terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Vamos aos bares torcer, rapaziada!


Flamengo, São Paulo, Palmeiras ou Internacional?


Professor Nazareno*


Não gosto de futebol, embora tenha nascido no país que ama este esporte e já ganhou cinco Copas do Mundo. É um esporte bonito, saudável, com jogadas maravilhosas e craques que encantam com as suas gingas, gols espetaculares e dribles incríveis dentro de campo. O Brasil é um exportador reconhecido de grandes talentos. Os melhores jogadores de futebol do mundo geralmente são nascidos aqui e exemplos não faltam: Ronaldinho, Kaká, Pelé, Garrincha, Didi, Rivaldo dentre tantos outros. Apesar de já termos sediado uma Copa, seremos, de novo, os anfitriões em 2014.

O maior problema do futebol está fora das quatro linhas, como dizem muitos cronistas esportivos e autoridades no assunto. Há muito dinheiro envolvido e hoje quase todos os atletas deste esporte ficam com um olho na bola e outro na possibilidade de ficar rico depressa. Por isso, maus exemplos não faltam: há denúncias de que neste ano pelo menos duzentas partidas foram “arranjadas” em vários campeonatos de futebol na Europa. Escândalos envolvendo este esporte já foram observados na Itália, Alemanha e em muitos outros países. Compra de árbitros e resultados infelizmente já virou rotina.

O Campeonato brasileiro deste ano é um prato cheio para se verificar a seriedade “dos cartolas” envolvidos: o Flamengo, do Rio de Janeiro pode ser campeão se vencer o Grêmio de Porto Alegre pela última rodada do torneio. Se empatar ou perder, o Internacional, também de Porto Alegre e rival dos gremistas, pode levantar a taça. Vários jogadores do “tricolor gaúcho” já sinalizaram que podem “entregar o jogo” aos cariocas para não beneficiar o rival. O Corinthians da capital paulista fez isto e perdeu de dois a zero para o time carioca para não ter que beneficiar seu arqui-rival São Paulo.

Várias Copas do Mundo já apresentaram jogos cheios de “mutretagens”. O exemplo mais escandaloso foi quando, na Copa de 1978 na Argentina, os donos da casa “teriam comprado” a seleção do Peru para que esta perdesse por goleada e tirasse o Brasil da final, que acabou sendo vencida pela seleção anfitriã. O campeonato carioca de 2009 foi disputado entre Botafogo e Flamengo em duas partidas finais quando poderia ter sido ganho bem antes pelo Botafogo. Mas como o que estava em jogo não era a honestidade do esporte, mas a ganância por dinheiro, não deu outra: o alvinegro fez um gol contra e o certame foi disputado em duas partidas na grande final.

Já em Rondônia, o futebol é deplorável, patético mesmo. O maior "Estádio de futebol" daqui são os bares que enchem de torcedores para vibrar com os times que disputam o Campeonato Brasileiro. Há até brigas na "arquibancada" com direito a tiroteios. Todo domingo me divirto visitando os bares onde se reúnem os flamenguistas, os corintianos, os são-paulinos, os vascaínos, os botafoguenses, os torcedores do Fluminense, entretanto, ninguém sabe se existe bar onde se reúnem os torcedores do Genus ou do Shalon, as equipes de nomes bisonhos que representam Porto Velho.

Coisas estranhas andam acontecendo no futebol mundial. O Barão Pierre de Coubertin, que reinventou as Olimpíadas e pronunciou a frase: “O importante não é ganhar, mas competir”, certamente está se retorcendo no túmulo muito tempo após a sua morte. Hoje, devido à conjuntura econômica que move os esportes mundo afora, a frase do Barão deveria ser mudada: “O importante também é perder, depende do contexto”. Bons tempos em que se jogava por amor ao esporte, agora os dirigentes conduzem com maestria o destino deles rumo aos milhões de reais enquanto ‘grupos de otários’ ficam se iludindo achando que no esporte o melhor sempre vence. Coitados.


*O professor Nazareno leciona em Porto Velho.


2 comentários:

Cassia disse...

Para ser feliz de verdade, um sujeito só precisa ter passado por três coisas na vida: piolho na infância, amor platônico na adolescência e chifre na vida adulta.(Cássia B.)

Anônimo disse...

Professor Nazareno, assim como o nome do clube (Corinthians), o adjetivo Corinthianos , também, possui a letra "h"!