembrando que, ao expressar opinião, é bom tomar cuidado com o modo de escrever/falar, pois, nesse caso, pode dar margem para xenofobismos. Abraços cordiais.

Suzane Velasques disse...

Receita de tacacá, uma ótima pedida. Abraços.

Higo do Vale Paiva disse...

Ótimo texto, professor.
Como sempre, todo mundo se recusa a ver a verdade. Afinal, poucas pessoas em Rondônia sequer conhecem essa palavra. Por isso, é muito óbvio que todos, ou quase todos fiquem reclamando, xingando e defendendo a classe política do Estado. Por isso defendem com tanto afinco seus representantes. Se eles os elegeram, que continuem no buraco.
O frio realmente não combina com Rondônia. O que combina mesmo é mentira, roubo, sujeira, falcatruas e muita, mas muita corrupção.

Higo Paiva.

Nicole disse...

O Problema nos textos do nazareno que geram tanta polêmica muitas vezes é a falta de interpretação das entrelinhas.Se analisarmos todos seus textos,ele nunca fala mal do povo rondoniense,ao contrário,ele instiga o povo a refletir,a pensar nas mazelas pela qual passa nossa cidade e Estado.Entender que os políticos não gostem de seus textos é admissível,porém, a população devia agradecer por ter alguém que não tem medo da verdade,e o povo que se sente ofendido são aqueles que contribuem para essas mazelas,pois venhamos e convenhamos que a população portovelhense NÃO tem amor á sua cidade ou teria o mínimo de educação mantendo a cidade limpa.É um absurdo até o centro da cidade estar uma verdadeira lixeira por tudo quanto é lado,nos pontos de ônibus nem se fala.Portanto caros leitores,vamos nos educar e não somente se sentir constrangidos com as verdades ditas pelo prof.Nazareno.

Paulo Sandro Teixeira disse...

Como se mede a proficiência de um professor de redação se isto é algo tão subjetivo e numa cidade onde há dezenas de professores de Língua Portuguesa? Pode ser o melhor pago ou o que tem aprovado mais, certamente escolher o melhor não dá pois Educar é um processo. O aluno passou por vários professores até chegar no PREPARATÓRIO para os concursos, ou seja, os melhores alunos são frutos de VÁRIOS, o melhor professor pode apenas estar colhendo... Os bons reconhecem seus erros, pedem desculpas e prosseguem...os fracos tentam a todo custo justificar seus erros.

Jessika Luana disse...

Rodrigo Anconi O Nazareno é um bom professor, ele aguça nosso senso critico. Não basta só falar que a cidade é boa q ela será, ninguém gosta que joga sujeira no ventilador, será pq né? o nazareno mostra através de atitudes( incentivando, passando seus conhecimentos) querendo mudar nossa realidade de alunos de escola publica, e vc o q faz para ajudar alguém? a Soniamar Salin e o Nazareno são como pais sonhadores para os alunos e como td pai devem punir se tem algo errado. E como eleitor ele tem como o direito de criticar a cidade em q paga seus impostos, por favor respeite as diferenças de opinião. Ate mesmos Policarpo Quaresmo um nacionalista( apesar de ser ficção) ele não aprovava o algumas medidas tomadas pelo governo.

Geovana Galvão disse...

Soniamar Salin é isso mesmo professora,esse povo ignorante não sabem de nada deveriam procurar o que fazer ao invés de ficarem defamando o nosso querido professor.Sem contar que deve ser o melhor professor de redação de PORTO VELHO e tenho orgulho de ser aluna de vocês..Tenho certeza que ele sabe muito bem o que escreve e o que deixa de escrever..:/

Jhu Phoenix disse...

Nao sou nascida em porto velho mas acho que um cidadao que aqui mora e e um educador deveria pensar melhor no que posta pois o pais esta atravesando momentos de senciveis situaçoes onde nao se precisa criticar o povo e sim seus governantes que nao cuida do patrimonio publico, onde um professor deveria estar educando seus alunos a manter a cidade limpa ao contrario ensina os a mal dizer o estado onde mora e ganha sua vida no colegio joao bento poderia estar em uma decadençia esistencial pra poder denegrir mas a imagem de uma cidade desistruturada por pessoas que roubam e acham que o povo e burro acorda professor a sociedade como os mal vestidos com cheiro ne naftalina podem estar pagando teu miseravel salario rondonia combina com tudo afina e vivemos nu pais tropical onde a climas maravilhos e aqui somos previlegiado por calor e agora frio mesmo com os casacos doados por parentes que vivem no sul e o que vc usou nesses dia um casaco ou uma pantufa doada por um amigo que agora deve ter vergonha de ter lhe oferecido um pouco de calor a mas fazer o que se ele acha que nao a pessoas vergonha e amor por essa terra

Pedro Maltezzo disse...

Eu concordo com esse louco, ( NAZARENO ) é uma critica, as pessoas e seus malditos STATUS, vem o frio e tudo muda, hábitos mudam, pessoas ficam cultas, se vestem bem, comem bem, encontram um lugar pra ler um livro, e viram meteorologistas prós do facebook, um paraíso só... que duram 2 ~ 3 dias, depois volta a mesma porcaria de sempre. E ai aparece as pessoas ofendidas, os heróis da pátria amada... que são cegos ou se fazem, porque vivemos em uma cidade desorganizada, suja, somos o topo da corrupção do país, sim, o nosso povo, o povo que representa o estado são os mais infiéis do país, e podemos ver essa falta de bom caráter no dia a dia, na rotina de Porto Velho, no trabalho, no laser, em qualquer lugar que você vá. STATUS STATUS STATUS, então quem passa a mão na cabeça da nossa amada Porto Velho, está apenas alimentando um câncer, uma ilusão, um consolo para os demais iludidos.

Roxane Fernandes disse...

Parece que o Nazareno está preocupando mais do que a operação apocalipse.

Rodrigo Anconi disse...

Vou fazer um texto falando muito mal do Nazareno, vou escrotear mesmo, depois vou dizer que era pura ironia, que vocês foram burros demais para me entender e que tudo não passava de um texto exaltando as qualidades do mesmo, só que ao contrário. Simples assim, não é?

Roxane Fernandes disse...

Poucos entendem um texto irônico. O professor Nazareno usou esse artifício para criticar o descaso com a cidade e não os costumes desta. Gostei muito do seu texto professor Nazareno e apenas vi a nossa realidade de maneira implícita.

Higo do Vale disse...

Como eu tenho dito, se trata de uma crítica política!

E, como já comentei em outro lugar, o que eu tenho a dizer é:

Conhecido por sua ironia e excelência profissional, esse é apenas mais um texto coberto de suas características como redator. Você, com certeza, se recusa ver as verdades existentes em Rondônia. Ninguém gosta de ouvir verdades. Elas doem. Mas está certo... Apoiem o seu representante. Cada povo tem o representante que merece. Você não entendeu o texto, eu tenho certeza absoluta disso. Não entendeu. Eu li o seu e isso me fez ter certeza.
O texto ironiza os problemas do Estado, enquanto Estado. Dos representantes imbecis e irresponsáveis que temos e dos eleitores não politizados.
Realmente, o frio não combina com Rondônia, com a corrupção extrema desse Estado, não combina com os eleitores daqui, com as roupas impregnadas com cheiro de naftalinas e baratas, não combina também com as pessoas que sopram suas mãos com hálito de bosta e reclamam do clima. Rondônia só combina com sujeira, roubo, falcatruas e tudo que há de pior por aqui.

Adriele Araújo disse...

Concordo com o Nazareno, e neste sistema capitalista que vivemos é difícil ver pessoas que têm a coragem de expor o que pensam e a realidade em que vivem, ele está no seu direito usando o que chamamos de DEMOCRACIA! Parabéns e continue assim! pois são suas atitudes que determinam o seu sucesso!

Kaliese Arcanjo disse...

A finalidade de um texto é essa: transbordar várias interpretações. Cabe a qualquer um entender de forma explícita ou implícita um texto lido.

Maiza Dias disse...

Já cansei de dizer... São burros, burros, burros e burros. Esse está sendo o dia de maior comédia para mim e para muitos que só sabem GARGALHAR com essas "defesas" mal feitas contra o Nazareno. Continuem o show não pode parar!

Paulo Sandro Teixeira disse...

Certamente você não leu o texto!!!

José Francisco do Vale disse...

Higo. Deixa isso pra lá... vem pra cá. O que é que tem? Eu não tô fazendo nada e você também... Faz mal bater um papo assim gostoso com alguém? Não se iluda com as retóricas... Até a impostação de voz do sedutor poderá te levar ao mundo de ALICE,

Anônimo disse...

Me admiro de um professor formado com anos de experiência, querer comparar Porto Velho com Curitiba (que possui 320 anos)ou São Paulo(possui mais 400 ano, pior ainda com Inglaterra ( que possui mais de 1000 anos). Coitados dos alunos que devem ouvir essas ofensas.
OBS.: deve ser bem imigrante.

C. Luiz São Carlos disse...

Sou caboclo do beiradão, mas nem por isso me rendo diante de tanta bosta que o senhor escreveu. Bosta, sim. Pois lagosta também tem isso na cabeça, feito o senhor... Para escrever os arrotos quo senhor rabiscou, é só ter um computador, enternet e saber pesquisar mal-emal...E ser escroto. Agora, querer mandar embora do Estado um cidadão como o Professor Nazerno, somente porque você não consegue ler e interpretar ironias, já é demais. Seu Walace! Preste bem atenção. Em 1981, quando você ainda cagava nas calças, o Professor Nazareno já era professor e diretor da Escola General Osório, de Calama, onde realizou um excelente trabalho por anos. Depois atuou como diretor e professor do Colégio Orlando Freire, onde também fez história. Depois tornou-se professor do João Bento, da Coopeduc e também do Classe A. Milhares de alunos passaram pela sala do Professor Nazareno, aprendendo os rudimentos da Língua Portuguesa e a fazer boas redações. Dentre os muitos excelentes profissionais que transofrmaram o João Bento em uma referência de ensino público, destaca-se o Professor Nazareno. Milhares de profissionais e universitários agradecem às brilhantes lições deste educador, as quais permitiram-lhes passar em vestibulares locais e país afora. Milhares, falastrão Walace... Mais do que sua mente travada pode imaginar. E agora vem você, com empáfia de um norte-americado (deve ser a influência do nome), criticar o Professor Nazareno, querendo dar-lhe lições de moral. Aposto que na próxima aula de Redação, os muitos e atentos alunos do Professor Nazareno irão dar boas gargalhadas do seu texto, pois perceberão, de cara, que você nunca leu outros textos do mestre, nem entendeu o último por ele escrito. Você será exemplo de como muita gente enfezada e inculta não consegue ler e interpretar um texto carregado de verdades, mas redigido com fina ironia. Por gente assim como você, Walace, é que nós continuamos sendo um povo carente de muitas coisas. Quem nos joga uma verdade na cara, nós o expulsamos de nosso meio. Verdades machucam nosso ego imbecil. Portanto, seu Walace, preste atenção: ANTES DE MANDAR EMBORA DO ESTADO O PROFESSOR NAZARENO, pergunte aos milhares e milhares de ex-alunos e atuais alunos dele, seus amigos, uma multidão de educadores sérios que conhecem e admiram o mestre Nazareno, a esposa, filha e filho dele, para ver se todos eles querem vê-lo longe de RO. Ou você, na sua limitada concepção, pensa que este educador doou os últimnos 34 anos de sua vida para enrolar e não fazer nada. É por causa de cidadãos como o Nazareno, que nosso estado cresceu, desenvolveu-se e propiciou um futuro promissor aos seus jovens. Suas costumeiras críticas ácidas somente causam urticárias na escória. Gente de bem aprende com ele. Ele jamais retrucou aos críticos de seus textos, pois sabe conviver com a pequenês e a falta de conhecimento. PS. Estou certo de que o Professor Nazareno já leu mais livros do que você possa imaginar. E, pelo visto, não é ele que precisa ler e pensar um pouco, antes de escrever sandices. Pavão deslumbrado!!!

Anônimo disse...

A alienação parou neste deste.

Anônimo disse...

Где страна собирается останавливаться с такой глупостью и высокомерием к людям ...

Ana Carolina Martins disse...

Querido idiota, realmente lamento que você pense assim, primeiramente pelo fato de você estar afogado na mesma porcaria de cidade que todos os outros fedidos. Segundo, por você ser tão fudido (desculpe, isso foi rondoniense demais pra você?) quanto qualquer um dos outros que não fazem coleção de casacos de inverno simplesmente por não serem idiotas de comprar casacos em um local de clima equatorial como a amazônia. Terceiro, o que afinal combina com os países desenvolvidos da Europa? A aula de merda que você deu a mim e a mais um bando de coitados que eram obrigados a ouvir suas asneiras durante três anos, ou a língua nojenta que você mastiga o tempo inteiro? Sou de Minas Gerais, uma das regiões mais desenvolvidas do país. Sinceramente, não vá para lá. Ou para Curitiba. Muito menos para a Europa. Lugares desenvolvidos não querem velhotes idiotas como você. Afinal, como você ainda consegue lecionar? Que vergonhoso para a instituição de ensino onde você trabalha. Talvez você queira saber que "dissertação argumentativa" não é a única porcaria que cai em vestibular, sabia? Muito menos a sua porcaria de aula sobre "atualidades". O melhor que você faz é se trancar na sua casinha medíocre, com as suas ideias medíocres, sentar-se à frente de um computador e escrever coisas desse tipo. Tão medíocres como você. Inúmeras vezes me perguntei em aula que tipo de idiota tem a coragem de se posicionar a frente de uma sala de aula cheia de adolescentes e falar as porcarias que você fala? Incrível como aos 15 eu já entendia que não queria ser assim. Obrigada por dar o exemplo de estupidez, burrice, mediocridade, ignorância, apolitização que não quero ser. Obrigada também por ser o exemplo do ridículo para mim e para todos os alunos que são obrigados, todos as semanas, a assistir uma torturante sessão de 50 minutos a respeito do quanto um ser humano pode ser idiota consigo mesmo. Talvez no seu mundinho de estupidez, você seja um cidadão europeu.. Ou more em Curitiba. Desculpe ser tão sincera, mas você está afogado juntinho à um monte de "fedidos à naftalina que pegam casacos dos parentes do Paraná". E melhor: Você é o mais medíocre de todos. Por favor, se tranque em sua casa e não contamine mais ninguém com a sua idiotice. A propósito, se é para falar do guarda roupa das pessoas e seus respectivos cheiros, compre outra calça. E outros óculos. Pare de mastigar a língua, porque ela é mais sebosa que seu cabelo. E melhor: essa colônia barata que você usa, não é melhor do que a naftalina. :)
Querido idiota, realmente lamento que voce pense assim considerando que é mais fudidoque qualquer um dos fedidos que voce citou. Por afinal, o que combina com a Europa? A aula de merda que voce me deu por 3 anoa no Ensino Medio ou essa lingua nojenta que voce mastiga o tempot inteiro? Sou de Minas Gerais, uma das regioes que voce diz serem ótimas e meu querido estupido, nao va pra la. A menos que queira ser caracterizado como um escória ridículo e digno de pena. Nem para o Sul. Muito menos para a Europa, porque creio que um lugqr tao maravilhosamente bom como aquele va querer um bosta como voce. Nem quem mora em Porto Velho consegue acreditar na sua estupidez, quanto mais um Europeu. O melhor que voce faz, com certeza, é se trancar na sua casinha mediocre, com suas ideias mediocres e Se esconder atras de um computador e escreve as mesmas merdas de sempre. Nao sei como voce ainda consegue um aluno que seja idiota o suficiente pra permanecer em auas aulas. Continue escrevendo essas mesmas porcarias pra que sempre tenhamos algo do que rir em meio ao calor e ao cheiro de naftalina. E ja que é pra falar da vestimenta dos outros, acho aconselhavel você trocar essa calça por alguma coisa menos odiosa, afinal nienhum cidadão desta cidade é obrigado a ter que olha isso, né?

Nicole disse...

O engraçado que lendo esses comentários o povo diz que o prof. Naza só quer Ibope,porém ninguém deixa de ler por quê? E quer vocês queiram ou não,ele é o melhor professor de redação dessa cidade,é crítico,exige que seus alunos pensem,quem saiam da inércia, faz-os pensar,refletir,coisa difícil de ser encontrada em um educador hoje.E outra, os textos do professor Naza são IRONIA pura,quem o conhece sabe disso e o mesmo só escreve via metáforas, qual a dificuldade em entender isso? talvez falata de leitura de mundo como sempre ele diz....

Anônimo disse...

Perfeito! Concordo plenamente.
E seu pequeno texto está bem mehor que o dele...

Rubens Coutinho, Jornal Tudorondonia disse...

Não vi nada demais no texto bem escrito do professor Nazareno. Tirando alguns exageros, ele falou a verdade. No mais, quem conhece o professor, sabe que ele é um provocador. E tem conseguido mexer com os brios das pessoas, como quando da vez em que propôs a demolição das Três Caixas D'agua. Na friagem de três dias que fez aqui em Porto Velho, eu não tomei cachaça 61...tomei 51, a boa e velha Pirassununga. Mandi frito não, que não encontrei no Mercado Central nem no Cai N'agua, mas fritei uns jaraquis. O vinho foi Sangue de Boi mesmo. O agasalho, peguei um que tava no guarda-roupa há mais de ano. Antes verifiquei se não tinha nenhuma barata morando nos bolsos.

Bianor Cocchi disse...

Ainda bem que o professor mora nesta "velha e porca Porto Velho". Penso que, se estivesse em Curitiba ou na Serra Gaúcha, não teria tempo de escrever tantas asnices, pois estaria dando aulas em alguma escola municipal ou estadual, ralando em troca de pequeno salário e enchendo o pote de 51. Ou, talvez, na Europa, lavando pratos ou fazendo programas. Acho que, no mínimo, precisa respeitar os que gostam desta Rondônia e que usam os casacos mandados pelos parentes. Como dizia minha mãe:" Quem fala muito, dá bom dia ao cavalo".

Roberto Régis Batista disse...


Ilustre Professor NAZARENO, com tamanha cultura e inteligência que demonstras ter, por que escolhestes Porto Velho para vir matar sua fome? Detesto quem denigre o lugar pra onde veio puxando uma cachorra.

Lucileyde Feitosa disse...

O texto do professor Nazareno é provocativo, penso que deve viver de forma amargurada em Porto Velho, cogito essa hipótese. Mas como é professor, deve trabalhar na perspectiva de ser formador de opinião. Destaco a coragem desse professor em provocar tantas reflexões, de instigar as pessoas no seu íntimo.
Moro em Rondônia e tenho o orgulho de viver aqui com minha família, mas considerei de péssimo gosto alguns comentários em relação a esse Estado que acolheu tantos migrantes, é o Estado realizador de sonhos de muita gente que chegou carregando o CACAIO nas costas e não tinha nem onde morar.
Concordo que precisamos melhorar a infraestrutura do Estado de Rondônia, mas isso não significa desprezar a qualidade humana existente nesse espaço.
Porto Velho era para ser uma capital super planejada devido aos investimentos recebidos do PAC, mas por conta da maldita corrupção o dinheiro deve ter sido desviado ou ultrapassou fronteiras...
Comparar RONDÔNIA com cidades da Europa e mesmo do sul do país considero uma GRANDE ABERRAÇÃO. É preciso trabalharmos mais para alcançarmos uma qualidade de vida melhor, com segurança, bem-estar da população. É preciso que as pessoas criem mais identidade com o lugar, que lutem para melhorar esse Estado que foi muito saqueado e continua sendo roubado por políticos inescrupulosos.
A população nos últimos dias se deparou com a friagem, foi contagiante ver a população de cachecol, de blusas de frio, jaquetas diversas e até luvas, mesmo porque muitos rondonienses não tiveram a oportunidade de conhecer cidades belíssimas do sul do país ou mesmo visitar a Europa. E como o povo foi criativo em escolher peças que combinaram com a friagem. Nós fizemos o nosso inverno acontecer de forma criativa e com muito senso de humor, sem frieza nas relações humanas.
O seu texto só me fez valorizar mais o meu peixe com farinha, o meu vinho açaí, a tapioca na folha da bananeira, o tacacá com jambu...

Gabriel Violato disse...

Já tinha visto. Eu continuo achando uma tremenda falta de ''problemas'' levar um texto desse tão a serio sendo preconceituoso ou não, acho que nos rondonienses temos outras prioridades para se preocupar tanto!

Kazui Pedrazza disse...

Qualquer coisa por 5 minutinhos de "fama" pagando de intelectual que defende seu povo e sua cidade.

Doralice Alves Mendonça disse...

adoro leitores politizados e críticos....estes jamais se deixarão iludir por uma interpretação errônea e tendenciosa .....adoro!!!!!!

Natan Castelano disse...

sso me lembra no meu trabalho. Meu amigo que nao falo o nome gosta de me chamar de "japa", eu sempre falo não sou isso sou filho de índio e ele sempre rir achando que isso é ruim. É interessante a falta de estudo o que faz com os seres.

Anônimo disse...

GENTE UM FILHO DE HITLER VIVE EM RONDÔNIA. E LECIONA AULAS, ALIENANDO OS ALUNOS RONDÔNIENSES... SERÁ QUE A RAÇA ARIANA DELE DARÁ CERTO EM PLENA DEMOCRACIA BRASILEIRA?

Anônimo disse...

metáforas e ironias não se baseiam em ofensas...

Anônimo disse...

Concordo plenamente, vc disse o que todos oponentes precisam ler aqui! Ele está fazendo um texto construtivo apesar da maneira particular dele de fazer isso! Pâmela

Maicy Teles disse...

Prof. Nazareno certa vez num encontro casual, você descreveu a mim e a outras tantas pessoas presentes na ocasião, uma situação inusitada assim que chegara em Rondônia. Disseste que estava num casebre de telha de zinco e ouviu um barulho ensurdecedor, e ficaste assustado e com muito medo. Logo perguntou a seu amigo, que lhe dava brigada: "o que está acontecendo? Que barulho é este?" Seu amigo lhe respondeu: "É chuva". E vc saiu correndo pegando os baldes da casa para enchê-los d'água, pois de onde veio, água é um bem natural incomum e escasso. Lendo esse seu infeliz texto, percebo que precisas voltar às origens, e reaprender a valorizar as pequenas coisas da vida. Pra quem chegou aqui em Rondônia passando cede, vc tá muito metido a besta.

Edivan snr. Edivan disse...

E tem coisa melhor que Mandi frito , acompanhado de um vinho sangue de boi vestido de uma blusa de frio. Entendo que as pessoas estao criando uma tempestade em um copo de água e que o Professor Nazareno não quis rebaixar a capital de Porto Velho em relação às cidades do sul, quis apenas expressar sua opinião em relação ao que está acontecendo e que convenhamos está REALMENTE ACONTECENDO na cidade de Porto Velho. Parabéns ao belo texto escrito Professor Nazareno.

Carlos Caldeira disse...

Edivan Srn Edivan então você também gostou de ser chamado de palhaço de um circo em decadência, certo? Parabéns por sua inteligencia e espiritualidade. Eu, pessoalmente não achei graça nenhuma de ser chamado de palhaço, apesar de ter um grande amigo que é palhaço por profissão, que é meu amigo Pra Dentro e te garanto, nem ele, que realmente é palhaço gostou dessa palhaçada.

Sérgio Ramos disse...

Convenhamos, nem tudo que o professor Nazareno escreveu é tão absurdo assim. É que estamos acostumados com eufemismos, e quando alguém tem a coragem ou loucura (parece que falar claro é coisa de doido) chamar as coisas pelos nomes corretos causam escândalos.

Gustavo Portela Veras disse...

Infelizmente tive o desprazer de ser aluno disso ai...Lamentável!

Codignole disse...

Parabéns pelo texto, professor!
Tem mesmo que falar a língua que o povo entende.

Elieudo disse...

"O frio não combina com Rondônia” é um dos textos mais grosseiros que li nos últimos tempos. Das mediocridades que o texto apresenta destaca-se o olhar distorcido que se volta às questões de cultura, a compreensão torta que se faz de “desenvolvimento” e “subdesenvolvimento”, a noção fragmentada de “centro” versus “periferia”, tudo isso aliada à forma grosseira de escrita revela um olhar discriminatório perante o lugar e as pessoas. Ao ler o texto pensei acerca do “mundo” onde vive o autor. Talvez o mundo da “impossibilidade” ou “frustração”, afinal a sua vida se dilui num “ambiente cheio de poeira, fumaça das queimadas, lixo, podridão, ratos, esgotos a céu aberto, monturo e pessoas mal encaradas, geralmente bêbadas, fedidas e cuspindo para tudo que é canto, numa região de “calor, violência, corrupção, sujeiras e atraso”. A visão idílica do sul do Brasil e da Europa, regada a bons vinhos e algumas doses de esnobismo barato do autor, é limitada, é fútil, convive, paradoxalmente, com o que é sujo e fétido. Para além das grosserias, tive a impressão de tratar-se de uma forma nonsense de escrita, não reconheço os personagens ali apresentados - não desse modo sui generis. Teria sido o autor do texto extraído de alguma obra de Charles Lutwidge Dodgson? Para mim, peculiar é a escrita desse senhor, tem cheiro de coisa velha, de naftalina vencida, ideias mofadas que carecem de sol, “palhaço de um circo em decadência”.

Ana Wilma disse...

Esse professorzinho "furreca" quer apenas aparecer. Enquanto não pode ir pra Europa, ou qualquer outro lugar chique do Sul, vai ralando em RO mesmo, afinal nem todos os lugares aceitam lixo como o senhor, professor doutor.

Sayonara disse...

Caro professor, a boca fala do que o coração está cheio. Infelizmente o seu coração representa exatamente o inverno retratado pelo senhor!

João Macedo disse...

É muito dificil traçar um coméntário sobre a material que esse IMBECIL publicou. De onde ele veio? Rondonia não merece um idiota entre nós. Dá o fora, cara!!!

Paulo Juliano disse...

É muito dificil traçar um coméntário sobre a material que esse IMBECIL publicou. De onde ele veio? Rondonia não merece um idiota entre nós. Dá o fora, cara!!!

Marival disse...

Esse cara é um palhaço e o maior babaca nordestino que não respeita a casa dos outros. Temos orgulho da maioria dos nordestinos que aqui aportaram quando da 2ª guerra mundial e prestaram sua parcela de trabalho em Rondônia, agora vem esse jumento falar da terra que lhe dá emprego. Cala a tua boca e volta correndo pro buraco que saiste, seu b...

Mariana disse...

Este psicopata que se auto intitula professor, tenho piedade destes infelizes jovens que tenham que conviver com tanta malidicência, baixa estima, espírito de derrotismo nas suas aulas, deveria com suas agressões gratuitas ao povo rondoniense como se aqui apenas existissem escorias e arremedos de pessoas. Psicopata, busque um tratamento psicológico urgente pois está passando dos limites da civilidade ou então tente levar esta sapiência toda a terras evoluidas. Lá com certeza será do amigo do rei, terás a mulher que quer, na cama que escolherá. Meu sentimento é de piedade desta alma infeliz e doente!

Professor disse...

ACHO QUE O NOBRE INTERNAUTA DANNY NÃO ENTENDEU DIREITO: NINGUÉM QUER QUE RONDÔNIA SE PAREÇA COM PAÍSES DE PRIMEIRO MUNDO, PORQUE ESTMAOS LONGE. O QUE INDIGNOU FOI O TRATAMENTO DADO AS PESSOAS DE BEM POR ESSE SUJEITO ARROGANTE. E O QUE PARECE, VOCÊ É IGUALZINHO A ELE..SE TOQUEM.e como já falei: vocêscom essa arrogância não tem nem moral de falar de político, porque essa raça além de roubar-nos, são arrogantes,tal qual vocês dois são.

João Paulo disse...

Babaca, esquece de dizer que somos nós que viemos de outros Estados, principalmente do sul do país que formamos os fedorentos da cidade que escolhemos pra viver, e nesse período, prefiro mesmo ficar por aqui, do que lá em Curitiba, e o casaco fica mesmo empoeirado. Ocorre meu caro que eu posso falar por experiencia, o calor em Porto Velho é calor mesmo, tipico das regiões com clima equatorial, 30º parece 40º, e 20º parece 10º ou menos, devido a sensação térmica pela umidade da região. Mas, os corruptos daqui são de lá também, como ksol, raup, j. ramires (pr) e sobrinho (sp). Outro detalhe, temos que assumir o lugar que escolhemos pra viver e fazer as mudanças, independente da temperatura do lugar, afinal a Rússia é o pais mais frio do leste europeu e tem mais corrupto que o Brasil, mas isso não deve servir de consolo não, também o que seria dos Estados Unidos se os pioneiros qua migraram pra america não se adaptassem nas regiões mas adversas como os desertos daquele país, a mudança tá no seu povo (todos os que vieram pra rondonia) não no clima do lugar, como disse o professor, a tal friagem é um evento sazonal que não passa de uma semana, então já que o clima não muda e o professor não tem compromisso com as mudanças do lugar que lhe sustenta, só posso lhe desejar uma boa viagem.

CIRO disse...

É bom o cará... Dondo foi mesmo que ele nasceu??? O Nazareno, O Professor???? Os dois Mandis, três Piaus e um Matrinxã que fui pescar no Riu novo hoje dia 26 de julho meu Irmão não tem preço! Querem sabem quanto? Passou de R$ 200! Valeu a caminhada no pasto, o prazer da fisgada e a luta do pescado e pescador a refeição que não tem preço.

JOSI disse...

Gente eu amei esse texto do renomado e viajado Professo Nazareno. Vou explicar-lhes: Mostrou que ele tem que matar a fome na "Cidade" que inferioriza com muita veemência no discorrer de seu texto medíocre; outra leseira: Pelo que entendi ele até ofendeu a natureza (risos) "verdadeira aberração da natureza", talvez ele se julga o próprio Deus; mais uma: O nariz dele deve ser enorme ou ele saiu cheirando a população um a um (kkkkkkkkkk); enfim o melhor: conheceu verdadeiros paraísos como ele relata e veio parar aqui, tendo que sobreviver escrevendo textos amargurados para ganhar uma graninha que talvez dê para ele comprar um mandi e matar sua fome que ele não conseguiu matar e degustar em seus paraísos não alcançados. É POR ISSO GALERA QUE EU AMEI ESSE TEXTO. SOU PORTO VELHENSE, TEMOS NOSSAS DIFICULDADES COMO EM TODOS O LUGARES DESSE MUNDO ATÉ MESMO OS MAIS DESENVOLVIDOS, E AINDA TEMOS QUE ABRIGAR GENTE PATET.

Danny Bueno disse...

Concordo em gênero, número e grau com o Prof. Nazareno... também, com um prefeito destes, um governador destes, uma Assembléia destas e uma câmara de vereadores destas o que vocês queriam, Nova York, Paris???

Saantinho Neto disse...

O frio da Europa fez com que uma Itália entrasse quase em colapso por causa das corrupções que assolavam o país, fez da Grécia milenar um país arrazado, da Espanha , com suas touradas (sic) uma terra de desempregados, posso continuar? Meu caro “professor”, não é por causa do calor tropical de nossa terra que passamos por tantas dificuldades e sim por causa de pessoas não comprometidas com ela, que só vieram para cá em busca do seu quinhão e se foram. Vide a história do Brasil. Quando cheguei aqui também senti que a cidade e o Estado precisava de mudanças e com minha humilde contribuição tenho feito tudo o que posso para que aconteçam; entretanto colocar as pessoas como um todo sendo de péssima reputação aí é se jogar no ventilador, se é que me entendes. Nossa capital está realmente muito aquém de várias outras, mas já passaste pela periferia de São Paulo, Rio de Janeiro,Belo horizonte, Porto Alegre, Recife, Fortaleza ou Brasília? Tente ver os jornais locais e obterás a resposta. En passant: És professor de que mesmo?

NEGO disse...

Educação deve partir de todos, principalmente de professores.

Rubens Coutinho disse...

Não vi nada demais no texto bem escrito do professor Nazareno. Tirando alguns exageros, ele falou a verdade. No mais, quem conhece o professor, sabe que ele é um provocador. E tem conseguido mexer com os brios das pessoas, como quando da vez em que propôs a demolição das Três Caixas D'agua. Na friagem de três dias que fez aqui em Porto Velho, eu não tomei cachaça 61...tomei 51, a boa e velha Pirassununga. Mandi frito não, que não encontrei no Mercado Central nem no Cai N'agua, mas fritei uns jaraquis. O vinho foi Sangue de Boi mesmo. O agasalho, peguei um que tava no guarda-roupa há mais de ano. Antes verifiquei se não tinha nenhuma barata morando nos bolsos.

Marcelo disse...

Esse,Professor deveria ter mais respeito pela cidade aonde vive,afinal e aqui que ele ganha o pão dele,concerteza deve ser mais um chegar em PVH, puxando a cachorrinha...toma vergonha na sua cara, professor, se fala tão mau de nossa, cidade .. e melhor voltar de onde veio.

Carla disse...

Esse cidadão deveria se mudar para passar frio em Munique na Alemanha, em Gramado, Canela, Curitiba ou mesmo nos cantões da Suíça então. Será q ele tem cacife para isso? Os incomodados é q se mudem daqui... Mas o mais engraçado é q pessoas como essas tiram o seu sustento dessa capital, ainda falam mal mas não saem daqui. Por q será? Um verdadeiro absurdo o q esse "Professor" escreve.

Dauto disse...

QUANTO AO COMENTÁRIO SOBRE POLÍTICOS,TUDO BEM, MAS NÃO TEMOS CULPA DE VIVERMOS NUM LUGAR DE CONTRASTES.AGORA COMPARAR RONDÔNIA E SUA POPULAÇÃO A COISAS RUINS, TAMBÉM NO SUL E NO CENTRO-OESTE HÁ TODO TIPO DE GENTE,COMO AQUI HÁ.ACHO QUE ESSE BABACA TEM MUITA VONTADE DE MORAR NO EXTERIOR,COMO A EUROPA QUE ELE CITA.PORQUE NÃO SE MANDA PRA LÁ? OU ELE AINDA NAO SE DEU CONTA QUE O BRASIL É UM PAÍS DE CONTRASTES!

Aelson disse...

Sr. rato Nazareno, posso arrumar um caminhão de lixo, lhe colocar dentro, não na cabine, mas na parte onde vai o lixo e levá-lo para sua cidade perfeita, de onde nunca deveria ter saído!!! Acredito que sua cidade natal deve ter tanto rato, inseto e tanto lixo, que não tinha mais lugar e lhe expulsou de lá. Sugiro as pessoas que procurem onde essa larva, que se diz professor, trabalha e peçam a saída desse babaca pois esse retardado não pode estar numa sala de aula, enganando os alunos!!! Sr. burro Nazareno, você não teve capacidade de permanecer na ratolândia de sua cidade natal?

Ricardo disse...

* Ei professor Doutor NAZARENO, entendido, estudado, culto, filósofo, PORQUE VC NÃO VAI PRA EUROPA ?? Todos nós moradores de Ro sabemos dos problemas do nosso querido Estado, principalmente os crônicos!!! mas tenha certeza que vamos superar tudo isso, porém com LIXO HUMANO como vc, morando aqui, pode se dizer que não é fácil e fica tudo mais complicado e outra Porto Velho fede mesmo e é sujo, mas não por lixo, e sim por ter em nossas ruas pessoas como VC!!! Ah antes que eu me esqueça vc não deve ir embora pq deve ser mais um que passava fome em algum Estado desse Brazilsão e veio matar sua fome ak....Deve ser UM LISO do Caralho e Frustrado!!! Mas também, com esse nome, esperar o que se Vossa Excelência....

Rilmacy disse...

Meus caros e amados JOVENS, vocês são o futuro do BRASIL, estão na flor da idade, tudo é bom e maravilhoso. Porém não admitir as verdades tão bem ditas pelo excelente EDUCADOR, é de entristecer qualquer ser humano. A verdade deve ser dita ou escrita sempre. Há mais de duas décadas moro neste tão belo e promissor estado, entretanto há um diferencial enorme entre amor e razão(Situação física da capital)desses dois prefiro escolher a RAZÃO, PORTO VELHO perdeu grande chance de ser transformada numa das mais belas capitais e a culpa não foi do EDUCADOR Nazareno não! Sugiro ainda, se sentem esse tão grande AMOR pela vossa cidade, precisam ajudar a melhorá-la façam a diferença e no futuro, quando o Professor estiver aposentado e a capital bem cuidada, ele dirá ou escreverá em seus INTERESSANTES artigos a VERDADE,de igual modo que tem se posicionado. Bem aventurados os que tem fome e sede de JUSTIÇA, porque serão fartos. MT. 5

Francisco Xavier Gomes disse...

Nunca li uma coisa mais nojenta do que essa...Esse babaca não sabe o que é ancestralidade e por isso não respeita as pessoas que nunca o ofenderam.

Junior disse...

Quanta babaquice! Esse sujeito é um LIXO!

Mateus Mota disse...

Esse vadio tá precisando de uma mangueira bem grossa no fiofó dele.

Rafael Langame disse...

14 graus? Em Vilhena as temperaturas chegaram a 7 graus e em Pimenta Bueno a 11. A não ser que se mora na Sibéria, isso é frio em qualquer outro lugar!

Maria da Conceição Oliveira disse...

Fora Professor Nazareno,se não vc. pode ser linchado,as pessoas daqui não admitem essa sua versão,é vergonhoso um professor escrever um texto de má qualidade e de má impressão ! Volte p/lugar de onde veio !

Maria de Fátima Oliveira disse...

Estamos na "era da Desinformação", de tanto lixo e ruído sem significado. Quem escreveu esse texto não é um especialista nem sei sua formação.

Karine Volkweis disse...

Por mais que eu não seja daqui (sou do Rio Grande do Sul), fiquei enojada a cada linha lida, com exceção dos políticos. Triste estar na pele desse Nazareno, que, querendo poder morar na Europa, não possui cacife pra isso, porém continua tirando seu sustendo daqui. Vergonha alheia.

Josi Melo disse...

Gente eu amei esse texto do renomado e viajado Professo Nazareno. Vou explicar-lhes: Mostrou que ele tem que matar a fome na "Cidade" que inferioriza com muita veemência no discorrer de seu texto medíocre; outra leseira: Pelo que entendi ele até ofendeu a natureza (risos) "verdadeira aberração da natureza", talvez ele se julga o próprio Deus; mais uma: O nariz dele deve ser enorme ou ele saiu cheirando a população um a um (kkkkkkkkkk); enfim o melhor: conheceu verdadeiros paraísos como ele relata e veio parar aqui, tendo que sobreviver escrevendo textos amargurados para ganhar uma graninha que talvez dê para ele comprar um mandi e matar sua fome que ele não conseguiu matar e degustar em seus paraísos não alcançados. É POR ISSO GALERA QUE EU AMEI ESSE TEXTO. SOU PORTO VELHENSE, TEMOS NOSSAS DIFICULDADES COMO EM TODOS O LUGARES DESSE MUNDO ATÉ MESMO OS MAIS DESENVOLVIDOS, E AINDA TEMOS QUE ABRIGAR GENTE PATETA.

Carlos Caldeira disse...

Professor Nazareno? Quem é esse sujeito? Sei, pra escrever como escreveu, devia estar com a cara cheia de chá de mariri

Michel Steves disse...

Hoje me dia infelizmente qualquer zé mané sai por ae dizendo que é professor, e essas porcarias ainda são formadores de opinião.

Adelto Rodrigues disse...

Parabéns senhor Rubens Coutinho, concordo, o texto do professor Nazareno esté carregado de figuras de linguagem.

Rondon Silva disse...

Nao concordo e nao vi nem mesmo humor presente no referido texto, acho que o tal professor que nao tem formação em Letras e nao passa de um péssimo Pedagogo, pois nunca conseguiu exercer a funçao, é essa a formação deles, o que agrava ainda mais as palavras que solta a ermo, lamentável. Nunca fui adepto aos textos do mesmo, pois sempre achei piegas demais, mas sinceramente, acho que o Pedagogo, que usou Rondonia nesses ultimos trinta naos, que criou os filhos aqui nessa terra segundo ele -Tao podre, deveria era pegar seu título e voltar a belissima Paraiba, pois aqui definitivamente deve ser terra de filhos da puta, que vem pra ca, constitue familia, cria os filhos, faz seu patrimonio e depois vao embora falando mal da nossa Rondonia. Eu nbao sou daqui....mas eu tenho amor por essa terra que me acolheu. Ah! Quanto ao tal Nazareno, deve estar perdido numa dessas valas por ai.

Danny Bueno disse...

Concordo em gênero, número e grau com o Prof. Nazareno... também, com um prefeito destes, um governador destes, uma Assembléia destas e uma câmara de vereadores destas o que vocês queriam, Nova York, Paris???

Geisivan Chaves disse...

Se eu der meu cachorro em troca desse professor, quanto q vcs me voltam??

Renato Veras disse...

Será que ele sabe pronunciar os pratos que escreveu?...

Roberto Franco disse...

Esse sujeito é um idiota! Perdi meu tempo lendo tanta besteira. Se não está satisfeito, DERRAPA DAQUI! Vá morar na Suíça, ou no raio que o parta. E ainda se diz "professor". Eu me sentiria envergonhado de ter uma pessoa dessa como professor. Os alunos do Colégio João Bento, onde se diz que o mesmo "leciona", não merecem isso.

Dionísio Ferreira disse...

esse cara e um verdadeiro merda filho duma puta,que vem da oende passava muita fome,um miseravel desse,que vem ganhar dinheiro aqui para sobre viver,esse sim e um molanbeiro safado e picareta chamado de professor,isso não e professor nada uma porra dessa, tinha era que levar uma boa surra,esse pilantra nazareno fedido,por sinal um pessimo professor,te manda de porto velho seu imbecil se não vc vai achar po teu rabo seu filho de uma merda,seu babaca,seu nojento vedido...

Engels Saldana disse...

Gordo desse jeito não sente frio nem no pólo sul

Ernande Sigismundo disse...

Meu querido Cordeiro Júnior Francisco., mais que ninguém, sei que nossa terra é muito miserável se comparada com lugares mais avançados. Em junho fui à Itália e França. Viajei mais de 1.000 km de carro em estradas rigorosamente sinalizadas, conservadíssimas, sem o mais remoto buraco. Passei em cidades civilizadíssimas, etc. Mas isto não me autoriza achincalhar a terra de ninguém. Todas as críticas são bem vindas. Sei que isto aqui - em muitos aspectos - é uma merda, só que esta é a MINHA merda. O problema desse rapaz não são as críticas, é a visão vesga e tosca sobre tudo.....

Josemar Monteiro disse...

Mandou bem, Ernande Segismundo, concordo com vc!!!

Walber Lopes disse...

aro dr segismundo sir do meu querido sofrido e sempre roubado Maranhão morrei no Para em Humaita e agora estou aqui a um bom tempo fico triste com esse nobre senhor que aproveita para escrever lorota porque não ensina melhor os seus alunos e não escreve lorota pois fomos desde o descobrimento governado por ladrão eramos capitania hereditaria e governado por degredados e somo

Adauto Amorim disse...

NÃO TEM NEM MORAL PARA FALAR DE POLÍTICOS ,VISTO QUE TEMOS POLÍTICOS COMO SERES ARROGANTES, APROVEITADORES E ETC, COMPORTA-SE COMO OS TAIS. VAI PLANTAR BATATAS, ENERGÚMERO.

Cirilocain disse...

Professor, não precisava acabar tanto com a nossa capital, apesar disso somos produtos do meio. Temos q se adaptar onde vivemos . Ignoro vc conhecer esses lugares tão bons e procurar Porto Velho pra morar...

Maria Aparecida de Andrade disse...

VAI VER QUE ESSE MALDITO GANHA DOS COFRES PÚBLICOS, É ARROGANTE IDIOTA, E QUEM SE HABILITA PUBLICAR UMA MERDA DESSA É IGUAL OU PIOR QUE ELE, ENVERGONHA OS PROFESSORES CLASSE SOFRIDA DESSES ESTADO!!!

Ernande Segismundo disse...

Este sujeito precisa de tratamento psiquiátrico, trata-se de um psicótico pela quantidade de idiotices que vomita neste texto absolutamente impertinente e rigorosamente desarrazoado. A não ser que ele more na Suíça.

Tomas Kopanakis disse...

Ele foi meu professor há muito tempo! Pelo nível que ele ACHA que tem, deveria dar aula em Estocolmo, Oxford ou Harvard.

Francisca Aguiar Pereira disse...

Ele foi professor de redação da minha filha...Gostaria de saber o que ele ainda está fazendo aqui no 'fim do mundo'? E como uma escola de renome o contrata para 'ensinar' nossos filhos! Obs.: este é apenas 1 dos muitos artigos que já escreveu nesta mesma linha referindo-se a Rondônia-Porto Velho.

Julia Castro disse...

Creduuuu! Esta criatura comprou o diploma de professor? Rondônia, minha terra natal, região de fronteira recebe migrantes de todo mundo, inclusive mão de obra desqualificada.

Cordeiro Júnior disse...

Sabe, Ernande, eu fico extremamente irritado com os comentários desse sujeito e creio que as pessoas que amam nosso lugar de viver também. Mas, levando em consideração a isenção de julgamento... ou melhor, vendo por outro lado, em muitas coisas, muitas mesmas, ele tem razão e nós não queremos admitir isso.Posso destacar no texto as verdades que doem na gente e enviar a quem desejar.Sou de Porto Velho, nasci em 15/08/1963 na Maternidade Darcy Vargas.

Lu Chianca disse...

E ele mais uma vez consegue o que pretendia...Tststs.

Hermerson Ribeiro disse...

esse cara nem deve morar em Rondônia,si mora nem conhecê o próprio estado.ainda esse jumento e um professor...aparece cada babaca para falar mal do nosso estado,vai to no seu c_ o que e isso q vc quer seu babaca... _l_

Retardado disse...

RETARDADO.

Flamarion Alves disse...

ou esse caboclo chegou aqui há pouco tempo ou é desenformado mesmo.

Everaldo Caetano disse...

Dona jane hardt, quanta filosofia! parabéns!

Cinthya Perazzo disse...

Nunca li tanta baboseira! Esse professor Nazareno deveria ser linchado em praça pública por falar tão mal das pessoas da cidade em que vive... está insatisfeito com Porto Velho, meu filho?? então vaza!

Luiz Cláudio Duarte disse...

Esse Professor falou uma asneira muito grande, que comparação mais ridícula. Não sou daqui, mas gosto do lugar, das pessoas, creio que em breve muitas coisas boas acontecerão em RO. As pessoas estão reclamando e cobrando dos políticos, o potencial que existe aqui é muito grande. Professor, faça comparações mais inteligentes, ou então, vá embora pra Europa, Gramado, Curitiba.

Selmir Welke disse...

Falou a verdade sim. O Raça!

Ademilde Carvalho disse...

ESSOA INTELIGENTE SE MALDIZER DO LUGAR ONDE MORA , NÃO COMBINA ,ISSO SIM, É ATRASO.

Magna Bezerra disse...

Nunca vi alguém de Pvh definir tão bem a cidade, geralmente as pessoas defendem veementemente os "defeitos" do lugar. Parabéns pelo texto!!!!! Apoiadíssimo...

Jane Hardt disse...

EU ACHO QUE O QUE NÃO COMBINA COM RONDÔNIA É O SENHOR...

Flávio Rogério disse...

Quem disse que Vilhena não combina com o frio?
Vilhena sempre foi frio, mesmo no período mais quente do ano as noites vilhenenses apresentam temperaturas entre 18º e 20º, não muito diferente das noites quentes do sul.
Teria sido mais feliz no texto se dissesse que Porto Velho não combina com frio, e não generalizar.

Rosana Aparecida Dourado disse...

E o pior de tudo, vindo de um professor , de redação de um bom colégio da cidade... é muito ruim... e até perigoso.. um formador de opinião com uma mentalidade dessas.

Roberto Régis Batista disse...

Ilustre Professor NAZARENO, com tamanha cultura e inteligência que demonstras ter, por que escolhestes Porto Velho para vir matar sua fome? Detesto quem denigre o lugar pra onde veio puxando uma cachorra.

João Passos Macedo disse...

Mas o que é que esse IMBECIL está fazendo em Rondônia?

Bianor Cochi disse...

Ainda bem que o professor mora nesta "velha e porca Porto Velho". Penso que, se estivesse em Curitiba ou na Serra Gaúcha, não teria tempo de escrever tantas asnices, pois estaria dando aulas em alguma escola municipal ou estadual, ralando em troca de pequeno salário e enchendo o pote de 51. Ou, talvez, na Europa, lavando pratos ou fazendo programas. Acho que, no mínimo, precisa respeitar os que gostam desta Rondônia e que usam os casacos mandados pelos parentes. Como dizia minha mãe:" Quem fala muito, dá bom dia ao cavalo".

Rui Botelho disse...

caro amigo professor; não vou nem repudiar esse comentario insâno, mediocre e infeliz, vindo de vossa senhoria.. porem eu, como rondoniense, calamense lá do baixo madeira, devo lembrar que você está cuspindo no prato que come, e tambem(mandi) no prato que comeu, quando vossa senhoria morou em calama. nesses dia de frio, vs. cheirou sua mulher? sua filha? acredito que sim!!! vs, cheirou 2 pessoas e confundiu com toda a população de porto velho... portanto caro amigo professor. mais respeito com esta terra que matou sua fome, te deu um emprego e uma familia muito bonita.....

maria Helena Nascimento disse...

Professor Petrus, seu texto é maravilhoso.Muitas pessoas dizem que o professor Nazareno devia ser expulso daqui. Ao contrário, devemos convidá-lo mesmo para usar sua inteligência para despertar seus alunos a conhecer as riquezas de nossa terra.

Eulina Dantas de Azevedo disse...

Sou nordestina nata e rondoniana por opção e de coração, Amo esse lugar, foi aqui que me profissionalizei, fico triste quando leio comentários desnecessáriso e que ofendem as pessoas daqui, sinto-me ofendida por já me sentir daqui

Felipe disse...

Concordo com o Professor,ficam todos calados quando sai a noticia que algum politico roubar vcs, então quando uma pessoa fala a verdade vcs ficam com raiva. Desde já agradeço a atenção de todos e por favor vão criticar os políticos ladrão e cuidar da vida de vcs. Queridos.

Josileide Passos Leite disse...

Gente eu amei esse texto do renomado e viajado Professo Nazareno. Vou explicar-lhes: Mostrou que ele tem que matar a fome na "Cidade" que inferioriza com muita veemência no discorrer de seu texto medíocre; outra leseira: Pelo que entendi ele até ofendeu a natureza (risos) "verdadeira aberração da natureza", talvez ele se julga o próprio Deus; mais uma: O nariz dele deve ser enorme ou ele saiu cheirando a população um a um (kkkkkkkkkk); enfim o melhor: conheceu verdadeiros paraísos como ele relata e veio parar aqui, tendo que sobreviver escrevendo textos amargurados para ganhar uma graninha que talvez dê para ele comprar um mandi e matar sua fome que ele não conseguiu degustar em seus paraísos não alcançados. É POR ISSO GALERA QUE EU AMEI ESSE TEXTO. SOU PORTO VELHENSE, TEMOS NOSSAS DIFICULDADES COMO EM TODOS O LUGARES DESSE MUNDO ATÉ MESMO OS CITADOS NO TEXTO, E AINDA TEMOS QUE ABRIGAR GENTE PATETA.

Bruno Augusto disse...

Absurdo! Nuca vi tamanho ódio por um lugar assim. Essa não é a primeira vez q ele ofende Rondônia, tem outras publicação falando isso. Tinha uma q ele diz até q Eduard Snowden deveria vir para Rondônia! Ele é louco de querer isso. E foi por elas q descobri q ele é rondoniense. Falando mal do lugar q nasceu, Nazareno! É a 2ª pessoa q vi fazendo isso, não sei como consegue. E o pior, cuspindo no prato q come, q feio! Mas vou lhe dizer uma coisa, em parte o seu texto é verdadeiro. PVH não tem estrutura boa, tem políticos q se aproveitam, e aqueles problemas tds q vc falou. Mas tem detalhes. O q corrupção tem a ver com o clima? Vc falou q as pessoas nesses dias estavam com agasalhos com cheiro de mofo, naftalina e barata. E tbm q as pessoas ficavam bêbadas, tomando cachaça, cuspindo no chão e q eram mais mal educadas no frio. Com certeza, não frequentamos o mesmos lugares, pois aonde fui, as pessoas estavam MUITO bem- vestidas. Tbm não vi ngm bêbado nesses dias e não notei pessoas mais mal- educadas. Realmente frio não combina com Rondônia, mas não significa q não devemos apreciar. O senhor tbm disse q na Europa o frio é sinônimo de boa culinária, romantismo e pessoas mais amáveis. Aqui tbm. Podemos comprar fondue no supermercado e fazer em ksa (já q aqui não tem nenhum restaurante q faça fondue). Podemos tbm degustar vinhos e pratos finos, como nos restaurantes San Genaro e Asterix. PVH pode ter mtos defeitos, mas é onde o senhor e os meus pais tiram o seu sustento. Não sou daqui, sou do RJ, tenho 13 anos e a 8 moro aqui. Desde q vim pra cá, a cidade melhorou mto, acredite (o senhor é daqui, deve saber como aqui era a 8 anos atrás). E a condição da minha família tbm melhorou mto (a minha primeira viagem de avião foi vindo para cá, e as primeiras viagens pelo Brasil tbm qdo eu já morava aqui). Não prendendo morar aqui em Rondônia nem no Brasil, me acostumei, mas não gosto mto daqui. Mas não é por isso q eu fico falando desse modo pra td mundo ofendendo, claro q não. Coisas como esse texto e vários outros q o senhor postou devem ficar só na sua cabeça, pq isso ofende qm é daqui. Então um conselho: pare de postar textos como esse para ofender as pessoas e tbm pare de se achar tanto (tem um comentário de uma ex- aluna sua q diz q o senhor se acha o "Sócrates da Amazônia"). Ao invés disso, poste críticas com relação a cidade e dê sugestões para melhorá-lá, não fique só reclamando. E outra coisa, se não gosta daqui, mude-se para outro lugar q o senhor ache civilizado (já fui a Europa e não é isso td q o senhor pensa). Rondônia precisa de sugestões, não de mais críticas.

Pedro Carlos de Lira disse...

Q Horror e quanta ignorância! este senhor pelo que demonstrou, além de desconhecer os diferentes rincões deste país, ainda, mostrou-se preconceituoso e de mau gosto. Passei 10 dias no Sertão de Pernambuco vivendo um frio típico desta época do ano, dormi sem ventilador, sem ar condicionado, é uma região imensa sob essa temperatura amena que além do Sertão, a região que vai do litoral a todo o agreste ( De Recife a Arcoverde) todas a cidades, e são mais de 50, nessa época do ano, tem as suas temperaturas muito baixas, e nenhuma delas tem as características que esse senhor tentou descrever. Em Pernambuco, nesse período de inverno existe no Estado o chamado "Circuito do frio", é um movimento cultural ligada a cultura do frio e passa pelas cidades mais frias do estado. Aqui em Pernambuco se come fondue em casas do ramo na cidade de Gravata, Garanhuns, Pesqueira, Caruaru, Triunfo, etc, a uma temperatura de 7, 6 , graus. Nestes dias está acontecendo o Festival de inverno de Garanhuns, A festa dos Estudantes na Cidade de Triunfo, são cidades com altitudes em torno de 600 m acima do nível do mar. Garanhuns é conhecida como a Suíça Pernambucana. Aqui o frio é mesmo frio, o que é diferente é a cultura, porque no nordeste não predomina a descendência Alemã e nem Italiana, apenas Portuguesa, espanhola e Holandesa, Indígena e Africana.Amo Rondônia e Porto Velho não admito tanta agressividade a uma terra acolhedora que recebem todos de braços abertos, inclusive pessoas como esse Cidadão que nos pareceu tão revoltado, é preferível que ele guarde todos esses adjetivos para justificarem suas próprias frustrações por não aceitar viver numa terra tão linda.

Mika disse...

PROFESSOR NAZARÉNO O FAMOSO PSEUDO RICO QUE COME OVO E PENSA QUE É FILÉ!

Antonia Maria Ramos disse...

Lamento muitíssimo você, autor desse texto ,se intitular professor!Se sua ideia foi fazer uma ironia com os escândalos de corrupção em que se encontra o estado de Rondônia, não foi feliz não! Ao contrário,foi grosseiro fazendo comparações desnecessárias, chamando o povo de bisonho e mesmo porco! Quer dizer que frio combina com Europa? E que lugar civilizado é o sul do país? Não quero nem imaginar de onde você veio! Que não tenha sido do Paraná, minha terra de origem, mas, que por escolha própria,troquei há anos por esta terra.Se era feia, poeirenta,(onde moro ainda é) sempre tive e temos a alternativa de voltar.
O frio não combina é com pobreza: falta de teto, agasalho, comida quentinha e isso também tem em qualquer país da Europa! Na verdade, em minha humilde opinião, quem não combina com Rondônia é você!Vá ,pois, passar a " estação do inverno " em Campos de Jordão, Gramado ou Canela! Ou beber vinho em Buenos Aires! Claro, não com seu salário, se realmente for professor! Eu já havia escrito esse comentário ontem, quando li esse texto ignóbil, mas só agora consegui publicar!

Milton Alves disse...

O problema do professor nazareno é de postura corporal. Dia desses, eu o vi na rua: caminhando cabisbaixo e com o corpo levemente inclinado para frente. Não tem postura típica de um soldado que caminha com a barriga pra dentro, peito pra fora e olhando sempre no horizonte. Por isso, professor, vou te dar um conselho. Ao olhar para a zona leste de Porto Velho, foque no nascer do sol, pois, se baixar a visão o sr. vai lembrar dos milhões do Projeto Calha Norte enviados para infraestrutura e urbanização da região, das alagações, da compra de votos, das escolas “chiqueiro”... Quando for na direção da zona oeste (centro da cidade), aprecie o por do sol. Não olhe para baixo. O sr. vai se indignar, pois, 12 milhões foram gastos na EFMM. Não faça o passeio de barco pra não ver as usinas do Lula, pra não lembrar do parque das águas que fora prometido, do que acontece na casa do povo, na prefeitura, nos Palácios do governo e do TJ. Se fores para zona sul, levante bem a visão pra não ver os viadutos. Se para zona norte, olhe para os aviões e lembre que foi um brasileiro que o inventor. Não olhe para o chão, professor: 600 milhões e 100% de água tratada, lembra.

Vanessa disse...

Alguns pontos necessitam ser comentados a respeito da escatológica opinião do “Professor ” Nazareno.
Eu geralmente uso meu tempo para comentar sobre coisas mais inteligentes e interessantes ou simplesmente consideráveis, mas terei que abrir uma exceção neste caso (o enjôo não me permite a omissão).
Percebo que não apenas para mim, mas para os Rondonienses (de nascimento ou de coração) o que não combina com Rondônia é essa pessoa, que se intitula “Professor” e esconde-se por trás de algumas palavras rebuscadas, que possivelmente são o pilar que sustenta sua frustração...
Alguém que fala tanto sobre o clima europeu e o refinamento do sul do País, esta fazendo o que em Rondônia?
Eu respondo, esta sustentando, com o dinheiro da minha terra, sua incompetência de não poder sustentar-se no Sul ou nos Alpes Suíços. Sim, por que, manter-se numa terra onde tudo lhe desagrada, é a prova juramentada de que foi o único lugar onde aceitaram lhe dar um emprego.
Esse fato é uma coisa que me deixa triste, alguém com capacidade de referir-se dessa maneira as pessoas do Estado que lhe sustenta, seja empregado e na condição de professor... Um professor deveria ser inteligente, bem informado, de posse das faculdades mentais e formador de opinião, de uma boa opinião...
Este senhor espanta-se que em Rondônia nãoo se tenha um “guarda-roupas” de inverno e mostra que ou lhe falta informação ou condições mentais, pois num lugar aonde as temperaturas médias ficam em torno de 36°C, guarda-roupas de inverno para que?
Eu hoje não moro em Rondônia, mas conto os dias para poder voltar e construir minha família na terra onde nasci e cresci, junto dos meus. Diante deste “texto”, além do tamanho asco, fico certa de que terei que escolher bem o escola onde meus filhos irão estudar em Rondônia, para estar certa de que eles não serão “ensinados” por tal pessoa, pois uma escola que empregar alguém capaz de ofender um Estado inteiro com tanta cara-de-pau, torna essa escola indigna de ensinar os filhos que ainda nem tenho.
O “professor” orgulha-se de dizer que na Europa quase não existe corruptos, primeiro, deve falta-lhe, mais uma vez, informação e segundo, os lugares onde quase não existe corrupção deve ser por quase não haver professores como o indivíduo aqui citado.
Espero que este senhor, que eu nem conheço (e para minha sorte nem venha conhecer), tenha decência de manter-se calado com sua opinião tão infortuna, pois ele tem direito a tê-las, mas o dever de respeitar a todos, principalmente os que lhe sustentam, quando ele não é capaz de sustentar-se em outro lugar.
Finalmente, mesmo com muito ainda por dizer, mas precisando ocupar meu tempo com o que/quem mereça minha tenção, digo apenas que esse senhor seria uma grata pessoa, se fizesse suas malas e fosse morar em Gramado, Canela ou quem sabe na Europa, mas desde já digo que não desejo nenhum mal as pessoas destes lugares, só estou desejando felicidades a um infeliz que vive na minha amada terra.
Senhor Nazareno, boa viagem!

Mauro Leonardo Calixto da Cruz disse...

Juro que já nem leio mais, os comentários desse escritor são mais interessantes que seus textos... sempre cheios de desfiles gramáticos, mas sempre vazios de idéias!

Nick disse...

Admiro esse professor! tem coragem de falar as claras como está PVH. O povo questiona,esculacha mas sabe que é verdade.Dá uma olhada nos outros artigos e vê se tem comentários como aqui.NADA MAIS QUE A VERDADE NUA E CRUA DE UMA SOCIEDADE HIPÓCRITA QUE PARECE NÃO PERCEBER O QUE ACONTECE EM SUA CIDADE.

Cassiane da Costa disse...

Peço licença às pessoas de Rondônia para expressar minha opinião sobre este texto escrito por um "professor". Sou gaúcha e infelizmente ainda não tive a oportunidade de conhecer Rondônia, entretanto, assim que puder o farei para conhecer as riquezas naturais e culturais existentes neste Estado. Entrei em contato com seu texto através das redes sociais e senti a necessidade de pontuar duas questões.
Primeiro, conheço a Serra Gaúcha e não vejo nenhum paraíso lá. Gramado e Canela são cidades turísticas, portanto preparadas para atrair turistas. Da mesma forma, estou vivendo em Madrid há alguns meses para estudar, e não vejo a Europa como um paraíso. Inclusive aconselho o senhor a ler mais sobre as consequências da crise econômica vivenciada atualmente pelos europeus. Na Espanha, por exemplo, cerca de 50% dos jovens estão sem trabalho, sendo comum encontrar homens com as fotos de seus filhos pedindo comida ou ajuda financeira no metrô, concluo, portanto, que o seu conceito de desenvolvimento é questionável. Estados como Rio Grande do Sul ou Paraná, bem como outros territórios, não são melhores ou piores que Rondônia, apenas tem um contexto sociohistórico diferente, e apresentam aspectos positivos e negativos. Em relação à corrupção na política, se o senhor entrar no site de “El País” verá que os escândalos aqui na Espanha se assemelham aos que vivenciamos no Brasil.
Segundo, não me parece preocupante que algumas pessoas utilizem casacos com cheiro de naftalina ou doados. Talvez nas suas vidas o que tenha valor não seja um casaco, e o importante não seja consumir. Assim, elas tem muito o que ensinar para uma sociedade que busca o desenvolvimento sustentável. Cada pessoa tem a sua forma de viver, e deve ser respeitada. Neste sentido, o que me preocupa é o preconceito. Este sim é grave, e não se resolve trocando de casaco.

Isac Souza Pinheiro disse...

Acho que o que o professor quis fazer com esse texto é história... Recomendo ele ir para o Polo Norte!

Elvisac disse...

mas como ele vai voltar pro sul ou europa ? la ele vai viver de quê ?escrevendo besteira num jornal ?È SO AKI QUE ELE CONSEGUE UM EMPREGO DESSE

João Ribeiro disse...

Vaza de Rondônia meu filho... !!

Lívia disse...

Engraçado como tem muita gente que se revolta quando fatos como este acontecem. Nunca vejo tanto comentários de repúdio acerca de matérias sobre os problemas que realmente nos assolam!!! Parece que para algumas pessoas é normal falar das improbidades cometidas pelos políticos, as intermináveis horas na fila dos bancos e hospitais, a falta de infraestrutura, os viadutos inacabados... enfim... já virou rotina!!
Agora falar que não gosta de roupas que exalam mofo e naftalina é imoral, antiético e desrespeitoso!!!
O texto pode até estar carregado de ironia e humor negro, mas ele não disse nenhuma mentira. Eu já usei muita naftalina!!! E detesto o cheiro, assim como odeiooo mofo, e utilizo do Sol, que é assíduo nos nossos dias, para tirar o mau cheiro que fica nas roupas guardadas. Uso roupas doadas por mãe, tia, sogra, isso não me faz melhor nem pior que ninguém!!! Quem conhece ele sabe que ele não é referência em moda!! Mas porque ficar revoltada com um texto que diz a verdade??? Eu mesma usei uma camisa de frio ridícula!! mas rir da situação!!!
E nossa cidade é suja sim!!! E muito fedida!! Tem trechos que é horrível!!! é vergonhoso passar uma tarde Praça da estrada de Ferro, é suja, sem segurança, muitos jovens “matando” aula e ingerindo bebidas alcoólicas/drogas, bêbados que ficam abordando quem passa... E pior de tudo é que, além da falta de infraestrutura, aqui tem gente mal educada sim!! Gente que joga lixo no chão, gente que recebe uma gentileza e não diz um obrigado, gente que NÃO DÁ PREFERÊNCIA no trânsito!!! Gente que só se incomoda quando é chamado de pobre, mas não se pergunta por que é pobre!? Não vai luta para ter um salário melhor, se acomoda com os “bolsas” que governo oferece, não se incomoda com o quintal sujo e cheio de mato!!!
Pq se incomodar tanto com um texto desse ao invés de se revoltar, da mesma forma, dos nossos verdadeiros problemas... Até pq o frio já passou, as roupas com naftalina voltaram para o guarda roupa, mas as ruas sujas, o descaso e falta de respeito (seja de cidadões e dos políticos corruptos) continuam!!!

Petrus Luiz Pequeno disse...

Prezados Leitores e Prof Nazareno

É sabido das dificuldades enfrentadas por todos os estados brasileiros e Rondônia não é exceção. É um Estado relativamente novo, em expansão, extremamente miscigenado, com valor cultural incalculável. Como em qualquer outro lugar do mundo está sujeito as mazelas humanas exploratórias de sua gente e de suas terras, o que está sendo normal, mas não poderia ser tratado como tal. Apesar de minha jovialidade, conheço o Brasil de Norte a Sul, Leste a Oeste, assim como outros países e vi muitas riquezas e muitas misérias. Conheci pessoas ricas morando em favelas, beira de rios, mangues, as quais não possuíam conta bancária, carro, instrução... mas conheciam o valor humano, a solidariedade, a vontade de viver, de lutar por aquele dia, por outro e outro... Aprendi com meus pais e pratico com minha família, que o Ser mais rico veio a terra nascer em uma manjedoura, vestir uma simples túnica, conviver com nós miseráveis escravos da cobiça, do ódio, da luxúria, da inveja... que Ele se deixou açoitar e crucificar até seu espírito deixar aquele invólucro carnal em nome do Amor por nós. Não precisei e não preciso estar dentro de qualquer templo ou religião para aprender e ensinar isso as pessoas que comigo convivem.
O processo de friagem em Rondônia, independentemente da estação do ano, se repete ao longo das décadas, as vezes mais intensos outras não... sempre pega as pessoas desprevenidas, mas não causa asco, ódio, inconformismo, miséria, fome....
Fui acolhido por esse Estado em 1999 e por 12 anos morei nele, construí minha família e ajudei aos meus. Por 12 anos vi e senti o fenômeno da friagem, vi plantações inteiras de café se perderem em função do evento coincidir com a floração... mas vi muitas famílias agricultoras agradecendo a Deus por dar força para superar as dificuldades e vencer no ano seguinte.
Todos nós somos palhaços sim, pois temos que fazer as pessoas rirem nas dificuldades... veja você, me fez rir com tantas bobagens escritas tentando falar sério.... e eu aqui tentando finalizar meu projeto de tese de doutorado. Tenho certeza que as pessoas das diversas regiões e estados não assinam corroborando o formato linguístico expressado por você, oriundo de uma depressão interior profunda, com desgosto ou frustação de sua situação atual. Mas, ao invés de apedrejá-lo pelo formato mal escolhido das palavras, o convido para ajudar no crescimento de um estado rico, lindo, acolhedor e sério que é o estado de Rondônia
Sou paraibano da Grande Campina Grande, do Maior São João do Mundo, de um estado Maravilhoso chamado Paraíba. Mas tenho um grande amor por Rondônia, que me proporcionou a conquista do meu maior bem, minha Família. Temos problemas com a seca, com políticos nocivos... mas temos algo que nos mantém sempre vivos e alertas, a vontade de viver e de nunca deixar que nos assassinem a esperança. O Povo de Rondônia também é assim, não se deixa mais usar, massacrar... a População miscigenada de Rondônia é Feliz, cada um dentro de sua felicidade, do seu jeito...
Nós do Nordeste não compactuamos com quaisquer atos discriminatórios... acreditamos que todos devemos viver em paz, Livres, Iguais e Fraternos. Quando pego minha sanfona pra falar do meu Nordeste, me inspiro sempre em dois grandes mestres, Luiz Gonzaga e Dominguinhos que transformaram nossas dificuldades em verdadeiras obras de arte que são respeitadas em todo o mundo, a origem humilde deles é exemplo. Que suas próximas crônicas sejam mais inteligentes, pois tenho certeza que sua pessoa o é, e que nos ajude a reconstruir um país mais Igual obedecendo ao que o Senhor nos pediu, amai-vos uns aos outros como vos amo, e respeitando as diferenças de cada um.
Prof. Petrus Luiz de Luna Pequeno
Fundação Universidade Federal de Rondônia – UNIR
Cantor/Compositor e Gonzaguiano de berço.

Kallion disse...

A libertinagem é um mau uso da liberdade de um indivíduo, é a extrapolação da liberdade, e quando isso acontece, os limites são ultrapassados e a integridade física, emocional ou psicológica de outra pessoa é posta em causa. A libertinagem leva a uma falta de respeito pelo próximo, e indica falta de dignidade e bom caráter."
Por favor, algum advogado tire-me esta duvida: não caberia um processo por danos morais contra esta este cidadão?

Eliana Souza disse...

Me responde "professor": O que vc tá fazendo aqui????? Volta pro lugar de onde vc veio!!! Porto Velho agradece!!

Eliana Souza disse...

Caro "Professor", Não acredito que uma pessoa como vc possa ter uma mente tão bizarra ao ponto de pensar e comentar publicamente coisas dessas natureza pela cidade que o acolheu, deveria sim é ser grato! Se vc se sente tão incomodado...vá morar na Europa(aposto que nem tem condição para isso) e fará um bem para Porto Velho que nós agradecemos. Vc deve ser do tipo que come ovo e arrota caviar...Sinto pena dos seus alunos em ter que conviver com tipo de pessoa como vc!!

Sérgio disse...

SALVADOR (VILHENA), concordo em gênero, número e grau quanto a cidade de Vilhena. Já era muito bonita 25 anos atrás quando viajava todos os meses para VHA e deve estar toda arrumadinha.
Vilhena tem um clima maravilhoso em qualquer época do ano e lá para baixo vc. pode ler um coment meu sobre INVERNO e VERÃO, mostrando, assim como vc. que o "professor" não sabe separar as estações do ano.

Lilian Moser disse...

A opinião do Prof. Nazareno é reacionária e racista.
Pergunto, por que então não volta para o Sul ou então a Europa já que lá é tão bom, conforme sua opinião? Por que fica aqui trabalhando e sobrevivendo com o dinheiro das pessoas daqui de Porto Velho?.Por que veio para cá se aqui, como afirma, mão tem civilização?..O que você entende por civilização? É a velha visão colonoalista da grande, fria e ¨civilizada¨ Europa. É a Europa e o sul do Brasil que são racistas, reacionários e discriminatórios!...É o européu e o sulista que dizimou muitos índios daqui de Rondônia e discriminou o povo da floresta, índios, seringueiros, beiradeiros...as pessoas qye nasceram ou vivem aqui há muito tempo. Enfim, é um crime discriminar a região quando se vive nela e dela. Afinal, foi essa região que lhe acolheu!...

Maria Auxiliadora disse...

De onde saiu esse homem? Que pessoinha mais inconveniente, e é chamado de professor uma criatura dessa? Deveria ir então lecionar e morar lá em Monique, se é que ele tem cacife pra isso,o que ele faz aqui no meio do lixo da podridão (assim ele se refere aos rondonienses) #ingignada

Cláudia Gomes disse...

Gostei do texto, serviu para abrir a mente das pessoas que vivem em Pvh. Sabemos que sofremos com o descaso em todos os ângulos. E não podemos ficar na inércia, queremos mudanças... há anos q nossa cidade está abandonada, um lixo. O texto é bem crítico, me sentir triste por algumas palavras mas logo em seguida me pus a refletir q vivo em uma cidade que precisa muito de cuidados, merecemos mais!!

Salvador disse...

O sangue de Jesus tem poder! Esse maluco se intitula professor em Porto Velho? Coitado do ensino em PVH. Esse senhor (pra não usar um adjetivo desqualificativo a altura) confunde estiagem com estação do ano. Em Rondônia também estamos no inverno. Esse maluco deve ter muito dinheiro sobrando para guardar roupas finas e caras pra usar apenas uma ou duas vezes no ano, e uma boa lavandeira também, pra não feder a naftalina e mofo. Respeitar os menos aquinhoados é condição de sabedoria que o professor não demonstra. Pensa demonstrar conhecimento sobre a Europa quando não o tem. Lá eles bebem cachaça. Meu cunhado exporta cachaça pra Alemanha, essa mesma que ele cita. Em nossa Rondônia, não sou daqui mas moro aqui desde 78, quando faz frio é muito bom comer um mandi frito na beira do fogão de lenha. Alias, nem de peixe esse moço conhece, pois, não sabe o quanto piscoso é o rio do qual é beradeiro. Conselho bom procê: Se incomoda com a indumentária dos outros não. Invista no respeito que é bom e o rondoniense gosta muito. Porto velho é uma cidade bonita. Apenas não está bem administrada, ainda. Bêbados, desrespeitosos e políticos ruins tem em qualquer lugar. Quando o moço diz que Rondônia é feia e atrasada, decididamente conhece pouco dela, e é bom que não conheça mesmo. Será que ele já ouviu falar do Vale do Apertado no Rio Melgaço? do Rio Guaporé e suas belezas? das nascentes do Rio Roosevelt e Machado no Chapadão dos Parecis na cidade de Vilhena? da maior jazida de diamantes do mundo (em quilates) em Espigão do Oeste? do rebanho bovino do cone sul de Rondônia? das minas de cassiterita em Ariquemes, do granito blue star em Machadinho do Oeste? do café produzido na zona da mata? Moço, não venha em Vilhena não, por favor! Aqui encontrará uma cidade limpinha, dum clima "friozinho" eleito o segundo melhor clima do país, pela regularidade de temperatura. Dum povo que respeita os outros, suas vestes, sua cultura/conhecimento. Ficaria demasiado triste em informar a meus amigos que sua ilustre pessoa estaria nos visitando.

Maria Helena Medeiros disse...

CÍCERO, LEGAL SUA REFLEXÃO. PENSO QUE A INTENÇÃO DO TEXTO É MESMO DE DESPERTAR, AINDA QUE POR VERDADES TRISTES E QUE ESPALHAM PRECONCEITOS E ESTIGMAS. O POVO DEVE MESMO REAGIR E REFLETIR SOBRE SEU PAPEL, SOBRE SEREM ASSUJEITADOS E NÃO SUJEITOS. NÃO ESQUEÇAMOS DO QUE O PAPA FALOU SOBRE GLOBALIZAÇÃO E CAPITALISMO. ELES CAUSAM UM GRANDE ISOLAMENTO DAS PESSOAS EM SEU PRÓPRIO MUNDO NA BUSCA DE GARANTIR SEU FUTURO. E O MOMENTO , O PRESENTE , PASSADOS DE FORMA INDIVIDUALISTA.

Cristiane disse...

Ridículo e desnecessário essa matéria. O 'frio' combina sim, com Rondônia! Não 'combina' com as destruições das plantações de trigo que está fazendo no Sul do país.

Maria Helena Medeiros disse...

A atriz Beatriz Segal disse em entrevista " O Rio está sujo" sobre queda que causou hematomas depois de ela ter caído em uma calçada estragada. Viu, não é só em Rondônia que tem estragos. O Rio é uma cidade que existe há mais de quatrocentos anos e ainda tem problemas, imagina Porto velho, Rondônia, que cem.

Maria Helena Medeiros disse...

Professor, seu artigo está servindo para que haja debates, para despertar mesmo as pessoas, que saiam das futilidades das redes sociais e participem das coisas de sua cidade. Por esse lado é positivo.

Maria Helena Medeiros disse...

Isso é que eu chamo de querer chamar a atenção. Tudo bem que grande parte seja verdade. Mas considere que o Estado de Rondônia é muito novo se comparado aos grandes centros. Rondônia só tem cem anos . Como você diz, não pertence ao que você chama de "civilizado". Mas, doença e corrupção não existe só em Rondônia Em vez de falar mal de Rondônia e de Porto Velho devia falar sobre o que tem feito para mudar esse cenário que descreveu. Se nosso Estado é assim, e, principalmente, Porto Velho, é porque muitas pessoas como você vieram somente para sugar e não fazer nada. A maioria das pessoas que tem cargos públicos , que foram eleitos em porto Velho são da regiões Sul e Sudeste. Essas pessoas foram prefeitos, governadores; alguns hoje estão em cargos públicos importantes, senadores.; outros são os donos de televisão, apresentadores. E pergunto, são pessoas nascidas aqui? Não. Vieram para essa região fugindo dos grandes centros, em busca de espaço. Observe a diferença grandiosa entre algumas cidades do interior e Porto Velho. É muito grande . E por que isso? Muitos governadores eleitos para o governo e capital eram de lá e , assim, fizeram um governo para levar recursos somente para o interior. E isso ainda é assim. Recentemente, o deputado de Ji-paraná tomou posse no lugar de Donadon. De onde ele é ? De Ji-Paraná. Vai fazer algo por Porto Velho ou Ji-Paraná? Já perguntou, então, quem é a população de Porto Velho, suas origens? PENSE NISSO. MAS, professores como pesquisadores devem combater mentes como a sua, que é de um homem colonizador, que acha que uma cultura "superior" possa desprezar a sua própria origem. ESQUECEU QUEM ERAM OS HABITANTES DESSA TERRA ENCONTRADA? PAÍS É VISTO LÁ FORA? MAS SEU ARTIGO, APESAR DE PRECONCEITUOSO, DISCRIMINADOR, VAI CAUSAR MUITA POLÊMICA E VAI SER REFEITO POR OUTRA PESSOA QUEE MOSTRARÁ UMA OUTRA VERDADE.

Kean Silvério disse...

Noossa se esta tão ruim assim Porto velho porque não vai embora daqui vai para europa opis vc deve ser uns dos pobretões que se acha que vc comenta no seu texto, eu que não moarava aqui, vai fazer um ano que estou aqui não falo mal de pvh, porque é a cidade que eu moro e devo me orgulha de esta aqui, porque e essa cidade que esta dando meus estudo para mim ser alguem na vida, e dai se aqui tem politico corrupt, se ele ta la dentro robando, e porque foi nos que colocou ele la DENTRO Õ.o revolta com esse povo que gosta de defama rondonia

Elimilton disse...

Prezado "professor" dizer que esse clima não combina com Rondoniense,eu concordo! mas dizer que moramos em um ambiente podre,fedida... monte de besteirada. eu discordo com sua pessoa. "Se dissesse em uma região ao qual os politicos que temos não prestam para cargo ao qual elegemos ai sim seria verdade" O ambiente que eu moro e muito bonito e que nossas cidades tem lugares maravilhoso. "Eu Sou Rondoniese e tenho orgulho disso pois é aqui que nasci e que meus filhos nasceram.

Lucca disse...

Para quem ate um dia desses parecia um rato pelado, ou na melhor das hipóteses, um cachorrinho de madame rapado, o nobre professor esta confabulando mal as palavras insertas no texto, pois para mim não fica claro se queria nos chamar de "pés rapados", por sermos nortistas, ou se idiotas por te chamarmos de professor, ou ainda se queria ofender aos políticos, "na boa", os políticos cortaram os tendões das ofensas, tente outro expediente...aos nortistas conseguiu sim ofender, penso que muito, alias...
Certas coisas acontecem em nossas vidas para que possamos refletir e considerar mudanças necessárias, em seu caso, me parece, foram inúteis os acontecimentos...
O Sul maravilha e educado, em 2009 foi palco de uma das barbáries mais horrendas que se tem notícias no futebol brasileiro, quando o time da capital do Paraná foi rebaixado para a segunda divisão, sua torcida "educada em Oxford", que provavelmente não tem nortistas, destruiu todo o estádio, agrediu a todos os jogadores do time adversário, e saiu depredando toda a cidade, se isso eh educação, se isso eh estirpe, me deixa aqui com minha selvageria amazônica...
Mas só "pra não perder a viagem", não esqueça que os mesmos políticos que ofendes e que dizes: "não fazem nada", em sua maioria são importações de outros estados "adiantados", assim como vossa pessoa e muitas outras que aqui tem "criado raízes", mas que ao contrario do que escreveu, vieram para construir, progredir, mudar e vencer com aqueles que aqui estavam...mas como nos dizeres do ditado popular: em terra sem saúde que tem governador medico, não sabe votar, já seria pedir demais ter professor

Luiz Eduardo da Silva disse...

Des prezado Nazareno, acho que você deveria voltar para a cidade/Estado onde nasceste, pois já que lá nenhum político rouba, não desviam verbas e tudo funciona, só que mesmo assim vc está aqui, pois lá estaria passando fome. Com relação ao primeiro parágrafo, mesmo no fim do mundo, temos direito a esse delicioso frio, e todo lugar tem direito a sua peculiaridade, você não vê por exemplo, uma cidade linda e maravilhosa mas tem o nome de CUritiba? com relação ao segundo parágrafo, realmene Porto velho é suja, desorganizada e talvez tenhamos os piores políticos do mundo, mas quem disse que no sul/sudeste não há desvios de verbas? E quem disse que mesmo que seja nessa época não vende roupas adaptadas ao nosso frio? Se queres conhecer natureza, vá ao interior de Rondônia, vc conhece o vale do apertado, na região de Pimenta Bueno? E muitos outros lugares também. Com relação ao terceiro parágrafo vc me fez descobrir que no sul não há pobre, pois eles não conhecem cachaça, que eles não se embreagam e só tem santinho, assistimos na tv os crimes bárboros que acontecem no sul, só o vc não sabe disso. Realmente lá é primeiro mundo, não há doenças de espécie alguma, os políticos de lá não roubam (kkkkkk). Por favor, volte para sua terra podre de deixe Rondônia.

Aldair Facundo disse...

Sr. Nazareno, fiquei estarrecida com a forma deselegante que o senhor expôs sua frustração. Sou casada com inglês e transito com certa facilidade pela Europa, como também tive o prazer de visitar o sul do País. Nasci em Porto Velho e tenho orgulho da minha terra. Quanto a falta de caráter dos políticos, não é um "privilégio" , só de Rondônia, caso não saiba, estamos travando uma luta feroz aqui no Rio de Janeiro para depor o canalha que governa este estado maravilhoso que escolhi para morar. Por que ao invés de ficar esculachando Rondônia, o senhor não toma uma atitude de homem? Arregace as mangas, vá a luta, ou se está tão incomodado, pegue os seus trapinhos e caia fora. Gente da sua laia, que mora ai só para tirar proveito, tem de montão. Infelizmente, minha educação não permite te mandar para lugares impróprios. Saiba que: Nessas paragens do poente, gritamos com força SOMOS BRASILEIROS. E tenho dito

Julietivana Carvalho disse...

Esse "professor " é um nojo,que visão deselegante e de mente pobre.

Marco Túlio Seixas disse...

Para alguém que usa o epiteto de "professor", esse desmedido artigo preconceituoso não contribuiu em nada para nossa educação, e quem precisa de clima para ler um bom livro, apreciar determinado tipo de bebida ou afins ?

José Orestes Merola disse...

Tenho que discordar do professor quando diz que na Europa não tem corrupção. Estou passando uma temporada na Espanha para estudos de doutorado pagos com recursos do governo federal do Brasil. O que tenho visto aqui no notíciário é o mesmo que vemos no noticiário de Rondônia e do Brasil: todo dia tem um caso novo de corrupção envolvendo políticos de todas as esferas que desviam dinheiro público para contas na suíça e casos de inúmeros caixas 2 de campanha política. O primeiro ministro da Espanha, que é do partido conservador neoliberal - PP, está para ser derrubado do cargo por que o tesoureiro do partido confessou que o partido recebeu milhões de euros para o caixa 2 de campanha eleitoral. Até mesmo a corrupção no Brasil tem influência dos europeus. O caso não está sendo muito noticiado por aí porque, apesar de se tratar de um dos maiores casos de corrupção na execução de obras públicas, envolve o governo de estado de São Paulo, que o Sr. chama de desenvolvido, ´comandado pelo PSDB. Neste caso, há mais de 20 anos, desde que o PSDB assumiu o governo do estado de São Paulo, com a eleição do Mario Covas, que morreu de câncer de próstata, as licitações para o metro e trens são fraudadas e funcionários do estado e políticos são subornados pelas multinacionais SIEMENS, que é Alemã, e ALSTON, que é canadense.
Sou paulista e vivi em Rondônia, mais especificamente em Porto Velho, de 2002 a 2012. Foram 10 anos em que vivi em uma localidade com uma infraestrutura muito precária, realmente. Mas, isso não é, a meu ver, um problema que se origina no estado de Rondônia. Antes disso, é a invasão da região por interesseiros de toda ordem que, a começar pelo Sr. Marechal Candido Rondon, aí se aportaram para impor sua brutal dominação sobre a gente verdadeiramente originária desta terra maravilhosa, que sempre viveu em harmonia com a natureza e em paz consigo mesmos.

Pc disse...

Até q enfim alguem que vê a realidade desse lugar..Parabens pelo texto prof Nazareno,falou pouco mas falou tdo!E quem não gostou pare de gastar dinheiro bebendo cristal e comendo churrasquinho de gato nas esquinas em cima do esgoto aberto e vá conhecer outros lugares para se certificar do conteúdo do texto...

Sandra K. da Silva disse...

Vivo na Europa especificamente Stokholm Suecia desde 2007 entre idas e vindas, realmente td o qe o Sr falou e verdade. Mais eu penso como o poeta " este mundo e «grande demais para nascer e morrer no mesmo lugar». Okei eu aprendi a ser tolerante, a respeitar mais as diferenças, a descobrir a diversidade de raças, culturas, estilos de vida e pensamento muito diferentes dos nossos, brasileiros, muitas vezes machistas, egoístas e hipócritas....aprendi que viver no mesmo edifício que o motorista do caminhão de lixo e comer no mesmo restaurante da faxineira da piscina é uma coisa absolutamente normal, pois a tal diferença de “classes” é estupidamente menor...aprendi a conviver com famílias com dois pais, duas mães e até duas mães e um pai, a não falar mal de uma mulher escabelada na padaria, a não ficar horrorizada com um «modelito» fora do «normal». Aprendi que o normal pode ser qualquer coisa, que cada pessoa é um mundo e que cada um de nós cuida do seu próprio mundo pessoal, sem precisar de aparências ou máscaras. E ao mesmo tempo aprendi que todos devemos cuidar do nosso mundo coletivo, que a força do ser em conjunto é muito importante e que, melhor de tudo, dá resultados. Mais também decidir e concluir qe PORTO VELHO/ RONDÔNIA e o meu lugar e é o melhor lugar do MUNDO para se viver.... TE AMO MINHA PORTO VELHO..... com todos os seus defeitos... Sandra K.

Zu disse...

ME AMARROTA QUE EU ESTOU PASSADA.
NÃO ENTENDI TANTO DESPREZO PELA POPULAÇÃO DE PORTO VELHO, MUITO RANCOR E MALDADE NAS PALAVRAS. NÃO GOSTEI DO QUE LI, FIQUEI TRISTE.
NÃO SOU DAQUI, MAS AMO E RESPEITO PORTO VELHO CUJA POPULAÇÃO ME ACOLHEU DE BRAÇOS ABERTOS HÁ MUITO TEMPO.

Rosângela Xavier disse...

QUANTA ANTITESE, CONTRADIÇÕES... RONDONIA E SEU PVO É LINDA...UM DIA FRIO, UM BOM LUGAR PRA LER UM LIVRO...ESTOU LENDO: VIVENDO SEM MÁSCARAS, É DEZ. É POR ISSO QUE DEVEMOS GUARDAR OS NOSSOS CORAÇÕES PORQUE DELE PROCEDEM AS SAÍDAS DA VIDA. JÁ PALESTREI SOBRE AS COTAS ETNAS JUNTAMENTE COM ESTE PROFESSOR, EU A FAVOR ELE CONTA NA QUAL POSICIONOU-SE MUITO BEM, FOI BEM COERENTE CONTUDO HOJE FOI INCONSEQUENTE NAS PALAVRAS. HÁ PERDÃO POIS O MESMO TEM SIDO EXCELENTE CANAL ENTRE OS ALUNOS E A FACULDADE E AS PROFISSÕES.

Paula de Tássia disse...

Tosco!!! Faltam palavras para expressar o repúdio sobre esta infeliz publicação.

Ricardo Andrade disse...

Já que qualquer idiota pode escrever, serei solidário ao Nazareno e escreverei algumas idiotices também.
Moro em Niteroi, e se o Nazareno sabe o que é IDH, saberá que as pessoas de Niterói têm bastante cultura. Morei em Porto Velho durante 3 anos. Em Porto Velho conheci pessoas de todos os cantos do Brasil. Conheci pouquíssimas pessoas que tinham os pais nascidos na cidade, o que me permite dizer, que quase ninguém era "rondoniense" de fato. Porto Velho é uma miscelânea de culturas. Concordo com os exagerados dele quanto a cidade, que é de fato, muito feia, porém, quanto ao povo "brega" e blábláblá eu discordo. Não sei qual é o circulo que ele vive (família e amigos), mas o círculo que eu convivi, era de pessoas de bom gosto e de cultura. Parabéns ao Rondoniaaovivo.com por ser tão democrático a ponto de publicar uma opinião lixo e desfundamentada como a do Nazareno.

Jacir Rigolon disse...

Sendo este sr um professor,educador, parece mais uma pessoa ignorante, que mais se identifica com uma mula que é mais bem educada, além de ser uma pessoa DISCRIMINATÓRIA, comparando o povo de Rondonia com africanos, que também são seres humanos, pegue a sua viola e enfia no saco, otário, ´o melhor que voçe pode fazer por Rondonia

Diógenes Queiroz disse...

professor com todo respeito, pega esse texto enrrola mais ou menos e enfia no rabo bem gostoso e aproveita pega seus panos de bunda e vaza entao, o senhor como um comentarista de clima é um razoavel professor, da linha mano.

Virgínia F. do Rosário disse...

Esclareço ao nobre professor que demonstrou conhecimentos culinários internacionais que, estamos na estação de Inverno e não Verão, já que quer passar uma imagem de tão sábio, deveria saber sobre as estações do ano, antes de falar tanta besteira. Misturou alhos com bugalhos, somente para ofender o lugar que lhe acolheu. Se não se sentes bem aqui, pegue sua malinha com seus trapinhos e vá em busca de um local que vc acredite ser próprio para vc morar. Rondônia, Porto Velho, não vai se acabar pela sua saída, mas sim, agradecer por ficar livre de pessoas ingratas como vc!!!!!!!!!!!!!!!!!

Rod Daniel disse...

Obrigado Nazareno por acabar com a nossa cidade, essa sua redação não vai melhorar o problema, agora já que você não é natural de Porto Velho saia e vá morar no sul vá!

Morys disse...


Esse tal de professor nazareno só escreve besteira. Nunca li um texto dele que se aproveitasse alguma coisa. O site rondoniaovivo.com perde credibilidade quando abre espaço pra um indivíduo desses que só fala asneiras.

Wilka Alexandra de Lima disse...

É impressionante, a falta de respeito, humildade, educação e outros adjetivos que poderiam ser empregados a uma pessoa que se diz professor. O que você está fazendo aqui então Prof. Nazareno? Veio matar sua fome também, como tantos outros que aqui chegaram e agora está "cuspindo" no prato que come? Antes de mais nada, tenha respeito pela cidade e pelas pessoas que lhe acolheram! Use seu "bom senso" se que é que tem, antes de abrir a boca ou escrever coisas que possam magoar as pessoas, tenha uma pouco de humanidade, você não sabe como será o seu dia de amanhã! Talvez esteja perambulando como mendigo, por estas ruas com esgoto a céu aberto, como vc mesmo descreveu. Olhe para dentro de si mesmo e veja a PODRIDÃO que existe dentro de você! Se enxerga a cidade dessa maneira é porque o LIXO maior emana de sua pessoa!

Orci Luiz disse...

Ei nobre colega, que porra de de opinião é essa? Está dispensado.; Cai fora véio.

Francimar Dias disse...

Caríssimo Prof., quem fala o que quer, ouve o que quer e não quer. Sinto muita pena de você. Recalcado, pedante, ignóbil, extremamente bizonho e, acima de tudo, um sujeito sem amor ao lugar que o acolhe. Desejo que ache sua cachorrinha, com a qual para cá veio, amarrada num barbante, e volte ao lugar que tanto admira. Vá para a casa de Hades.

Giselle disse...

O Sr. foi infeliz em seu comentário, já que ridicularizou costumes, vestimentas e indiretamente nos chamou de ''cafona'' ''fora de época''. Deveria ter um pingo de respeito pelo estado e pelo povo que te acolheu aqui, nasci, cresci em Rondônia e não ''admito'' falares assim do meu povo. Não compare outras culturas pra cá, afinal cada uma tem seus costumes e o nosso clima predominante não é o frio. Prepotente e arrogante fostes em vários comentários ( vestimentas,como se comportar, o que beber ) , reavalie seus conceitos ! e se não estiver satisfeito o aeroporto de Pvh funciona normalmente e embarque no próximo voo para as cidades do Sul, Europa enfim, aonde o Sr. estava satisfeito e respeite os habitantes daquele lugar !

Leandro disse...

Quanta bobagem pra alguém que se diz educador, você falou muita besteira nesse seu lixo de texto!

Cícero de Matos disse...

CONCORDO COM O PROFESSOR,NA VERDADE ELE NAO TA DENEGRINDO NADA,ELE TA FALANDO A VERDADE,O POVO DAQUI DEVERIA SE INDIGNAR TAMBEM,FALTA MUITA COISA AQUI,E UMA VERGONHA,SOU DAQUI DE RONDONIA,ESTIVE EM CAMPO GRANDE DIA DESSES,E VOLTEI INDIGNADO,LA OS POLITICOS ROUBAM TANBEM,MAS SE VE DESENVOLVIMENTO,JA AQUI É SO OPERAÇÃO DA POLICIA,E A CIDADE ABANDONADA.PORTOVELHENSE NAO ACEITE,NOSSA CIDADE PODE SER BOA,É SO A GENTE COBRAR

Maria Helena disse...

Sr. ANTONIO CARLOS - como sempre o sr. mete o pau no JBC, mas ele trabalha a maior parte do tempo no que se diz melhor escola privada CLASSE A de PVH, portanto, além do senhor nunca entender os textos do prof.Naza, pois qualquer leitor assíduo percebe a ironia do caro professor,o senhor deve ter uma inveja danada ou do professor ou do JBC. Qual é a sua meu caro?

Sérgio disse...

O professor em parte está certo, mas com palavras erradas talvez, com muita contudência e isso pode ser ofensivo a alguns. Morei 26 anos em PVH, desde 2 anos de idade e fui embora aos 28 e já retornei algumas vezes e a sensação que tenho, apesar de gostar da cidade, é que o resto do Brasil anda e PVH ficou parada no tempo. O professor erra ao dizer que é verão aí. NÃO É MESMO PROFESSOR. É INVERNO AÍ E AS PESSOAS NÃO SABEM. O maior erro que se comete na Amazônia de um modo geral é associar chuvas ao inverno e não é. O Período chuvoso é típico da estação do verão em todos os lugares do mundo e o inverno é normalmente uma estação mais seca, sem tanta chuva. O Verão que o sr. se refere Professor, nessa época é no hemisfério norte. SE na Amazônia não faz frio para que se pareça inverno não muda em absoluto o calendário das estações do ano.
Hoje moro no Sul do Brasil e no meu coração está Rondonia, minha família que está aí, meus amigos de verdade, toda época de ouro da minha vida foi vivida aí.
Cordiais Saudações a todos.

Matheus Artur da Silva disse...

O amigão, você desfila um português invejável e uma redação muito bem feita, mais me perco ao interpretar suas intenções. Na Europa não há corrupção? Quando foi que o Sr. pisou por lá? Creio que anda lendo muita VEJA e que só conheça aquele velho mundo pelo noticiário. Minto, nem noticiário, pois veria que o motivo da quebra financeira da europa em mais de 50% dos casos se dá por corrupção. Ainda assim, esqueçamos a europa e voltemos à rondonia (que são distantes em muitos kilometros, mas também em MILHARES de anos de idade, e que por isso equipará-los é estupidez!), em rondônia se vive porcamente sim, e justamente porque as pessoas que formam opniões por aqui são sempre boas de texto, boas de política, boas de fama, mas sempre péssimas de idéias como em seu texto, o professor demonstra ser. Fraco texto, meus parabéns.

Viviane Paiva disse...

Gente, concordo que o Nazareno exagerou, mas apontem as mentiras do texto por favor.

Fabiane disse...

Eh... o frio não combina com Rondônia na mesma intensidade que a sensatez não combina com vc! babaca

Felipe disse...

Na Boa, achei esta opinião hipócrita, elitista e preconceituosa. tanto o preconceito como o repúdio dele são maneiras que as pessoas acham de se distinguir das outras, provando que, no fim, o ser humano não quer ser mais humano, ele quer ser diferente da imagem comum que tem de uma pessoa. Mas acaba sendo muitas vezes pior.
Eu achei engraçada a parte que ele coloca a culpa da corrupção no calor! rsrs ...
Desde quando Civilização é ter roupa de inverno e comer Fondue?

Cristiane Souza Rodrigies disse...

concordo com o Professor, quero saber aonde ele está mentindo ai???? Nosso cidade só é assim, devido a má administração. Infelizmente!!!

Juniel Silva Lima disse...

Caríssimo Professor Nazareno, embora você cite em seu comentário comidas e bebidas de muito bom gosto, no conteúdo de seu comentário não se percebe a mesma coisa. Pois é de muito mal gosto falar mal de pessoas a quem se quer foi dada a oportunidade de conhecer esse tipo de vida. Pessoas que, nem durante toda a vida, terão condições financeiras de ter acesso aos lugares que você cita em seu Ridículo artigo. Não porque não queiram, mas por que as instituições e poderes que deveriam proporcionar melhores condições de vida para a população não o fazem. Pelo contrário, aqueles que são colocados lá para lutarem por condições melhores para a população quando lá chegam esquecem-se da população e se lembram apenas da própria família ou dos próprios interesses.
Não vi manifesto a São Pedro ou a Deus para que mandasse frio para nossa cidade. Por isso, atribuir a culpa de não estarem preparadas para o frio às pessoas é, no mínimo, estupidez.
E daí se não temos roupas novas para o frio?
E daí se as roupas estão com cheiro de mofo?
E daí se aqui não é um dos países da Europa ou alguma cidade "civilizada do Sul?
Estamos, de fato acostumados ao calor, mas não somente calor no sentido estrito da palavra. Estamos acostumados ao calor humano, à bondade à sensibilidade e principalmente ao calor que emana dos corações dessas pessoas que, mesmo com roupas rasgadas, com roupas usadas, com cheiro de mofo, ainda assim buscam puxar assunto e estabelecer amizade, nem que seja falando do tempo frio.
Por fim, já vi textos seus muito melhores e de melhor gosto. Tem alguém nessa redação para orientar quando alguém escreve bobagens não? É uma pena se não tem, pois teria evitado tamanho fiasco

Juniel Silva Lima disse...

Caríssimo Professor Nazareno, embora você cite em seu comentário comidas e bebidas de muito bom gosto, no conteúdo de seu comentário não se percebe a mesma coisa. Pois é de muito mal gosto falar mal de pessoas a quem se quer foi dada a oportunidade de conhecer esse tipo de vida. Pessoas que, nem durante toda a vida, terão condições financeiras de ter acesso aos lugares que você cita em seu Ridículo artigo. Não porque não queiram, mas por que as instituições e poderes que deveriam proporcionar melhores condições de vida para a população não o fazem. Pelo contrário, aqueles que são colocados lá para lutarem por condições melhores para a população quando lá chegam esquecem-se da população e se lembram apenas da própria família ou dos próprios interesses.
Não vi manifesto a São Pedro ou a Deus para que mandasse frio para nossa cidade. Por isso, atribuir a culpa de não estarem preparadas para o frio às pessoas é, no mínimo, estupidez.
E daí se não temos roupas novas para o frio?
E daí se as roupas estão com cheiro de mofo?
E daí se aqui não é um dos países da Europa ou alguma cidade "civilizada do Sul?
Estamos, de fato acostumados ao calor, mas não somente calor no sentido estrito da palavra. Estamos acostumados ao calor humano, à bondade à sensibilidade e principalmente ao calor que emana dos corações dessas pessoas que, mesmo com roupas rasgadas, com roupas usadas, com cheiro de mofo, ainda assim buscam puxar assunto e estabelecer amizade, nem que seja falando do tempo frio.
Por fim, já vi textos seus muito melhores e de melhor gosto. Tem alguém nessa redação para orientar quando alguém escreve bobagens não? É uma pena se não tem, pois teria evitado tamanho fiasco

Samia Ribeiro disse...

Me admiro do senhor ainda estar por aqui... cuspindo no prato que come todos os dias. Rondoniaovivo caiu no meu conceito. Acompanho as notícias de RO por meio deste, porém os comentários maldosos deste senhor, que denigrem a imagem de RO são desnecessários e inadmissíveis. Como vocês tem coragem de publicar uma afronta como essa?

Fabio disse...

Sinceramente não sei o que este professor leciona, mas para falar tão mal de Rondônia ele dever estar muito magoado. Penso que tão importante quanto educação e idoneidade moral seja a educação e o bom senso, para manter a boca fechada e evitar comparações tão absurdas. Nossos problemas estão escancarados para o Brasil, sendo assim a pergunta que deve ser feita é: estou disposto a mudar para melhorar minha vida e a do meu concidadão? Tomara que o frio o mantenha o professor em casa para que ele faça esta reflexão!!!

Jessica da Silva Duarte disse...

Professor Nazareno, só tenho uma coisa pra dizer pra vossa excelência, vá pra p... que pariu.
Crie vergonha nessa sua cara e preste mais atenção no que você vai publicar homem. se não gosta daqui então pega o beco, rapa fora, te manda, dá o vaza, não vai fazer falta não.

José Girão Neto disse...

É muita cara de pau, fala mal de Rondônia, mas é daqui que sobrevive, daqui que consegue sustento para si e sua familia. Fala da Europa, vai ver nunca saiu do Estado. Foi totalmente infeliz, desrespeitoso com a populaçao Rondôniense,se tiver a honradez deve se retratar das besteiras que falou. Ainda se intitula como Professor, imagine, os seus alunos.

Tanany disse...

Esse professorzinho tá merecendo que o povo de Rondônia pegue ele pelos fundinhos das calças e jogue ele depois da linha da divisa do Estado,e dê um pé na bunda ainda pra fechar com chave de ouro. Nunca lí tanta besteira em tão poucas linhas.

Ane disse...

SINCERAMENTE ESSE QUE SE DIZ "PROFESSOR" É SÓ MAIS UM SER IGNORANTE, ARROGANTE, COM FALTA DO QUE FAZER AO FICAR CRITICANDO TANTO AS PESSOAS COMO CIDADE EM QUE ELE MORA. NA VERDADE ELE SE DEMONSTRA TÃO CONHECEDOR DE BELOS LUGARES QUANDO QUE NA VERDADE ELE SÓ DEVE CONHECER PELA TELEVISÃO OU INTERNET (COITADO)E APENAS SE APROVEITA DO MOMENTO PARA SE DESFAZER DA CIDADE E DAS PESSOAS, GENTE O QUE É ISSO ESSE HOMEM É UM COMPLETO IDIOTA QUE SÓ FALA ASNEIRAS (POBRE COITADO) ELE SE REFERIU A TANTOS TIPOS DE DOENÇAS COMO SE TODA A POPULAÇÃO TIVESSE ISSO, QUANDO QUE NA VERDADE APENAS ELE DEVE TER ESSES TIPOS DE DOENÇAS PORQUE NESSA PARTE AÍ DO TEXTO, MEIO QUE SENTI COMO UM DESABAFO DA PARTE DELE. E O RESTO É SÓ O RESTO PORQUE AS PALAVRAS DELE NÃO VALEM DE NADA POIS ELE COMENTA O QUE ELE NÃO SABE NA REALIDADE,OUTRA COISA QUE EU ACHO OU MELHOR TENHO QUASE CERTEZA É QUE ESSE SER OBSCURO SÓ PODE TER COMPRADO O DIPLOMA E NÃO PARTICIPOU DE NUNHUMA DAS AULAS NA UNIVERSIDADE PORQUE A FALTA DE CONCIÊNCIA, EDUCAÇÃO, ÉTICA E COMPORTAMENTO ESTÃO FALTANDO NESSE PEQUENO SER.

Genilson disse...

me admiro muito um cidadão que veio "fugido" de algum lugar desse brasil para ganhar a vida aqui, menosprezar a cidade onde muito ajudou quando estava morrendo em um leito de hospital onde várias pessoas fizeram "cota" para pagar seu tratamento entre eles eu mas parabéns por ser hipócrita e não respeita a cidade que te acolheu tinha até um certo respeito por ter sido meu professor, mas pelo visto o senhor nunca vai sair de sua vidinha por não respeitar essa cidade maravilhosa pode está ruim mas não e culpa de nós cidadãos mais acolhe a todos.

Anônimo disse...

Quanto preconceito, asneira e burrice num texto só! Que vergonha heim Professor?! Volte pra sua Curitiba, e seja mendigo lá pq aqui na Roubonia foi onde vc ganhou tudo o que tem! Mais Respeito com a cidade que te acolheu!

Ivanna disse...

E onde é que leciona esse indivíduo? Deve ter passado horas no dicionário buscando palavras que ele, e somente ele pensou que fossem rebuscadas, para escrever uma matéria tão medíocre e sem o mínimo aporte cultural. Adoraria receber a visita desse "ilustre catedrático", com uma boa taça de vinho, já que ele se demonstra tão conhecedor, para conversar sobre soluções ou propostas para todas as críticas feitas de forma tão sarcástica. Ah faça-me o favor…….

Carlos Chistian disse...

Esse professor é muito tosco né galera, fica falando mal desse jeito da nossa cidade. Você é muito otário professor,pq vc não vai morar na Europa onde vc acha que é um mar de rodas, vai la ficar no meio dos vulcões, dos tsunamis, das guerras e muito mais, nós moramos num paraíso se vc parar pra analisar. Só pra completar te enterrar pow...

Érica disse...

Tenho certeza que o Senhor é o primeiro a tirar o casacos velhos cheirando mofo, naftalina e barata doadas por parentes do sul, pois com seu, infeliz, mísero salário de professor não se pode tomar vinhos finos muito menos ir curtir o inverno em Munique ou nos cantões da Suíça, não é mesmo? Se o Senhor acha tão ruim Rondonia por que não vai embora? Ah, me poupe, aposto que não tem condições nem pra passar as férias no sul aqui do Brasil mesmo, porque quem tem não estaria em uma cidade que não gosta ralando pra ter algo, vai estudar que o Senhor ganha mais!! Perdeu a oportunidade de ficar quieto nesse infeliz texto, não é de se duvidar que o Senhor esteja cheio de curubas e outras doenças de pobre por isso esse mau humor todo!

Markus disse...

Nossa que Vergonhoso Nazareno Cuspindo no Prato que comeu até hoje, Crie vergonha nessa seu cara, não esta satisfeito vai embora, você não é bem vindo com seus comentários insolentes. Você é ridículo e outra se você tem alguma coisinha agradeça ao estado que você tanto difama. Nojo, vergonha de ter sido seu aluno, Classe A Observe melhor quem vocês contratam.

Markus disse...

Tu é um ridículo Nazareno, se você não esta satisfeito com o estado de Rondônia onde você ganha dinheiro ou melhor onde você come e cospe no prato em que come, vai embora não nos faz falta. Vergonha de ter sido seu aluno. Tem que melhorar a seleção de professores Classe A.

Carlos disse...

Nazareno! O senhor deves ser tão feio quanto o nome. Em fim, Não digo nem que está errado, quando fala da corrupção que eu também repudio dou OK, mas sinceramente o senhor fui muito mal educado, fale mal da cidade, mas não do povo ou de como se veste. O senhor é professor de etiqueta? Acho que não. Quanto ao clima frio hshshshshshsh! Foi super infeliz! isso é um fenômeno natural, e sempre será estude um pouco de climatologia se é que sabe o que é isso, bem, é professor, deve saber pesquisar! Se não gosta do que vê, acha errado tente fazer algo para mudar a realidade. Estava nas manifestações? duvido. Faz o seguinte, vai pra Europa mas primeiro ganho o dinheirinho aqui na terra do mofo!

Michele disse...

é professor Nazareno quem fala o que quer ouve o que não quer esse é o ditado popular mais certo e cabe direitinho no seu caso

Mayara disse...

Fácil criticar a população e a cidade onde mora e trabalha sentado na frente de um computador, difícil é levantar a bunda e fazer algo pra mudar a situação.

Graziela Streit Rodrigues disse...

Em primeiro lugar, gostaria de fazer um breve momento "mea culpa" aqui: isso que estou fazendo é errado, viu? A primeira regra ao lidar com pessoas desse calibre é nunca dar corda. Principalmente porque eu sei como ele vai reagir, vai chegar na aula com um sorrisinho e dizer: "E aí turma (pasmem, esse senhor é um educador), viram o texto que eu publiquei? Gerou muita polêmica e discussão, mas esse é meu papel, afinal, gerar debate (pasmem, esse senhor se considera o Sócrates da amazônia)". Enfim, posteriormente se seguirá aproximadamente uma hora de discurso sobre como ele é sensacional e as pessoas não entendem sua fina ironia (nesse momento os alunos já estarão em profundo coma mental de tanto tédio, o que não vai interromper seu monólogo de auto-promoção). É assim, toda santa vez. Então nem sei pq estou perdendo meu tempo, mas vamos lá.
Caro senhor Nazareno, tive o desprazer de ser sua aluna por dois anos, e devo dizer que estou bastante impressionada, falo sério. Não achei que o senhor fosse capaz de proferir tanta ignorância em períodos encadeados em forma de texto. Minha primeira ideia foi citar algumas partes do seu "artigo", só que percebi que todo ele é embebido em preconceito e não teria como escolher um só excerto. Portanto, falarei do texto como um todo.
Achei muito inovador o paralelo feito entre calor e corrupção, pq antes estava parecendo um plágio malfeito das piores ideias de Montesquieu e doses cavalares de determinismo geográfico. Acho que o senhor deveria se aprofundar nessa tese de que calor gera corrupção, poderia lhe render um Nobel, ou algo do tipo. Falo isso pois já vi análises relacionando corrupção com má fiscalização da aplicação de verba, com o descaso do governo com política públicas, com a falta de conscientização política da população (decorrente de um panorama maior de falta de investimento em educação); mas de verdade, essa relação com o calor é realmente original.
Ironias a parte, o que mais me incomoda e me deixa triste não é o seu texto (sinto informar), mas é saber que o senhor dissemina essas ideias para os jovens estudantes. Se bem que, talvez, o estador de torpor absoluto que os alunos ficam em suas aulas talvez não permita a absorção de tais absurdos. Serei eternamente grata por ter desenvolvido um senso-crítico autônomo e não ter me deixado influenciar pela sua ignorância. E a única coisa que eu quero é que o senhor PARE de agir como filósofo incompreendido, como um Arnaldo Jabor da região norte, como um Nelson Rodrigues ressuscitado e entenda que isso aí que o senhor escreveu não passa de idéias retrógradas, conservadoras e ultrapassadas encadeadas em uma sequência lógica.
Por fim, acho que o Caetano tem algo pra te falar: http://www.youtube.com/watch?v=-MK1q9fZjeI

Atenciosamente,
Uma ex-aluna preocupada

Ligiane disse...

Lastimável ler um "educador" escrever assim. Concordo plenamente quando diz "frio não combina com Rondônia". Mas, abomino cada palavra comparando Europa, como sendo um país desenvolvido, e Rondônia, como o oposto. Não há um só estado brasileiro comparável aos europeus, como também lá não é um mar de rosas. Prós e contras em qualquer lugar! Já o senhor, estando tão insatisfeito com o lugar onde vive, pegue suas coisinhas e vá morar na Europa, na região Sul, ou onde lhe faça feliz. Contanto que pare de falar mal deste lugar, que apesar de "decadente" [forma que deixou entrelinhas] está depositando algum dinheiro em sua conta bancária ;)

«Mais antigas ‹Antigas   1 – 200 de 261   Recentes› Mais recentes»