domingo, 24 de fevereiro de 2013

FICA, RENAN!



Em respeito ao povo, fica Renan!


Professor Nazareno*
           

          De tempos em tempos, acontecem no Brasil e em Rondônia, manifestações em defesa de causas perdidas e que geralmente não dão em nada. Parte da sociedade brasileira é tomada por arroubos estéreis e muitas vezes direcionados por manifestantes eufóricos com o objetivo de apenas aparecer diante dos holofotes. Foi assim contra a aposentadoria vitalícia dos ex-governadores, pela adoção da lei do ficha limpa, pelo fim da corrupção em nosso país, por mais ética na política, pela punição deste ou daquele político ladrão, dentre outras inúmeras mobilizações. Aqui, pessoas se mobilizaram até pela emancipação do charmoso distrito de Extrema, pertencente ainda, mais de três anos após um patético plebiscito, ao município de Porto Velho e localizado nos confins da Amazônia. Nenhum problema em se manifestar, afinal vivemos em uma sociedade democrática e a pluralidade de opiniões é extremamente salutar.
Eis que desta vez, surge com força razoável em vários recantos deste país e até em algumas cidades do mundo, mais outra lorota tipicamente nacional: a saída do senador Renan Calheiros da Presidência do Senado, cargo que ele conquistou no voto de seus pares e de forma indiscutivelmente democrática. De quebra, alguns manifestantes gostariam também que o Deputado Federal potiguar Henrique Eduardo Alves, do mesmo partido do Renan, também deixasse o cargo que conquistou de forma lícita para presidir a Câmara dos Deputados. Nas manifestações organizadas com este propósito, há sempre uma expectativa de que “multidões” compareçam. Porém, tudo não passa de mais um sonho inatingível. Como encher as ruas de “manifestantes politizados” se não distribuem drogas nem cachaça para os participantes? Nem abadás há, muito menos bandas de músicas para divertir a alegre rapaziada.
Não se discute aqui a vida pública do político alagoano, que a exemplo de muitos de seus pares, não é nada abonadora. Renan está envolvido até o pescoço em muitas maracutaias. As acusações contra ele são diversas e todo mundo sabe disto. De tão sujo e enrolado, ele se parece até com político de Rondônia. Henrique Alves também é detentor da mesma biografia. Mas se grande parte da opinião pública brasileira sabia disto, por que mais de 800 mil alagoanos o reelegeram para o Senado em 2010? Renan pediu para ser eleito e a população prontamente o atendeu. Logo, quem deveria ser consultado sobre a saída dele da Presidência do Senado seria o eleitor que o reconduziu para Brasília dando-lhe de forma honesta mais um mandato. Tirar-lhe o cargo sem fazer esta consulta naquele estado nordestino, seria como “estuprar” a nossa já frágil democracia. Não é no regime democrático que o povo deve ser sempre ouvido?
Tirar somente Renan Calheiros do cargo que ocupa seria uma grande injustiça, já que  quase todos os políticos que estão em Brasília, e por aqui também, são muito mais sujos do que ele e vão permanecer em seus respectivos cargos. Nossos representantes são como “pau de galinheiro”. O povo devia fazer uma faxina geral na política. Mas haveria um problema: ficaríamos sem representantes legais uma vez que como povo, também somos sujos, ladrões e ordinários. Se os políticos são corruptos, sacanas e desonestos é por que representam um povo de igual índole e que a cada eleição os presenteia com cargos públicos para que nos administrem. Renan, Sarney, Roberto Sobrinho, Lula e mais uma infinidade de cidadãos desta estirpe é fruto do povo. Então quem tem que ser punido é o povo enquanto eleitor. Como tirar a razão do Ministro do Supremo Tribunal Federal, Marco Aurélio de Mello: “A sociedade não é vítima, mas autora. Somos responsáveis por todos os homens públicos que aí estão”. Assim, não se veem muitas diferenças entre político e povo. Pelo menos no Brasil.


*É Professor em Porto Velho.

42 comentários:

Giselle Pini disse...

A manifestação Fora Renan vai muito além de tira lo da presidência do senado. Este grito da sociedade é contra a impunidade e a corrupção que assolam este país. São mais de 84 bilhões desviados todo ano, suficientes para erradicar a miséria e colocar o Brasil como exemplo de desenvolvimento para o mundo. A culpa é do povo? Concordo! Mas e daí? Não podemos mudar? Melhorar? Evoluir? Não? O processo é estático? Imutável? Não é. Pode ser que demore tanto que nem nos pegue por aqui (acredito até que não nos pegará ), mas colocar meu singelo tijolinho nesta construção é minha obrigação como cidadã cansada de ver tanto descaso. Se sair às ruas, mobilizar as pessoas, tentar conscientiza las sobre o seu papel , sua força neste processo não vai resolver nada, então, o que o senhor sugere? Sim, porque ficar falando da culpa do povo na terceira pessoa, ironizando e desestimulando quem tenta fazer alguma coisa, eu sei que não vai resolver!

Fernando Silva de Palma Lima disse...

VERDADE, NUA E CRUA... PARABENS PROFESSOR...SUBSCREVO-A, TAMBÉM!

Marcelo Santa Izabel disse...

Parabéns Prof. Nazareno. A culpa dos Renan(s) são nossa mesmo, eleitores, toda ação tem uma reação, 800 mil alogoanos conduziram o renan ao congresso e ele virou presidente do senado, e os tantos mil eleitores que votaram em pedro simon, aluisio nunes ferreira, eduardo suplicy, roberto requião e tantos outros não reverteram a candidatura do renam?, a culpa também não é deles, é nossa que não sabemos eleger nossos representantes, o professor tem razão, somos farinha do mesmo saco e queremos levar vantagem em tudo, não importa os outros.

Odilo Betto disse...

Sr. professor . . .se o povo de Alagoas é a cara do Renan, nem todos os demais brasilerios, o são. O Sr, como professor, que diz q. é, deveria saber que a maioria dos alagoanos mal sabem ler . . .e, portanto, manobrados por qualquer vantagem . .enquanto os demais brasilerios pagam a conta.

Simone disse...



Corrupto vota em corrupto e quer que o mesmo permaneça no governo. A ignorância é uma bênção.

Maia Pires disse...

Finalmente uma opinião lúcida sobre política Brasiléira, o interessante é que vem de um "indio" da "amazônia". Engraçado! È que nunca ouvir opinião nesse sentido dos "intelectuais politizados" e "Cientistas políticos" do "centro-Sul" que a décadas cientificam os problemas da política nacional e sempre carregam os governantes de toda a culpa, eximindo a responsabilidade do povo sobre esse processo de falência do Estado Brasileiro.

Pedro Nedson Magalhães disse...

Não faça da sua, a indole de um povo. Povo este que presentemente, demonstra estar farto de , como voce mesmo escreveu acima, de politicos SACANAS E DESONESTOS. O "Povo" tambem está farto de farsantes travestidos de professores, e intelectuais arrogantes.FORA RENAN, FORA MESMO MALDITO CALHORDA.

Eduardo França disse...

A questão não é se ele foi eleito de forma lícita ou não, a questão é que a nação não vai mais admitir esse tipo de vagabundo no poder! FORA RENAN!!

Flávio Helmich disse...


o que fazer quando um professor tem uma cabeça de merda feito esse idiota.

Eubiose Cuiabá disse...

O Povo Brasileiro é um povo bom e nobre na sua grande maioria, Prof. Nazareno. Se ainda temos políticos que não refletem a realidade de nosso povo, a culpa não é do povo mas de um sistema que precisa ser melhorado. Democracia em construção ainda. Chegaremos lá um dia, não tenha dúvida disso. Manifestações como a que temos vistos ultimamente são indícios que o "sistema" está sendo reconstruído.

Eduardo Braga disse...

Sr Professor, pedes que o povinho do estado que elegeu o senador, dê a sua opinião , o cara, o Senador não governa o estadinho que o elegeu, não está sabendo, ele detém o congresso que representa o pais inteiro, não sabia não , acho oque deveria ficar sabendo , alias, você se intitula professor.O povo já colocou para fora um presidente, que alias, o estado a que pertence este presidente é o mesmo do senador, veja que lambança, que foi seu ministro de justiça, justiça acho que não entendi, se raciocinar verá que as coisas se repetem.T

Jonas Alves da Silva disse...

Concordo em prosa e verso.

Bruno Goulart disse...

Eu li, concordo em parte. A culpa é nossa.
Mas de resto só vi um monte de palavras estupidas.
Realmente tenho dó de quem é aluno de professores assim.
Um professor deveria incentivar os jovens e não fazer a merda que esse esta fazendo.
Por causa de pessoas que dizem: "não importa o que você faça, não adiantará" é que estamos nessa situação.
Felizmente eu tive professores que me incentivaram e não me deixaram mais pra baixo ainda me acusando de ser culpado pelos representantes que temos.

Juarez Sá disse...

Professor, eu não sou alagoano e nem votei nesses integrantes da quadrilha do ALIBABÁ. Não generalize todos os brasileiros, assim como não generalizo todos os políticos como desonestos, mas que são maioria são!!!

Allan Pereira disse...

Onde há identificação, há projeção da própria personalidade. Se você não é SUJO, LADRÂO E ORDINÀRIO e assinou o manifesto FORA RENAN conheça a "OPNIÂO" desse "PROFESSOR".

Juliano Bagini disse...

Pela primeira vez vejo um texto consciente. Enquanto não mudarmos nosso modo de agir como eleitores e como cidadãos, não poderemos exigir condutas exemplares de nossos representantes.

Wellington Cavalcanti disse...

Excelente texto. Parabéns!
Prova de sua verdade é o monte de comentários estúpidos, de um povo estúpido, que sequer consegue entender a nossa língua, pois ao usar a palavra povo há uma generalização válida e legítima que não mecessariamente inclui a todos, portanto quem discorda não tem porque se sentir ofendidinho.
Como negar que é o povo que elege este bando de ladrões para administrar trilhões de dinheiro público?
Como negar que o povo está mais preocupado com futebol, carnaval, Big Brother, etc, do que em participar de política?
Como negar que o povo esta mais interessado em tirar alguma vantagem desta bandalheira do que acabar com ela?
Mais uma vez, Parabéns pelo texto.

Bruno Goulart disse...

Pessimo comentário. Prova de que o senhor esta chamando a todos de estupidos sem sequer nos conhecer.
Não sabe o que cada um aqui faz. Prefere concordar e dar opinião sem se interessar com a opinião de quem é contra.
Mais uma vez, pessimo comentario.

Rodolfo Bitarelo disse...

Eu não enrendi por quê tanta hostilidade em relação à matéria desse professor. Infelizmente o nosso país está tendo o que merece, se os malditos políticos estão onde estão é graças ao povo que os elegem. Vejam só o exemplo de governo do PT. É só oferecerem uma dúzia de bolsa miséria, que a reeleição está garantida. E há quem dê a vida pelo “ilustrissimo“ ex(?)-presidente lulla. Povo sem vergonha! Abaixam a cabeça pra tudo! Cadê as manifestações?? Ficam só reclamando e não tomam atitude nenhuma!!!

Tyago Ridrigues disse...

Gostei da franqueza desse escritor, acho que a reforma política deva começar em nós, para quem sabe um dia termos um Estado Democrático Pleno

Elismar Lima disse...

Votei pela saída do Renan de seu cargo, mas reconheço que os representantes é apenas o reflexo da sociedade representada!!!

Alexandre Carvalho disse...

Inacreditavel! O Renan o Sarney e tantos outros sempre estiveram no mesmo lugar (no poder) e sempre foram o que sao, mas so' agora passaram a ser maus e corru'ptos, pois ousaram apoiar os governos populares. Qual seria o motivo?

Secaro9 disse...

não de opiniões lucidas, os brasileiros vivem de fantasias e farsas como os poderes legislativo, executivo e judiciário

Pedro Henrique Azevedo disse...

Professor Nazareno, o senhor faz umas colocações em seu texto no mínimo claudicante. O Brasil um dos países mais corruptos e desiguais do mundo e você vem dizer que os manifestantes (as poucas pessoas que tem uma consciência crítica e uma postura política em um país que tem um dos piores índices de qualidade em educação no planeta)só querem aparecer diante dos holofotes é no mínimo uma declaração infeliz. Não há razões para se manifestar contra esse modelo político e social brasileiro exageradamente elitista e exclusivista? É impressão minha ou você disse que a maior parte da população brasileira é composta de drogados e alcoolatras nesta seguinte declaração: "como encher as ruas de manifestantes politizados se não distribuem drogas nem cachaça para os participantes? Nem abadás há, muito menos bandas de músicas para divertir a alegre rapaziada". Uma outra coisa, você faz afirmação sem se quer expor algumas possíveis causas (aqui, de cunho político, social e econômico)em relação aos 800 mil alogoanos que elegeram Renan Calheiros a senador. Será que os brasileiros que trabalham duro dia e noite e paga uma das maiores cargas tributárias do mundo é corrupta igual seus representates como você cita no final do seu texto? O analfabetismo,o conhecimento político insuficiente (promovido pelo Estado, e percebe-se, para os mais atentos que é especialmente intecional, pobre consciênte e dotado de conhecimento é perigoso, não acha?)não contibui para esse tipo de conhecimento, a miséria e preocupação de ter pelo menos uma refeição na mesa também não contribui para a eleição de políticos oportunistas, sem compromisso com o povo e dotados de uma violenta retórica capaz de dar esperanças aos menos favorecidos em um países que a realidade é suficientemente cruel? E e os resquícios do coronelismo que ainda reina nos interiores desse nosso imenso Brasil? Também não contribui? E a nossa justiça que de cega não tem nada (onde o pobre espera o julgamento preso, enquanto os cidadãos mais abastados com inúmeros recursos respondem processos em liberdade e muitas vezes nem vão preso) não deve ser MORALIZADA? E o papel das instituições e dos orgãos públicos estão sendo realizados como deveriam ser? Ou eles também estão passivos dos interesses de agentes políticos e econômicos que se infiltram nas mesma confundindo, ops, confundindo não, intencionalmente colocando os interesses privados acima dos interesses públicos, não conta?

Pedro Henrique Azevedo disse...

CONTINUAÇÃO
Ah... democracia também significa debate, oposição, contestação, "construção do diferente", "insatisfação com o mesmo", como também, conservação, manutenção... tudo isso misturado em uma caldeirão que deve orbitar a esfera do pensamento e das práticas políticas e sociais. Então, não reconheço o "ESTUPRO" que você menciona em seu texto, pois uma vez eleito, o Renan Calheiros não representa só os eleitores que o elegeram, mas como legislador, ele representa os interesses públicos do Estado de Alagoas e do Brasil em geral, aí te faço uma pergunta: Porque pedir só a permissão dos eleitores que o elegeram? Ah, citar o ilustríssimo senhor ministro do Supremo Tribunal Federal Marcos Aurélio de Mello como uma espécie de instância última de reflexão das causas sociais brasileiras é um pouco estranho, o cara tem dinheiro, poder e muitas regalias sociais doadas gentilmente pelo Estado, já que no Brasil política e justiça andam de mãos dadas, seria diferente não ter o ministro uma grande carga de leitura e conhecimento? O senhor Nazareno acha que um nordestino do sertão que passa sede e consequentemente fome, tem tempo ou ânimo pra se debruçar em obras de Rousseau, Karl Marx, Machado de Assis, Sigmund Freud, friedrich nietzsche, michel foucault...? Outra coisa, quando você cita esses tipos de declaração você automaticamente esquece ou abafa "o grito dos excluídos"! Será que os camponeses que lutam por uma reforma agrária não tem nada a dizer? Será que as inúmeras etnias indígenas que lutam por uma espaço digno apenas para viver e preservar a sua cultura não tem nada a dizer? E os mendigos (a culpa é exclusiva dos mendigos em ser mendigos?)? E os Hippies? Eles estão errados em não querer participar de um Estado sujo, corrupto e seletista como a do Brasil ( aliás, se o senhor for analisar o surgimento dos Estados Nacionais você vai percerber que o Estado e suas instituições como a polícia, por exemplo, tem a única natureza de manter as regalias daqueles que estão no poder, é manter o status quo daqueles que utlizam da máquina pública para se auto promover nas diversas instâncias da sociedade). Os estudantes-manifestantes nas áreas urbanas também não tem nada a dizer? Nós não temos nada a aprender com os excluídos, os esquecidos? Ou é mais importante ou digno citar uma personalidade de destaque na nossa sociedade? Para Finalizar, NÃO CITAR O PAPEL DA IMPRENSA COMO VEÍCULO DE CUNHO POLÍTICO E QUE MUITAS VEZES DESEMPENHA PAPEL DECISIVO NA MANUTENÇÃO DO PODER E DE CERTA FORMA TEM SUA PARCELA DE RESPONSABILIDADE NA CONJUNTURA POLÍTICA, CULTURAL, SOCIAL E ECONÔMICA DO NOSSO PAÍS, é covardia senhor Professor Nazareno.

Julie Dorrico disse...

"O povo não é vítima, mas autora". Bem, se tivéssemos leis eleitorais mais severas poderíamos dizer que o povo é sem dúvida uma mulher chorona. Entretanto, há muitas lacunas, muitos perdões, muita corrupção nos detentores de poder pra afirmar com veemência que o povo (cuja maioria trabalha suados trinta dias pra ganhar um salário mínimo) é responsável. Sabe o que faltou para o povo alagoano? Consciência. Esclarecimento. E não é por que o Sr. Renan Calheiros se elegeu de forma legal que devemos nos manter silenciosos para que ele exponha novamente seus atos de corrupção de forma "legal". Essa triste realidade é sem dúvida o câncer do país, enquanto poucos lutam por uma melhoria, alguns apenas se entregam ao padecer. Lamentável.

Nau Roch disse...

Se é pra votar em ladrão, prefiro os do urso branco que já são condenados! Fora renan! Fora petralhas!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Mr. Rïver disse...

ESTE ARTIGO É DE MUITO MAU GOSTO
Enquanto um professor no Pernambuco foi impedido de dar aula por usar uma camisa contra a corrupção, em Rondônia surge um professor que vai totalmente ao contrário do que se espera de um membro desta classe. Vi essa postagem pouco antes do "Fora Renan Calheiros" e confesso que em poucos pontos até concordei, afinal nós eleitores precisamos ser mais responsáveis, mas acho inadmissível alguém (ainda mais um professor) sugerir a omissão ou a inércia do povo diante de tanta podridão que acontece na Política Brasileira! O mínimo que queremos é que Renan Calheiros saia da Presidência do Senado, e quem o colocou lá foram os demais Senadores (representantes dos Estados-membros) e não o povo de Alagoas, logo é demasiado junto que o povo brasileiro requeira sua saída, e mais, já que se fala em democracia, nada mais justo que o povo se rebele e faça exigir sua vontade! Sinceramente, se eu fosse esse professor eu ficaria envergonhado diante de meus alunos por escrito tamanho absurdo!

Roxane Fernandes Ribeiro disse...

Ironia e Nazareno se confundem hein? excelente texto.

Marcelo Souza disse...

Quem não entendeu o texto???

André Lucas disse...

O Professor Nazareno deu um tapa na sociedade que se diz ser democrática como diz o professor ‘’por isso o Brasil e o pais do futebol e do Carnaval ‘’está cada vez mais para baixo politicamente como sempre esteve

Higo do Vale disse...

O texto é ótimo. Mas infelizmente não é todo mundo que entende esse alto nível de ironia que só o Nazareno consegue atingir.

Higo do Vale disse...

Por muita falta de interpretação dos comentaristas é que sai essa diarreia verbal que vemos nos comentários. Excelente texto, professor.

Saimon River disse...

Interessante ver o quanto vc é tão esclarecido e o quanto achou excelente o texto do professor... O texto é tão bom pra você que nem mesmo ousou entrar no mérito.

Alex Lacerda disse...

concordo com vc saimon,fora esses corruptos...e o senador(Raupp)de RO,falando q ele é uma pessoa íntegra...vergonhoso.

Ivanilson Frazão Tolentino disse...

Ser chamado de índio é um elogio. Se os nossos políticos tivessem a essência de governar como se governas as aldeias, o nosso país estaria em uma situação bem melhor. Estou falando dos grupos indígenas que ainda não tiveram contato com a nossa dita "civilização"! Li o texto e, mais uma vez, você se superou!

Lucas R. disse...

Concordo em parte, a opinião a qual defende. Porem o PT, foi um grande desse país que hoje é assolado pelos "HOMENS DE BEM" que nos governam....

Carlos Silva disse...

Parabéns Professor, ótima colocação. O povo, como expos o ministro, é autor desta mazela em que se encontra a politica brasileira

Hina Yagami disse...

Caro Bruno, fique sabendo que não é preciso ter dó dos alunos dele, e não, em momento nenhum ele nos colocou para baixo, pelo menos eu nunca me senti ofendida pelas suas verdades.

Como professor de redação, ele desenvolve nos alunos o senso crítico, nos mostra fatos e estatísticas antes de ler nossa opinião sobre o assunto. Se ele nos critica? Não, ele indica nossos erros, nos corrige, pois sua opinião sem uma base não serve de nada.

Ele é um caso raro, mas merece o devido respeito. Antes de mudar a sociedade e a política, os cidadãos devem mudar a si próprios, é algo que posso "ler nas entrelinhas".

Adriani Vilácio disse...

Realmente tenho pena dessas pessoas que não sabem o verdadeiro sentido de uma boa leitura de mundo, e que além disso criticam tão mal um trabalho tão bem feito como esse.
São "brasileiros" mesmo né professor? :)
Estou no último ano escolar e tenho como professor (não como um profesor qualquer), mas "o professor", o Nazareno como um excelente professor, e não acho uma infelicidade tê-lo como professor, mas sim, tenho prazer de a cada dia que passa, aprender mais e mais com esse cara... PARABÉNS PROFESSOR NAZARENO!!!

Adriani Vilácio disse...

E concordo plenamente com a Hina Yagami.

Hina Yagami disse...

Obrigada Adriani, eu não me importo que falem e critiquem as opiniões do Professor Nazareno, afinal cada um tem a sua.

Mas é passar dos limites o questionar como professor, ele é uma pessoa admirável com seu conhecimento e história de vida. Então me sinto ultrajada com alguém que nunca o viu numa sala de aula falar como se o conhecesse.