sábado, 4 de julho de 2009

As diferenças entre o Pobre e o Rico no Brasil


O Rico e o Pobre no Brasil


Professor Nazareno*


O Brasil é um país pobre, já os Estados Unidos são um país rico. A Europa tem vários países ricos e nenhum pobre. Antes nós éramos Terceiro Mundo, hoje somos emergentes, mas ainda pobres ou com muitos pobres. Quase todo mundo sabe as principais diferenças entre pobres e ricos. Rondônia, por exemplo, é um estado pobre, já São Paulo é um estado rico. Existem muitos estados ricos no Brasil. Mas as diferenças entre pobres e ricos em nosso país são bem maiores do que pensamos.

Pobre quase sempre é analfabeto e geralmente estuda em escola pública. Ao contrário do rico, que tem à disposição a escola particular. Pobre paga para estudar em faculdade, rico estuda em Universidade Federal. Cursos de pobre geralmente são aqueles que oferecem muitas vagas e poucas oportunidades no mercado de trabalho. Curso de rico é aquele cujo mercado ainda não está saturado e paga muito bem ao profissional recém formado. Rico fala Inglês ou Espanhol, pobre nem o Português sabe falar direito. Rico dança ballet, pobre dança Boi.

Pobre sonha com a casa própria, rico mora em flat e paga condomínio. Cozinha de pobre tem liquidificador com saia bordada, cachorro de louça na porta (ou verdadeiro no quintal) e paredes decoradas com pássaros, também de louça, grandes, médios e pequenos. Rico tem computador de última geração, televisão de plasma e carro importado, já o miserável do pobre anda de ônibus e vai à Lan House se quiser não ser chamado de excluído digital. Pobre vota no Governo, rico faz oposição. Rico tem leitura de mundo, pobre nem ler sabe.

É óbvio que pobre vai ao Arraial Flor do Maracujá, Expovel e carnaval fora de época, rico vai ao teatro e ganha dinheiro com a Expovel. Avião é transporte de rico enquanto ônibus serve aos sem dinheiro. Ricos são eleitos e pobres são eleitores. A democracia geralmente é defendida pelos ricos enquanto os pobres “choram um olho e lagrimam outro” por uma ditadura. Resumindo: pobre é ditador enquanto o rico é democrata.

Rico é ateu, judeu ou católico, já pobre é evangélico ou macumbeiro. Música clássica é ouvida pelo rico enquanto pagode, pelo pobre. O SBT é uma emissora de televisão direcionada aos pobres enquanto a Discovey Channel, CNN e Globo News satisfazem o telespectador endinheirado. Pobre vai à feira de bairro, rico ao Shopping Center. Claro que se entende por que Orkut, MSN, Lap Top, Twitter e Blog são palavras comuns a quem tem posses enquanto o favelado nem tem palavras para designar estes acessórios. Rico consome droga que geralmente é vendida pelo pobre.

Doença de pobre é dengue, diarréia, curuba ou malária. Rico pega gripe suína (Influenza H1n1) quando está de férias em Buenos Aires e procura tratamento nos hospitais conveniados com os mais caros planos de saúde ou mesmo fora do estado. Pobre vai ao Hospital de Base ou João Paulo Segundo e ainda fica feliz quando consegue uma ficha para ser atendido dois meses depois num posto de saúde da Prefeitura ou do governo do Estado.

O rico quando entra na política é para triplicar a sua fortuna. Pobre nem político consegue ser. Acredita-se que mais de 80 por cento dos eleitores brasileiros são pobres e por isso mesmo mantêm os outros 20 por cento como reféns de suas estúpidas escolhas. Enquanto o rico é sempre bem votado, o pobre nem votar sabe. Por isto o nosso país é o que é. Enquanto o Brasil for povoado por esta gentinha “chinfrim” e sem nenhum “pedegree”, seremos a escória do mundo, a terra onde tudo é possível, a nação do absurdo. Um país periférico e habitado por "jecas".


*Leciona na Escola João Bento da Costa em Porto Velho.

4 comentários:

Kenedy disse...

bom essa é a vida,ou mata,ou morre e morrer não é a melhor escolha :)

jéssica disse...

Muito bom o texto do professor Nazareno, mostra que existe realmente a percepção de que o Brasil como diz o professor Tadeu "pra ficar ruim, precisa melhorar muito". É frustrante mas é verdade, infelizmente a diferença é grande, são mesmos problemas, mesmas ãções, mas de dimensões diferentes. Concordo com o professor e espero realmente que esse texto traga aos estudantes a necessidade de rever os conceitos sobre o verdadeiro "Brasil", quem sabe não podem mudá-lo, ou pelo menos deixarem menos pior.
Jéssica Machado

eu sou de mais disse...

E por falar em pobreza,lá vamos nós de novo,e é a gente mesmo que se classifica como pobre,ajudando com nossas próprias paalavras quem já pensa dessa forma,nós temos cultura,temos um país que não tem guerra,nem terremotos ,nem vulcões em erupção,temos meios para viver,e não sobreviver como a maioria.

Anônimo disse...

o professor lazarento você esqueceu de falar que pobre só sobe na vida quando explode o barraco .Um abraco e ate mais.kkkkkkkk