domingo, 10 de maio de 2009

Quem acredita em duendes?




“Parabéns, mamãe, pelo seu dia!”


Professor Nazareno*


Hoje é o segundo domingo de maio, dia das mães. O comércio está em festa. Mesmo sendo um domingo ensolarado, o comércio de Porto Velho, e de todo o país, funciona normalmente como se fosse um dia qualquer da semana. Esta data só perde em faturamento para o Natal quando se comemora outra fictícia e interesseira data: o nascimento inventado de Jesus Cristo. Eu não tenho mãe há 20 anos, por isso já consigo observar sem remorsos a imbecilidade alheia que acompanha os hipócritas há tanto tempo.

Hoje, as floriculturas e outras casas do gênero, fazem a festa mesmo que amanhã, uma segunda-feira modorrenta, as lixeiras estejam repletas de rosas, cravos e guirlandas que serviram de suntuosos presentes no dia anterior. Hoje é dia das mães. O dia consagrado àquelas que com seu inestimável amor... etc. e tal e outras besteiras e baboseiras do gênero que fazem os incautos de plantão visitarem cemitérios, mandarem celebrar missas, comprarem presentes, caríssimos ou não, para presentearem a outrora “rainha do lar”.

Rainha do lar, que reino pequeno e tosco. Mãe é mãe com ou sem dedicação. Com ou sem dia dedicado a elas pelo comércio. Não existe um dia apenas no ano como dia da mãe. Dia da mãe é todo dia. Se existe um único dia para as mães, os outros 364 dias do ano podem ser entendidos como dias que não são da mãe. Mas, em contrapartida, existe também o dia do pai, o dia dos namorados, do avô, da avó, do professor, da mulher, do índio e até da sogra (levando em conta que também é um ser humano) que é o 28 de abril. A criatividade dos comerciantes não tem limites. Já pensou quando inventarem o dia do político? Feriado nacional e com direito a muitas festas...

Mas por incrível que pareça já temos uma conduta politicamente mais correta hoje em dia: os comerciantes já não incentivam nas propagandas da mídia, como há alguns anos, a compra de panelas de pressão, geladeiras, jogos de sofá e fogões de oito bocas para “presentear a idiota da Amélia”, aquela senhora patética, só que abrem, num dia de domingo, os seus comércios que vendem, dentre outras coisas, estes eletrodomésticos à espera de incautos que ainda acreditam na existência do amor à base de bugigangas e outras tantas quinquilharias.


*É professor em Porto Velho – profnazareno@hotmail.com


11 comentários:

Anônimo disse...

nossa prof.ñ precisava ser tão cruel!!!

Anônimo disse...

Fiquei imaginando a festa do dia do politico ....

Fernando disse...

Professor sou de acordo com a idéia de que haja muitas datas comemorativas que não há o porque de existirem, no entanto não concordo a forma da qual o senhor se refere as qualidades e a forma da qual usamos para dizermos que amamos nossas mães. To certo que todos os dias são dia das mães e temos que tratá-la de uma forma especial, mas se sua mãe estivesse viva Sr. usaria esse dia também para homenagear ela e estar mais perto dela embora com um pouco menos de delicadeza mas estaria com ela. E estaria sim sendo também um responsável pelo faturamento no comércio local, pois todos nós necessitamos do comércio para suprir nossas necessidades de consumo, e no dia que o Sr. sair de casa para comprar um presente para alguém e encontrar o comércio fechado o Sr. ficará frustrado. Não queira desfazer-se dessa sociedade doente pois todos nós somos assim!

Laguardia disse...

Amigos.
Não sou jornalista nem escrevo bem.
Sou aposentado, recebendo do INSS e tendo o IR descontado na fonte. Não recebo as benesses de nosso apedeuta mor que tem pensão do INSS acima do máximo, isento de Imposto de Renda por se achar perseguido político, ou melhor, por se anistiado político.
Luto com as armas que tenho que é um blog, como forma de desabafar ao ver tanta roubalheira, falta de ética, falta de honestidade e principalmente falta de vergonha na cara desta quadrilha que tomou de assalto o Palácio do Planalto.
Quero convidar os amigos a participarem da minha forma de protesto, o blog Brasil – Liberdade e Democracia - http://brasillivreedemocrata.blogspot.com/.
Se não levantarmos nossas vozes em protesto o que será deste país para nossos filhos e netos?
Agora é a hora de lutarmos por uma pátria livre democrática, e sobre todo com governantes honestos e éticos.

Anônimo disse...

Sim. Ressaltou a merda do consumismo.
Mas por favor, se vai estuprar, use camisinha.

O mundo de cada um disse...

Olá. Li no seu perfil que ensina redação e gramática. Eu montei um blog, em que já faz parte alguns professores. E o blog não tem ainda um colaborador para postar conteúdos de gramática e redação. Por isso estou aqui para lhe convidar a fazer parte da nossa equipe. O endereço do blog é: www.sofistablog.blogspot.com
Se estiver interessado comente lá ou envie um e-mail para: blog_equipe@yahoo.com.br

Liz disse...

E precisava tanta grosseria somente para dizer que a midia se aproveita desta data?
comentário extraído do site
www.rondoniaovivo.com.br

Zeca disse...

Eu não acredito em CENSURA no Rondoniaovivo.com! O que eu já percebi, é que alguma crítica ou alusão contra o que o professor Nazareno escreve, não é bem vinda! Não sei se é êle quem libera os comentários dos leitores... Ou se essas críticas são interpretadas como uma "afronta" ao que o Nazareno escreve! Só pode ser isso!
comentário extraído do site www.rondoniaovivo.com.br

Humberto Arouca disse...

Sinceramente, este professor deve voltar à escola, não para ser alfabetizado, mas para poder adquirir inteligência e cultura. Dia de mãe é todo dia, claro, assim como de tudo que é vivo neste mundo, o dia das mães é um dia e somente um, que marca a celebração e comemoração das nossas mulheres como genitora. A forma como é dita e colocada por este pseudo-escritor nem de longe expressa de forma inteligente, sábia e culta suas idéias. Idéias estas, diga-se de passagem, radicais, ignorantes, grosseiras e diversos outros adjetivos. Mais uma vez eu lhe falo caro professor. A porta da rua é a serventia da casa, sua terra natal lhe aguarda, é nessa terra de ignorantes e idiotas que você mata sua fome, que lhe acolheram. Esta terra tem muito o que melhorar, sabemos disso, mas já bastam os nossos políticos. Corra, vá embora, eu até pago sua passagem de ida.
comentário extraído do site www.rondoniaovivo.com.br

Adriana disse...

ACHO QUE ESTE PROFESSOR NÃO TEM MÃE OU FOI ABANDONADO PELA MESMA LOGO QUE NASCEU. OLHA MEU "ILUSTRE COLUNISTA PROFESSOR NAZARENO", SE A SENHORA SUA MÃE ERA UMA "AMÉLIA IDIOTA", VC COMO PROFESSOR PELO VISTO NADA FEZ PARA TENTAR MUDAR MELHORAR SUA MÃE. TALVEZ NÃO TENHA TIDO MÃE MESMO, PELO MENOS PARA LHE ENSINAR O AMOR, TÃO POUCO LHE ENSINAR E SE TRAJAR, JÁ QUE O VC É UM PROFESSOR TÃO CONHECIDO EM PORTO VELHO MAS NUNCA SE IMPORTOU DE IR PARA UMA ESCOLA DAR AULAS DE CALÇA JEANS, CAMISETA E SEU TÍPICO CHINELINHO HAVAIANAS.

comentário extraído do site
www.rondoniaovivo.com.br

Juniel Silva Lima disse...

Para iniciar gostaria de, não de corrigir, mas esclarecer para a Liz que quem se dá bem com essas datas são os comerciantes e não a mídia. Fora isso, a questão de novo volta. Gente! Não é a vida do professor nazareno que deve ser comentada, se ele tem ou não tem mãe, se é ou não de Rondônia, mas a matéria. Acho que tem muita verdade nas palavras do professor, usou sim um pouco de agressividade em suas palavras, mas quem seria Nazareno sem polêmica? As mães deveriam pensar assim, e perceberem que é so para faturar que essas datas são criadas. Tem muita mãe por ai de tromba virada para o(a) filho(a) achando que não a ama, pois não lhe deu nenhum presente. Esse é o perigo!! Não tem nada demais se tirar um dia para passar dando mais atenção a quem nos ama tanto. O que não pode é materializar os sentimentos em algo palpável, sólido, algo parecido com uma flor ou qualquer outro presente mais caro.

comentário etraído do site
www.rondoniaovivo.com.br